Skaf recebe campeã mundial de natação Etiene Medeiros

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP, recebeu nesta quarta-feira (2 de agosto) Etiene Medeiros, nadadora do Sesi-SP campeã do Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste na última semana, Seu técnico, Fernando Vanzella, acompanhou-a no evento. “Você foi motivo de muita felicidade para todo o país”, disse Skaf a Etiene. “Agradeço pelo seu desempenho e pelas suas conquistas, que vêm sempre rompendo as barreiras do Sesi-SP e da indústria”, disse Skaf, que ressaltou o valor de mais uma conquista inédita na natação feminina brasileira.

Etiene Medeiros entrou mais uma vez para a história ao ganhar o primeiro ouro na natação feminina do país em mundial de piscina longa, nos 50m costas (27s14). “Na hora que eu vi o Vanzella vibrando e me dei conta do tempo fiquei muito feliz, eu acho que foi um megarresultado para mim, para o Brasil e para toda a natação”, disse Etiene em sua volta a São Paulo.

A nadadora, que fez questão de agradecer ao Sesi-SP por todo apoio e trabalho desenvolvido nos cinco anos na equipe da indústria, conquistou na Hungria seu quinto feito inédito. Etiene iniciou sua quebra de barreiras em 2008 ao se tornar a primeira brasileira a ir ao pódio em um Campeonato Mundial, levando a prata nos 50m costas do Mundial Júnior. Em 2014, foi a primeira brasileira medalhista (e campeã) de um Mundial em piscina curta, com o ouro nos 50m costas em Doha, no Catar. Um ano depois, em 2015, garantiu o primeiro ouro feminino da história do país em Jogos Pan-Americanos, com o título dos 100m costas em Toronto, no Canadá. Dias depois, foi vice-campeã dos 50m costas no Mundial de piscina longa de Kazan, Rússia, garantindo a primeira medalha feminina do país na história do evento. E em 2016, em Windsor, no Canadá, foi bicampeã mundial em piscina curta nos 50m costas.

“Não criamos muita expectativa para esse mundial, pautados no desgaste do último ciclo olímpico. Colocamos em prática o que vínhamos treinando. Estudamos as últimas provas dela, usando dados do biomecânico, tempos anteriores e fomos para Budapeste. Felizmente ela se superou mais uma vez e voltamos com mais esse feito para a nossa natação”, comentou o técnico Fernando Vanzella.

Ouça boletim sobre essa notícia

Skaf recebe campeã mundial Etiene Medeiros e o técnico Fernando Vanzella. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf recebe campeã mundial Etiene Medeiros e o técnico Fernando Vanzella. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Etiene Medeiros quebra mais um recorde e se torna primeira campeã mundial do Brasil

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Etiene Medeiros, atleta do Sesi-SP, cravou mais um título em sua carreira. E mais uma vez fez história na natação feminina brasileira. Com o tempo de 27s14, Etiene se tornou nesta quinta-feira (27 de julho) campeã dos 50m costas do Campeonato Mundial de esportes aquáticos, que está sendo disputado em Budapeste, na Hungria. E, além do ouro, e de ouvir o hino do Brasil durante a premiação, a conquista a colocou mais uma vez como a primeira mulher brasileira a atingir um feito.

Etiene foi a primeira brasileira a ir ao pódio em um mundial júnior, a primeira medalhista e campeã em um mundial de piscina curta, garantiu o primeiro ouro feminino da história do país em Jogos Pan-Americanos e foi vice no último mundial de piscina longa.

“Que prova! Acho que tive várias pessoas ao meu lado para essa prova. Foi uma temporada diferente, estava relaxada desde o início do ano. Fiquei um pouco nervosa na hora, mas foi engraçado, todas as nadadoras me desejavam boa sorte. Estou muito feliz. Foi por pouco, a chinesa é uma ótima adversária. Mas eu só tenho a agradecer”, comentou a nadadora em entrevista ao canal de TV por assinatura SporTV assim que saiu da água.

Após ficar bem próxima do recorde mundial, Etiene passou pelas semifinais nos 50m costas com o melhor tempo da prova, 27s18, apenas um centésimo na frente da chinesa Yanghui Fu e ainda estabeleceu uma nova marca para sua vida. A nadadora do Sesi-SP, além da vaga na final, conseguiu sua melhor marca pessoal (até então era 27s26), estabeleceu um novo recorde brasileiro e sul-americano, novo recorde das Américas e terceira melhor marca da história.

Na final, em mais um duelo apertado com a chinesa Fu Yuanhui, a mesma que ficou com o ouro por 15 centésimos em 2015, Etiene voltou a brilhar, deu a volta por cima e ficou à frente por apenas um centésimo, quebrando mais uma vez os recordes estabelecidos no dia anterior. Aliaksandra Herasimenia, de Belarus, ficou com o bronze (27s23).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeiros comemora mundial de 50m costas. Foto: CBDA/Divulgação

Etiene Medeiros e Matheus Gonche, do Sesi-SP, estão na equipe brasileira do Mundial de Natação

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Etiene Medeiros e Matheus Gonche, atletas do Sesi-SP, foram convocados para a equipe brasileira em duas das principais competições da natação.

Dona do tempo mais baixo nos 50m livre do Troféu Maria Lenk 2017, Etiene nadou o famoso “cinquentinha” na casa dos 24 segundos e garantiu seu nome entre os nadadores brasileiros que embarcam para o Mundial de Natação na Hungria em julho. Com o tempo de 24s73, a pernambucana representará o Sesi-SP entre os dias 23 e 30.

Na edição júnior, em Indianápolis, Estados Unidos, Matheus Gonche será o nome da indústria nos 200m borboleta. O jovem já foi para o Troféu Maria Lenk entre os possíveis representantes do país na competição e após o torneio nacional, se manteve na lista. Matheus e outros 15 estarão no 6º Mundial Junior de Natação, de 23 a 28 de agosto deste ano.

Skaf apresenta equipes de natação e polo aquático do Sesi-SP, reforçadas para Tóquio 2020

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Ladeado por Etiene Medeiros, estrela da natação, e por Rudá Franco, astro do polo aquático, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, apresentou nesta terça-feira (18 de abril) as equipes femininas e masculinas do Sesi-SP dos dois esportes.

Skaf lembrou que o Sesi-SP teve diversos atletas e técnicos participando da Olimpíada do Rio. Agora há um novo ciclo olímpico, planejado parar levar a Tóquio, em 2020, os atletas da indústria. Há reforços como os da equipe masculina de natação, Henrique Rodrigues (competiu nos Jogos Olímpicos de Londres e do Rio) e Raphael Rodrigues, que estrearam no Sesi-SP este ano.

“Cada vez mais interessa à indústria estimular o esporte”, disse Skaf. E nos próximos 15 dias o Sesi-SP vai anunciar uma novidade que vai ajudar o esporte paulista, revelou, ao dar as boas-vindas a todos, atletas e integrantes das comissões técnicas, à família Sesi-SP. Não sendo uma empresa, mas uma instituição, “o lucro dele [Sesi-SP] é a formação das pessoas”, disse Skaf. Destacou que o Sesi-SP está na direção certa na preparação das pessoas para o futuro, que reserva mudanças importantes nas profissões.

