O Homem de La Mancha: temporada atraiu 121,1 mil pessoas em 276 apresentações

Isabela Barros

A ficha ainda não caiu. Também pudera: soberano dos palcos do Teatro do Sesi-SP entre os dias 03 de setembro de 2014 e 28 de junho de 2015 como o protagonista de O Homem de La Mancha, Cleto Baccic tem tão viva a presença do musical em sua carreira que diz não estar com saudade. Para ele, “tudo ainda está tão forte” que ele se sente “de folga, com espetáculo amanhã”. Ao todo, foram 276 apresentações, com um público total de 121.135  pessoas. Uma temporada que vai deixar saudosos elenco, organizadores e público.

“São muitas as lembranças”, diz Baccic. “A mais importante delas é ter visto o Teatro do Sesi-SP lotado todos os dias”.

Eleito o melhor ator pela Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em 2014, o intérprete de Miguel de Cervantes/D.Quixote cita a cena com o duque, na qual Cervantes fala sobre as suas experiências, como uma de suas prediletas. “Era quando ele contava o quanto já viveu e sofreu por seus ideais”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Baccic: emoção pelo teatro lotado todos os dias. Foto: Everton Amaro/Fiesp


O Homem de La Mancha foi mais uma iniciativa do projeto Teatro Musical, de formação de atores e público, promovido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

De acordo com a gerente de operações culturais da instituição, Alexandra Miamoto, a montagem foi especial, entre outros motivos, por ter sido a adaptação de um texto famoso feita segundo a realidade brasileira por Miguel Falabella.

Tanto que recebeu, além do prêmio de Baccic, o título de Melhor Musical também pela APCA, Melhor Espetáculo pelos críticos da Folha de S. Paulo e o Prêmio Aplauso Brasil de Melhor Espetáculo de Teatro Musical. As três condecorações foram em 2014.

Depois de assistir a peça “mais de 30 vezes”, Alexandra elege a cena em que o protagonista canta a música tema, “O Sonho Impossível”, como a sua predileta. “Para mim, a cena representava o auge da qualidade técnica e estética daquela produção”, conta.

Entre as reações de carinho do público, ela cita o fato de que a primeira pessoa a chegar na fila para a última apresentação, em 28 de junho, levou um colchão para garantir a sua vaga. Isso aconteceu às 3h30.


‘O Homem de La Mancha’ vence em duas categorias no Prêmio APCA

Agência Indusnet Fiesp

O espetáculo “O Homem de La Mancha”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, venceu as duas categorias no Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA), divulgado nesta segunda-feira (01/12). O musical foi eleito melhor espetáculo (ao lado de “Pessoas Perfeitas”) e melhor ator, com o protagonista Cleto Baccic.

É a 59ª do Prêmio da APCA, que premia anualmente as melhores produções do ano e é considerado um dos mais importantes do teatro brasileiro e das artes em geral. A cerimônia de premiação será realizada no começo de 2015, mas a data ainda não foi definida.

Alunos de escolas públicas se emocionam no musical ‘O Homem de La Mancha’

Fernanda Barreira, Agência Indusnet Fiesp

Centenas de alunos de escolas públicas do Estado de São Paulo tiveram o privilégio de assistir a uma sessão exclusiva e gratuita do espetáculo musical “O Homem de La Mancha”, na tarde desta quinta-feira (25/09), no Teatro do Sesi-SP.

Aplausos de pé, assovios e até lágrimas marcaram a apresentação, que, para muitos dos jovens, foi uma experiência inédita. É o caso do estudante Álvaro Coelho Jesus, de 13 anos, que nunca tinha assistido a um musical. “A iniciativa é interessante porque ajuda a gente a entender como é o teatro. Eu já conhecia a história de Dom Quixote, mas gostei muito da adaptação.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Alunos Álvaro Coelho Jesus (atrás) e Vinícius Kenji (frente) e a professora Solange Moreira (centro) após o espetáculo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O musical, com versão e direção de Miguel Falabella, conta a história de um homem que, ao ser internado em um hospício, diz ser Miguel de Cervantes.

Abordado pelo “Governador”, homem que comanda os internos, Cervantes tem seus pertences roubados, inclusive um de seus manuscritos. Para reaver o objeto, Cervantes se defende convidando os internos a encenarem uma peça, em que ele assume o papel de Dom Quixote de La Mancha.

Ao final do espetáculo, alguns alunos tiveram a oportunidade de conversar com parte do elenco, inclusive com o protagonista, Cleto Baccic, que falou sobre a emoção de levar cultura para crianças e adolescentes, especialmente aquelas que não possuem muitas oportunidades. “Ver a alegria de vocês em presenciar algo novo é indescritível. Isso nos motiva de forma única”, disse o ator.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Atores Frederico Reuter, Jorge Maya, Cleto Baccic e Ivan Parente (da esquerda para a direita) conversam com os alunos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Essa iniciativa também foi destacada positivamente pela professora de artes Solange Moreira da escola estadual Justiniano Rezende Silva, no município de Suzano (SP). “A experiência de poder trazer os alunos para vivenciar o que é um teatro profissional é ótima. Isso vai ajudar muito nas aulas, nas discussões, nos jogos teatrais. O que eu acho muito importante também é a aproximação deles com a arte. Viver esses momentos culturais, porque onde a gente mora não tem muito incentivo. Que bom que a gente pode vivenciar isso graças ao Sesi-SP.”

Vinícius Kenji, de 13 anos, comemorou seu aniversário ao lado dos seus colegas assistindo ao musical e garantiu que não poderia haver melhor presente. “A peça foi muito boa. Dom Quixote é um herói louco, mas com muito carisma e cativa a plateia. Até me emocionei durante o musical. Foi ótimo.”

Serviço
“O Homem De La Mancha”
Local: Teatro do Sesi-SP (456 lugares) – Avenida Paulista, 1313 – Bela Vista
Temporada até 21 de dezembro
Recomendação: 10 anos
Duração: 1h45
Informações: (11) 3146-7405/7406
Entrada gratuita
Ingressos gratuitos reservados online pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi de 15 em 15 dias a partir do dia 25 de agosto.
Apresentações entre dias 1º e 15, publicação na internet dia 25 do mês anterior.
Apresentações entre dias 16 e 31, publicação na internet dia 10 do mesmo mês.
Serão distribuídos 50 ingressos por sessão na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir do horário de abertura da bilheteria.
Horário da bilheteria: quarta a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h. Quarta a sexta às 21h; sábado às 17h e 21h e domingo às 19h.

Cleto Baccic e o desafio de interpretar ‘O Homem de La Mancha’

Ariett Gouveia e Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Seja como Miguel de Cervantes, Alonso Quijana ou Dom Quixote de La Mancha, Cleto Baccic encara com emoção o desafio de protagonizar “O Homem de La Mancha”, segundo musical realizado pelo projeto de Teatro Musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

“É um texto que toca muito a gente, porque faz pensar no nosso crescimento, na nossa vida. Há situações com as quais você se identifica imediatamente”, diz o ator, que lembra o começo das leituras da peça. “Só de ler o texto, eu me debulhava em lágrimas. Até conseguir me distanciar para passar a atuar e não sentir.”

Motivos para se emocionar não faltam. Uma razão especial para Baccic são os companheiros de elenco. “O Guilherme Sant’Anna, que interpreta o ‘Governador’ nesse espetáculo, é uma pessoa superespecial para mim, já foi meu professor. É uma honra poder estar no palco com ele. Eu me emociono verdadeiramente nesse espetáculo em vários momentos por ter pessoas tão queridas comigo.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Baccic: “É um texto que toca muito a gente, porque faz pensar no nosso crescimento, na nossa vida.” Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Mas há um componente ainda mais especial em “O Homem de La Mancha”. Diferente da comédia “A Madrinha Embriagada”, em que ele divertia a plateia na pele do amante argentino Adolpho, o novo musical propõe reflexões ao público.

“‘A Madrinha’ era muito mais solar. Era uma diversão, gargalhada em cima de gargalhada. ‘O Homem’ é denso o tempo inteiro. E, como Quixote ou Cervantes, nada é engraçado para mim. O espetáculo tem piada, mas o meu personagem é pesado”, diz o protagonista, que já atuou em montagens brasileiras de musicais da Broadway como “Cats”, “Mamma Mia” e “South American Way”.

“A genialidade de Bispo, de Cervantes e de Miguel Falabella faz com que a gente se veja protagonista de nossas loucuras. Porque o Bispo em sua loucura também tinha seu momento de lucidez. E quem nunca”, questiona Baccic, “vai deitar no travesseiro e sofre porque o telefone não toca, por causa do chefe carrasco, do salário que não dá para fechar o orçamento e de pequenas coisas do mundo real que nos fazem querer sair e acessar nossa porta da loucura?”.

Diante do espelho

Por isso, na opinião do ator, o momento mais difícil do espetáculo é a cena dos espelhos. “É o momento do choque da realidade, onde você encara que não adianta se agarrar no travesseiro que o dia vai nascer. Tuas amarguras, alegrias, vitórias ou derrotas, vão estar ali.”

