Ideias da Bíblia aplicadas à carreira e à busca pelo sucesso são apresentadas em palestra

Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Conceitos da Bíblia, aplicados em situações do nosso cotidiano, foram apresentados na palestra mensal do Núcleo dos Jovens Empreendedores do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (NJE-Ciesp), realizada na noite desta quinta-feira (21/08), às 18h45, na sede da entidade e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em São Paulo.

Na ocasião, o assunto foi apresentado por William Douglas, autor do livro As 25 Leis Bíblicas do Sucesso (Editora Sextante), que  expôs considerações sobre como interpretar a Bíblia de maneira laica. “A Bíblia é o maior manual de administração e negócios escrito até hoje. É um livro atual”, afirmou. De acordo com Douglas, é possível interpretar a Bíblia fazendo uso da argumentação com base na racionalidade e não somente na fé.

Douglas: “A Bíblia é o maior manual de administração e negócios escrito até hoje”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Douglas: “A Bíblia é o maior manual de administração e negócios escrito até hoje”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


Em sua palestra, ele fez comparações entre pensadores de administração e marketing com passagens, valores e versículos bíblicos. Além disso, explicou como podemos utilizar esse conhecimento para nossa vida profissional e pessoal, com sucesso na carreira e integridade em nossas escolhas.

“Os conhecimentos presentes nesse material ainda são muito atuais, podem ser interpretados para a nossa realidade”, disse o palestrante. Segundo ele, existem formas diferentes de se entender o livro bíblico, sendo uma mais filosófica e a outra mais direta. “A Bíblia tem dimensão laica e secular, e não só religiosa. É por isso que temos muito a aprender com ela”, finalizou.

Nessa linha, o autor estabeleceu referências como “os sete pecados capitais na busca do sucesso”. Quais são eles? “Pressa, avareza, inveja, preguiça, orgulho, ira e falta de prazer no trabalho”.

Versículos do livro sagrado também foram vinculados, adaptados à vida empresarial.

Tom Coelho, diretor titular do NJE, reforçou a importância da área técnica do Ciesp ao desenvolver, incentivar e formar novas lideranças.

Para saber mais sobre o autor William Douglas, clique aqui.


Em Campinas, Skaf exalta importância do jovem empreendedor para o Brasil

Odair Souza, Agência Ciesp de Notícias

Cerca de 250 pessoas participaram na manhã desta quinta-feira (30/08), em Campinas, da abertura do IX Encontro Jovem Empreendedor, realizado pelo Núcleo de Jovens Empreendedores (NJE) do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544458133

Paulo Skaf em Encontro Jovem Empreendedor Campinas.


O encontro, que reuniu jovens empreendedores de Campinas e região e dos 29 núcleos regionais do NJE, contou também com a participação de personalidades da área empresarial e política, como o presidente  da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp),  Paulo Skaf, e o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Social, José Afonso Bitencourt, entre outros.

Com o tema central Caminhos para o Crescimento, o evento apresentou os painéis complementares Caminhos da Educação, Oportunidades de Negócios para a Copa 2014 e Olimpíadas 2016. No período da tarde, os participantes acompanharão cases como História empreendedora, Novos modelos de negócios e Motivação e trabalho em equipe.

O presidente do Ciesp e da Fiesp, Paulo Skaf, considerou o envolvimento da juventude em ações proativas como “um espírito voltado para a geração de riquezas, de empregos e tudo o que é bom para a sociedade e o País”.

Skaf destacou o trabalho realizado pelos milhares de jovens membros dos NJE, do Ciesp, e do CJE, da Fiesp. “Esse engajamento demonstra a preocupação deles com empreendedorismo, com a educação e o bem-estar das pessoas”.

Condições para o Brasil crescer

Antes da abertura, o presidente do Ciesp e da Fiesp enfatizou as ações do empresariado na busca da competitividade do País e voltou a cobrar isonomia para que o setor produtivo brasileiro vença o desafio de competir em igualdades de condições no mercado global. Segundo ele, o grande desafio para alcançar essa meta é a diminuição dos custos de produção.

Em entrevista à imprensa, Paulo Skaf afirmou que os empresários continuam em “campanha” pela queda no preço da energia elétrica, do gás, dos juros, pela melhoria logística e da infraestrutura em aeroportos, portos, estradas e ferrovias. “Competitividade do País, é isso que vamos discutir aqui”, completou Skaf.

Nesta manhã, o presidente do Ciesp e da Fiesp, Paulo Skaf, voltou a comentar a queda da taxa Selic, para 7,5% aa, anunciada ontem pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. “Há espaço para baixar mais. A taxa Selic pode ficar próxima à inflação que está projetada entre 4,5% e 5%.”

Na visão de Skaf, um patamar de 5% na taxa é bom para o brasileiro, para a indústria e para o governo, que terá seus gastos públicos diminuídos. Ele lembra que em 2011 o governo federal gastou quase R$ 180 bilhões com pagamento de juros. “É muito mais do que se investe em saúde e educação”, completou.