Fiesp participa da maior feira do setor da América Latina

Agência Indusnet Fiesp,

Estande do Sesi/Senai-SP na 17ª Fipan

A 17ª Fipan, maior feira de Panificação, Confeitaria e Food Service da América Latina, foi aberta nesta terça-feira (20), no Expo Center Norte, em São Paulo.

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) participa dos quatro dias de evento, que deve receber mais de 50 mil pessoas, com a organização de rodadas de negócios, sala de crédito, palestras e minicursos de panificação do Sesi e Senai de São Paulo.

No primeiro dia da feira, as palestras organizadas no estande da Fiesp, pelo seu Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), foram um sucesso de público. Na primeira delas, o chef de cozinha e apresentador de TV Olivier Anquier apresentou, ao auditório lotado com mais de 170 pessoas, case real de uma padaria que estabeleceu sua marca de produtos artesanais na maior rede varejista do Brasil.

O presidente em exercício da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, destacou, em sua fala na abertura, o trabalho dos diversos braços da entidade em prol do desenvolvimento do setor de alimentos, que, conforme lembrou, foi um dos menos afetados pela crise financeira mundial.No mesmo espaço, o Dempi ainda promove salas de crédito voltadas ao empreendedor do ramo alimentar, além de rodadas de negócios internacionais, em conjunto com o Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex).

O presidente em exercício da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto (à dir.), visita o curso de panificação do Sesi/Senai-SP

“Apenas no Senai-SP são 16 escolas de panificação, além de duas escolas móveis, que atendem mais de 16 mil alunos por ano e que receberam mais de R$ 40 milhões em investimentos desde 2005”, sublinhou Ometto.

Entre as novidades, o presidente em exercício da Fiesp ressaltou a criação do Curso Superior em Tecnologia de Alimentos, que começa a funcionar em 2011, na escola Senai da Barra Funda, na Capital.

Ometto recordou, ainda, algumas conquistas realizadas pela Federação em parceria com os sindicatos, como a desoneração de impostos sobre a farinha de trigo e a obtenção da venda do pão, por peso, no estado de São Paulo.

O trabalho do Sesi-SP recebe igual atenção na feira, com cursos de panificação, como pão de pistache e muffins com coco e castanha do Brasil, e outras receitas do programa Alimente-se Bem. O Sesi também é responsável pela confecção de cartilhas técnicas para o segmento como o Manual de Saúde e Segurança no Trabalho – Panificação.


Expansão

Olivier Anquier apresentou, no estande da Fiesp, case real de uma padaria que estabeleceu sua marca de produtos artesanais na maior rede varejista do Brasil

A panificação é um dos ramos que mais acompanha a franca evolução do setor de alimentos. Está entre os seis maiores segmentos industriais do País, gerando cerca de 700 mil empregos diretos e 1,75 milhões de indiretos no mercado brasileiro. Fora isso, as padarias respondem por 79% do mercado de pão no Brasil.

O Brasil tem hoje 60 mil padarias artesanais, que atendem 44 milhões de clientes por dia, e aproximadamente três mil indústrias nos setores produtivos diretamente ligados ao food service. Cerca de 85% do pão no País são vendidos nas padarias que, nos últimos tempos, se tornaram verdadeiros centros de convivência, gastronomia e serviços.