Câmara de Comércio e Indústria de Londres apresenta legado dos Jogos Olímpicos

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Thomaz Zanotto disse que caminho para ser competitivo passa pela inovação. “Por isso, a Fiesp está fomentando o contato com os países da União Europeia.” Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Em mais um Road Show de investimentos, nesta terça-feira (15/10) o Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) convidou a Câmara de Comércio e Indústria de Londres (London Chamber of Commerce and Industry – LCCI) para falar sobre o legado dos Jogos Olímpicos de 2012.

Para abrir o evento, o diretor-titular adjunto do Derex, Thomaz Zanotto, fez uma breve apresentação sobre a Fiesp aos empresários ingleses e também destacou a importância do intercâmbio entre o Brasil e a Europa – em especial, a Grã-Bretanha.

“Se tivesse que definir a missão da Fiesp hoje, em uma palavra, ela seria competitividade. E o caminho para ser competitivo passa pela inovação. Por isso, a Fiesp está fomentando o contato com os países da União Europeia, que estão entre os primeiros no ranking da inovação.”

Willie Walsh: britânicos têm muito a contribuir em ecnologia, serviços e desenvolvimento global de negócios. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

O presidente da LCCI, Willie Walsh, colocou o Brasil como um importante parceiro de negócios, em especial por causa dos grandes eventos que vão acontecer no país. “A Grã-Bretanha é o segundo maior parceiro comercial do Brasil. E, apesar de sermos pequenos, se comparados ao Brasil, temos muito o que contribuir com relação à tecnologia, serviços e desenvolvimento global de negócios.”

Walsh lembrou que os olhos do mundo todo estão voltados para o Brasil agora, por causa da realização da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos, o que exige muito trabalho.

“Desde o começo, quando Londres foi escolhida a sede dos Jogos, tivemos grandes desafios e fomos muito questionados com relação ao orçamento, a infraestrutura e a segurança. Mas com planejamento rigoroso e muito esforço conseguimos realizar uma das mais bem-sucedidas edições dos Jogos Olímpicos. E queremos compartilhar o que aprendemos.”

Colin Stanbridge: ingleses avaliam que valeu a pena receber os Jogos Olímpicos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Colin Stanbridge, diretor-executivo da LCCI, afirmou que “vale a pena” receber um evento como os Jogos Olímpicos. “Depois da euforia de ter sido escolhida como cidade-sede dos Jogos, muitos ingleses se perguntaram se os gastos e o trabalho para realizar um evento de tanto impacto valeriam a pena. Tenho certeza que se essas pessoas fossem questionadas hoje diriam que valeu”, afirmou. “É um grande impulso para a economia do país-sede. Mas é importante não desperdiçar a oportunidade.”

Empresas

Quatro empresas se apresentaram no Road Show. A primeira foi Timebased, representada pelo seu diretor criativo Richard Dodgson, que falou sobre a indústria de eventos. O executivo falou sobre os desafios em um evento da dimensão dos Jogos Olímpicos, mas destacou o legado, que, na área de eventos, alcança até a habilidade das equipes de trabalho – aperfeiçoada com a experiência.

Jeff Johnson: tecnologias para garantir a segurança do público durante evento. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Para falar sobre segurança, participaram do encontro o diretor da Recpro Services, Jeff Johnson, e o diretor da ATG Access, Gavin Hepburn. Ambos apresentaram algumas das tecnologias utilizadas nos Jogos Olímpicos para garantir a segurança do público e até mesmo equipamentos para evitar ataques terroristas.

Encerrando as apresentações, a responsável pelos patrocínios e eventos da British Airways, Louise Fernandez, que mostrou uma série de ações de marketing realizadas pela empresa no período olímpico – e paraolímpico – para maximizar os investimentos do patrocínio.