Ciesp comemora 20 anos de história em Matão

Rubens Toledo, Agência Indusnet Fiesp

Há exatos 20 anos, o Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) fincava sua bandeira em solo matonense. Sua sede, na Avenida Ibitinga, dividia com o Centro de Treinamento Senai o imóvel cedido pelo Poder Público municipal.

Os alicerces da entidade, no entanto, estavam bem postos e permitiram que o Ciesp abrisse frentes novas para o desenvolvimento regional. “O importante é ouvir o clamor da indústria e prestar serviços a ela”, afirmava em 2002 o então diretor José Carlos Chiozzini.

Com a expansão do parque industrial, a separação física das duas entidades tornou-se inevitável. Tanto Ciesp quanto o Senai careciam de maior espaço para bem cumprir sua missão em favor da atividade industrial.

E graças ao alto espírito público do prefeito Adauto Scardoelli e visão estratégica do presidente da Fiesp/Ciesp, Paulo Skaf, poder público e entidades da Indústria deliberaram, em acordo, que toda a área fosse destinada ao Senai, que recebia fortes investimentos em equipamentos, oficinas e novos cursos.

“Era uma questão de prioridade. A decisão foi sábia e justa”, lembra Cadiolli. “O Senai paulista pôde então oferecer Aprendizagem Industrial para jovens candidatos ao primeiro emprego e também curso técnico, em nível médio”.

Com efeito, hoje o antigo Centro de Treinamento transformou-se na Escola Oscar Lucio Baldan, que já capacitou milhares de jovens e adultos para o mercado de trabalho.

Prefeito Scardoelli garante nova área ao Ciesp

Mas a saga do Ciesp prosseguiu. Atualmente ocupando sede provisória na Avenida Toledo Malta, a Regional mantém ampla folha de serviços à Indústria de Matão e outros três municípios.

Mais recentemente, em fevereiro de 2010, a Câmara de Vereadores aprovou projeto de lei do prefeito Scardoelli que determina doação de nova área ao Ciesp, de 1.400 metros quadrados, na mesma avenida.

“O Ciesp tem sido parceiro do poder público. Realiza um grande trabalho junto a indústria matonense e contribui sobremaneira para o desenvolvimento da cidade. Por isso, já fizemos a doação da área para construção da sede própria”, assinala o prefeito.

Scardoelli recorda que a parceria Ciesp/Fiesp/Prefeitura já produziu bons resultados, como a ampliação da Escola Senai. “Para nossa satisfação e honra, estamos mais uma vez colaborando com o parceiro Ciesp. Parabéns à entidade e aos seus diretores pelo excelente trabalho”, arremata.

A liberação final do terreno, porém, depende da Promotoria Pública, que vai discutir a matéria no próximo 15 de fevereiro.

O diretor do Ciesp, Roberto Cadiolli, está confiante: “Os promotores conhecem o trabalho do Ciesp em prol do desenvolvimento regional e saberão tomar a decisão correta”, diz ele.

“A indústria da região merece uma sede à altura da sua pujança e magnitude. O projeto arquitetônico, foi elaborado especialmente para marcar o aniversário de 20 anos, vai corresponder ao gesto generoso das autoridades municipais”, adianta Cadiolli.

Uma indústria diversificada

Na região compreendida pela Regional do Ciesp em Matão, que inclui os municípios de Dobrada, Santa Ernestina e Mutuca, vivem cerca de 100 mil habitantes.

O parque industrial reúne cerca de 200 empresas – que vão do agronegócio aos setores metalmecânico e elétrico, com destaque para empresas como Citrosuco (atual Fischer), Citrovita, Global Suco, Coimbra, Baldan, Marchesan e Agri-tilirge.

A região vive uma onda positiva desde a implantação do Polo Aeronáutico de Gavião Peixoto, município limítrofe. Não só a Embraer chegou à região, como também as fornecedoras de equipamentos, proporcionando a realização de novos negócios.