Exemplo de gestão inovadora é tema de reunião do Comtextil na Fiesp

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Um sopro de inovação em gestão empresarial no combalido mercado têxtil brasileiro. Foi essa a sensação dos participantes da reunião do Comitê da Cadeia Produtiva da Indústria Têxtil, Confecção e Vestuário (Comtextil) da tarde desta terça-feira (20/05), na sede da Federação da Indústria de São Paulo (Fiesp).

Convidado para o encontro, Gilmar Sprung, presidente e fundador da Cativa Têxtil, mostrou que inovação, determinação e respeito ao ser humano são diferenciais fundamentais para o sucesso, mesmo em um setor que enfrenta dificuldades com a “invasão” de produtos importados da China e a falta de políticas eficazes do Governo Federal. “Sou de uma família muito, mas muito humilde”, começou Sprung. “E cheguei aqui graças ao trabalho”.

O empresário revelou que trabalhou como faxineiro de banheiros na juventude para, aos 26 anos de idade, abrir a Cativa Têxtil, exemplo hoje de gestão no setor.

Sprung: incentivo aos colaboradores para melhor gestão das empresas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Sprung: incentivo aos colaboradores para melhor gestão das empresas. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Segundo Sprung, o faturamento da Cativa Têxtil previsto para 2014 é de R$ 380 milhões – número espantoso se for levado em consideração o fato de que é cada vez maior o número de fábricas da cadeia produtiva que fecham as portas por dificuldades financeiras.

Além de ter seis fábricas operacionais, e previsão de contar com 100 mil lojas em 2016, Sprung espera triplicar seu faturamento dentro dos próximos anos, chegando a R$ 1 bilhão em 2018. “Nosso foco está nas pessoas”, explicou o convidado. “Se chegamos aonde estamos é por causa das pessoas que trabalham conosco”.

Assim, entram em cena prática de estímulo aos funcionários. “Somos bastante agressivos no plano de recompensas para os  nossos colaboradores. Trabalhamos com meritocracia, com projetos sociais”, ressaltou. “Nosso maior objetivo é atrair riqueza através do crescimento saudável, recompensando, desenvolvendo e retendo talentos.  Patrimônio humano é parte fundamental de todo o nosso processo”, sublinhou.

Demonstração de progresso

Para Elias Miguel Haddad, coordenador do Comtextil, o exemplo de gestão de Sprung à frente da Cativa Têxtil é uma “demonstração de progresso”. “Precisamos de exemplos que mostrem que, dentro do nosso ambiente, é possível encontrar soluções, com crescimento e geração de resultados”, afirmou o dirigente. “Fiquei encantado com o exemplo do Gilmar”, completou Haddad.

Haddad (ao microfone) na reunião do Comtextil: foco na busca de soluções. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Haddad (ao microfone) na reunião do Comtextil: foco na busca de soluções. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp