Em Jundiaí, presidente da Fiesp volta a criticar taxa de juros

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, voltou a criticar a política do Banco Central pela tímida redução de 1,5 ponto percentual na taxa básica de juros (Selic), anunciada na última quarta-feira (11), que se manteve em 11,75% e continua sendo a mais alta do mundo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544619579

Paulo Skaf anúncio em Jundiaí

“Já em dezembro, a maioria dos países havia reduzido suas taxas básicas de juros. E o Banco Central vem fazendo cortes tímidos e a cada 45 dias, mesmo diante de uma crise grave como esta”, sublinhou o presidente.

Para Skaf, que se encontra na manhã desta sexta-feira (13) reunido com lideranças políticas e empresariais no Ciesp de Jundiaí (SP), a taxa Selic deveria cair mais de cinco pontos percentuais. “O ideal seria que estivesse em torno de 7% ou 8% ao ano”, reforçou.