Skaf disse que ter atletas no prédio da Fiesp, em sala em que são discutidos assuntos de interesse do Brasil, como economia e relações exteriores, mostra que a indústria prioriza a educação, na qual o esporte desempenha papel importante. “Esporte educa. Une, disciplina, é saúde”, disse. E é preciso estimular a prática esportiva nas escolas, o que as do Sesi-SP fazem.

Os atletas contaram sua história, que em muitos casos começou no Programa Atleta do Futuro (PAF), que, explicou Skaf, aproveita a infraestrutura e a metodologia do Sesi-SP para, em convênio com as prefeituras, fazer a iniciação esportiva. São mais de 200 cidades e 100.000 alunos inscritos.

O resultado do que é feito na base aparece com a presença de atletas nela formados nas equipes principais, disse o presidente da Fiesp e do Sesi-SP. “É muito bom ver caras novas.”

>> Ouça boletim sobre a natação e o polo aquático do Sesi-SP

Alexandre Pflug, diretor de Qualidade de Vida do Sesi-SP, destacou que as 48 piscinas semi-olímpicas da entidade são aquecidas, o que estimulou a natação. Depois foi construída uma piscina oficial de polo aquático, no Sesi Vila Leopoldina, a única da América Latina. O projeto para a natação de alto rendimento começou em 2012, com vistas ao Rio 2016. Inovou ao montar primeiro uma equipe feminina. Agora a equipe está completa, explicou Pflug, com a formação do masculino, para o ciclo 2020.

É difícil a formação esportiva em polo aquático, o que o Sesi-SP faz – e também em luta olímpica e triatlo, destacou Pflug.

Fernando Vanzella, técnico de natação do Sesi-SP, destacou o planejamento e a visão de longo prazo da entidade, que ajudam a preparação. Ele contou a experiência de sua equipe em torneio, no Arizona (EUA), do qual voltaram um dia antes da apresentação. Com 4 finais por prova, a competição permite a 32 atletas a disputa. Daynara de Paula, que participou do torneio, respondendo a uma pergunta de Skaf, disse que o nível da competição é alto, com a participação de finalistas olímpicos.

O time feminino de polo aquático, explicou o técnico André Avallone, não participou da apresentação, porque estava no percurso de volta de um treinamento na Argentina.

Paulo Skaf com as equipes de natação e com o time de polo aquático masculino do Sesi-SP. Foto: Ayrton VIgnola/Fiesp

Paulo Skaf com as equipes de natação e com o time de polo aquático masculino do Sesi-SP. Foto: Ayrton VIgnola/Fiesp


Equipe de natação:

ETIENE Pires de Medeiros – atleta olímpica

DAYNARA de Paula – atleta olímpica

HENRIQUE Cavalcante Rodrigues – atleta olímpico (nova contratação)

RAPHINHA (Raphael Oliveira Rodrigues) – nova contratação

Matheus Ferreira de Moraes GOUNCHE – nova contratação

BIA (Beatriz Lima e Silva) – nova contratação

AUGUSTO Briguenti de Souza – nova contratação

BRYAN Cristopher Alves – atleta juvenil do Sesi-SP, vindo do PAF Osasco

Maria AMÁLIA Zanetti Verzola

FERNANDINHA (Fernanda Ribeiro Bernardo)

ESTEVÃO Vital Hornos

PIRU (Henrique de Sá Pereira)

LARI (Larissa Maria Lira de Oliveira)

PRI (Priscila Souza)

DANI (Daniella de Godoy Camargo)

MAMUTE (Daniel Mendes Silva Matheus Santos)

Gabriela PIZANI de Almeida

CLARISSA Rodrigues

SABRINA Jacob Todão

 

Equipe de polo aquático: 

RUDÁ Franco – Capitão da Equipe

CIRILO (Anderson Ferreira)

ARTHUR Salgado

PEDRINHO (Pedro Borges)

BRAGA (Bernardo Reis)

BETO (Roberto Freitas)

Marco Goes JUNIOR

Atletas do Pólo que eram da equipe juvenil do Sesi-SP vindos do PAF:

Gabriel BELLIO – PAF São Paulo capital

MATHEUZÃO (Matheus Junqueira) – PAF Ribeirão Preto

WENDEL Pereira – PAF Ribeirão Preto

Gabriel SOJO – PAF Ribeirão Preto

MARCOS PAULO Pedroso – PAF Ribeirão Preto

CARINHA (Wagner Fagundes) – PAF São Caetano do Sul

VINI (Vinicius Pessin) – PAF Ribeirão Preto

Skaf recebe bicampeã mundial de natação Etiene Medeiros

Agência Indusnet Fiesp

Etiene Medeiros, bicampeã mundial de natação nos 50m costas, foi recebida em almoço nesta terça-feira (13/12) por Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Sesi-SP. Etiene, que é atleta do Sesi-SP, competiu pelo Brasil em Windsor (Canadá), no Campeonato Mundial em Piscina Curta.

Skaf destacou o feito de Etiene, primeira brasileira a ganhar ouro num campeonato mundial de natação e agora bicampeã, e parabenizou também Fernando Vanzella, técnico da seleção brasileira e do Sesi-SP. Etiene destacou o trabalho de toda a equipe da instituição. “A medalha é de todos vocês”, disse após o almoço em sua homenagem no prédio da Fiesp e do Sesi-SP. O ouro foi conquistado no sábado anterior (10/12).

Etiene Medeiros, com Paulo Skaf, mostra suas medalhas do Mundial de Windsor. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Etiene Medeiros, com Paulo Skaf, mostra suas medalhas do Mundial de Windsor. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Etiene Medeiros inicia suas férias com pé direito após o bicampeonato mundial

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Agora é descanso total. É com essas palavras que a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Etiene Medeiros, volta para o Brasil após mais um feito inédito, o de bicampeã mundial nos 50m costas.

Depois do título conquistado em Doha 2014, a pernambucana foi para o Canadá na última semana para cumprir seu último compromisso da temporada 2016 – e poder tirar suas merecidas férias – e para defender o posto de melhor do mundo na prova.

Na noite do último sábado (10), Etiene caiu na piscina e conquistou mais uma medalha de ouro dos 50m costas, sagrando-se bicampeã do Mundial de piscina curta. Com o tempo de 25s82, a nadadora superou mais uma vez a húngara Katinka Hosszu, que conquistou nove medalhas em Windsor e marcou 25s99. O bronze foi para a americana Alexandra Margaret De Loff, com 25s14.

“Eu estou muito feliz. Agora que deu uma diminuída na adrenalina eu pude ver algumas coisas que fiz. Pontuei bem na prova, encaixei bem o que era preciso, repeti bastante do que fiz nas provas anteriores, e saiu tudo bem redondo. Lógico, fiquei um pouco nervosa, porque você nadar uma final com o primeiro tempo e ainda por ter sido a última medalhista mundial tem um peso muito grande, mas faz parte. Eu só tenho a agradecer a todos que torcem por mim, a família Sesi-SP que me dá todo suporte.  Este ano eu aceitei e passei por muita coisa. Dor, felicidade. Virei muita página. Terminar o ano com essa medalha me deixa muito leve. E agora é descansar total, mereço né”, comentou Etiene, que comemora mais um ciclo encerrado.

