“A medicina dá a satisfação de ser útil”, diz Ivo Pitanguy no Comitê de Jovens Empreendedores

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

Referência mundial em cirurgia plástica, o médico Ivo Pitanguy participou de reunião do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na noite de terça-feira (26/05). Ao narrar sua trajetória bem-sucedida, Pitanguy definiu sua especialidade: “Percebi que a cirurgia reparadora vinha como uma necessidade de melhorar a vida das pessoas”.

“A busca da cirurgia plástica emana de uma finalidade transcendente. É a tentativa de harmonização do corpo com o espírito, da emoção com o racional, visando estabelecer um equilíbrio que permita ao indivíduo sentir-se em harmonia com sua própria imagem e com o universo que o cerca”, disse Pitanguy.

Mineiro de Belo Horizonte, ele contou que durante a infância e a adolescência suas paixões eram os livros, a pintura, a poesia, a natureza e o esporte. A vocação para a medicina surgiu após o término dos estudos secundários, por influência do pai, o cirurgião-geral Antônio de Campos Pitanguy.

“A medicina dá a satisfação de ser útil. O médico traz a esperança”, disse ao lembrar da máxima do seu pai. Movido pelo desejo de “triunfar sobre a doença”, Pitanguy se formou na Universidade Federal de Minas Gerais e na Faculdade Nacional de Medicina – atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

O cirurgião plástico Ivo Pitanguy durante reunião do Comitê de Jovens Empreendedores da Fiesp

O cirurgião plástico Ivo Pitanguy durante reunião do Comitê de Jovens Empreendedores da Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Depois foi estudar nos EUA e na Europa. “Quando voltei ao Brasil não havia um entendimento sobre o tratamento com a cirurgia reparadora. Então tinha a responsabilidade inerente de repassar o que aprendi lá fora.”

De volta ao Brasil, e com a criação do primeiro serviço de cirurgia de mão na América do Sul, na Santa Casa, Pitanguy começou a colocar em prática a experiência adquirida. Ele lembra que apesar das dificuldades estruturais encontradas no país, chefiou a área cirúrgica pioneira, devolvendo dignidade e esperança a muitos pacientes carentes e vítimas de deformidades.

Pitanguy conta que nos 50 anos de experiência sempre defendeu a importância do cirurgião plástico na reparação facial. “Mesmo com condições precárias e de forma artesanal à época, o objetivo era fazer a melhor cirurgia. E fizemos!”. Ele explica que a preocupação era tirar o rótulo de que a cirurgia era para a elite e trazer a ideia de reparar e tirar o sofrimento do paciente.

Saúde pública pior

Sobre a saúde pública no Brasil, Pitanguy foi categórico: “piorou”! Segundo ele, o país já teve menos médicos nos hospitais e tudo caminhava melhor. “O que vejo hoje é que a saúde não acompanhou o crescimento da população. É necessário avanço, e o problema é na gestão”, disse. Sobre o Programa Mais Médicos, ele respondeu: “nunca entendi bem”.

Responsabilidade social
Para Pitanguy, a grande responsabilidade que temos é com a família. “E um médico trabalhando tanto como eu tem pouco tempo físico. Mas sempre procurei fazer um final de semana diferente com os meus quatro filhos. A ideia é sempre conciliar o trabalho e família. Esta é a grande responsabilidade.”

Durante a reunião, o cirurgião falou também sobre responsabilidade em relação à sociedade. Lembrou de um caso de incêndio no circo. Muitas crianças tiveram queimaduras gravíssimas, e ele fez questão de juntar equipes para reparar as vítimas. “O médico tem o privilégio de dar sem ofender”, completou.

“Resgatar a autoestima é admirar um mundo novo. Se não acreditarmos no que vem do coração, o futuro do nosso mundo será estéril. Como tirar a vida da vida. É imprescindível cultivar a ideia do indivíduo se sentir em paz com a sua imagem.”

Para finalizar a reunião o professor disse que “o ser humano persegue a imortalidade. Compreender o processo biológico do envelhecimento é uma tarefa a ser levada. O ser humano deve ter dentro de si o mínimo de esperança”, concluiu.