Baccic: um protagonista denso o tempo inteiro. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Baccic: um protagonista denso o tempo inteiro. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Outro motivo de muita emoção para o ator é a responsabilidade de interpretar o mesmo papel que já foi de um dos maiores nomes do teatro brasileiro, o ator Paulo Autran (1922-2007), protagonista da montagem que ficou em cartaz entre 1972 e 1974.

“Paulo Autran sempre foi meu grande ídolo e uma referência para mim, sempre vai ser. É uma responsabilidade gigantesca. Mas também é de um prazer imenso encenar um espetáculo tão emblemático. Espero que, onde ele esteja, aprove o que eu estou fazendo.”

Construção do personagem

Para construir um personagem tão denso, Baccic conta que se guiou pelo texto. Evitou ver outras versões da peça para não se influenciar pelas atuações de outros atores. “Sempre me guio pelo texto original – no caso, a tradução do Miguel. Acredito que quando o autor escreve, ele desenha o personagem. Claro que a gente vai descobrindo aos poucos um trejeito ou uma forma de agir. Mas me preocupo em ler o texto com cuidado e ver o que ele diz sobre o papel.”

Assim, foi durante os ensaios que o personagem foi se desenvolvendo, com a ajuda do diretor cênico, da coreógrafa e do diretor Miguel Falabella. Um tique nervoso de Cervantes, por exemplo, surgiu após um pedido de Falabella. Buscando algo sutil, o ator decidiu adotar trejeitos com os dedos da mão esquerda. Só depois descobriria que, coincidentemente, o autor espanhol realmente teve um problema nessa mão.

Projeto em Teatro Musical

Baccic também se emociona ao falar do Projeto Educacional em Teatro Musical feito em parceria com o Sesi-SP. Além dos dois musicais (“A Madrinha Embriagada” e “O Homem de La Mancha”), a iniciativa envolve também oficinas de vivência e um curso profissionalizante de três anos de duração – a primeira turma começou as aulas em março deste ano.

“É um momento mágico, em que o Teatro do Sesi-SP faz 50 anos, sempre aberto para a população, com essa grandiosidade, com esse investimento que a entidade faz para entregar cultura às pessoas”, declara Baccic, que acredita ter cumprido um dos principais objetivos do projeto: a formação de público.

“Há muitas pessoas que vieram assistir ‘A Madrinha’ que não tinham condições de pagar para assistir a uma peça de teatro. Imagine, então, um musical, que costuma ter ingressos ainda mais caros. Costumo cumprimentar as pessoas depois do espetáculo e vejo como cada apresentação é importante para elas”, conta o ator, que acredita que, por ser mais emotivo, “O Homem de La Mancha” vai tocar de forma mais forte o público.

“É muito especial ver a simplicidade nos olhos dessas pessoas que nunca tiveram a oportunidade de ver um musical, o quanto elas se entregam e se apaixonam. Espero poder partilhar com elas o amor que eu sinto por esse projeto.”

Serviço

“O Homem De La Mancha”

Local: Teatro do Sesi-SP (456 lugares) – Avenida Paulista, 1313 – Bela Vista

Estreia: 13 de setembro
Temporada até 21 de dezembro
Recomendação: 10 anos
Duração: 1h45
Informações: (11) 3146-7405/7406
Entrada gratuita
Ingressos gratuitos reservados online pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi de 15 em 15 dias a partir do dia 25 de agosto.
Apresentações entre dias 1º e 15, publicação na internet dia 25 do mês anterior.
Apresentações entre dias 16 e 31, publicação na internet dia 10 do mesmo mês.
Serão distribuídos 50 ingressos por sessão na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir do horário de abertura da bilheteria.
Horário da bilheteria: quarta a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h. Quarta a sexta às 21h; sábado às 17h e 21h e domingo às 19h.

‘O Homem De La Mancha’ comemora os 50 anos do Teatro do Sesi-SP

Agência Indusnet Fiesp

O Teatro do Sesi-SP apresenta a partir de 13 de setembro, às 21 horas, o musical O Homem De La Mancha, com versão e direção de Miguel Falabella, texto original de Dale Wasserman, músicas de Mitch Leigh e letras de Joe Darion.O espetáculo é uma produção do Atelier de Cultura e integra a programação especial dos 50 anos do teatro da entidade, um dos marcos culturais da avenida Paulista. Os ingressos são gratuitos.

“Meu Quixote é brasileiro! Assim, a tênue fronteira entre a loucura e o sonho impossível encontra a inspiração ideal na história e na arte de Arthur Bispo do Rosário”, antecipa Falabella sobre sua montagem.

Na sequência de A Madrinha Embriagada (Melhor Musical – Prêmio Aplauso Brasil 2013 e dez indicações ao Prêmio Bibi Ferreira 2014), espetáculo assistido por mais de 150 mil pessoas em temporada de 11 meses, Miguel Falabella oferece uma encenação original e surpreendente, 42 anos após a primeira temporada brasileira de O Homem de La Manchadirigida por Flávio Rangel, em 1972.

Inspiração brasileira

Miguel Falabella inspirou-se em Bispo do Rosário para caracterizar o Governador (no texto original um preso da Inquisição que comanda os outros presos), interpretado por Guilherme Santana (ganhador do prêmio Shell de Melhor Ator em 2012), ambientando a trama de seu O Homem de La Mancha em um manicômio brasileiro do final dos anos 30.

O marinheiro sergipano Bispo do Rosário foi internado na Colônia Juliano Moreira, no Rio de Janeiro, em 1938, e lá permaneceu por 50 anos, até sua morte, em 1988. Poucos anos antes, algumas pessoas tiveram acesso à sua arte. Autodidata, jamais se considerou um artista plástico. A primeira exposição de sua obra foi organizada por Lígia Clark, em 1989. Bispo tinha uma missão: apresentar a Deus o mundo e suas coisas, no dia do Juízo Final. Produziu bordados de imagens e de escritos, mumificou objetos com linhas azuis descoloridas, construiu inúmeros painéis de seriação de objetos do cotidiano, em composições abstratas.

Sua obra encontra-se intacta, sob a curadoria do Museu de Arte Contemporânea Arthur Bispo do Rosário, na Colônia Juliano Moreira. Dezenas de exposições no Brasil e no mundo já exibiram sua extensa produção, destacando-se o Gugenhein Museum, de Nova Iorque, o Victoria and Albert Museum, em Londres, a Bienalle di Venezia, na Itália e a Bienal de São Paulo. Seu trabalho, frequentemente comparado a Marcel Duchamp e Andy Warhol, é considerado um dos pilares da arte contemporânea brasileira, e seus traços podem ser observados na produção de diversos artistas plásticos da atualidade.

Sinopse do musical

Um manicômio brasileiro no final dos anos 30. Um paciente é anunciado para internação. Apresenta-se como Miguel de Cervantes, poeta, ator de teatro e coletor de impostos. Chega na companhia de seu criado, Sancho.

Ele é abordado pelo Governador, louco que comanda os internos do hospital.  O grupo ataca seus pertences e lhe subtraem suas poucas posses. Cervantes se preocupa apenas com um manuscrito, que é arremessado entre eles.  Para dar a Cervantes a oportunidade de reaver seu manuscrito, o Governador instala um julgamento.

O Duque faz a acusação. Cervantes organiza sua defesa convidando os loucos a encenarem com ele uma peça de teatro.

É a história de D. Alonso Quijana, um velho fazendeiro aposentado, ávido leitor, desgostoso com os maus-tratos dos homens para com seus semelhantes. Melancólico com as injustiças do mundo e tomado pela loucura, imagina ser D. Quixote Senhor de La Mancha, um Cavaleiro Errante, atrás de aventuras que lhe permitam combater o mal, assistir os indefesos e praticar o bem.

Serviço

O Homem De La Mancha
Local: 
Teatro do Sesi-SP (456 lugares) – Avenida Paulista, 1313 – Bela Vista
Estreia: 13 de setembro
Temporada até 21 de dezembro
Recomendação: 10 anos
Duração: 1h45 minutos
Informações: (11) 3146-7405/7406

Entrada gratuita

Ingressos gratuitos reservados online pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi de 15 em 15 dias a partir do dia 25 de agosto.

Apresentações entre dias 1º e 15, publicação na internet dia 25 do mês anterior.
Apresentações entre dias 16 e 31, publicação na internet dia 10 do mesmo mês.

Serão distribuídos 50 ingressos por sessão na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir do horário de abertura da bilheteria.

Horário da bilheteria: quarta a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h. Quarta a sexta às 21h; sábado às 17h e 21h e domingo às 19h.

Temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ acaba com sensação de dever cumprido

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Após mais de 11 meses em cartaz, o espetáculo “A Madrinha Embriagada” chegou ao fim na noite deste domingo (29/06) no Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Para os atores, prevaleceram as sensações de dever cumprido, honra e um pouco de tristeza pelo fim da temporada. Já o púbico deve levar na memória não só as músicas preferidas, mas novas amizades.

