Iniciativas Sustentáveis: Coca-Cola – Lucro e Transformação Social

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329907

Por Karen Pegorari Silveira

Muitas empresas, atualmente, decidiram desenvolver ações contra a pobreza e miséria social para cumprirem o seu papel como agentes de transformação e de responsabilidade social, embora a gestão de políticas sociais e programas de erradicação da pobreza e das desigualdades sociais sejam competência do Estado.

Veja como é possível aliar lucro e responsabilidade social: Para a produção do suco Del Valle Reserva Açaí com Banana, a indústria de bebidas Coca-Cola levou o projeto “Coletivo Floresta” para duas cidades do Amazonas, Manacapuru e Carauari, para ensinar a extrair o açaí de forma sustentável e processá-lo dentro da própria comunidade.

Para colocar em prática o projeto inovador, o Instituto Coca-Cola e seus parceiros, além do Governo do Amazonas, construíram usinas de processamento do fruto, já que seria inviável levá-lo para a capital de barco em um percurso que leva 24h. Através de um termo de cooperação entre a empresa e o estado, foram firmados 10 princípios que regem o relacionamento com as comunidades extratoras com o objetivo de preservar a cultura e o meio ambiente, e contribuir para seu desenvolvimento sustentável. O termo foi endossado por 16 instituições empresariais e não-governamentais, entre elas a agência de implementação da cooperação alemã para o desenvolvimento, a Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit (GIZ).

O gerente de Negócios Sociais da indústria, Pedro Massa, conta que este é um projeto de valor compartilhado. “Ao desenvolvermos a região e incluirmos o produto em nosso portfólio, conseguimos atingir dois objetivos: gerar lucro e transformação social, além de entregar para nossos consumidores um produto de alta qualidade”, afirma.

As primeiras unidades do Coletivo Floresta foram instaladas nos municípios onde se localizam agroindústrias credenciadas pela Coca-Cola Brasil, dentro dos critérios internacionais de qualidade da empresa. Um time local auxilia na articulação de parcerias, na assistência técnica e na integração da cadeia de valor, além de liderar e implementar treinamentos sobre cidadania e workshops nas comunidades. No primeiro ano, a expectativa é impactar diretamente 600 famílias extrativistas e, indiretamente, 1.200, em cerca de 50 comunidades.

José Rodrigues Alves, morador de Carauari, achou a iniciativa muito interessante. “É uma oportunidade de mostrar o que a gente tem de melhor para todo o Brasil. A gente está dentro da floresta, extraindo ela e vivendo dela, sem depredar a natureza.”, completa.

Para atingir os objetivos, que são estimular o empoderamento das comunidades, dar assistência técnica e promover o acesso a uma cadeia de preço justo, a Coca-Cola Brasil vai contar com a expertise da plataforma ‘Coletivo Coca-Cola’, presente em 150 comunidades em todo o Brasil, que já impactou, desde 2009, mais de 50 mil pessoas através de seis diferentes modelos.

Sobre a Coca-Cola Brasil

O Sistema Coca-Cola Brasil atua em sete segmentos do setor de bebidas não alcoólicas – águas, chás, refrigerantes, néctares/refrescos, energéticos, isotônicos e lácteos, com uma linha de mais de 150 produtos, entre sabores regulares e versões de baixa caloria. Formado pela Coca-Cola Brasil e 12 grupos fabricantes brasileiros, emprega diretamente 66 mil funcionários.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540329907 VEJA OUTRAS INICIATIVAS SUSTENTÁVEIS