Ganhador pela segunda vez, Cauã Reymond envia vídeo de agradecimento

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Ocupado com as gravações da novela Avenida Brasil, da Rede Globo, Cauã Reymond não pode comparecer à cerimônia do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista, que o consagrou como o vencedor na categoria “melhor ator”. Mas não deixou de manifestar sua satisfação.

Em um vídeo enviado especialmente para a ocasião, Cauã arrancou aplausos da plateia que compareceu ao Teatro Sesi São Paulo na quarta-feira (02/05) para o evento. “Quando receber o prêmio, vou colocá-lo na minha estante e olhar para ele com muito orgulho”, reconheceu.

 

Eleito também melhor ator na sexta edição do Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista em 2010, com o filme Se Nada Mais der Certo, Cauã Reymond começou sua carreira em 1998, aos 18 anos, trabalhando como modelo na Europa. Pouco tempo depois estreou na televisão, no seriado Malhação. Daí, até estrelar no horário nobre na novela Da Cor do Pecado, foi uma questão de (pouco) tempo.

Atualmente Cauã soma mais de 20 participações em novelas, séries e filmes, além de uma passagem pelo teatro com as peças Em Alto Mar e Essa Nossa Juventude. Acumula ainda outros prêmios de melhor ator em 2008 pela novela A Favorita: Troféu Imprensa (SBT) e Prêmio Contigo de Televisão (Editora Abril).

Foi também melhor ator coadjuvante nos prêmios Melhores do Ano (Rede Globo), além de dois Prêmios Extra de Televisão em 2008 e 2010, por A Favorita e Passione, respectivamente.

‘Meu País’ é o grande vencedor do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

Flávia Dias e Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Em noite de homenagem a José Dumont, o Teatro do Sesi São Paulo reuniu na quarta-feira (02/05) cerca de 400 convidados entre diretores, atores e produtores da indústria cinematográfica paulista para a entrega do VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista . O grande vencedor da noite foi o filme Meu País , do diretor André Ristum.

 

“Agradeço ao Paulo Skaf, que desde o início da sua gestão tem apoiado enormemente o cinema, e pela iniciativa de incluir o cinema nas unidades do Sesi-SP do Estado, pois antes não havia nenhum tipo de programação audiovisual, e também a toda equipe do Sesi-SP e da Fiesp. Os filmes paulistas aqui indicados estrearam ano passado nos cinemas e a partir deste mês circularão nas unidades do Sesi-SP em cidades onde não há mais cinema. É uma chance para nossos filmes, que tem muita dificuldade de entrar no circuito comercial”, afirmou Ristum.

O diretor de arte Cassio Amarante valorizou a importância da premiação. “Com a extinção do festival de Paulínia, o Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista passa a ser fundamental para fazermos cinema em São Paulo”, afirmou.

Outro destaque da edição é Estamos juntos. O filme do diretor Toni Venturi conquistou prêmios nas categorias “melhor ator” (Cauã Reymond), “melhor atriz” (Leandra Leal) e “melhor ator coadjuvante” (Nazareno Casero). Já o filme VIPs, estrelado por Wagner Moura, recebeu dois prêmios: “melhor direção de arte” (Frederico Pinto) e “melhor fotografia” (Mauro Pinheiro Jr.).

Opinião compartilhada pelo cineasta Charly Braun, premiado com melhor roteiro. “Esse prêmio é uma grande iniciativa. E quem frequenta teatro sabe que a Fiesp é também uma das maiores incentivadoras do setor no País. Na ausência do festival de Cinema de Paulínia, fica a dica para a Fiesp criar também um prêmio de fomento ao cinema paulista.”

A cerimônia foi comandada por dois atores do grupo teatral Parlapatões, Hugo Possolo e Raul Barreto, que arrancaram gargalhadas da plateia com seus improvisos. Os vencedores receberam troféus e prêmios em dinheiro que totalizam R$ 45 mil. [VEJA A LISTA DOS PREMIADOS]

Homenagem

José Dumont, ator homenageado no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

José Dumont, ator homenageado no VIII Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista

Com mais de 27 longa-metragens no currículo, o ator José Dumont foi o homenageado desta oitava edição. Emocionado, Dumont alertou sobre a importância da inclusão de aulas de teatro na grade curricular.

“Esse prêmio significa muito para mim, até por ser do Sesi-SP. Vou explicar: sempre achei que um dia esse país excluirá os atravessadores e será um país de trabalhadores e empregadores, de quem produz, de quem trabalha.  Para mim, que venho deste ramo, pois trabalhei na indústria, fui carteiro em São Paulo, esse prêmio significa muito. Quanto ao cinema não preciso nem falar. Acho até que a arte deveria ser – e não sei como não faz – parte do currículo escolar”, afirmou.

 

Sobre o Prêmio 

Prêmio Fiesp/Sesi-SP do Cinema Paulista é uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) e do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp). O objetivo é incentivar a produção cinematográfica paulista, divulgar o cinema brasileiro, facilitar o acesso público às produções de filmes nacionais e formar novas plateias.

Segundo dados divulgados pelo Siapes, a indústria cinematográfica paulista é responsável por 40% dos filmes comercializados no Brasil, além de deter o posto de principal mercado consumidor, com mais de 800 salas de cinema.