“A gente se matou de fazer apresentações: oito por semana, uma maratona. Vocês não têm ideia do quão cansativo é. Mas eu faria tudo isso de novo com o maior prazer e honra”, contou Saulo Vasconcelos, que interpreta o produtor Iglesias no espetáculo, menos de uma hora antes de começar sua última apresentação.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Cleto Baccic (Adolpho). Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Para Vasconcelos, a escolha pelo espetáculo foi um “tiro certo” para iniciar o Projeto Sesi-SP de Teatro Musical e “coube perfeitamente para a proposta de ingresso gratuito”.

“Esse público é formado por uma maioria que não tem condição de pagar de 170 a 250 reais, que é a média de preço que se cobra. E é justificável esse preço absurdo porque são produções caríssimas e um investimento que precisa ser retornado. Mas esse público que vem aqui é basicamente constituído por essas pessoas e a relação delas é a mais sincera, mais divertida possível. A sensação é de dever cumprido, de vitória”, disse o ator que já protagonizou espetáculos como “O Fantasma da Ópera”.

O ator Cleto Baccic, que interpreta o argentino Adolpho em “A Madrinha Embriagada”, contou que sua maior recordação dessa temporada é o retorno do público.

“Não tenho palavras para agradecer ao Sesi-SP e a Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] por apoiar o teatro brasileiro e não só pela minha classe, mas por todas essas pessoas aqui. Tem gente que nunca teve oportunidade de assistir a um espetáculo de teatro e, no entanto, eles estão aqui graças a esse investimento”, disse um Baccic emocionado minutos depois de tirar fotos com os espectadores. “Eu faço questão de ter esse contato, de acabar o espetáculo e conversar com as pessoas. E superou nossas expectativas e as do Sesi-SP também”, completou.

‘A Madrinha’ mais de 50 vezes

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Ingride (centro) virou a madrugada para assistir ao espetáculo mais uma vez. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Do lado da plateia, há pessoas que assistiram a um musical pela primeira vez e gostaram tanto que repetiram dezenas de vezes. É o caso da autônoma Ingride Alves Bens, de 47 anos, que na última apresentação assistiu a “A Madrinha Embriagada” pela 51ª vez.

“Cheguei aqui às 22h de ontem para ficar para o dia seguinte. Fiquei de pé até as 9h de hoje quando liberaram a portaria para a gente poder sentar um pouco”, contou Ingride, que optou por ficar em pé durante toda a noite. “Para não amassar minha roupa”, explicou.

Ela passou a noite no portão do Teatro do Sesi-SP com mais nove pessoas. Uma delas é o filho Marcio William Bens, de 18 anos, e os outros oito são amigos que ela e o filho fizeram após enfrentarem as filas para pegar ingresso ao longo das mais de 50 vezes que assistiram ao musical.

“A gente pegou papelão, colocou na beira do portão do lado de fora e enquanto uns dormiam encolhidinhos, os outros ficavam tomando conta. A gente forma uma família”, disse Ingride em sua noite de despedida do espetáculo. “Agora não sei o que vou fazer para substituir esses dias que tenho vindo para cá.”

O professor de inglês, Vinícius Guimarães, assistiu ao Madrinha mais de 40 vezes “porque não tem outro musical como esse, o nível do espetáculo e dos atores é muito alto, o que é muito difícil de encontrar de graça”, defendeu.
Ele fez amizade com Ingride e disse que é uma coisa que acaba acontecendo com muitas pessoas “porque a gente fica nas filas, esperando cinco horas para ter ingresso”.

O confeitador Leandro Sena, de 19 anos, também engrossa o couro dos quarentões em sessões doe “A Madrinha”. Ele garantiu que repete tantas vezes o mesmo musical porque “nunca é a mesma coisa, mas nem que seja um fio de cabelo que cai no chão diferente, a gente percebe”. Outro atrativo para voltar dezenas de vezes ao teatro é o elenco. “Os atores são muito simpáticos.”

Sem ostentar tantas sessões, a psicóloga e atriz Lígia Lage, 31 anos, e o designer João Mendonça, 32, aguardavam na numerosa fila para entrar no Teatro do Sesi-SP e assistir pela primeira vez ao espetáculo.
“Eu já tinha desistido, mas através de um amigo acabamos conseguindo de última hora”, contou Lígia. Para ela, é fantástico o Sesi-SP distribuir ingressos de graça para musicais como “A Madrinha” .

“Porque o povo brasileiro precisa de entretenimento com cultura de verdade.”

A expectativa de Mendonça era de assistir a uma peça “bastante divertida”. Apesar de a temporada durar mais de 11 meses, ele pediu: “poderia ser mais longa”.

Novo musical

Veterana em musicais protagonizando espetáculos como “O Fantasma da Ópera” e “Les Misérables”, a atriz Sara Sarres resumiu a noite: “muita emoção.

Sentimento de gratidão enorme e de orgulho por ter feito parte desse projeto que trouxe mais de 150 mil ingressos gratuitos. “Estou triste por uma temporada que está se encerrando, mas feliz por esse lindo começo para a cultura.”

Ela se referiu ao Projeto Sesi-SP de Teatro Musical, que, além de formar atores para o mercado desse gênero artístico, também vai oferecer mais um espetáculo de graça a partir de setembro, a montagem de “O Homem de La Mancha”, musical baseado na obra de Miguel de Cervantes com direção de Miguel Falabella.

Para Cleto Baccic, o novo espetáculo tem um significado especial. “O sonho impossível continua ser possível de ser realizado aqui no Sesi-SP.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Sara Sarres, Frederico Reuter, Saulo Vasconcelos e Kiara Sasso. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

‘A Madrinha Embriagada’: temporada levou 150 mil pessoas ao Teatro do Sesi-SP

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

O encanto das 325 apresentações de A Madrinha Embriagada, a serem completadas na noite deste domingo (29/06), com a sessão de encerramento da temporada do espetáculo, não se limitou ao palco. Na plateia e na entrada do Teatro do Sesi-SP, não faltaram boas histórias nos bastidores do espetáculo, montado com o apoio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

“Já tivemos de tudo no teatro: um rapaz pediu a namorada em casamento, outro casal comemorou bodas de prata, uma senhora bem idosa, que fazia aniversário, foi ver a peça acompanhada de todos os filhos e netos. E eram muitos!”, conta o diretor geral da produção e intérprete do personagem Adolpho na trama, Cleto Baccic.

Em cena, Baccic já teve que exercitar seu jogo de cintura em situações como a de uma cartola um tanto folgada na cabeça. “No início da temporada, usava o cabelo longo. Quando cortei, a circunferência da cartola que usava diminuiu drasticamente, só que eu não me ative a esse detalhe”, diz. O resultado? “Na cena do ‘mico’, na qual entro com o tal adereço, a peça vinha parar no meu nariz, o que por si só já era um ‘mico’. Tive que fazer a coreografia com a cartola pulando na minha cabeça em vários momentos”.

Vasconcelos, à esquerda, e Baccic: muita concentração em cena. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vasconcelos, à esquerda, e Baccic: muita concentração em cena. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Além da habilidade de equilibrar um chapéu folgado e dançar ao mesmo tempo, Baccic também precisou segurar o riso em diversas situações ao longo da temporada, iniciada em agosto de 2013. “Certa vez, na hora em que derrubo a bengala e o Homem da Poltrona diz que tem certeza de que foi o ‘Rolando Bartelli’, uma criança que estava logo na primeira fileira, bem na minha frente, comentou: ‘sim, foi ele mesmo!’. Tive que segurar o riso”, lembra. “Adoro a reação do público, principalmente quando é assim, espontânea”.

De disciplina para não perder a concentração, Saulo Vasconcelos, que interpreta o Sr. Iglesias em A Madrinha Embriagada, entende. Segundo o ator, que já participou das montagens brasileiras de musicais como O Fantasma da Ópera, Cats e A Bela e a Fera, entre muitos outras, plateias formadas principalmente por crianças e adolescentes estão entre as mais desafiadoras. “É preciso redobrar a concentração”, diz Vasconcelos. “Alguns jovens brincam dizendo frases como ‘ah, não diga!’ na cena em que falta luz e o O Homem  da Poltrona comenta o que aconteceu”, conta.

E isso não é tudo. “Também já ouvimos espectadores fazendo barulho de grilos e de outros animais em momentos em que o palco fica escuro”, diz. “Só tendo uma disciplina absurda para não perder o clima”, conta.

Desce, cama, desce!

Numa cena em que interage com uma cama cenográfica, Vasconcelos só não chegou a passar apuro devido à agilidade da equipe de produção do musical. “A cama, embutida na parede, não desceu imediatamente algumas vezes”, diz. “Já estava pensando numa solução e mentalizando ‘desce, cama, desce’ quando consegui ouvir, do palco, até marteladas nos bastidores para resolver o problema. Sempre deu tudo certo”.

Vasconcelos e a cama que quase emperrou: marteladas nos bastidores. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vasconcelos e a cama que quase emperrou: marteladas nos bastidores. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


No fim das contas, essas e outras situações ficarão guardadas, com carinho, nas memórias do elenco e do público ao final da concorrida temporada da peça, vista por 150 mil pessoas. “Poder levar às pessoas, sem distinção de classe social, um espetáculo com acabamento impecável, elenco de primeira, orquestra ao vivo, durante 11 meses e inteiramente gratuito, é o que mais me emociona e me motiva a continuar sonhando”, afirma Baccic.