“Comecei as férias com o pé direito, graças a Deus. E o próximo ano já vamos começar com força total. Esse resultado encherá ainda mais a minha mala de experiência e sabedoria para 2017”, finalizou a bicampeã mundial.

Em Doha-2014, Etiene conquistou o seu primeiro grande feito na natação ao se tornar a primeira brasileira a conquistar uma medalha em um mundial do esporte, seja em piscina curta ou olímpica. Para o técnico da seleção brasileiro e do Sesi-SP, Fernando Vanzella, o resultado em Windsor coroa todo o trabalho feito desde o início do ciclo olímpico.

“Encerramos a temporada aqui no Canadá com uma medalha de ouro que vem para coroar tudo o que estamos fazendo e fizemos no Sesi-SP em quatro anos. Estou muito feliz e orgulhoso com essa conquista e ainda mais motivado a continuar o trabalho no próximo ciclo olímpico”, explicou o treinador.

Etiene ainda ficou com o segundo melhor índice técnico da competição, com 982 pontos alcançados pelo desempenho nos 50m costas. Na frente dela apenas a americana Lilly King, pelo desempenho nos 50m peito, com 987 pontos. O Brasil encerrou sua participação no Mundial em Piscina Curta de Windsor com um ouro (Etiene – 50m costas) uma prata (revezamento 4x50m medley misto) e um bronze (Felipe Lima – 50m peito), além de cinco finais e três semifinais. No quadro geral a equipe ficou com o 13º lugar. Estados Unidos, Hungria e Rússia foram os três primeiros.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeirios com sua medalha de ouro nos 50m costas, que lhe deu o bicampeonato mundial em piscina curta. Foto: Divulgação

Etiene Medeiros baixa sua marca nos 50m livre e garante vaga para o Mundial

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Manhã de grandes conquistas para equipe de natação do Sesi-SP. Dona do recorde brasileiro e sul-americano dos 50m livre (24s15, do Finkel/2014, em Guaratinguetá/SP), Etiene Medeiros caiu na piscina na manhã desta quarta-feira (14/9) com o objetivo de baixar sua marca e brigar por uma vaga no Mundial de Curta em dezembro. Nadando leve, na piscina do Clube Internacional de Regatas, em Santos, considerada mágica, devido ao sucesso em eventos passados, a pernambucana superou seu próprio recorde brasileiro e sul-americano, com o tempo de 23s88, e garantiu índice para a competição mundial em Windsor, no Canadá.

“Estou muito feliz com esse resultado e agora mais tranquila. Eu vim aqui para buscar isso, baixar o tempo e garantir uma vaga. São duas oportunidades apenas, as eliminatórias de manhã e as finais mais tarde. Então já entrei forte agora para não correr o risco de perder a primeira oportunidade. Agora é manter a tranquilidade para o restante da competição. O primeiro passo foi dado, e junto com ele vieram os dois recordes”, comentou Etiene ao final da prova.

Assim como Etiene, Priscila Souza também foi bem nos 50m livre e, com o tempo de 25.13, volta para disputar a final com a parceira de clube. Nos 400m medley, Beatriz Dizotti (4:49.70) e Bruna Primati (4:47.77) baixaram suas marcas de balizamento e caem na piscina à tarde na busca de mais uma medalha para a equipe paulista.

O terceiro dia de competições ainda contará com a série forte dos 800m livre, em que Beatriz e Bruna estão inscritas, e a disputa dos revezamentos feminino e masculino do 4x200m livre. E o Sesi-SP conta com atletas nas duas provas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Com nova marca brasileira e sul-americana, Etiene Medeiros assegura vaga para o Mundial nos 50m livre. Foto: Satiro Sodré/CBDA


Programação:

– Dia 14/9 – 4ª feira (finais: 18h30)
400m medley F (Beatriz e Bruna)

50m livre F (Etiene e Priscila)

800m livre F (Beatriz e Bruna)

4x200m livre M e F (equipes Sesi-SP)

– Dia 15/9 – 5ª feira (eliminatórias: 10h / finais: 18h30)
200m borboleta M e F (Bia, Carol, Fernanda, Jéssica Cavalheiro)

100m peito M e F (Gabrielle)

800m livre M (Elder)

4x100m livre F e M (equipes Sesi-SP)

– Dia 16/9 – 6ª feira (eliminatórias: 10h / finais: 18h30)
200m medley F e M (Carol, Clarissa, Fernanda, Gabrielle)

50m borboleta F e M (Clarissa, Daynara, Priscila)

400m livre F e M (Bia, Bruna, Jéssica Cavalheiro, Sabrina, Elder)

50m costas F e M (Etiene)

4x50m livre misto (equipe Sesi-SP)

– Dia 17/9 – sábado (eliminatórias: 10h / finais: 18 horas)
100m livre F e M (Daynara, Etiene, Jéssica Cavalheiro, M.Amalia, Priscila, Sabrina)

50m peito F e M

200m costas F e M (Bruna, Gabrielle)

4x100m medley F e M (equipes Sesi-SP)

Nadadoras do Sesi-SP conquistam vagas para 6 provas nos Jogos do Rio 2016

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

O objetivo era credenciar pelo menos três nadadores do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para os Jogos Olímpicos Rio 2016, e após seis dias de competições no Parque Aquático Olímpico, a meta foi concluída com sucesso. Competindo pelo Troféu Maria Lenk, última seletiva olímpica da natação brasileira, realizado na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, as atletas Etiene Medeiros, Daynara de Paula e Jéssica Cavalheiro confirmaram presença em seis provas que serão disputadas em agosto.

O torneio, que teve início no dia 15 de abril e terminou na noite desta quarta-feira (20), além de definir a equipe que representará o Brasil nas Olímpiadas, ainda colocou o Sesi-SP na quinta posição, com 415 pontos e oito medalhas, sendo duas de ouro, três de prata e três de bronze. Na classificação por atletas, Etiene Medeiros venceu com o melhor índice técnico feminino, somando 909 pontos pelos 100m costas.

A semana começou agitada no Rio de Janeiro. Daynara de Paula foi a primeira atleta do Sesi-SP a puxar fila e alcançar o índice na competição. Entrando para a decisão logo no primeiro dia de provas, a manauara fez o segundo melhor tempo (58s38) dos 100m borboleta, abaixo do índice exigido (58s74). Ao lado de Daiene Dias (58s04) representará o Brasil no estilo. Três dias depois, Daynara voltou para a piscina nos 100m livre e, com o terceiro tempo (55s02), também se garantiu no revezamento 4x100m livre.

A pernambucana Etiene Medeiros também cumpriu suas metas e garantiu presença em todas as suas especialidades. No segundo dia de competição no Parque Aquático Olímpico, Etiene caiu na piscina para a única prova em que ainda não tinha alcançado o índice exigido, já que nos 50 e 100m livres já havia atingido a marca na primeira seletiva, no ano passado, em Palhoça.

