Senai-SP forma ao menos 10 gestores industriais para capacitar jovens na Nigéria

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Cerca de 10 gestores de departamentos técnicos do Industrial Training Fund (ITF – Nigéria) que receberam certificado de conclusão de curso nesta quarta-feira (29/08) serão multiplicadores de mão de obra qualificada no país africano. A informação é do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), Paulo Skaf.

Paulo Skaf e Walter Vicioni entregam certificado de conclusão de curso do Senai-SP a 10 gestores de departamentos técnicos do ITF

Skaf entregou o certificado para um grupo que, por quatro semanas, recebeu capacitação do Senai-SP em gestão de unidades de ensino profissional. “As senhoras e os senhores serão multiplicadores no seu país. Vão dirigir escolas profissionalizantes que vão dar o melhor preparo para as pessoas, para poderem ter o melhor trabalho, o melhor emprego, o melhor salário”, disse o presidente da Fiesp e do Senai-SP.

O “Nigeria Industrial Revolution Plan” é um projeto de cooperação entre o Senai-SP e autoridades nigerianas para realinhar a educação profissional na Nigéria. O processo de treinamento é dividido em seis etapas:

  • Programa de capacitação de diretores do ITF;
  • Programa de capacitação de coordenadores do ITF;
  • Programa de capacitação de instrutores do ITF;
  • Atualização das unidades;
  • Criação e implantação de unidades;
  • Projeto “Construção e Operação de Unidades Móveis.

 

Nesta quarta-feira (29/08), o certificado de conclusão foi entregue aos participantes do programa de capacitação de diretores do ITF.

Expectativas

Ibrahim Lawal presenteia Paulo Skaf (à esq.) e Walter Vicioni (à dir.), durante cerimônia na sede da Fiesp e do Senai-SP

Também presente à cerimônia de certificação, na sede das entidades da indústria, o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves, declarou: “Nós esperamos que os senhores tenham encontrado nesse processo o que vieram buscar aqui. Espero que a gente tenha correspondido às expectativas de todos”.

A experiência, segundo Ibrahim M. Lawal, representante da comitiva nigeriana, superou as expectativas do grupo e atingiu um nível elevado. “Gostaria de agradecer à equipe do Brasil pelo seu amor ao projeto, apesar da diferença de línguas. O que aconteceu aqui é apenas o começo do aprendizado. Obrigado, obrigado, obrigado”, concluiu Lawal.