Fiesp homenageia o novo Cardeal brasileiro

Agência Indusnet Fiesp

No sábado (20), o arcebispo de Aparecida, Dom Raymundo Damasceno Assis, participou do Consistório, uma reunião da alta cúpula da Igreja, no qual foi nomeado Cardeal. Na ocasião ele recebeu o barrete (chapéu cardinalício), na Celebração da Palavra presidida pelo Papa Bento XVI, no Vaticano.

“Recebam o anel, símbolo de dignidade, solicitação pastoral e de sólida comunhão da Sé de Pedro”, afirmou o pontífice.

A Celebração aconteceu às 10h30 (no horário de Roma) e foi acompanhada por milhares de religiosos e fiéis presentes no Vaticano, e também pelos meios de comunicação.

Na mesma data, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, ofereceu jantar em homenagem ao arcebispo no Hotel Hassler, em Roma, com a presença da comitiva de membros da igreja Católica brasileira, entre eles o cardeal Odilo Pedro Scherer, empresários, como Fernando de Arruda Botelho, e diplomatas na Itália, como o embaixador do Brasil na Itália, José Viegas Filho, e o chefe de gabinete da Presidência da República, Gilberto Carvalho, que representou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No domingo, Damasceno e os outros 23 novos cardeais receberam o anel cardinalício, durante uma missa solene celebrada na Basílica de São Pedro.

Seminário Missionário Bom Jesus

A amizade entre Dom Damasceno e o líder da Federação começou na época da visita de Bento XVI ao Brasil, em 2007. Naquele momento, Skaf capitaneou arrecadações para a reforma do Seminário Missionário Bom Jesus, sede da cúria metropolitana da arquidiocese de Aparecida e local de formação de futuros sacerdotes, onde o papa ficou hospedado.

Além da profunda restauração, os móveis e um tapete sisal foram produzidos pelos alunos do Senai-SP para receber o papa.

Ao chegar ao Seminário, Bento XVI abençoou o prédio, assinou o livro de ouro e inaugurou os bustos dos dois Papas que passaram pelo local.

Cardeal Damasceno

Dom Raymundo Damasceno Assis nasceu em 1937, na cidade de Capela Nova, no estado de MG. Em 1955, entrou para o Seminário Menor, da Arquidiocese de Mariana – MG, onde cursou o segundo grau e, em seguida, no Seminário Maior, o curso de Filosofia.

Em 1960, o então arcebispo de Mariana, Dom Oscar de Oliveira, o enviou para a recém-criada Arquidiocese de Brasília, como uma ajuda a esta nova Igreja Particular, inaugurada em 21 de abril do mesmo ano.

Em 1961, o então Arcebispo de Brasília, Dom José Newton de Almeida Baptista, o enviou a Roma para cursar Teologia na Pontifica Universidade Gregoriana, onde conclui sua Licenza. Em 1965, foi enviado para a Alemanha onde concluiu sua formação no Instituto Superior de Catequese em Munique.

Regressou ao Brasil em 1968 e foi ordenado sacerdote em março do mesmo ano, em Conselheiro Lafaiete – MG.

Depois de ordenado, ocupou as seguintes funções na Arquidiocese de Brasília: coordenador de catequese; pároco da Igreja do Santíssimo Sacramento; chanceler arquidiocesano; co-fundador e professor do Seminário Maior Nossa Senhora de Fatima e professor do Departamento de Filosofia da Universidade de Brasília.

Em setembro de 1986 foi ordenado Bispo, na Catedral de Brasília, pela imposição das mãos do Cardeal Dom José Freire Falcão.

Como Bispo ocupou diversas funções, entre elas: vigário geral da Arquidiocese de Brasília, membro de comissões e conselhos e Secretário-Geral da Conferencia Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e presidente do Conselho Episcopal Latino-Americano (Celam). Também foi nomeado o quarto Arcebispo da Arquidiocese de Aparecida em 2004, e Cardeal pelo Santo Padre Bento XVI no consistório de 20 de novembro.