Presidente da Fiesp recebe diretores do Comitê de Jovens Empreendedores

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Na foto, Sylvio Gomide (à esquerda) e Paulo Skaf (centro), entre outros diretores do CJE/Fiesp. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, recebeu no gabinete da Presidência uma comitiva do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da entidade, liderada pelo diretor titular Sylvio Gomide. O CJE/Fiesp realizou este ano duas edições do concurso de aplicativos Hackathon e duas edições do concurso de projetos empreendedores Acelera Startup.

Festival de Empreendedorismo da Fiesp: inscrições prorrogadas

Agência Indusnet Fiesp

Últimos dias para inscrições em algumas atividades do Festival de Empreendedorismo (Festemp) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) – evento programado para os dias 25 e 26 de setembro no Pavilhão de Exposições Parque do Anhembi, em São Paulo.

Interessados em participar do Acelera Startup têm até sábado (14/09) para inscrições. Já o prazo para o Hackathon e o Happy Business se encerra no domingo (15/09).

>> Conheça o site do Festemp  

O Acelera Startup é uma arena de aceleração a fim de selecionar os 300 melhores projetos. Após quatro fases de educação e capacitação, os inscritos com as dez melhores ideias terão a chance de apresentar o seu negócio a uma banca de investidores em curtíssimo prazo, com a duração de uma conversa de elevador, o “elevator pitch”. Além disso, receberão mentoria por um time formado por alguns dos maiores empresários brasileiros.

O Hackathon é uma maratona de 15 horas reunindo programadores, designers e demais profissionais ligados à tecnologia da informação a fim de criar um aplicativo gratuito de apoio aos empreendedores.

O Happy Business é uma festa com a participação de grandes empreendedores, empresários e investidores, com o objetivo confraternizar o momento final do Festival e propor redes de networking aos convidados. Para concorrer à entrada, basta responder a pergunta “Por que devo ser selecionado (a) para o Happy Business?” O evento é exclusivo para aqueles que forem selecionados pelo site.

Outra atividade do evento é o Jovem Executivo, voltado para recrutamento & seleção e podem participar aqueles que têm entre 18 e 23 anos, com ou sem qualquer formação acadêmica e experiência profissional – as inscrições foram encerradas na quarta-feira (11/09). A dinâmica prevê a seleção de 100 candidatos na primeira fase online e, na final, 30 escolhidos enfrentam uma maratona de coach e treinamentos nos dias do evento. O prêmio? A oportunidade de ser entrevistado por alguns dos 100 maiores RH´s (Recursos Humanos) das empresas.

O Festemp reunirá startups, empreendedores, executivos, universitários, free lancers e pesquisadores e seu foco é a formação de novos líderes, além de refletir sobre a cultura empreendedora.

Interessados em apenas assistir à programação podem se inscrever gratuitamente inclusive nos dias do evento. Para saber mais, acesse: www.festemp.com.br.

A iniciativa é do Comitê de Jovens Empreendedores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.


Campus Party: CJE/Fiesp terá estande com programação exclusiva

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

O Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) participa da Campus Party 2013 – considerado o maior evento de inovação tecnológica, Internet e entretenimento eletrônico em rede do mundo.

Nesta segunda-feira (28/01), o diretor do CJE/Fiesp, Sylvio Gomide, participa da solenidade de abertura do evento.

Ao longo desta semana, o CJE terá atividades gratuitas em seu estande no evento, localizado na Zona Expo, ao lado do Espaço Inclusão Digital.

As apresentações começam no horário da tarde e vão até o horário da noite, com uma hora de duração, em formato livre: Talk Show, bate-papo, palestra, entre outros. A iniciativa conta com o apoio do Núcleo de Jovens Empreendedores do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

A Campus Party vai até sábado (02/02) no Pavilhão do Anhembi (Av. Olavo Fontoura, 1 – São Paulo). Mais informações sobre a feira no link www.campus-party.com.br/2013/index.html

Veja a programação do estande do CJE

29 de janeiro (terça-feira)
15h – Ivan Azouri Bermudes: O impacto da tecnologia no convívio condominial – Case CondLink
16h – Felipe Baeta, Victor Maluhy e Adriana Cury: Branding para startup
17h – Cristiano Miano: Case Agência Digi
18h – Pedro – Case DigiPronto.
19h – Edson Borelli: BlackDoor – Segurança da informação na indústria.
20h – Otávio Yamanaka: A mobilidade na indústria E-lemento.
21h – Marco Lopes – Projeto Sonhar.


30 de janeiro (quarta-feira)
16h – Rafael Art – Sustentabilidade Dimensão e Evolução.
17h – Ricardo Sodre: Empreendedorismo no Vale do Silício.
18h – Bruno Ghizoni: Investimento anjo.
19h – Roosevelt: UOL – Inovação e modelos de negócio.
20h – Augusto Gomes: Crowdsourcing.
21h – Guilherme de Mauro Favaron – Inovação.

31 de janeiro (quinta-feira)

17h – Claudia Cuffa: Rede Cufa Brasil Internet.
18h – Paola Caiuby e Manuela Colombo: Projeto Conexão Cultural – Como conectar os brasileiros com a nossa cultura.
19h – Wagner Marcelo: Empreendedorismo universitário.
20h – Nathália Britto: Aspectos jurídicos das startups.
21h – Daniel Egger e Marina Miranda: Novas lógicas de negócios – visões de futuro.

1 de fevereiro

17h – Marcella Barros e Juliana Ramalho: Empreendedorismo Endeavor.
18h – Marcus Vinicius: Aprendendo a investir – Terra Nova Investimento.
18h30 – Joni Galvão: Case SOAP.
19h – Daniel Gatti – PUC-SP: Cooperação mútua Indústria-Universidade.
20h – Alexandre Ribeiro de Sá: Vortex Studios – Oportunidades e panoramas da indústria de games.
21h – Gisela Kassoy – Como Vender Inovações.


2 de fevereiro

15h – Marcos Lorenzani: Case Lorenzani – Atitude empreendedora, criação e gestão de uma pequena empresa.
18h – Lucas Foster – Incubadoras para Empreendedores da Economia Criativa: Transformando suas ideias em realidade.
19h – Daniela Moreira: A importância da imprensa no mercado de startups.
20h – Deborah Magnani: PictoCity – Criatividade e indústria – Inovações em comunicação multimídia.

Veja como foi o TEDa-Like, evento do Comitê de Jovens Empreendedores

Agência Indusnet Fiesp

O Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) promoveu na noite de terça (17/07) a conferência TEDa-Like, com cinco convidados: o escritor Augusto de Franco, o empresário Lito Rodriguez (DryWash), o executivo Carlos Gustavo Filgueiras (Hotel Emiliano), o técnico do Sesi-SP, Giovane Gávio, e a fundadora da Casa do Zezinho, Tia Dag.

Depois de uma breve apresentação de Sylvio Gomide, diretor-titular do CJE, os convidados tiveram 18 minutos para disseminar suas ideias, falar de suas trajetórias ou de seus empreendimentos.

Veja um resumo das palestras:

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222Augusto de Franco (Escola de Redes) – O escritor falou sobre a imersão da sociedade em rede e o que isso está causando para as empresas. “Acho que hoje em dia temos 100 milhões de iniciativas de negócio. Imaginem quando passar para 700 milhões”, projetou. Franco disse que o mundo dos negócios na sociedade em rede é outro mundo. “Negócios são para qualquer um, não só para alguns. O conhecimento está mais disponível, não é possível trancar o conhecimento. O capital inicial é menos relevante. Hoje temos negócios de bilhões de dólares que começam com capital zero. Não é preciso manter aliança com o Estado para manter o negócio”, explicou. De acordo com o escritor, na sociedade em rede a inovação será o negócio, em vez de os negócios serem inovadores, citando iniciativas como crowdsourcing e crowdfunding. “A grande descoberta que nós fizemos nos últimos 10, 15 anos é que tudo que é sustentável está organizado em rede. Tudo que está em rede tem membranas”, afirmou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222Lito Rodriguez (DryWash) – O publicitário falou sobre a cultura empresarial da DryWash, empresa que fundou em 1994 com uma visão de sustentabilidade. Utilizando uma batedeira da sogra, e com a colaboração de alguns químicos, Rodriguez desenvolveu uma fórmula que dispensava o uso total de água na lavagem de veículos. Segundo ele, o entendimento da empresa é que sustentabilidade significa perpetuidade. “A gente entende que o lucro não é o vilão dos negócios. A companhia que não gera resultado não gera lucro e não é sustentável”, afirmou. Lito Rodriguez destacou, ainda, a preocupação de profissionalizar o mercado de lavagens de carro, investindo na formação e retenção de talentos, nos diversos níveis socioeconômicos, e em assumir compromissos com o respeito à diversidade.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222Carlos Gustavo Filgueiras (Emiliano) – O executivo fez do Emiliano o primeiro hotel butique de luxo do Brasil. Lançou uma butique virtual, em que disponibiliza produtos exclusivos para venda na web. Este conceito, de acordo com Filgueiras, fez com que o Emiliano passasse incólume pela crise hoteleira. O hotel quebrou o paradigma de atendimento, com uma média de quatro funcionários por hóspede enquanto a média do setor seria de 0,8. O relacionamento com os colaboradores é baseado na cultura da empresa, com ênfase na transparência e alegria. “Acreditamos que é preciso contratar a pessoa certa para o cargo certo”, disse o CEO do Emiliano, que apresentou testemunhais de clientes como a topmodel Gisele Bundchen e o chefe de escuderia da F-1, Flavio Briatore.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222Giovane Gávio (Sesi-SP) – “A glória é fruto do trabalho”, enfatizou Giovane Gávio, técnico do Sesi-SP e ex-jogador da seleção brasileira masculina de voleibol. Contando passagens de sua vida de atleta, Gávio disse que, na vida, as pessoas devem sempre estar antecipando as possibilidades de problemas, preparando-se previamente para todas as situações. De acordo com o bicampeão olímpico (92/04), é preciso criar novos desafios, quando tudo está dando certo, e não ficar apenas na zona de conforto. Giovane Gávio disse valorizar a dedicação nos períodos de rotina. “Eu gosto do dia a dia porque é lá que eu ganho jogo.” O técnico encerrou sua fala valorizando o papel do trabalho em equipe: “Não adianta a gente brilhar sozinho. Quanto mais gente nós trouxermos para brilhar conosco, melhor”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222Tia Dag (Casa do Zezinho) – A educadora e fundadora da Casa do Zezinho contou um pouco da trajetória que levou a instituição a começar seu trabalho com 12 crianças e hoje atender cerca de 1.500 crianças e jovens. “A Casa do Zezinho hoje está adiante de qualquer escola. É uma referência”, disse Tia Dag ao comentar a pedagogia do Arco-íris, criada por ela.

Registro: Roberto Rodrigues faz palestra para jovens empreendedores

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Na foto: Roberto Rodrigues (ao centro). Da esquerda para a direita, na mesa, Matheus Borella, Fernando Jafet, Sylvio Gomide, Benedito Ferreira, Elias Haddad e Tom Coelho

Com o tema “Empreendedorismo rural – desafios e perspectivas”, o engenheiro agrônomo Roberto Rodrigues fez uma palestra na noite desta segunda-feira (23/07) em evento promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Roberto Rodrigues é membro do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Fiesp, coordenador do centro de agronegócios da Fundação Getúlio Vargas, professor do Departamento de Economia Rural da Universidade Estadual Paulista (Unesp) – Jaboticabal e pesquisador visitante do Instituto de Estudos avançados da Universidade de São Paulo (USP).

Rodrigues foi ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento entre janeiro de 2003 e junho de 2006. Exerceu a presidência da Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e da Sociedade Rural Brasileira (SRB). Também foi titular da Secretaria de Agricultura e do Abastecimento do Estado de São Paulo.

Entrevista: Thiago Cardoso, vencedor do II Concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil


Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Thiago Cardoso, da Checout10, vencedor do II concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil.

Eleito vencedor do II Concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil, em evento na noite de quarta-feira (27/06), Thiago Cardoso, da Checout10, já pensa nos próximos passos.

O objetivo é o de melhorar seu projeto – uma rede de fidelidade online que facilita a interação entre empresas e consumidores.Estamos aguardando os aplicativos para Android e iOS ficarem prontos para começarmos uma divulgação em larga escala”, diz ele.

Ao ganhar o concurso, promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo movimento Anjos do Brasil, Cardoso recebeu um  cheque de sete mil reais e a possibilidade de ter seu projeto avaliado por investidores que poderão realizar aporte de até um milhão de reais.

Leia a entrevista feita por e-mail:

O que significa ter sido o projeto escolhido entre os mais de 900 inscritos neste concurso do Comitê dos Jovens Empreendedores da Fiesp?
Thiago Cardoso – Uma grande vitória para o Checkout10. Sobretudo pelo nível dos concorrentes e pela força das entidades organizadoras. Ficamos muito felizes com o reconhecimento e esperamos que o prêmio gere visibilidade ao projeto e chame a atenção de possíveis investidores.

