Estatuto do Ciesp é aprovado com larga vantagem de votos

Foi aprovada a proposta de reforma estatutária do Ciesp em Assembleia Geral Extraordinária na noite desta terça-feira (25), por votação em bloco, com 98,2% dos votos a favor. Num total de 494 sócios presentes, 485 aprovaram a alteração, 8 foram contra e houve uma abstenção. Eram necessários 328 votos pela aprovação, ou dois terços do quórum, para que nove itens do estatuto atual fossem alterados.

A Assembleia foi instalada em segunda convocação e ocorreu de forma descentralizada. Os trabalhos foram presididos na sede da Entidade, em São Paulo, com transmissão simultânea para todas as diretorias regionais, municipais e distritais. Os associados participaram do debate e da votação por meio da TV Interativa do Ciesp.

“A proposta de alteração do estatuto foi amplamente debatida e aperfeiçoada com todos os representantes do Ciesp, de forma transparente, para chegarmos à formatação final e então submetê-la à votação”, afirmou o presidente da entidade, Paulo Skaf.

A proposta foi discutida em reunião no dia 16 de julho com o Conselho de Representantes das dez macrorregiões do Ciesp no estado, e posteriormente com os diretores regionais, as diretorias plenária e executiva e o conselho fiscal. O comparecimento dos associados para votação foi 30% maior do que na última Assembleia para reforma estatutária, ocorrida em março de 2007, na gestão anterior.


As alterações

A eliminação do artigo que disciplinava o licenciamento de cargos, para os diretores que se candidatassem ou assumissem cargos eletivos, foi uma das mudanças aprovadas. Com a exclusão do artigo no estatuto do Ciesp, para esses casos, valem as regras previstas na legislação eleitoral vigente.

Segundo Paulo Skaf, o convite aos diretores regionais da entidade para ocuparem cargos em prefeituras, autarquias, diretorias de fomento e secretarias de desenvolvimento é uma realidade, que precisava ser resolvida pelo estatuto.

“A medida vale para dar maior flexibilidade a uma prática que já era comum em gestões anteriores. É uma oportunidade para fortalecer a integração, e a atuação política do Ciesp junto aos municípios. Na nossa interpretação, era uma limitação desnecessária”, observou o presidente da entidade.

Outra alteração diz respeito ao tempo de duração do mandato, que já havia sido ajustado para 4 anos em disposição transitória aprovada em Assembleia pela gestão anterior, e foi aprovada agora em caráter definitivo. A justificativa é alinhar os mandatos de Ciesp e Fiesp, que têm presidência única.