E isso para não falar do clima nos bastidores. “O ambiente sempre foi extremamente agradável e eu não me refiro apenas ao elenco, mas também à equipe técnica”, conta. “Rimos juntos, sofremos juntos, nos preocupamos uns com os outros. Somos como uma família”. Uma família agora repleta de boas histórias para contar.

Atores e atrizes elogiam projeto de Teatro Musical do Sesi-SP

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp 

Uma noite em que passado e presente celebraram o futuro. E os atores e atrizes que protagonizaram essa história estiveram no palco do Teatro do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) na segunda-feira (24/03), que comemorou a realização do projeto de Teatro Musical produzido pela entidade.

Nomes importantes do gênero no Brasil elogiaram e apoiaram a iniciativa do Sesi-SP de investir na formação de atores e de público.

Confira os depoimentos:

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Cleto Baccic em trecho do musical Cats, durante lançamento do curso de formação de atores em teatro musical do Sesi-SP. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Cleto Baccic, de “Cats” e coordenador geral do curso de Teatro Musical do Sesi-SP – “É muito emocionante lembrar o esforço e o trabalho para chegar até aqui. Graças à Fiesp [Federação das Indústrias do Estado de São Paulo] e ao Sesi-SP, consegui colocar um sonho em prática: criar essa escola, com os melhores profissionais disponíveis no mercado. E é um prazer imenso celebrar esse momento importante do teatro musical brasileiro e reencontrar os amigos de outras produções, reviver alguns números e oferecer para o nosso público, que contribui para que o teatro musical cresça cada vez mais. É um presente que recebemos deles e uma grande festa que o Sesi-SP oferece para as pessoas.”

***

Claudia Raia, de “Crazy for you” – “É um momento de celebração, o começo de um novo ciclo. Um ciclo que vem só tendo grandes aplausos do público, que também está aprendendo a assistir musical. É uma celebração em todos os aspectos, porque é o início de uma ampliação desse projeto. O teatro musical já existe há alguns anos no Brasil e agora tem essa expectativa de ampliação. Todos nós estamos aprendendo a cada dia, cantando, dançando, representando. O musical exige, pelo menos, 80% da saúde, tanto vocal, quanto mental e física. É um trabalho árduo, mas vale a pena.”

***

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Claudia Raia e Jarbas Homem de Melo em trecho de 'Crazy for You'. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp.

Jarbas Homem de Mello, de “Crazy for you” – “Hoje é um dia de comemoração e de reencontro do teatro musical. Só para dar uma ideia, tem 11 integrantes do elenco da versão brasileira Les Misérables, musical que estreou em 2001. E a gente aprendeu na raça, foi buscar a informação. Ter uma escola sólida como essa é uma alegria, é uma festa, é o futuro do teatro musical começando a ser traçado a partir de hoje. Vivemos o melhor momento do teatro musical no Brasil nos últimos 20 anos, com cerca de 10 espetáculos em cartaz ao mesmo tempo, profissionais especializados, atores que cantam, dançam, sapateiam. O teatro musical está muito maduro hoje no Brasil.”

***

Amanda Acosta, de “My fair lady” – “O momento que celebramos hoje significa um começo que esperamos que não tenha fim. Que seja longa e que venham outros cursos como esse. Que esse incentivo não pare, que tenha uma continuidade. A gente tem que valorizar muito essa empreitada. Porque para fazer musical é preciso estudar canto, dança, interpretação e isso precisa de investimento. Ter um curso acessível com profissionais talentosos e envolvidos é a receita perfeita para descobrir e desenvolver novos talentos, com base e muito trabalho. Somos operários da arte.”

***

Rachel Ripani, de “Mamma Mia!” – “O teatro musical está crescendo muito no Brasil e precisa de todo fomento, atenção e formação possível. Por isso estou muito feliz por estar aqui, com tantas pessoas talentosas, que fazem parte da minha história como atriz de teatro musical. Estamos encarando isso como uma grande reunião de formatura da gente, de quem já fez musicais, e recebendo os que estão chegando com muito carinho. Espero que seja longa a vida do curso. ”

***

Sara Sarres, de “A Madrinha Embriagada” e coordenadora do curso de teatro musical do Sesi-SP na área de canto – “Emoção demais hoje. À flor da pele! Não só pelo futuro, que a gente vê que começa aqui, mas por contar toda essa história, tudo que a gente viveu, voltar a estar em contato com antigos personagens, cantar músicas que cantamos anos atrás. Que noite mágica! Estou flutuando hoje, porque é um momento muito especial.”

***

Danilo Moura, de “Tim Maia – Vale tudo” – “Estou muito feliz porque é a segunda vez que eu faço parte de uma nova etapa do teatro musical brasileiro. Primeiro, o prêmio Bibi Ferreira, que eu recebi o prêmio de melhor ator com o Tiago Abravanel, e agora estou aqui. É um presente fazer parte e poder acompanhar uma nova etapa dessa trajetória longa do Sesi-SP. Além de poder rever espetáculos que vimos no teatro e encontrar os gênios do musical.”

***

Saulo Vasconcelos, de “A Madrinha Embriagada” e coordenador do curso de teatro musical do Sesi-SP na área de interpretação – “Foi emocionante porque temos algumas das pessoas mais importantes do musical brasileiro aqui reunidas. Teve uma hora que o choro veio na garganta, tremeu o queixo, foi surreal! Tive que me concentrar, lembrar do conselho que a Bibi Ferreira me deu uma vez, quando olhou nos meus olhos e disse que o que eu precisava na vida era ter disciplina. Então, antes de subir no palco, eu tentei ficar mais quieto para cumprir as músicas com técnica e, ao mesmo tempo, com o coração.”

***

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Emílio Dantas em trecho do musical 'Cazuza -O tempo não para'. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Emílio Dantas, de “Cazuza pro dia nascer feliz, o musical” – “Estou ‘assustado’ com o que pode acontecer com esse projeto porque vamos formar monstros do musical. É um mercado que, até hoje, eu não entendia como ainda não tinha sido explorado exclusivamente, como um mercado teatral completamente a parte de tudo que acontece. Temos muita riqueza cultural para produzir, muitos bons espetáculos. Eu apoio o quanto for preciso, o quanto precisarem da minha força, estou aí. A melhor coisa que eu vi nos últimos tempos em relação ao teatro musical foi esse projeto.”

***

Negra Li, de “Jesus Cristo Superstar” – “Amei a novidade, fiquei muito feliz por ter participado, quero estar presente em outros anos, comemorando outras turmas. Se tivesse um curso como esse antes, eu teria feito e já teria começado a fazer musicais. Sorte deles que têm essa oportunidade. Vou indicar para a minha sobrinha, que canta bem e gosta de dançar.”

Teatro Musical ganha noite de homenagem inédita na Paulista

Agência Indusnet Fiesp 

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) realizam, na segunda-feira (24/03) uma aula show comandada pelo ator e diretor Miguel Falabella para apresentar a primeira turma do curso de Formação de Atores em Teatro Musical, no Teatro do Sesi São Paulo, às 20h30. O evento, uma homenagem ao legado do teatro musical brasileiro, reunirá protagonistas de musicais que marcaram época e de produções em cartaz no Brasil. Os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada, a partir das 19h30, na bilheteria do Teatro do Sesi-SP, no dia do evento (24/3).

Durante o show, estarão atuando no mesmo palco Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello (Crazy For You), Laila Garin (Elis A Musical), Emílio Dantas (Cazuza), Danilo de Moura (Tim Maia), Saulo Vasconcelos (A Bela e a Fera), Sara Sarres (O Fantasma da Ópera), Kiara Sasso (A Noviça Rebelde), Paula Capovilla (Evita), Ester Elias e Marcos Tumura (Les Misérables), Amanda Acosta (My Fair Lady), Rachel Ripani, Andrezza Massei (Mamma Mia!), Cleto Baccic (Cats), Bianca Tadini (West Side Story), Cláudio Galvan (Império), Paula Capovilla (Evita) e o elenco de “A Madrinha Embriagada”.

Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Inédito no Brasil, o curso de formação de atores irá beneficiar a indústria brasileira de entretenimento por meio da formação de atores. O objetivo da iniciativa é combinar o desenvolvimento do potencial criativo dos alunos da rede Sesi de ensino, a capacitação profissional de atores e a formação de plateia para espetáculos de teatro musical.

Com o programa, o Sesi-SP alcança sua terceira meta no Projeto Educacional em Teatro Musical, iniciado em meados do ano passado.  Em agosto de 2013, a entidade apresentou o espetáculo gratuito “A Madrinha Embriagada” – já assistido por mais de 100 mil pessoas e em cartaz até junho de 2014 – e, semestralmente, oferece 390 vagas em oficinas de vivência em teatro musical em duas unidades da capital (Vila Leopoldina e A.E. Carvalho) e em Campinas, São Caetano e São José dos Campos.