Nadando em um minuto cravado, Etiene foi a única brasileira que alcançou o índice olímpico (1m00s25) e será a única representando do país na prova. Já nos 100m livre, a atleta precisou nadar na casa dos 54 s para garantir a marca que já havia feito em Palhoça. Com o apoio da torcida e marcando 54s26, a pernambucana não só assegurou sua vaga como também se credenciou para o revezamento 4x100m livre, ao lado da companheira de equipe, Daynara de Paula.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeiros vai disputar 50m livre, 100m livre e 4x100m. Foto: Satiro Sodré/SSPress

E nesta quarta-feira (20), na famosa prova rapidinha, 50m livre, a nadadora da indústria alcançou o tempo de 24s64, baixou a marca conquistada na primeira seletiva (24s71) e ao lado de Graciele Herrmann (24s92) lutará por medalha para o país.

“Eu estou indo para a minha primeira olimpíada e estou muito feliz, emocionada, mas agora é muito treino. No começo da competição eu esperava fazer resultados melhores, mas paciência, eu acho que a gente tem que saber o limite do nosso corpo e cada vez mais tentar superar e foi esse o lema da competição para mim, superar cada coisa”, comentou Etiene na última etapa do Troféu Maria Lenk.

Outra nadadora do Sesi-SP que também se tornou uma atleta olímpica foi Jéssica Cavalheiro. Especialista nos 200m livre, a mineira entrou para a disputa de uma vaga no terceiro dia de torneio e com 1m59s05, marcou o terceiro melhor tempo e fará parte do revezamento 4x200m livre.

Para o técnico do Sesi-SP e da seleção brasileira, Fernando Vanzella, a competição envolveu muitas emoções por todo o seu contexto em que se figurou, mas ao mesmo tempo que o psicológico foi posto em evidência, o torneio foi de total proveito para a equipe da Vila Leopoldina.

“A gente sabia que seria uma competição bacana e ao mesmo tempo muito difícil, sendo uma última seletiva para uma competição tão grande quanto as olimpíadas, ainda mais no Brasil, a gente não podia esperar uma coisa diferente. O início foi um pouco nervoso, tenso, não só do Sesi-SP, como de todas as equipes, mas a gente conseguiu superar isso e ter um resultado bem significativo, classificando três meninas para a Olimpíada.”

À frente da equipe de natação do Sesi-SP desde o começo de 2013, Vanzella, que entrou juntamente com Etiene, Daynara e Jéssica, passou a desenvolver uma linha de trabalho árduo e de muitos detalhes e planejamento. “Esses três últimos anos foram de muito trabalho, investimento e dedicação. Isso só nos mostra que com planejamento bem feito a gente consegue ter bons resultados. O Sesi-SP conseguiu uma coisa nova, que é ter a natação nos Jogos Olímpicos, e agora a gente espera que saiam grandes resultados para o Brasil e para os nossos atletas.”

Nilson Garbarz, supervisor da natação, não esconde o orgulho e a satisfação em ter, como recompensa de um trabalho de oito anos, três atletas nos Jogos Olímpicos. “É um sonho o que está acontecendo hoje. Você ter três atletas da natação relacionadas para as olimpíadas é muito difícil para um clube, e a seletiva aqui mostrou isso. A competitividade, o quanto qualquer erro, qualquer falha na preparação pode mudar tudo. Então estamos muito satisfeitos em ver que a gente tinha um projeto, um planejamento e um princípio, e conseguimos seguir isso durante esses três anos de trabalho juntos e acabou dando nesse resultado.”

Com a maior equipe de natação credenciada para uma olimpíada na história do país, o Brasil encerra a segunda seletiva com 29 nadadores classificados para competir em 20 provas individuais e quatro revezamentos dos Jogos Olímpicos Rio 2016.

Atletas do Sesi-SP com índice olímpico para os Jogos Rio 2016

– 50m livre F (25s28) = Etiene Medeiros – 24s71 (Open) / Graciele Herrmann – 24s92 (Open)

– 100m livre F (54s43) = Larissa Oliveira – 54s03 (Maria Lenk) / Etiene Medeiros – 54s26 (Daltely)

– 100m borboleta F (58s74) = Daiene Dias – 58s04 (Maria Lenk) / Daynara de Paula – 58s38 (Maria Lenk)

– 100m costas F (1m00s25) = Etiene Medeiros – 1m00s00 (Maria Lenk)

– 4x100m livre F = Larissa Oliveira – 54s03 (Maria Lenk) / Etiene Medeiros – 54s26 (Daltely) / Daynara de Paula – 55s02 (Maria Lenk) / Manuella Lyrio – 55s20 (Open)

– 4x200m livre F = Larissa Oliveira – 1m57s37 (Maria Lenk) / Manuella Lyrio – 1m58s43 (Open) / Jessica Cavalheiro – 1m59s05 (Maria Lenk) / Gabrielle Roncatto – 1m59s22 (Maria Lenk)

Nadadores do Sesi-SP ganham 11 medalhas para o Brasil no Campeonato Sul-Americano

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Após cinco dias de competições em Assunção, no Paraguai, os cinco nadadores do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) voltam para casa com 11 das 41 medalhas (18 de ouro, 13 de prata e 10 de bronze) conquistadas pelo Brasil no 43º Campeonato Sul-Americano de Natação. Etiene Medeiros, um dos destaques da equipe verde e amarela, garantiu 3 ouros e 1 prata nas provas individuais, Daynara subiu duas vezes ao pódio, e Jéssica Cavalheiro, uma. Nos revezamentos foram quatro douradas, com participações de Bruna Primati e Giovanny Lima.

Além das medalhas, as nadadoras do Sesi-SP ainda cravaram novos recordes de campeonato. Etiene Medeiros ficou com o ouro nos 100m costas e de quebra garantiu o bicampeonato, superando o recorde. Nos 50m livre, a pernambucana garantiu seu primeiro ouro sul-americano desta prova (24s80) e ainda estabeleceu uma nova marca.

Outro ouro que rendeu um novo tempo a ser batido foi nos 4x200m livre, com 8m04s29, feito por Joanna Maranhão, Jessica Cavalheiro, Bruna Primati e Manuella Lyrio. Além de mais uma marca importante na prova, e mesmo com o revezamento já classificado para o Rio 2016, o resultado em Assunção ajudou o país a assumir a liderança na pontuação feminina.

Daynara de Paula conquistou o tetracampeonato dos 100m borboleta, com 59s11, e além de registrar a nova melhor marca da prova, superando o tempo (59s79) de Gabriella Silva, feito em 2008, a nadadora do Sesi-SP colocou o Brasil na marca de 20 anos sem deixar o ouro escapar nesta prova.

Com 449 pontos na classificação geral, o Brasil manteve uma sequência de 32 anos de vitórias em um sul-americano absoluto de natação. Nesta edição, o segundo lugar ficou com a Argentina, 417, e o terceiro com a Venezuela, com 287.50 pontos. Para o técnico do Sesi-SP e da seleção brasileira feminina, Fernando Vanzella, o saldo da competição foi positivo não só pelas conquistas, como também pela oportunidade de analisar e ajustar os detalhes para a seletiva olímpica.

“A nossa participação foi muito positiva, ainda mais nessa fase que estamos, de seletiva olímpica. Foi uma competição onde os outros países participaram com força máxima e bem preparados, porque aqui valia para eles vaga na olimpíada, e a gente usou mais como preparação. Dentro desse cenário, os resultados foram muito positivos, tanto dento como fora da piscina. Conseguimos visualizar pontos importantes para melhorar nessa reta final e ao mesmo tempo ganhamos a competição”, avaliou Vanzella, que ainda fez um balanço dos nadadores da indústria.

“Os nossos atletas do Sesi-SP saem daqui com um grande número de medalhas. Destaque para a Etiene, que ganhou quatro provas, três individuais e um revezamento, e uma em segundo lugar, conquistando cinco medalhas. Tem a Daynara que foi bem também, ganhando três provas, dois revezamentos e a prova de 100m borboleta. Mas o mais importante foi a visualização do que podemos evoluir com esses atletas até o Maria Lenk. Foi uma ótima competição pré-seletiva.”

Destaque no feminino, Etiene Medeiros comemora os resultados obtidos durante os cinco dias de provas, e ainda ressalta a importância física e mental da competição.

“Estar aqui faz parte do crescimento físico e mental, importante neste período. Acredito que vou voltar para São Paulo mais forte e preparada para os desafios. A organização foi muito boa, e isso ajudou na nossa escolha de vir competir. Estou muito feliz por estar aqui e satisfeita com os resultados”, comentou Etiene, uma das responsáveis por ajudar a equipe feminina do Brasil a conquistar o título da categoria, ao somar 229,50 pontos, em entrevista para a CBDA.

Agora, a menos de 15 dias para o Troféu Maria Lenk, última seletiva olímpica brasileira, os atletas do Sesi-SP retornam para São Paulo, onde farão os últimos ajustes antes de embarcar para o Rio de Janeiro, para a competição entre os dias 15 e 20 de abril.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Nadadores e técnico do Sesi-SP que integraram a equipe brasileira no Sul-Americano de Natação. Foto: Satiro Sodré/CBDA-Divulgação


Resultados dos atletas do Sesi-SP no Sul-Americano

Etiene Medeiros

4×100 m livre (56s00 – campeã)

50 m livre (24s80 – campeã)

100 m livre (54s8 – campeã)

100 m costas (1m00s38 – campeã)

50 m costas (28s17 – vice campeã)


Jessica Cavalheiro

4×200 m livre (2 m00s6 – campeã)

200 m livre (2m00s6 – 3°lugar)


Daynara de Paula

4x100m livre (56s10 – campeã)

50 m borboleta (26s6 – vice campeã)

100 m borboleta (59s11 – campeã)

4×100 medley, estilo borboleta (4m08s57 – vice campeã)


Bruna Primati

4×200 m livre (2m03s0 – campeã)

400 m medley (4m53s0 – 4°lugar)

400 m livre (4m15s1 – 4°lugar)

800 m livre (8m48s59 – 4°lugar)


Giovanny Lima

400 m livre (3m56s0 – 6°lugar)

4×200 m livre (1m50s0 – campeão)

Etiene Medeiros, do Sesi-SP, conquista bicampeonato Sul-Americano nos 100m costas

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Nadadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) conquistaram medalhas em três provas, na estreia da seleção brasileira no Sul-Americano Absoluto. Competindo na noite desta segunda-feira (30), no Centro Aquático Nacional de Assunção, no Paraquai, Jéssica Cavalheiro, Etiene Medeiros e Daynara de Paula já garantiram suas primeiras conquistas na competição.

Etiene Medeiros chegou para a prova dos 100m costas com o quarto melhor tempo das eliminatórias (1m03s64). Na decisão, a pernambucana mais uma vez chegou próximo ao índice olímpico (1m00s25), e com o tempo de 1m00s38 ficou com o ouro, o bicampeonato e de quebra superou o recorde do campeonato. A argentina Andrea Berrino levou a prata, com 1m00s47, e o bronze foi para a também brasileira Natália de Luccas (1m01s94).

Nos 200m livre, o dia começou com Jéssica nadando a eliminatória e fazendo o primeiro tempo com 2m02s29. À noite, a mineira diminuiu a marca alcançada pela manhã e ficou com o bronze (2m00s68). O ouro foi para a também brasileira Manuella Lyrio (1m58s94), seguida pela venezuelana Andreina Pinto (1m59s08).

Fechando a programação do dia, as provas de revezamento também renderam medalhas para o Brasil. No 4x100m livre feminino, o time formado por Graciele Herrmann, Daynara de Paula, nadadora do Sesi-SP, Manuella Lyrio e Etiene Medeiros cravou o tempo de 3m43s91 e garantiu mais um ouro para a conta. A prata foi para a Colômbia (3m50s37), e o bronze, para a Argentina (3m52s99).

Com os resultados, o Brasil saí na frente e lidera a classificação com 130 pontos e 14 medalhas, sendo 5 ouros, 4 pratas e 5 bronzes em 10 provas disputadas. A Argentina vem logo na sequência, com oito medalhas: quatro ouros, duas pratas e dois bronzes. A competição segue até o domingo, dia 3/4, com eliminatórias às 10h30 e finais às 19h – no horário de Brasília.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeiros, do Sesi-SP, com a medalha de ouro dos 100m costas no Sul-Americano de Natação. Foto: Satiro Sodré/CBDA - Divulgação

Sesi-SP conquista índice olímpico nos 50m e 100m livre e é bicampeão feminino do Torneio Open

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Com direito a índice olímpico e bicampeonato feminino na pontuação por gênero, a equipe de natação do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) encerrou o calendário de 2015 com saldo positivo. Em quatro dias de competições na primeira seletiva para os Jogos Olímpicos Rio 2016, em Palhoça, Santa Catarina, o grupo de 18 atletas somou 26 provas entre feminino e masculino, chegou a 16 finais e garantiu presença no pódio em 11. Etiene Medeiros voou na piscina e cravou dois índices olímpicos, nos 50 e 100m livre.

Depois de muitas tensões e ansiedades, o Brasileiro Sênior e o Torneio Open renderam bons frutos para a equipe da capital paulista. Ao somar 228 pontos na classificação do gênero feminino, ficando à frente do Pinheiros (219), segundo colocado, e do Corinthians (99), terceiro, as meninas do Sesi-SP garantem mais uma vez o Torneio Open, defendendo o feito da edição passada. Na contagem geral, o time da indústria aparece em segundo com 244, seguido pelo Corinthians (241).

“A equipe está de parabéns. Conseguimos manter o título feminino de campeão do Open, que ganhamos no ano passado e ainda fomos vice-campeões no geral com uma equipe menor, mas eficiente. A gente nadou muito bem, e sempre estivemos presentes nas finais ganhando medalha, então é muito positivo encerrar o ano com esses títulos”, comentou o técnico Fernando Vanzella.

