Projetos inovadores da Rússia e da China são apresentados em reunião na Fiesp

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Projetos sobre desenvolvimento urbano foram apresentados por representantes de capitais europeias e asiáticas durante reunião, na tarde desta sexta-feira (27/06), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O objetivo das apresentações feitas por membros do Clube C6 de Comércio Internacional, foi mostrar como o setor privado tem contribuído para a melhoria dos aspectos econômicos, sociais e ambientais de suas comunidades.

Thomaz Zanotto, diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp mediou o encontro.

Sergei Shimakov, vice-presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Moscou, destacou os princípios que permeiam as políticas de desenvolvimento urbano na capital russa, líder em volume de infraestrutura para transporte construída.

Uma das iniciativas apresentadas foi o “redesenho” das áreas industriais da região, com o desenvolvimento de novos setores para produção de formas de transporte, centros de inovação e núcleos para a indústria farmacêutica. A “Nova Moscou”, como chamou Shimakov, já conta com 30 quilômetros de linhas de metrô subterrâneo e 11 estações. Até 2016, o número deve atingir  62 quilômetros, com 34 estações operando.

A reunião com representantes do C6 na Fiesp: experiências da Rússia e da China em debate. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

A reunião com representantes do C6 na Fiesp: experiências da Rússia e da China em debate. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Wang Chaoying, diretor geral do Sub-Conselho para a Promoção do Comércio Internacional de Pequim, explicou como a cidade chinesa enfrenta os graves problemas de urbanização na capital do país oriental, como déficit de moradia, poluição e falta de recursos, como comida e produtos medicinais. “De 1976 a 2013 a população de Pequim passou de 17 milhões para 730 milhões de pessoas, tornando-se um centro político e cultural”, afirmou Chaoying.

Limitação ao registro de novos veículos

Para combater tais problemas, segundo ele, a China começa a desenvolver uma limitação para o registro de novos veículos, estimulando o uso de novas maneiras de transporte, como bicicletas elétricas. Segundo Chaoying, a iniciativa privada é um dos centros de apoio para essas medidas que combatem o crescimento desorganizado.

Para Colin Stanbridge, CEO da Câmara de Comércio e Indústria de Londres, o transporte público estimula a inovação e o crescimento de empregos.

Ele chamou a atenção para o projeto M4 Corridor, uma linha de trem rápida e sem paradas, que vai do oeste de Londres até o aeroporto de Heathrow. “Essa iniciativa fez com que muitas empresas se instalassem próximo do M4 Corridor para ter acesso rápido ao aeroporto”, revelou.

No encerramento do encontro, Eric Schweitzer, presidente da Associação das Câmaras de Comércio e Indústria da Alemanha, e Jan Eder, CEO da Associação das Câmaras de Comércio e Indústria da Alemanha, apresentaram as características e inovações recentes na cidade alemã, abordando desenvolvimento em transporte baseado em eletromobilidade, projeto que conta com parcerias governamentais e privadas do país.

Ao fim do encontro, o presidente em exercício da Fiesp, Benjamin Steinbruch, conversou com os membros do grupo.