Ao todo, são duas turmas, pela manhã e à tarde, com 32 alunos cada. O curso tem o objetivo de formar atores especializados em teatro musical, com habilidades de canto, dança e interpretação.

O programa tem como coordenador geral, Cleto Baccic, ao lado dos coordenadores de área (maestro Carlos Bauzys, música; Sara Sarres, canto; Vivian Albuquerque, corporal; Saulo Vasconcelos, interpretação; e Christina Trevisan, coordenadora pedagógica).

Programa do show

Cláudia Raia e Jarbas Homem de Mello – Crazy for you
Emílio Dantas – Cazuza pro dia nascer feliz, o musical
Sara Sarres – 
O Fantasma da Ópera
Saulo Vasconcelos – A Bela e a Fera
Bianca Tadini – West Side Story
Rachel Ripani e Andrezza Massei – Mamma Mia!
Cláudio Galvan – Império
Laila Garin – Elis, A Musical
Danilo de Moura – Tim Maia – Vale Tudo
Kiara Sasso – A Noviça Rebelde
Ester Elias e Marcos Tumura – Les Misérables
Amanda Costa – My Fair Lady
Cleto Baccic – Cats
Paula Capovilla – Evita


Serviço

Aula show com Miguel Falabella e homenagem ao Teatro Musical
Data e horário: 24 de março, segunda-feira, às 20h30
Local: Teatro do Sesi São Paulo e Espaço Fiesp I (Av. Paulista, 1313 – em frente à estação Trianon-Masp do Metrô)
Classificação etária: 10 anos
Duração: aproximadamente 1h50

Entrada gratuita (os ingressos serão distribuídos por ordem de chegada, a partir das 19h30, no dia do evento).

Cleto Baccic: emoção com o 1º curso técnico para atores de Teatro Musical do Brasil

Dulce Moraes, Agência Indusnet Fiesp

Pura emoção. Assim é o ator e produtor cultural Cleto Baccic. Na pele do gato roqueiro Rum Tum Tugger, no musical “Cats”, do romântico Harry Bright, de “Mamma Mia!” e do amante argentino Adolpho em “A Madrinha Embriagada”, ele arranca suspiros do público. O sucesso se justifica, já que Baccic não nega a sua grande paixão: o teatro musical.

Em outro palco, durante o lançamento do Projeto Educacional em Teatro Musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), em maio de 2013, ele também emocionou a plateia ao compartilhar o seu sonho: “Sonhar é elevar o intelecto humano e agir pelo bem das pessoas. O sonho que hoje compartilho com vocês é um ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social”.

Baccic: ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Baccic: ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Quase um ano depois de iniciado o projeto, com as aulas inauguradas nesta segunda-feira (10/03), ele fala, em entrevista exclusiva ao portal da Fiesp, sobre o importante momento vivido pelo teatro musical brasileiro:  o Brasil é o terceiro país produtor de espetáculos do gênero. E ainda sobre a sua imensa alegria por ajudar a criar o que ele considera ser “o primeiro Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical no Brasil”.

Veja, a seguir, a entrevista na íntegra:


De onde surgiu o desejo de criar o Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical com o Sesi-SP?

Cleto Baccic – Era um sonho antigo. Há alguns anos eu havia criado um programa de formação complementar para os alunos de uma escola pública em Severínia, no interior do estado de São Paulo, mas o projeto acabou não saindo do papel.

Esse sonho começou a tornar-se realidade quando encontrei o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, uma pessoa que, como eu, acredita que só por meio da educação e da promoção da cultura é possível fazer um país melhor para todos.  Daí surgiu a possibilidade de desenvolver algo específico para o Sesi-SP, o projeto tomou maior proporção e pude dar asas à minha imaginação.

E a ideia inicial já era esse Curso com ênfase profissionalizante?

Cleto Baccic – Em princípio, eu imaginei que, a partir do programa de formação complementar, poderíamos criar as Oficinas de Vivência em Teatro Musical do Sesi-SP. Mas isso não era tudo. Faltava um curso técnico que formasse atores completos, artistas que pudessem corresponder à demanda de mercado.

Vale lembrar que, com muito orgulho, somos, hoje, o terceiro país produtor de espetáculos musicais. Com isso veio a ideia de elaborar o Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical do Sesi-SP.

Em termos de público de espetáculos musicais ainda temos muito a caminhar, correto?

Cleto Baccic – Sim. E esse foi outro aspecto importante que não poderia ficar de fora do projeto para o Sesi. O objetivo também era criar políticas de acesso a espetáculos de teatro musical para a população menos favorecida. Assim, inserimos a montagem do musical “A Madrinha Embriagada”, que hoje já distribuiu mais de 92 mil ingressos gratuitos.

E qual foi o seu principal desafio para montar esse curso de formação específica para Teatro Musical?

Cleto Baccic – Na realidade, foram muitos os desafios, mas, graças à minha equipe, que trabalhou firmemente nos últimos 18 meses, concluímos cada etapa com muita satisfação.

O primeiro deles foi a total falta de referência sobre o que seria adequado às necessidades dos alunos brasileiros. Para nós não seria interessante copiar algum currículo estrangeiro e achar que serviria a nossa realidade.

Partimos para a pesquisa de campo na qual mais de 50 profissionais brasileiros de destaque no mercado foram entrevistados entre produtores, maestros, diretores, atores, bailarinos e cantores.

Vocês tiveram também alguma inspiração ou fizeram pesquisas nos grandes centros de referência internacional?

Cleto Baccic – Sim, claro. Parte da minha equipe foi para os Estados Unidos e para o Reino Unido para a pesquisa in loco. Visitamos cinco universidades norte-americanas e duas britânicas.

Mas, é importante que se diga que o Sesi-SP está lançando o “primeiro” Curso Técnico de Atuação em Teatro Musical aqui no Brasil!  Isso porque o que encontramos em outras instituições de ensino são cursos livres ou técnicos em artes cênicas onde, eventualmente, se aprende algumas cadeiras relativas ao teatro musical.

No processo de construção do curso, você conseguiu reunir cinco experts de áreas diversas do teatro musical. Como você destacaria a contribuição de cada um deles?

Cleto Baccic – Tenho um super time! Esse projeto não aconteceria sem o empenho de cada um deles. Todos são mesmo experts em suas áreas. O maestro Bauzys tem larga experiência educacional e já dirigiu mais de dez musicais no Brasil. A Chris Trevisan é diretora de teatro e acadêmica com experiência em formatação de currículo de pós-graduação em artes cênicas. A Vivian Albuquerque tem sólida formação acadêmica e extensa prática educacional em dança. Saulo Vasconcelos e Sara Sarres são as duas maiores referências do teatro musical brasileiro, com larga experiência educacional em teatro e técnicas de canto.

O curso é de nível técnico e, obviamente, direcionado aos adultos. Você pode falar um pouco dessa escolha de formato e público?

Cleto Baccic – É preciso dizer que temos alunos de 18 a 50 anos em sala de aula, o que, para nós, é muito gratificante.  Por tratar-se de um curso de nível médio e por não querermos restringir o limite de idade, optamos por alunos maiores de 18 anos.

Eu creio que o currículo entregue ao Sesi-SP poderia ser diluído em quatro anos e se transformar em curso superior. Ele está adensado em três anos, com enorme riqueza e rigor de conteúdo pedagógico.

Baccic em cena como Adolpho em "A Madrinha Embriagada": paixão e reconhecimento. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Baccic como Adolpho em "A Madrinha Embriagada": paixão e reconhecimento. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


A carga horária é bem intensa e exigirá muito dos alunos e também dos professores. Você poderia nos dar uma visão de que tipo de aulas/professores os alunos terão?

Cleto Baccic – Eles terão aulas de segunda a sexta em dois períodos. Quanto às aulas, a nossa grade curricular contempla desde danças brasileiras até história do teatro clássico. Nossos professores são verdadeiros especialistas em suas áreas, todos foram indicados por minha equipe e submetidos aos crivos da Casa.

Os alunos que passarem por essa formação estarão aptos a desempenhar que tipo de atividade profissional e em quais áreas do mercado das artes ou do entretenimento?

Cleto Baccic –Como disse anteriormente, a nossa preocupação é com a formação do ator completo. Quanto mais recursos o ator oferece ao seu diretor é melhor, porque, assim, mais chances ele terá de conseguir uma colocação no mercado.

Na verdade, esperamos moldar o futuro do teatro musical brasileiro em uma nova etapa, na qual atores com formação mais estruturada estarão à disposição das produções.

E qual a sua expectativa pessoal quanto ao futuro desses alunos e desse curso?

Cleto Baccic – Nossa, me sinto como um pai que torce pelo crescimento do filho e pelo seu desenvolvimento profissional.

Mas, com todos os recursos oferecidos pelo curso, espero que eles saibam aproveitar essa oportunidade e que em breve possamos dividir a cena juntos!

