Vôlei: Sesi-SP vence Uniara e conquista terceira vitória seguida no Paulista feminino

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp, de Sorocaba (SP)

Uma vitória com autoridade. Tudo deu certo e as meninas do time de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceram o Uniara na noite desta terça-feira (16/09), em Sorocaba, pelo placar de 3 sets a 0 (25/14, 25/12 e 25/19), conquistando a terceira vitória seguida pelo mesmo placar no Campeonato Paulista Feminino 2014.

Pri Daroit e Bárbara, com 12 pontos cada, dividiram a “artilharia”, mas Claudinha, com saques precisos, e Suelen, defendendo e, inclusive, “atacando”, também se destacaram.

Agora, o time enfrenta o São Caetano no próximo sábado (20/09), fora de casa, às 17h.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540251736

Talmo (ao fundo), Suelen, Pri Daroit, Claudinha, Suelle e Bia vibram intensamente: mais uma vitória de três pontos. Foto: Lucas Dantas/SesiSP Divulgação


Para a líbero Suelen, o resultado do jogo mostrou o estudo que o time fez das rivais, além da eficiência nos saques e na defesa.

“Estudamos elas, vimos os vídeos e sabíamos que a solução seria sacar bem. E hoje fizemos isso. O time estava demais e conseguimos quebrar uma equipe muito equilibrada”, disse a líbero, que chegou a marcar um ponto no jogo.

O time jogou com Claudinha, Pri Daroit, Mari, Suelle, Bia, Bárbara e a líbero Suelen. Entraram Monique, Carol Albuquerque e Liz.

O jogo

Um começo muito bom ditou o ritmo do set. Claudinha sacou bem e o time abriu logo 04/00, com controle da partida. Monique começou no banco e Pri Daroit fez as vezes de oposta da equipe. Mas foi no saque que o Sesi-SP fez a diferença. Ao todo no jogo, foram 20 pontos diretos desta forma. Após Claudinha, Bia sacou para cinco pontos seguidos do time que abriu 18/06 no segundo tempo técnico. Após rodar, Claudinha voltou para o fundo e emendou cinco pontos seguidos, com dois aces. A vantagem só aumentava, até Pri Daroit fechar em 25/14.

O segundo set começou da mesma forma. Seguras e concentradas na defesa e implacáveis no ataque, as Meninas da Vila atropelaram as rivais no início com 08/01 no primeiro tempo técnico. Claudinha sobrava em quadra. Com distribuição perfeita para todas as atacantes e sacando com precisão, a levantadora comandava o time que não parava de pontuar, chegando a abrir 10/01. O time da Uniara ensaiou uma reação, mas a distância era muito grande. Após o segundo tempo técnico (16/09), Talmo promoveu a estreia de Monique na inversão, no lugar de Claudinha, com Pri dando espaço para Carol, e a camisa 15 marcou seu primeiro ponto pelo Sesi-SP. Ainda sem o entrosamento ideal, voltou para o banco e a equipe continuou dominando a partida com muita autoridade, até acabar o set em 25/12, com Suelle atacando pelo meio.

Na etapa decisiva, finalmente o Uniara veio para o jogo, abrindo 01/03. O Sesi-SP correu atrás até empatar e retomar o controle da partida. A virada veio em um ponto sensacional. Bia e Claudinha subiram para o bloqueio e a boa ia cair lentamente na quadra do Sesi-SP. Bia Salvou com o pé, mas sem força para levantar. Claudinha também usou o pé e deu um chutão para o alto. Suelle passou bem para o outro lado, que devolveu de graça. Aí Claudinha chamou sua central de novo para fazer 06/05. E tudo dava certo. A líbero Suelen mostrou toda sua categoria para fazer 08/05 numa bola largada na quadra da equipe da Uniara. Depois, Bárbara, caindo e de manchete, jogou para o outro lado também marcando mais um improvável ponto. Com uma noite inspirada, bastou à equipe manter o nível de jogo para fechar em 25/19 e garantir mais três pontos no Paulista.

Vôlei feminino do Sesi-SP aposta na força do grupo para buscar os títulos

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Depois de chegar à final da Superliga derrotando a forte equipe do Osasco, a equipe de vôlei feminino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) ficou marcada pela alegria dentro de quadra e pelo espírito de equipe. Mas, mesmo com algumas mudanças na equipe para a nova temporada, essas marcas devem se manter.

“A gente sempre trabalha com o objetivo de chegar às finais e conquistar títulos. Mas prezamos a pedagogia do exemplo e sabemos que não adianta ser campeão ultrapassando a barreira da ética, do respeito, do companheirismo, da cooperação”, diz o técnico do time feminino, Talmo de Oliveira. “No Sesi-SP, plantamos tudo isso e colhemos bons frutos nesses três anos, esperando colher por muitos anos ainda.”

Talmo ainda não treina com a equipe completa, já que as recém-contratadas Monique e Claudinha estão à disposição da seleção. Mas as expectativas são as melhores. “Quando as jogadoras chegarem, vamos trabalhar para que elas se encaixem e descobrir o que essa equipe pode render. Vai ser um processo de treinamento e amadurecimento em que vamos achar os pontos fortes e minimizar os pontos fracos.”

O time de vôlei feminino do Sesi-SP: integração, alegria e vontade de vencer. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O time de vôlei feminino do Sesi-SP: integração, alegria e vontade de vencer. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Na avaliação do técnico, as novas integrantes da equipe já mostraram empenho. “A Michelle já jogou no Sesi-SP e a felicidade dela está em retornar mostra que esse foi um trabalho que deu resultado”, diz. Ela está se preparando muito bem, se dedica o tempo inteiro e a equipe ganha muito com o volume de jogo que ela traz”, avalia.

“A Liz é uma jogadora inteligente, que tem uma qualidade técnica de ataque muito boa e está se enquadrando muito bem. Com a Monique e a Claudinha ainda não treinamos, mas pelo que eu acompanho são jogadoras inteligentes, que têm experiências e estão dispostas a entrar em um projeto para fazer a diferença.”

Liz e Michele

Para a ponteira Liz, essa temporada é sua primeira jogando pelo Sesi-SP. Ela conta que já tinha uma impressão positiva da equipe. “Pude confirmar a fama que o Sesi-SP tem entre os atletas: que a estrutura é boa, as pessoas são muito bacanas e instituição faz um trabalho sério”, afirma a jogadora, que destacou também o projeto Pedagogia do Exemplo adotado pela instituição.

“Tive a oportunidade de participar de uma edição da Grande Sacada e gostei muito. Porque não somos só jogadoras de vôlei, também somos exemplos para as crianças.”

As expectativas de Liz para a temporada são as melhores possíveis. “Particularmente, espero evoluir como jogadora e, dessa forma, ajudar o time da melhor maneira possível. O Sesi-SP fez uma boa temporada no ano passado e, com a qualidade dos treinamentos, sei que pode evoluir ainda mais. Estou realmente muito contente por ter vindo para a equipe.”

Já a líbero Michelle volta ao Sesi-SP depois de uma temporada na equipe de Campinas. “Fico feliz por retornar, sabendo que a equipe foi para uma final importante no ano passado, desbancando Osasco e fazendo história no voleibol. É bom voltar com a equipe estruturada desse jeito, com meninas de seleção, mas dando importância ao grupo.”

E se depender da jogadora a alegria do time vai continuar ajudando a conquistar vitórias.  “Esse é um grupo feliz, que vibra junto, que tem alegria dentro da quadra”, afirma. “Vim para contribuir. Tenho essa característica de puxar a equipe, ser aguerrida. Com certeza, estou voltando para contribuir com essa energia boa que o Sesi-SP tem.”