Explique como funciona o CheckOut10?
Thiago Cardoso – O Checkout10 leva os tradicionais cartões-fidelidade de papel para a internet através de um sistema 100% automatizado e por isso é altamente escalável. Com isso, empresas e clientes saem ganhando. Os clientes visualizam todas as suas cartelas e adesivos num mesmo local. Logo, não precisam carregar cartões na carteira, têm acesso a grandes promoções, avaliam e se comunicam com as empresas. Já as empresas economizam com a impressão de cartões e adesivos e têm acesso a diversas ferramentas estratégicas, por exemplo: estatísticas; campanhas de engajamento; integração com redes sociais; mecanismos de segurança e muito mais.

Como surgiu a ideia de desenvolver este modelo de plataforma de fidelidade online?
Thiago Cardoso – Sempre carreguei esses cartões-fidelidade de papel na minha carteira. Chegou um dia que resolvi criar uma solução que pudesse evoluir com esse produto um tanto antiquado e que trouxesse benefícios tanto para os clientes quanto para as empresas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Thiago Cardoso: alternativa aos cartões-fidelidade de papel. Foto: Julia Moraes

Em que estágio de desenvolvimento o CheckOut10 se encontra e quais foram os principais desafios nesse processo de amadurecimento do projeto?
Thiago Cardoso – O sistema está pronto e há algumas empresas utilizando em formato BETA. Se uma empresa quiser utilizá-lo, é só acessar o site (www.checkout10.com) e preencher o cadastro. Estamos aguardando os aplicativos para Android e iOS ficarem prontos para começarmos uma divulgação em larga escala.

Caso algum investidor-anjo venha a se interessar pelo projeto, de que modo serão aplicados os recursos?
Thiago Cardoso – Os recursos serão aplicados basicamente em equipe (técnica e comercial) e divulgação. A ideia é se estabelecer no Brasil e na América Latina, uma vez que esse nicho de mercado é praticamente virgem por aqui.

Qual o modelo de negócio proposto? Quais são as perspectivas de retorno para o investimento?
Thiago Cardoso – O site gerará receitas a partir de quatro fontes: assinaturas; personalização de programas; ações promocionais e publicidade. Fica difícil estipular um prazo de retorno, uma vez que o produto não tem paralelos no mercado, mas por se tratar de um mercado imenso (o site serve tanto para o pequeno comerciante, de qualquer segmento, quanto para grandes redes de franquias), acreditamos muito no potencial do negócio.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Projeto de Thiago foi eleito entre mais de 900 inscritos

Quais os próximos passos para a sua empresa?
Thiago Cardoso – Lançar os aplicativos mobile para Android e iOS, evoluir com as funcionalidades da plataforma e começar um trabalho efetivo de divulgação e prospecção.

Para terminar: o que você entende por empreendedorismo?
Thiago Cardoso – O empreendedorismo é o pulmão da sociedade. Gera empregos, riqueza e, muitas vezes, melhorias na qualidade de vida das pessoas. O empreendedor é aquele cara que acredita que sonhos podem se tornar realidade através do trabalho e da dedicação. Assim como o Checkout10, que está apenas começando, todo grande negócio começou como um sonho.


Home do Site

Home do Site

Fiesp premia vencedores em concurso de negócios CJE & Anjos do Brasil

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Apenas 10 minutos – cinco para apresentar um projeto inovador e outros cinco para responder a perguntas de possíveis investidores. Foi este o desafio dos 10 finalistas do II Concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil durante o evento promovido pelo Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e que lotou o Espaço Fiesp na noite desta quarta-feira (27/06). O projeto vencedor, selecionado entre mais de 900 inscritos, é a plataforma web Checkout, apresentada pelo jovem Thiago Cardoso.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Thiago Cardoso, vencedor com a plataforma web Checkout, recebeu um cheque de R$ 7.000 das mãos do diretor do CJE/Fiesp, Sylvio Gomide

Cardoso recebeu um cheque de R$ 7.000 e a possibilidade de ter seu projeto avaliado por investidores que, caso haja interesse, poderão realizar aporte de até um milhão de reais. O projeto dele é uma startup que cria uma rede de fidelidade virtual em benefício de empresas – especialmente as pequenas e médias – e consumidores.