Pelo Brasileiro Sênior, o Sesi-SP somou 205 pontos e ficou na quarta posição entre os top 5 do ranking brasileiro 2015. O Pinheiros foi o vencedor do ranking de clubes de natação, totalizando 395 pontos, seguido por Corinthians (325) e Minas Tênis (300).  Etiene levou o troféu de atleta mais eficiente e o de índice técnico nas duas competições, pelas provas de 50 e 100m livre, além dos 100m costas.

O torneio, que terminou neste sábado (19), definiu ainda os atletas que irão defender a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Pelo Sesi-SP, Etiene Medeiros, nadou três provas e garantiu o índice olímpico em duas delas. Além de bater um recorde sul americano.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Equipe do Sesi-SP, bicampeão feminino do Torneio Open. Foto: Amanda Demétrio/Fiesp


No segundo dia de provas, a pernambucana caiu na piscina para os 100m costas, uma de suas especialidades. Etiene precisava superar a marca de 1:00.25 para garantir a vaga nos Jogos Olímpicos 2016. A nadadora do Sesi-SP até chegou em primeiro, ficou com o ouro e estabeleceu um novo recorde de campeonato ao marcar 1:00.31, mas acabou seis centésimos acima do índice.

Sem se deixar abater, a atleta voltou para a piscina firme e forte na sexta-feira e mantendo o bom desempenho do ano de 2015, superou o índice olímpico nos 100m livre. Com o tempo de 54s26, a nadadora não só ficou com uma vaga olímpica como superou o recorde sul-americano. No sábado foi a vez do 50m livre. Cravando 24s96 pelo Brasileiro Sênior de manhã e diminuindo para 24s71 de tarde pelo Open, a nadadora garantiu mais uma vaga nos Jogos Olímpicos 2016 ao superar os 25s28, exigido para a competição.

“A gente está finalizando nesse ano o terceiro ciclo desde que iniciou o projeto de alto rendimento no Sesi-SP. Naquela ocasião contratamos três meninas seniores (Etiene, Daynara e Jéssica), para serem as nossas referencias, e algumas juvenis para poder fazer o trabalho de desenvolvimento. Com os resultados que estamos obtendo, o Sesi-SP conseguiu dar uma estrutura para essas meninas seniores e, na sequência disso, as mais novas estão evoluindo e cada vez mais perto desse nível absoluto, como é o caso da Bruna Primati, que foi para o Pan-Americano, e a Giovanna Diamante, que sempre está presente nos pódios em campeonatos absolutos. Vemos ai uma evolução muito significativa”, explicou Fernando Vanzella sobre o bom desempenho da equipe na última semana.

Mesmo com a felicidade e orgulho dos resultados obtidos no ano, o técnico e a equipe não param. Após uma pausa para o Natal, os atletas retornam os treinos e planejamentos para 2016. “Agora a gente tem no próximo ano, um trabalho visando afunilar ainda mais para a última seletiva. Vamos tentar colocar mais alguém nesse cenário e depois fazer um balanço geral pensando lá na frente, depois do Rio, com essa geração mais nova que a gente trouxe, que tem muito a cara de 2020”.

A segunda e última seletiva será o Brasileiro Absoluto/ Troféu Maria Lenk-Taça Correios, de 15 a 20 de abril, no Rio de Janeiro.

Etiene Medeiros ganha mais dois ouros e bate índice olímpico nos 50m livre

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Etiene Medeiros, nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), ganhou mais uma medalha de ouro neste sábado (19/12), ao vencer os 50m livre pelo Torneio Open de natação, com o tempo de 24s71. De manhã tinha feito 24s96, tempo com o qual já havia ganhado a medalha de ouro na mesma prova, pelo Brasileiro Sênior, também na piscina do parque aquático da Unisul, em Palhoça (SC), assegurando mais uma vaga nos Jogos Olímpicos 2016.

Antes das provas deste sábado, Etiene já tinha cravado o melhor tempo nos 100m livre, superando o índice olímpico e o recorde sul-americano.

Além das medalhas de ouro e das vagas para o Rio 2016, Etiene ganhou o Troféu Daltely Guimarães, pelo Brasileiro Sênior, como mais eficiente e melhor índice técnico, pelo feminino.

Etiene Medeiros bate recorde sul-americano e consegue índice olímpico nos 100m livre

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Mantendo o bom desempenho do ano de 2015, Etiene Medeiros, nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), caiu na piscina do parque aquático da Unisul, em Palhoça (SC), competindo pelo Brasileiro Sênior, na manhã desta sexta-feira (18), e superou o índice olímpico nos 100m livre. Com o tempo de 54s26, a nadadora não só ficou mais perto dos Jogos Olímpicos como superou o recorde sul-americano.

Balizada com o tempo de 54s99, Etiene precisava alcançar os 54s43 para bater o índice. Disputando contra Larissa Martins, dona do recorde sul-americano, Graciele Herrmann e Daynara de Paula, a atleta do Sesi-SP ficou sem palavras ao final da prova.

“Eu fiquei sem reação na hora que vi o resultado, estou muito feliz. A ficha ainda não caiu, foi um tempo sensacional”, comentou Etiene na zona mista, logo após a prova.

“Eu vim com o pensamento de nadar bem esta prova para participar do revezamento no Rio. Ontem não consegui índice para a minha prova e consegui este tempo, isso é o esporte, fui muito bem em uma prova que não estava tão pilhada no índice. Entrei, não pensei em nada e fiz o meu”, finalizou.

A atleta ainda nada os 100m livre à noite, pelo Open, e tem mais uma prova em Palhoça/SC. Ela volta para piscina neste sábado (19) pelos 50m livre no Campeonato Brasileiro Sênior/Open.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene com sua medalha de ouro conquistada nos 100m livre em Palhoça. Foto: Amanda Demétrio/Fiesp

Atletas do Sesi-SP voltam do Mundial Militar com nove medalhas

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp 

Após dez dias de competições nos 6º Jogos Mundiais Militares (JMM), realizados na Coreia do Sul, os seis atletas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) que integraram a equipe do Brasil voltam para casa com 9 medalhas na bagagem, sendo 6 de ouro, 2 de prata e 1 de bronze. Com a segunda posição no quadro de medalhas, o Brasil alcançou o objetivo de terminar a competição entre os cinco melhores. Formada por 282 atletas em 24 modalidades, a delegação conquistou 84 medalhas (34 de ouro, 26 de prata e 24 de bronze). A Rússia terminou em primeiro, com 135 medalhas (59 ouros, 43 pratas e 33 bronzes). Com dois ouros a menos que o Brasil, a China ficou com a terceira colocação (98 medalhas, sendo 32 de ouro, 31 de prata e 35 de bronze).

As nadadoras Etiene Medeiros e Daynara de Paula foram responsáveis por 6 dos 9 pódios alcançados pelos atletas da indústria. Etiene conseguiu o ouro nas provas de 50m livre, 50m costas, 100m costas e 4x100m livre misto. Com Daynara também na piscina, o Brasil ainda conquistou a prata no revezamento 4x100m livre e o bronze nos 4x100m medley.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeiros com as medalhas conquistadas no Mundial Militar.