Cumprindo meta, Sesi-SP dá início ao curso de formação de atores em teatro musical

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Esta segunda-feira (10/03) foi dia de começar a realizar sonhos no Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Com a primeira aula do curso profissionalizante de Teatro Musical, realizado na unidade da Vila Leopoldina, na capital, o Sesi-SP alcança sua terceira meta na área depois do lançamento do espetáculo gratuito “A Madrinha Embriagada” e do oferecimento de oficinas de Teatro Musical.

Os alunos do curso profissionalizante de Teatro Musical do Sesi-SP: dedicação. Foto: Tamna Waqued/Fiesp

Os alunos do curso profissionalizante de Teatro Musical do Sesi-SP: dedicação. Foto: Tamna Waqued/Fiesp


Ao todo, são duas turmas, pela manhã e à tarde, com 32 alunos cada. O curso tem duração de três anos, com o objetivo de formar atores especializados em teatro musical, com habilidades de canto, dança e interpretação.

Apesar da emoção da “estreia”, o profissionalismo não ficou de lado no primeiro dia de aula. O coordenador administrativo do curso, Cleto Baccic, começou o dia exigindo pontualidade e dedicação dos alunos. Ao lado dos coordenadores de área (maestro Carlos Bauzys; música; Sara Sarres; canto, Vivian Albuquerque, corporal; Saulo Vasconcelos, interpretação; e Christina Trevisan, coordenadora pedagógica), Cleto falou sobre a seriedade de um curso profissionalizante.

“Tenho muito orgulho de todos vocês que estão aqui, que foram selecionados com cuidado para fazer esse curso, mas agora é preciso profissionalismo e dedicação de cada um”, disse Baccic, que falou sobre horário, assiduidade e uso de material escolar.

Depois das explicações iniciais sobre o funcionamento do curso, os alunos foram para a primeira aula: danças brasileiras. Além de conhecer as danças que existem no país, os futuros talentos trabalham com conceitos de corporalidade, ritmo e musicalidade. Na primeira aula, o tema foi a ciranda pernambucana.

Na sequência, vieram as aulas de percussão corporal, teoria musical e canto coral. Os professores já colocaram os alunos para praticar e soltarem a voz. O resultado emocionou os coordenadores, que chegaram no fim da aula, com os profissionais da unidade da Vila Leopoldina.

Todas as artes

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Shayene (27 anos) e Gabriel (19): ambos apaixonados por teatro. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Selecionados entre mais de 800 inscrições, os alunos terminaram a aula com mais certeza de que querem seguir carreira no teatro musical. Shayene Freitas dos Santos, de 27 anos, estuda teatro desde os 9 anos e encontrou no curso oferecido pelo Sesi-SP a oportunidade de desenvolver seus talentos.

“Conheci a área musical em uma companhia teatral da qual eu participava, e montamos o espetáculo “Rent”. Descobri minha paixão, onde eu podia juntar todas as artes”, conta a aluna. “No Brasil, até então, não existia um curso como esse do Sesi-SP, muita gente estuda no exterior e eu não tinha condições. Essa oportunidade é uma benção.”

Shayene diz que o curso vai ajudar a preencher lacunas na sua formação artística. “Eu canto, mas não tenho uma formação técnica. Danço, mas não sou bailarina. E até no teatro, no qual já sou formada, sei que tenho muito para aprender”, afirma ela, que atualmente trabalha com eventos. “Estou muito focada no curso, que é um sonho sendo realizado.”

Brilho no olho

Outro apaixonado por teatro, Gabriel Vicente da Silva, de 19 anos, também se encantou pelos musicais.   “Com 12 anos, minha mãe já me encaminhou para o mundo do teatro porque percebeu minha aptidão, meu desejo, meu brilho no olho”, conta. “O teatro virou minha única fonte de renda e a minha inspiração na vida. Logo comecei a trabalhar com canto”, diz ele, que também foi aprender jazz e dança de salão.

Por meio da dança, ele foi para a China, trabalhando em diversos projetos artísticos. Na volta ao Brasil, soube do curso do Sesi-SP. “Consegui pegar o último prazo de inscrição, foi uma correria para fazer as audições, porque estava trabalhando no interior de São Paulo”, lembra. “A  cada audição na qual eu era aprovado, era uma felicidade. Porque eram muitas pessoas, com grande potencial, para poucas vagas”, diz Silva, que destacou a equipe de profissionais do curso, formados por pessoas que são referência para quem quer seguir a carreira. “O primeiro dia de aula já foi sensacional. Em um dia, recebemos tanto conteúdo que pareceu uma semana de curso. Imagine o que vamos aprender em três anos!”

Os melhores profissionais

Depois de estudar balé e fazer teatro amador na Paraíba, Waldírio Oliveira Castro, de 22 anos, decidiu vir para São Paulo em busca de aperfeiçoamento, em novembro de 2013. Em dezembro, encontrou no curso de teatro musical do Sesi-SP a oportunidade perfeita. “Na Paraíba, não há a cultura do ator se preocupar em dançar e cantar. Com o teatro, estudei balé, mas cantava só institivamente. Vim para São Paulo para estudar e encontrei o curso do Sesi-SP.”

Depois da primeira aula, Castro saiu ainda mais animado. “Os melhores profissionais de Teatro Musical estão aqui. A estrutura é ótima, estudaram muito para montar a grade. Somos privilegiados por estar no primeiro curso de formação técnica nessa área no Brasil.”

Estudante da Paraíba é aprovado no Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A seleção para o curso de curso de formação de atores em teatro musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) atraiu quase 1000 escritos para as suas 64 vagas. Inclusive gente que veio de longe, bem longe, com o objetivo de se preparar para um dia brilhar nos palcos. A lista de selecionados, divulgada nesta segunda-feira (20/01), teve entre outros, o do paraibano Waldirio Oliveira Castro, de 22 anos. O estudante saiu de João Pessoa para participar da disputa.

Ao todo, são 32 aprovados para a turma da manhã e 32 aprovados para a turma da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Orgulhoso da própria força de vontade, Waldirio Oliveira Castro conta que sonhou muito em fazer parte da primeira turma de atores em teatro musical do Sesi-SP. “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração. É isso que funciona”, conta.

Waldirio: . “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração. É isso que funciona”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Waldirio: . “Estou no caminho certo. O que vale a pena é fazer com o coração”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Os candidatos ao curso foram avaliados por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.

Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.

Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

>

De metalúrgico a tenor no curso de formação de atores em teatro musical do Sesi-SP

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Ele é metalúrgico de formação. Mas tem alma de artista e, a partir de agora, é nesse talento pessoal que pretende investir. Osni de Oliveira da Silva, de 29 anos, é um dos aprovados para o curso de formação de atores em teatro musical do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A lista de selecionados foi divulgada nesta segunda-feira (20/01).

Ao todo, são 32 escolhidos para a turma da manhã e 32 para a da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Segundo Osni Oliveira da Silva, a notícia da aprovação no curso foi recebida “com muita emoção”. Ao lado da mãe e do filho, o metalúrgico, atualmente desempregado, deixou a banca selecionadora encantada com a sua performance de tenor ao cantar a italiana ‘O Sole Mio’. “A partir de agora eu vou ser um artista completo”, comemorou.

Osni conquistou os selecionadores: “A partir de agora eu vou ser um artista completo”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Osni durante a seleção: “A partir de agora eu vou ser um artista completo”. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Orgulhosa pela conquista do filho, Elita Oliveira da Silva contou que o talento de Osni é uma herança dos avós e do pai, que cantavam na igreja. “Um dom que ele tem desde que nasceu”, disse ela.

Seleção rigorosa

O orgulho de Oliveira diante da aprovação no curso se justifica. Assim como os demais selecionados, ele foi avaliado por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi


Camareira é aprovada para o Curso de Formação de Atores em Teatro Musical

Adriana Santos e Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Ariane de Almeida Camargo Sá, de 21 anos, trabalha atualmente como camareira no musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo. Logo mais, poderá mostrar o seu talento não mais nos bastidores, mas nos palcos: ela foi uma das aprovadas para o curso de formação de atores em teatro musicaldo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A lista de selecionados foi divulgada nesta segunda-feira (20/01).

Ao todo, são 32 aprovados para a turma da manhã e 32 aprovados para a turma da tarde. Os inscritos foram avaliados em 1.028 audições, em quatro fases, no período de 10 a 17 de janeiro de 2014, e classificados por decisão inapelável da banca examinadora.  No processo seletivo foi avaliada a aptidão musical, para dança e atividade corporal e para o canto.

O curso profissionalizante tem carga horária de 2 mil horas, com duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação. As aulas têm início programado para o dia 10 de março.

Envolvida no mundo dos musicais cinco dias por semana, em seu trabalho como camareira, Ariane diz que há tempos sonha em trocar de lado e subir no palco. Ao ser informada do curso do Sesi-SP diretamente pelo elenco da peça, ela não perdeu tempo e se candidatou a uma vaga no projeto.

“Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas, como cultura, quando eu me formar”, conta. “Passar do backstage para a frente do palco é um sonho que eu tenho há muito tempo”, completa, emocionada.

Ariane: “Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas, como cultura, quando eu me formar”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Ariane: “Vou realizar o sonho da minha vida, levar o teatro para as pessoas”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Os candidatos ao curso foram avaliados por uma banca formada por profissionais renomados na cena de musicais no Brasil, como Cleto Baccic, Sara Sarres, Saulo Vasconcelos, Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e Carlos Bauzys.

Foram quase 1000 inscritos, de modo que os 64 talentos escolhidos passaram por quatro etapas de um exaustivo processo seletivo. Aptidão musical, aptidão para atividade teatral, aptidão para dança e atividade corporal e aptidão para o canto foram colocados à prova.

O valor anual do curso é de R$ 10 mil, totalizando R$ 30 mil. A boa notícia é que o Sesi-SP vai oferecer bolsas de estudo com percentuais entre 20% e 100% de isenção do valor do curso. Todos os 64 aprovados pela banca examinadora são elegíveis para as bolsas. Os selecionados que comprovarem renda familiar per capita de até um salário mínimo terão gratuidade no curso. A aferição vai levar em conta o Índice Econômico Familiar (IEF), calculado pelo total da renda familiar dividido pelo número de pessoas que dependem da renda informada.

Musical

O curso faz parte do Projeto Educacional em Teatro Musical do Sesi-SP, lançado em maio de 2013 com três diretrizes: desenvolver o potencial criativo dos alunos da rede Sesi-SP de ensino, promover a capacitação profissional de atores e incentivar a formação de plateias para espetáculos do gênero.

A formação de plateias está baseada, principalmente, na oferta de ingressos gratuitos para o musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista, em São Paulo.

Trata-se de um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

“A Madrinha Embriagada”

Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.

Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

Divulgada lista de aprovados em etapa de seleção para o curso do projeto Teatro Musical

Dulce Moraes e Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp 

Foi divulgada na noite desta segunda-feira (13/01) a lista dos candidatos selecionados na segunda etapa do processo seletivo para o curso de formação de atores em teatro musical oferecido pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). Essa audição, realizada entre os dias 10 e 13 de janeiro, avaliou aptidão para atividade teatral.

Os atores de “A Madrinha Embriagada”, Cleto Baccic, Sara Sarres e Saulo Vasconcelos participaram da banca examinadora, juntamente com Vivian Albuquerque, Christina Trevisan e o maestro Carlos Bauzys. “Somos uma equipe coesa e distribuímos muito bem as atribuições do grupo, cada um em sua especialidade, mas todos têm entendimento do conjunto, do fazer teatro musical,  o que contribui para fomentar nossas decisões”, afirmou Baccic, que além de protagonizar o argentino ‘Adolpho’, é diretor geral da produção.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

O ator e produtor Cleto Baccic, durante o lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical, em julho/2013. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Os aprovados em todas etapas participarão do curso profissionalizante, com carga horária de 2.000 horas, que se iniciará em 10 de março e terá duração de três anos. O conteúdo abrange conhecimentos teóricos e práticos nas áreas de dança, canto, música e interpretação.

Mas, para realizar o curso, os candidatos devem passar pelas quatro etapas de seleção. A primeira, realizada nos dias 8 e 9 de janeiro, avaliou a aptidão musical. Ao todo, 926 candidatos passaram para a segunda etapa da seleção. Para acessar a lista de aprovados, clique aqui.

As duas últimas etapas acontecem nos próximos dias 14 e 15 de janeiro (aptidão para dança e atividade corporal) e nos dias 16 e 17 (teste de aptidão para o canto).

Entre os dias 3 e 7 de fevereiro, os candidatos aprovados deverão apresentar os documentos necessários para matrícula e solicitação de bolsas de estudo. As aulas terão início no dia 10 de março.

Para Baccic, responsável pelo desenvolvimento da grade curricular do curso, esta é uma ação pioneira e trará grandes resultados para o mercado e para a formação dos atores em teatro musical brasileiro. “Em breve teremos mais e mais jovens devidamente preparados para corresponder com qualidade e prontidão às demanda do mercado”, afirmou o ator que se disse ansioso para o início das aulas. “Colocar em prática o nosso plano de curso, especialmente criado e desenvolvido para o Sesi-SP, é como ver um filho nascer. E o parto está marcado para 10 de março de 2014, na Vila Leopoldina”.

Clique aqui para conferir a lista de aprovados na segunda etapa do processo seletivo para o curso de formação de atores em teatro musical do Sesi-SP.

‘A Madrinha Embriagada’: musical em cartaz no Centro Cultural Fiesp é elogiado em crítica da Folha de S. Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O jornal Folha de S. Paulo, publicou, nesta quinta-feira (05/12), no caderno Ilustrada, crítica elogiosa ao musical “A Madrinha Embriagada”, em cartaz no Teatro do Sesi-SP, na capital paulista, e financiado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP). A peça foi adaptada e dirigida por Miguel Falabella a partir do espetáculo canadense “The Drowsy Chaperone”.

Em seu texto, o crítico Marcio Aquiles destaca o tom de paródia da trama e afirma que “Falabella se sai bem ao transpor a história para São Paulo. Adapta nomes e lugares, brinca com sotaques paulistas e regionaliza o enredo sem fazê-lo perder o charme”.

Os figurinos, assinados pelo estilista Fause Haten, também mereceram elogios: “O belo figurino de Fause Haten tem trajes femininos com silhuetas tubulares e cós baixo, fidedignos ao vestuário do final da década de 1920”.

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, que lembram lingerie. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Cena de “A Madrinha Embriagada”: peças leves e femininas, típicas dos anos 1920. Foto: Everton Amaro/Fiesp


E isso não foi tudo: o elenco também foi destacado. “Além de técnica vocal, o elenco tem versatilidade. Frederico Reuter canta, dança, sapateia e anda de patins. Cleto Baccic destaca-se com uma interpretação hilária para Aldolpho, conquistador argentino cheio de trejeitos.”

Para ler a crítica completa, só clicar aqui.

“A Madrinha Embriagada” é um musical sobre o amor aos musicais, sendo conduzido pelo “Homem da Poltrona”, o narrador da história. A trama se passa os anos 1920, com todo o charme da época.

Ficou com vontade de ver? Pois saiba que o espetáculo é gratuito. A reserva on-line deve ser feita no site do Sesi-SP pelo link http://www.sesisp.org.br/meu-sesi

Os ingressos para o mês seguinte são sempre disponibilizados a partir do dia 20 do mês anterior. O sistema será utilizado ao longo das 325 apresentações agendadas para a temporada. A última apresentação está programada para 29 de junho de 2014.

Além disso, há sempre 50 ingressos disponíveis para quem quiser retirar na hora. Entradas não retiradas até 15 minutos antes do espetáculo também são liberadas para quem estiver na fila.

Serviço

‘A Madrinha Embriagada’
Dias e Horários: Quartas, quintas e sextas, às 21h. Sábados às 16h e 21h. Domingos às 21h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, São Paulo.
Telefone: (11) 3146-7405
Reservas pelo site: http://www.sesisp.org.br/meu-sesi
Grátis

Emoção e magia no primeiro ensaio aberto de ‘A Madrinha Embriagada’

Juan Saavedra e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Depois de dois meses de trabalho intenso, o elenco de “A Madrinha Embriagada” finalmente fez na noite de segunda-feira (12/08), para convidados, seu primeiro ensaio aberto no Teatro do Sesi-SP.

A apresentação serviu como um apronto para a estreia oficial, marcada para sábado (17/08), ponto de partida em uma temporada de aproximadamente 11 meses com entrada gratuita, resultado de uma realização conjunta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Miguel Falabella: espetáculo investe na magia. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Minutos antes da exibição, o diretor Miguel Falabella, responsável pela adaptação do texto original “The Drowsy Chaperone”, falou brevemente sobre a produção.

“É um espetáculo encantador, que investe na magia e nos personagens para que a gente esqueça a dura realidade que nos espera lá fora. Espero que vocês sonhem conosco, que vocês se divirtam conosco”, disse Falabella.

O convite é a senha para a entrada no palco de Ivan Parente, ator que interpreta o Homem da Poltrona, um dos principais personagens de “A Madrinha Embriagada”.

Menos de duas horas depois, Parente admitiu a emoção desse primeiro contato com o público. “É inexplicável porque a gente fez o espetáculo tantas e tantas vezes sem público e sem ninguém, só com o Miguel [Falabella], que dava risada. Ele é muito nosso amigo. Então, eu não sei se ele dava risada porque gosta da gente, mas quando a gente viu esse público, ficamos muito extasiados, emocionados. A gente viveu um sonho, tanto quanto eles devem ter vivido com a gente”, revelou o ator.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Ivan Parente: 'ficamos muito extasiados, emocionados.' Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


“Foi especial. A gente não tinha menor ideia em que trecho eles [público] responderiam, quando dariam risada. Mas eles responderam e, agora, a gente está feliz. Foi lindo.”

De acordo com Fred Reuter, que vive o personagem Roberto Marcos, os bastidores tiveram muita comemoração ao final do primeiro ensaio aberto.

