Sesi-SP abre inscrições para etapa São Paulo do Circuito de Corrida de Rua

Agência Indusnet Fiesp

Circuito tem caminhada e corridas em cinco e dez quilômetros. Foto: Sesi-SP

Estão abertas as inscrições para a etapa da cidade de São Paulo do Circuito Sesi-SP Corrida de Rua, iniciativa da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

A etapa será realizada no dia 16 de novembro desta ano, um domingo, com duas modalidades: corrida e caminhada.

>> Inscreva-se já no Circuito Sesi-SP Corrida de Rua

A largada da caminhada, sem caráter competitivo, tem um percurso de cinco quilômetros e acontece às 7h. A corrida, com caráter competitivo, tem dois percursos: de cinco quilômetros (com largada às 7h) e de dez quilômetros (às 7h45).

A idade mínima autorizada para participação na corrida de cinco quilômetros é de 14 anos enquanto na de dez quilômetros é de 18 anos. Já para a caminhada basta ter ao menos sete anos.

O endereço, nesta edição, mudou para a zona leste. A largada será  Av. Miguel Ignácio Cury, em frente à ETEC e ao Estádio Itaquerão.

Os valores das inscrições são R$ 40,00 (Corrida) e R$ 20,00 (Caminhada).

As inscrições somente serão realizadas pela internet, no site do Sesi-SP, até o 06/11, mas podem ser encerradas antes caso seja atingido o limite técnico de 6.000 inscritos no evento.. Não há outros postos de inscrição.

Mais informações

www.sesisp.org.br/corridaderua

Sesi-SP Corrida de Rua: da esteira para a rua, com direito a subidas

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Sou corredora de esteira de academia e, na manhã deste domingo (08/06), debutei nas ruas pelo Circuito Sesi-SP Corrida de Rua, em São Bernardo do Campo, região metropolitana de São Paulo, organizado pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

A largada dessa corrida de cinco quilômetros, no entanto, não foi por volta das 7h na Avenida Kennedy, ela começou algumas horas antes, no meu quarto, mais precisamente na minha cama, por volta das 2h40 da madrugada, em meio a uma insônia provocada pela minha ansiedade em testar o que fazia na academia nas ruas.

E é tudo muito diferente. A começar pela quantidade de pessoas, o ar mais frio típico das manhãs dessa época do ano e, claro, as subidas, as quais merecem um ou mais parágrafos a parte.

Eu nunca treinei subida em nenhuma esteira de nenhuma das academias que frequentei e frequento. Tive vontade de parar ao ouvir do fotógrafo Ayrton Vignola, que me acompanhava, a frase: “vem uma subidinha boa”.

A tal subida, passado pouco mais de um quilômetro depois do início da prova, de boa não tinha nada.  Além do Vignola,  a assessora de imprensa Bernadete de Aquino,  funcionária da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) como nós, também correu a prova. E, nesses momentos mais difíceis, dizia:  “controla a respiração, vai na boa”. E eu pensava: “quero ir embora para casa”.

A partir da esquerda: Bernadete, Alice e Vignola. Superação nas ruas de São Bernardo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A partir da esquerda: Bernadete, Alice e Vignola. Superação em São Bernardo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Graças aos dois colegas que se transformaram em meus treinadores, dada a notável experiência em corridas de rua, eu passei pela “subidinha boa”. Logo veio uma deliciosa descida, mas fui advertida pelo fotógrafo: “tudo que desce sobe”. Fatalmente havia outra subida nos aguardando, linda, refletindo o brilho do sol de pouco mais de 7h da manhã.

Com um pouco mais de estímulo dos meus colegas, consegui passar mais essa inclinação com um pouco menos de dificuldade que na primeira.

Linha de chegada

Passados os altos e baixos, a linha de chegada começou a ficar mais próxima, visível mesmo. Também eram visíveis os corredores de elite passando por nós em velocidade humilhante, exibindo seus corpos com menos 1% de gordura. Em tempo: o ganhador da prova para o batalhão de elite da corrida percorreu dez quilômetros em 28 minutos.

Os últimos 300 metros foram muito mais difíceis que as subidas e o entusiasmo provocado pelos vários colaboradores que ficavam no caminho gritando “vamos lá, falta pouco” já não me alcançava mais.

A poucos metros da chegada, Bernadete pegou na minha mão e gritou: “é isso aí garota, você terminou”.

E ela tinha razão, eu havia terminado a prova. Mesmo com as subidas e a sensação diferente provocada pelo asfalto, a partir de agora eu quero correr em novas ruas, não voltar para a esteira da academia.

Sesi Corrida de Rua

Com o objetivo de estimular a qualidade de vida nas localidades onde atua, o Sesi-SP  organiza, todos  os anos, circuitos de corrida de rua de cinco e dez quilômetros, caminhadas e outras atividades ligadas ao lazer e ao esporte.

São ao menos quatro etapas anuais, uma na capital paulista, outra na região do ABC paulista e duas no interior do estado.

A etapa de São Bernardo do Campo do Circuito Sesi-SP Corrida de Rua: a indústria em defesa da qualidade de vida. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A etapa de São Bernardo do Campo do Circuito Sesi-SP Corrida de Rua: a indústria em defesa da qualidade de vida. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

A próxima etapa será em Jundiaí, no dia 24 de agosto. O circuito na capital de São Paulo está previsto para 16 de novembro.

Clique aqui para saber mais sobre esses eventos.