Saindo das piscinas e indo para as quadras, os levantadores do vôlei masculino (Vinhedo) e feminino (Pri Heldes) foram responsáveis por mais duas medalhas de ouro. A equipe feminina do Brasil venceu a China por 3 sets a 0, mesmo confronto que decidiu as finais da quinta edição dos Jogos, em 2011, no Rio de Janeiro, e do Campeonato Mundial Militar de Voleibol, em 2014. O Brasil saiu vencedor nas duas competições.

Já o time masculino derrotou o Egito por 3 a 1. A equipe egípcia estava invicta na competição, com vitórias por 3 a 0, inclusive contra a seleção brasileira. No último dia de competições, o Brasil venceu os dois primeiros sets por 25 a 22. No terceiro houve a reação do Egito, que venceu por 25 a 22. Na sequência, o Brasil fechou o jogo no quarto set, por 29 a 27.

No triathlon, Reinaldo Colucci conquistou a nona medalha para a equipe Sesi-SP. O triatleta garantiu a prata por equipe – o ouro ficou com a Coréia do Sul. No feminino, Luísa Baptista e companhia quase subiram ao pódio, terminando na quarta colocação. Nos resultados individuais, Reinaldo Colucci foi 13º, com 1.50:56, e Luísa Baptista, 16ª, com 2.07:28.

Seis atletas do Sesi-SP representam o Brasil nos Jogos Mundiais Militares

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A seleção brasileira militar contará com seis atletas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) nos 6º Jogos Mundiais Militares (JMM), realizados entre os dias 2 e 11 de outubro na Coreia do Sul. Etiene Medeiros e Daynara de Paula, da natação, Reinaldo Colucci e Luísa Baptista, do triathlon, e os levantadores do vôlei Vinhedo e Pri Heldes são os atletas da indústria que também seguem carreira militar e estarão entre os 286 competidores que representarão o Brasil na competição.

A sexta edição espera receber 8.700 atletas de 110 países, que disputarão em 24 modalidades distribuídas em oito cidades (Mungyeong, Pohang, Gimcheon, Andong, Yeongju, Yeongcheon, Sangju e Yecheon). Atual campeão do quadro de medalhas dos Jogos Mundiais Militares de 2011, no Rio de Janeiro, com 114 conquistas, sendo 45 de ouro, 33 de prata e 36 de bronze, o Brasil chega à Coreia com a sua maior delegação na história. A meta para 2015 é repetir e melhorar o feito anterior. China e Rússia são as grandes concorrentes.

Embarcando na madrugada desta sexta-feira (2/10), Etiene Medeiros encara o seu primeiro mundial militar, e mesmo recém-chegada das férias, a nadadora comemora a oportunidade de mais uma vez poder representar o seu país em uma competição.

“Estamos em uma fase de treinamento logo após as férias, então temos que tomar muito cuidado, vou para competir de acordo com o nível que eu estou e acho que todo mundo está assim, não só a equipe do Brasil. Independentemente do nível da competição eu estou indo para ajudar a equipe, as forças armadas, e espero que o Brasil consiga fazer uma competição muito boa”, comentou a pernambucana, que ainda comemorou a oportunidade de conhecer mais um país.

“Estou feliz, vou para Coreia, nunca fui para lá, vai ser legal. Estarei com a equipe, tenente, capitão, todo mundo junto, será uma energia bem positiva, um ambiente diferente para mim, mas vai ser bem bacana, todo mundo está bem preparado para isso”, finalizou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833648

Etiene Medeiros, atleta do Sesi-SP que integra equipe brasileira no mundial militar. Foto: CBDA/Divulgação


Daynara de Paula já encarou um mundial militar e obteve bons resultados. No ano passado, no 46º Mundial Militar de Natação, a nadadora não só conquistou um ouro no 100m borboleta como quebrou o recorde mundial no revezamento 4x100m livres. Para esse ano Daynara quer mais.

“Eu acho que o mundial militar é uma competição muito importante, são equipes fortes teoricamente, algumas seleções militares são as equipes principais dos países. Tenho a expectativa de representar bem o exército. No ano passado tive a oportunidade de ser campeã e bater o recorde no revezamento, então vou com a mentalidade de melhorar esses resultados. Usarei essa competição como mais uma forma de preparação para 2016, será um mundial pesado para mim porque eu só estou com três semanas de treino, não estou na minha melhor fase mas quero representar bem o país, o Exército e as Forças Armadas. Estou animada, bem confiante, espero que dê tudo certo”, finalizou.

Após participar do mundial de triathlon em Chicago, há duas semanas, Luísa Baptista encara neste domingo (4/10) mais uma etapa da ITU Triathlon World Cup, em Cozumel (México) e na sequência segue para mais uma competição de peso. Depois de encarar sua primeira prova no grupo de elite, a triatleta encara a prova da Coreia como mais um desafio para sua carreira.

“Estou muito feliz com mais essa oportunidade, será mais uma boa chance de somar pontos e experiência para a minha carreira. Competimos em Cozumel e vamos direto para o mundial militar.”

Na Coreia, o vôlei será uma das primeiras modalidades disputadas no mundial, com partidas já neste sábado (3/10). A natação inicia sua briga por medalhas na próxima quarta-feira (7/10) e vai até sábado, 10 de outubro, mesmo dia que o triathlon entra em ação.

Sesi-SP ganha 11 medalhas e fica em terceiro no Troféu José Finkel de Natação

Agência Indusnet Fiesp

O Sesi-SP ficou em terceiro lugar entre as equipes femininas participantes do Troféu José Finkel de Natação, disputado de 17 a 22 de agosto em São Paulo. Foram 5 medalhas de ouro, 2 de prata e 4 de bronze para as nadadoras do Sesi-SP e 657 pontos para a equipe, que ficou atrás do Minas Tênis (1.289 pontos) e do Pinheiros (1.043).

Além de conquistar dois ouros (nos 50 m livre e 50 m costas), Etiene Medeiros foi a segunda melhor no índice técnico, por seu desempenho nos 50 m costas.

Neste sábado (22/8), último dia da competição, Daynara de Paula, do Sesi (55s32) ficou com a medalha de prata nos 100 m livre, atrás de Larissa Oliveira, do Pinheiros, vencedora com 55s29, e Manuella Lyrio, também do Pinheiros (55s80).

O técnico Fernando Vanzella comemorou o resultado do torneio. “Após uma jornada de Pan, Mundial e agora o Finkel, o sentimento é de dever cumprido”, disse.

As medalhas das atletas do Sesi-SP no José Finkel

Ouro
50 m borboleta – Daynara de Paula
100 m borboleta –  Daynara de Paula
50 m livre – Etiene Medeiros
50 m costas –  Etiene Medeiros
200 m peito – Andressa Sango

Prata
100 m livre – Daynara de Paula
4×100 m livre (Daynara de Paula/Jéssica Cavalheiro/Sabrina Todão/Priscila Souza)

Bronze

200 m costas – Bruna Primati

4×200 m livre – Giovanna Diamante/Jéssica Cavalheiro/Bruna Primati/Sabrina Todão

4×50 m livre – Fernanda Delgado/Clarissa Rodrigues/Etiene Medeiros/Priscila Souza

200 m borboleta – Giovanna Diamante

100 m costas – Daynara de Paula

Etiene Medeiros quebra recorde sul-americano e conquista prata em Kazan

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Prata com gostinho de ouro! Etiene Medeiros, atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), nadou a final dos 50 m costas na manhã desta quinta-feira (6/8), no Mundial de Esportes Aquáticos de Kazan, na Rússia e ganhou a medalha de prata. Com o tempo de 27s26, estabeleceu novo recorde sul-americano e ficou atrás apenas da chinesa Fu Yuanhui (27s11).

