Ministro do Cazaquistão visita a Fiesp para apresentar oportunidades de investimento

Ariett Gouveia e Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) recebeu, nesta quinta-feira (03/10), o ministro das Relações Exteriores do Cazaquistão, Erlan A. Idrissov. Ele participou um encontro para falar sobre as oportunidades de investimento em seu país, apresentando projetos nas indústrias de maquinário, química e petroquímica e agribusiness.

A abertura do evento foi feita pelo vice-presidente da Fiesp, Elias Miguel Haddad. “Desejo que esse dia 3 de outubro seja um marco importante no desenvolvimento das nossas relações”, afirmou, destacando os dados econômicos do Cazaquistão.

“O volume de negócios entre o Brasil e o Cazaquistão é modesto, mas vem crescendo. Temos uma enorme oportunidade de relacionamento comercial, não só no crescimento de volume, mas também na diversificação de produtos”, disse Haddad. “Por isso a importância desse encontro“, concluiu.

Haddad: volume de negócios ainda modesto, mas crescente com o Cazaquistão. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Haddad: volume de negócios ainda modesto, mas crescente com o Cazaquistão. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Para o ministro do Cazaquistão, a parceria com países estrangeiros é fundamental para os planos de crescimento do país. “A principal prioridade no Cazaquistão hoje é o desenvolvimento tecnológico”, disse Idrissov. “Nós somos um povo com muitos sonhos e um desses sonhos é, em 2050, estar entre os países mais desenvolvidos do mundo, economicamente, politicamente e institucionalmente.”

Segundo ele, para atingir seu maior objetivo, a principal ação é o investimentos nas pessoas. “Educação tem sido o nosso grande foco hoje. Tudo depende das pessoas: instituições, empresas, governo. Por isso o Cazaquistão tem feito um grande esforço na área de educação e treinamento profissional.”

Idrissov: foco na educação profissional e nas parcerias comerciais com países como o Brasil. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Idrissov: foco na educação e no mercado externo para desenvolver ainda mais o país. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Idrissov encerrou ressaltando os potenciais do Cazaquistão. “Conseguimos crescer muito desde a independência do nosso país e temos orgulho das nossas conquistas”, declarou. “Temos boas relações com nossos vizinhos, China, Rússia e a Índia. Nossa política é estável, temos planos claros e sabemos o que temos que fazer e de que forma. E estamos de portas abertas para fazer negócios com o Brasil”.

Renascimento da Rota da Seda

Em seguida, falou Kairat Karmanov, vice-presidente da Agência de Promoção de Exportações e Investimentos do Cazaquistão, sobre as oportunidades de investimentos no país asiático.

“O Cazaquistão está entre as dez economias que mais crescem no mundo”, disse Karmanov.  “É um portão de entrada para o mercado asiático, de posição geográfica estratégica. Um país rico em recursos naturais e possibilidades”, completou.

Segundo ele, a mão de obra é qualificada e barata. “Nossa taxa de analfabetismo é de 0,4%”.  Além disso, conforme Karmanov, a educação superior do país se encontra, atualmente, “em pleno desenvolvimento, com a criação de universidades e institutos”.

Outros pontos de destaque, de acordo Karmanov, são a capacidade petrolífera da região e a construção de uma nova ferrovia ligando a China e a Europa. “É o renascimento da Rota da Seda, a ligação entre o Ocidente e o Oriente”, disse.

Também participaram do encontro Antonio Bessa, diretor-titular adjunto do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp, e o representante do Ministério das Relações Exteriores brasileiro, Adil da Rocha Viana.