Skaf condena excesso de burocracia para as empresas

Cesar Augusto, Agência Indusnet Fiesp

Em evento na sede do legislativo paulista, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, voltou a criticar as dificuldades que as empresas, principalmente as pequenas, enfrentam no Brasil, seja pelo excesso de burocracia ou pelo ambiente macroeconômico:

“Se queremos que o microempreendedor se torne um grande empresário, não podemos ficar amolando ele com burocracias, pois ele trabalha sozinho ou com um grupo pequeno de pessoas. Eles têm de produzir, pensar em inovação, expansão, desenvolvimento de produto etc. E não dedicar boa parte do tempo com papelada”, afirmou. “Da mesma forma, não podemos deixar de enfrentar questões macroeconômicas como os juros e o custo de energia. Eles são prejudiciais para todas as empresas e famílias do país, mas especialmente para os micro e pequenos empresários”, completou.

Skaf fez as declarações durante o seminário “Empreendedorismo em São Paulo”, realizado na manhã desta segunda-feira, 19, na Assembleia Legislativa de São Paulo. O evento contou com representantes do executivo e legislativo estaduais, além de entidades patronais, de trabalhadores, associações e microempreendedores individuais (MEIs).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539903975

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, durante o seminário “Empreendedorismo em São Paulo”, realizado na Assembleia Legislativa. Foto: Junior Ruiz



Na ocasião foram lançadas a “Carta de São Paulo pelo Empreendedorismo” e comemorada a marca de 450 mil Empreendedores Individuais já cadastrados no Estado de São Paulo. Na pauta, o balanço das políticas públicas para o empreendedorismo em 2011 e os desafios para 2012, além das estratégias para que todas as prefeituras paulistas regulamentem a Lei Geral que trata do tema.