Em mais uma brilhante prova, Etiene garante mais um grande resultado. A prata em Kazan lhe rendeu mais um feito inédito. Após se tornar a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha em mundial de piscina curta, na prova dos 50 m costas em Doha-2014, e uma medalha de ouro em Pan-Americano (100 m costas em Toronto-2015), a atleta quebrou mais uma barreira e se tornou a primeira nadadora brasileira a conquistar uma medalha em mundial de piscina longa.

Etiene Medeiros quebra recorde sul-americano em Karzan. Foto: Divulgação/CBDA

Etiene Medeiros quebra recorde sul-americano em Kazan. Foto: Divulgação/CBDA

Skaf fala em orgulho pelo desempenho das nadadoras do Sesi-SP no Pan

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

As nadadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), que ganharam para o Brasil cinco medalhas nos Jogos Pan-Americanos 2015, em Toronto (Canadá), foram recebidas nesta segunda-feira (20/7) por Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP. “O que vocês fizeram dá muito orgulho”, disse Skaf, que ressaltou o valor da boa notícia trazida pelas atletas, na forma de conquistas da natação feminina brasileira.

Etiene Medeiros, atleta do Sesi-SP, entrou para a história ao ganhar o primeiro ouro na natação feminina do país em todas as edições do Pan, nos 100m costas. “Gosto de desafios, e esta medalha foi muito desafiadora”, disse Etiene em sua volta a São Paulo. Etiene fez questão de agradecer ao Sesi-SP (“me abraçou há três anos como uma família”). Ela conseguiu também prata nos 50m livre e dois bronzes, junto com Daynara de Paula, no revezamento 4x100m livre e no 4x100m medley.

A natação do Sesi-SP deu ao Brasil mais uma prata, a de Jéssica Cavalheiro no revezamento 4x200m livre. Jéssica falou sobre a importância dos resultados do Pan: “A natação brasileira mostrou que não é só a natação masculina”. Bruna Primati, que nadou nas eliminatórias da prova, também recebeu medalha.

Todas as nadadoras do Sesi-SP convocadas para o Pan pelo técnico Fernando Vanzella ganharam medalhas. Vanzella é o treinador da seleção brasileira de natação e também do Sesi-SP. Foi recebido junto com elas na Fiesp e segue com Daynara, Etiene e Jéssica para Portugal, no dia 23 de julho, para aclimatação. De lá embarcam para a Rússia, onde disputam o Mundial de Kazan.

Paulo Skaf com Etiene, Bruna, Dayana, Jéssica e o técnico Fernando Vanzella, na volta do Pan. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Walter Vicioni e Paulo Skaf com Etiene, Bruna, Dayana, Jéssica e o técnico Fernando Vanzella, na volta do Pan. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

>>Ouça boletim sobre as nadadoras do Sesi-SP no Pan

Medalhas no polo e na luta livre

O Brasil ganhou prata também no polo aquático masculino, com três atletas do Sesi-SP (Gustavo “Grummy”, Paulo Salemi e Bernardo Reis “Braga”) na piscina. Curiosamente, a medalha de ouro nessa modalidade foi conseguida por um jogador do Sesi-SP: Tony Azevedo, capitão da seleção norte-americana, que venceu a final. E deu Sesi-SP também na luta olímpica, com o bronze de Aline Silva.

Até esta segunda (20/7) de manhã, são oito medalhas de atletas do Sesi-SP no Pan 2015. Se fosse um país, o Sesi-SP seria o décimo terceiro no quadro de medalhas da competição, logo atrás do Peru e à frente da República Dominicana.

Nadadoras do Sesi-SP trazem para o Brasil cinco medalhas do Pan

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

As nadadoras do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) encerram a participação da natação nos Jogos Pan-Americanos de Toronto com mais uma medalha de bronze. Etiene Medeiros e Daynara de Paula, junto com suas companheiras de seleção brasileira, Larissa Martins e Jhennifer Conceição, nadaram na noite deste sábado o revezamento 4×100 metros medley e finalizaram a prova com o tempo de 4m02s52.

Com a medalha desta noite, as nadadoras do Sesi-SP retornam para o Brasil com cinco medalhas, sendo uma de ouro, conquistada por Etiene Medeiros nos 100m costas, duas pratas, uma com Etiene Medeiros nos 50 livre e outra com Jéssica Cavalheiro no revezamento 4x200m livre, e dois bronzes, com Etiene Medeiros e Daynara de Paula em revezamentos, nos 4x100m livre e nos 4x100m medley.

Durante os cinco dias de competições, além das provas com medalhas, tivemos Daynara de Paula nadando os 100m borboletas, terminando a prova com o quarto tempo da final (58s56), e Bruna Primatti, estreante em Jogos Pan-Americanos, que nadou pela manhã deste sábado a final 1 dos 800m livre e finalizou a prova com o primeiro tempo (8m40s75). Na final 2, a americana Sierra Schmidt fez o tempo de 8m27s54 e ficou com o ouro. Na contagem final, Bruna terminou na sétima colocação.

O Brasil encerra a participação na natação com 26 medalhas, sendo 10 de ouro, 6 de prata e 10 de bronze, atrás apenas da equipe americana, que finaliza com 32 medalhas (12-10-10). Em terceiro lugar aparece o Canadá com 8-10-9, totalizando 27 medalhas.

Nadadoras do Sesi-SP retornam do Pan com 5 medalhas, desembarcam em SP e são recebidas na sede da Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

Nesta segunda-feira (20/7), às 11h30, Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), irá receber e conversar com as atletas Etiene Medeiros, Daynara de Paula, Jéssica Cavalheiro e Bruna Primatti, e o técnico da seleção brasileira e do Sesi-SP, Fernando Vanzella. Etiene é a primeira brasileira a conquistar uma medalha de ouro no Pan-Americano, nos 100 metros costas.

As nadadoras do Sesi-SP trazem para o Brasil cinco medalhas. Além do ouro, Etiene traz uma prata, nos 50m livre, e dois bronzes, ao lado de Daynara de Paula, no revezamento 4x100m livre e no 4x100m medley. Jéssica Cavalheiro ficou com a medalha de prata no revezamento 4x200m livre.

Com agenda apertada antes de embarcar para a Rússia, esta será a única oportunidade da imprensa falar com as atletas no Brasil. Na sequência, no dia 23 de julho, as nadadoras embarcam para aclimatação em Portugal e depois seguem direto para o Mundial de Kazan.

Etiene Medeiros com a medalha de ouro dos 100m costas. Foto: Satiro Sodré/SSPress - CBDA Divulgação

Etiene Medeiros com a medalha de ouro dos 100m costas. Foto: Satiro Sodré/SSPress - CBDA Divulgação