“Para mim foi uma vitória. A projeção desse prêmio da Fiesp é incomparável. Vai ser importante para o prosseguimento do projeto”, disse o vencedor logo após a premiação.

Publicitário de Curitiba (PR), Cardoso explicou como surgiu a ideia que deu origem à sua terceira empresa. “Sempre acumulei na carteira adesivos de fidelidade, desses que você junta uma dezena e ganha algum desconto ou prêmio. A ideia da plataforma é acabar com esse produto antiquado e facilitar o relacionamento para os dois lados.”

Segunda e terceira colocações

A segunda colocação ficou com o projeto Eco Tampas Qualinova, de Alisson Heidi Sato, outro morador da capital paranaense. Sua empresa propõe uma embalagem para consumo de bebidas.

A terceira colocação é de Alexandre Cruvinel, de Ribeirão Preto (SP), com o Paparazzi, projeto de sistema que visa fotografar quem furtar automóveis, enviando a imagem via chip de celular para um e-mail previamente cadastrado pelo dono do veículo e também para polícia.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Juri selecionou três de 900 projetos inscritos

O evento abriu espaço para uma rápida apresentação da Associação Face, organização sem fins econômicos, que lançou uma campanha institucional, produzida para abordar a anomalia craniofacial e buscar parceiros.

O diretor do CJE, Sylvio Gomide, aproveitou para fazer um convite à participação nas atividades do Comitê. “Nosso objetivo é construir uma nova identidade empresarial por meio do fortalecimento do empreendedorismo”, disse.

Leia mais: Bruno Ghizoni do CJE: ‘Segunda edição do concurso de negócios é um grande sucesso’

O concurso

O II Concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil foi uma realização do CJE da Fiesp e dos Anjos do Brasil, com patrocínio do Visa Empresarial, e apoio da Ação Jovem no Mercado Financeiro e de Capitais, do Sebrae São Paulo, do Núcleo de Jovens Empreendedores do Ciesp e da Digipronto.
O concurso tem modelo inspirado em ação similar nos Estados Unidos. O participante tem apenas cinco minutos para vender sua ideia e a bancada de investidores dispõe de cinco minutos para fazer perguntas.

Uma peculiaridade do II Concurso de Negócios CJE & Anjos do Brasil é o envolvimento da plateia. Ao final de cada apresentação, empresários e investidores eram convidados a avaliar o projeto com placas com as mensagens “Curti” e “Não curti”.

O investidor-anjo é um empreendedor bem-sucedido, interessado em patrocinar e investir em startups, dedicando também seu conhecimento e sua experiência na evolução destas empresas.

Em 2011, a startup vencedora foi a MGaia, empresa de social games para móbiles e redes sociais, que recebeu um investimento de R$ 700 mil.

Internet tem 300 milhões de novos usuários a cada ano

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539950222

Alex Dias, presidente do Google no Brasil

O que o presidente dos Estados Unidos, a rainha da Inglaterra e o Papa têm em comum? A pergunta foi feita nesta segunda-feira (16) pelo presidente do Google no Brasil, Alex Dias, que se encarregou de respondê-la: “Todos eles têm um canal no Youtube”.

O questionamento serviu para que o executivo exemplificasse a importância da Internet nos dias atuais e futuros, e também para informar que o Youtube é o segundo endereço de buscas mais acessado, perdendo apenas para o Google.

“Há uma década, as tecnologias não eram acessíveis como hoje”, comparou em sua palestra no V Congresso Paulista de Jovens Empreendedores da Fiesp. E mais um dado para comprovar: dez anos atrás, o acesso à Internet era privilégio de 2% da população mundial, hoje saltou para 25% (1,6 bilhão de pessoas).



Da necessidade, oportunidade

Com a proposta de “organizar toda informação do mundo e torná-la universalmente acessível e útil”, o Google tornou-se o maior site de buscas em dez anos.

A empresa tem como objetivo trabalhar o mínimo possível com hierarquia, permitindo que seus colaboradores criem e desenvolvam novas ideias.

De acordo com Dias, 70% do tempo dos funcionários destina-se ao aperfeiçoamento das buscas, 20% à criação de novas idéias e 10% a projetos que podem parecer “malucos”.

O Google tem ainda uma política chamada “crie, premie e encoraje”, que oferece oportunidade para que pessoas criativas levem seus projetos à empresa e passem a integrar sua equipe.