“É uma confraternização. Todo mundo abraçado, dando parabéns. São dois meses de trabalho, dez horas por dia, seis vezes por semana. E, quando finalmente nasce a criança, é uma comemoração do elenco, da equipe técnica, com Miguel [Falabella], com todo mundo.”

Reuter não escondeu ter as melhores expectativas para a temporada. “Acho que vai ser um sucesso. O musical é lindo, é encantador, não cansa porque não tem 3 horas e meia de duração, e o elenco está muito afinado.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Fred Reuter (à esquerda): temporada vai ser um sucesso. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Par romântico do personagem de Reuter, a atriz Sara Sarres, a Jane Valadão, ficou satisfeita com o ensaio aberto. “É muito legal ver onde o público dá risada, ver onde [originalmente] não tinha piada e as pessoas riem. É uma preparação final para a estreia.”

Segundo Kiara Sasso, a Eva, faltam poucos ajustes para o começo oficial da temporada. “É só um aperta aqui, aperta ali. E também o fato de fazer para o público vai ajudar a gente. Tem muita troca, tem muita comédia”, avaliou.

“É uma peça que quebra muito os moldes do teatro musical. As pessoas vão se surpreender para o lado bom. Vão sair satisfeitas apesar de ser uma linguagem diferente”.

Ainda sem poder interpretar o Aldolpho, em função de um período convalescente que lhe custou perder parte da preparação, o ator e diretor geral de produção Cleto Baccic disse ter ficado comovido ao ver, nos palcos, o resultado de um projeto de dois anos.

“É uma emoção muito grande ver o esforço de todo mundo, ver a genialidade do Miguel [Falabella] impressa nessa adaptação, na contextualização para o nosso país. Isso enriquece muito o espetáculo. A produção está riquíssima. Claro, ainda faltam alguns ajustes; é nosso primeiro [ensaio] aberto, mas estamos num caminho muito bom. Em paralelo a isso, o projeto educacional já está acontecendo na Vila Leopoldina, com as oficinas; logo mais tem o curso profissionalizante. Está tudo nascendo. É um filho de três cabeças.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Ivan Parente, Kiara Sasso e Saulo Vasconcelos. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Em evento marcado pela emoção, Sesi-SP lança projeto educacional Teatro Musical

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Em um evento repleto de momentos de emoção, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) lançaram nessa segunda-feira (20/05), Projeto Educacional em Teatro Musical.

Por meio de oficina de vivências, curso de formação de atores e a produção do espetáculo “A Madrinha Embriagada”, a iniciativa visa formar profissionais e o público para o teatro musical brasileiro.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Atriz Stella Miranda, entre outros integrantes do elenco de 'A Madrinha Embriagada', cumprimenta Paulo Skaf. Ao fundo, nas poltronas, Walter Vicioni e maestro João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro.

“Nós temos [no Sesi-SP e no Senai-SP] um trabalho muito forte na educação. E na nossa visão, além da sala de aula e dos laboratórios, a educação está nas quadras de esportes, nas atividades culturais, no teatro, na dança… A gente vem estimulando bastante  esses projetos que, na nossa visão, são bons para o Brasil, para as pessoas, para a formação, para  a educação, para o entretenimento, para a alegria, para a emoção. O teatro musical é um importante projeto: um educacional; o outro, uma grande estreia para o mês de agosto”, explicou o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf.

“A produção do espetáculo ‘A Madrinha Embriagada’ é uma oportunidade de todo mundo assistir sem pagar nada”, acrescentou Skaf.

>> Saiba mais sobre o projeto educacional do Sesi-SP em teatro musical
>> ‘Educação é única forma de dar oportunidade a todos’, afirma Skaf na solenidade
>> Elenco de ‘A Madrinha Embriagada’ tem grandes nomes do teatro musical brasileiro
>> Artistas aprovam a criação do programa Teatro Musical
>> Iniciativa atrai estudantes e profissionais da área artística
>> Estado de S.Paulo destaca projeto do Sesi-SP em teatro musical

 
A cerimônia

Com os atores Saulo Vasconcelos e Sara Sarres como mestres de cerimônia, o evento aconteceu no Teatro do Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

O ator e produtor Cleto Baccic, durante o lançamento do Projeto Sesi-SP em Teatro Musical. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Um dos idealizadores do projeto, o ator e produtor Cleto Baccic, emocionou a plateia ao afirmar, sem esconder as lágrimas, que o lançamento representa a realização de um sonho.

“Sonhar é elevar o intelecto humano e agir pelo bem das pessoas. O sonho que hoje compartilho com vocês é um ato de amor ao teatro brasileiro e uma ação de responsabilidade social”, disse Baccic.

Ele destacou que a parceria com o Sesi-SP, para ele, é “o exemplo maior da excelência na educação e promoção de inclusão social”.

“Com felicidade, fomos acolhidos aqui. E somos muito gratos”, disse ele.

Com a equipe de coordenação do projeto, o ator presenteou Paulo Skaf com uma caneta. “O senhor é o grande responsável pela realização desse sonho, com a sua visão do novo, à frente do seu tempo. Que a caneta seja o instrumento de muitos atos ainda, pela educação do povo, pela cultura brasileira, por São Paulo e pelo Brasil”, finalizou Baccic.

Coube a ele explicar o funcionamento do projeto, que será composto por três eixos principais: as oficinas de vivência em Teatro Musical, que começam em agosto, no Sesi Vila Leopoldina e será implantado em outras unidades de ensino por todo Estado; o curso de formação de atores, que começa em março do ano que vem e tem duração de três anos; e a montagem do musical “A Madrinha Embriagada”, que fica 11 meses em temporada no Teatro do Sesi-SP, com entrada gratuita.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Falabella diz que projeto do Sesi-SP 'abre a porta do sonho'. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Falabella: ‘projeto do Sesi é de grandeza ímpar’

A adaptação e direção do espetáculo serão de Miguel Falabella, que também se emocionou ao contar sua experiência com o teatro musical. “Minha avó adorava teatro, mas éramos 15 primos e ela não podia levar todos, claro. Por isso havia uma tradição na família que, no dia do aniversário, o presente era ir ao teatro”, lembra. “Em 1966, eu, com nove anos, fui ao teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, ver a Bibi Ferreira, fazendo ‘Alô Dolly’. E eu saí de lá um menino transformado, uma outra pessoa.”

Para ele, a criação do projeto do Teatro Musical é de uma grandeza ímpar. “É a realização máxima de poder abrir a porta do sonho e da possibilidade para meninos como eu fui um dia. Tenho certeza que vários meninos vão sentar aqui na temporada de ‘A Madrinha Embriagada’ e sair transformados.”

Na sequência, Falabella apresentou o elenco do espetáculo, que inclui nomes como Paula Capovilla, Stella Miranda, Fred Reuter e Kiara Sasso. Juntos, eles cantaram, em primeira mão, uma das músicas de “A Madrinha Embriagada” e foram aplaudidos de pé pelo público.


‘Educação é única forma de dar oportunidade a todos’, afirma Skaf ao falar do projeto do Sesi-SP em teatro musical

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

“Nunca participei de uma solenidade com tanta emoção”, disse o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), Paulo Skaf, após a interpretação do Hino Nacional Brasileiro, feita no piano pelo maestro João Carlos Martins, durante o lançamento do Projeto Educacional Sesi-SP em Teatro Musical, na manhã desta segunda-feira (20/05), no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Skaf disse estar entuasiasmado com projeto. No fundo, da esquerda para a direita, Saulo Vasconcellos (em pé), Cleto Baccic, Miguel Fallabella, Walter Vicioni e João Carlos Martins. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Em seu breve pronunciamento, o presidente das entidades afirmou que a indústria prioriza o investimento em educação, pois tem uma visão ampla desse conceito, já que além das salas de aula e laboratórios, as escolas do Sesi-SP  contam com quadras de esportes e atividades culturais. “Educação é única forma de dar oportunidade a todos,” afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

O maestro João Carlos Martins interpretando o Hino Nacional Brasileiro ao piano. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Skaf explicou que, além de tudo o que o ensino do Sesi-SP já oferece, com esse novo projeto, os alunos também terão oficinas teatrais que ajudarão em seu desenvolvimento. “Estou super entusiasmado com esse projeto”, completou o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, saudado por artistas como Miguel Falabella, Cleto Baccic e Saulo Vasconcellos.

Pouco antes, o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, disse que a data é para ficar na história do teatro musical brasileiro. “Estamos abrindo as portas para que a imaginação, a arte e a cultura de todos os povos possam se concretizar e se tornar reais no lugar mágico que é o teatro.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540089094

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Vicioni afirmou que cabe ao Sesi-SP promover a qualidade de vida do trabalhador e de seus dependentes, com foco na educação, saúde, cultura e lazer. “O Sesi-SP tem se dedicado às ações de expansão cultural ao democratizar o acesso de todos à arte e à cultura, com forte investimento na área”, explicou.

Na opinião de Vicioni, a arte provoca emoções e sensações únicas. “A arte reside nos corações e não em nossas cabeças. O coração é o grande núcleo onde nasce os grandes temas que a arte expressa”, concluiu.