Calçada da Fiesp fica azul para combater o câncer de próstata

Agência Indusnet Fiesp

O Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp (ComSaude) promoveu, em parceria com o Instituto Lado a Lado pela Vida (LAL ), um dia inteiro de eventos, na última quarta-feira (1º de novembro), para chamar atenção para o Novembro Azul e a importância da prevenção e conscientização sobre problemas de saúde masculina, como câncer de próstata e câncer de testículos.

O ComSaude e o LAL montaram uma estrutura na calçada da Fiesp, em plena avenida Paulista, com muitas atividades. No espaço +Saúde, médicos urologistas tiraram dúvidas da população sobre prevenção ao câncer de próstata, e enfermeiros aferiram a pressão arterial.

As atrações da campanha do Novembro Azul 2017 incluíram a montagem de uma barbearia, com profissionais fazendo barba e bigode, show do grupo Dance Mais e atividades lúdicas promovidas pelos já conhecidos “bigodes” do LAL.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), anualmente são diagnosticados 61 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil, sendo o segundo tipo de câncer mais frequente em homens, atrás dos tumores de pele não-melanoma.  É o segundo câncer que mais mata no país.

Em 2016, morreram 13 mil homens vítimas da doença (uma morte a cada 40 segundos), índice que pode ser reduzido a partir da conscientização, pois já foi constatado que ao ser diagnosticada precocemente há 90% de chances de cura. Os sintomas do câncer de próstata podem demorar a se manifestar, o que torna os exames preventivos anda mais necessários, evitando sua descoberta em um estágio avançado e potencialmente fatal.

Sobre a doença e fatores de risco

Na fase inicial, o câncer de próstata não apresenta sintomas, e quando alguns sinais começam a aparecer, cerca de 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura. Nesta fase, os sintomas identificados são: dor óssea; sangue na urina e/ou no sêmen; vontade frequente de urinar e dor ao urinar. No entanto, alertam os médicos, a falta de sintomas não garante que o indivíduo não tenha a doença. Por isso, a recomendação para que sejam feitos os exames preventivos e os cuidados com a saúde em geral (alimentação; atividade física, entre outros).

Homens da raça negra têm maior incidência desse tipo de câncer, assim como aqueles com histórico familiar da doença (pai, irmão ou tio) e os que estão com excesso de peso. Por isso, a recomendação para que homens com idade acima de 45 anos que façam parte desses grupos de risco e os acima de 50 anos, sem esses fatores, vão anualmente ao urologista e façam o exame de toque retal, que permite ao médico avaliar alterações da glândula, como seu endurecimento e a presença de nódulos suspeitos, além de fazer o exame de sangue PSA (antígeno prostático específico).

Sobre o +Saúde

O “+Saúde – programa de prevenção e educação” é uma iniciativa do Comitê da Cadeia Produtiva da Saúde e Biotecnologia da Fiesp (ComSaude). Seu objetivo é promover campanhas de educação e conscientização com entidades ligadas ao Comitê, que têm como foco de suas atividades a atenção ao paciente.

O serviço de utilidade pública acontece todos os meses na calçada em frente à Fiesp. Durante o ano são trabalhados diferentes assuntos importantes relacionados à saúde que são pauta contínua de discussão, como o diabetes, hipertensão e doação de sangue e órgãos, por exemplo.

O +Saúde conta com a participação de parceiros voluntários, que representam instituições sem fins lucrativos, sociedades de profissionais da saúde, entidades setoriais, hospitais, profissionais da saúde e empresas do setor.

Sobre o LAL

O Instituto Lado a Lado pela Vida tem a missão de ampliar o acesso às novas tecnologias e humanizar a saúde de Norte a Sul do Brasil por meio do diálogo, do acolhimento e da promoção do bem-estar físico e emocional. Para isso, percorre o país propagando a importância da prevenção, do autocuidado e da autoestima, levando para homens, mulheres e crianças essa conscientização de que a saúde é o bem mais valioso e merece atenção especial.

O website da entidade traz uma área exclusiva com informações sobre as atividades programadas para o Novembro Azul. Além das ações já incluídas, outras surgiram motivadas por apoiadores e serão acrescentadas no site ao longo do mês.

http://ladoaladopelavida.com.br/campanha/novembro-azul

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542356317

“Bigodes” ambulantes foram parte das atrações da campanha na calçada da Fiesp. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Foto: equipes de vôlei do Sesi-SP participam da campanha Novembro Azul

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542356317

Serginho veste a camisa azul em apoio à campanha pela prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

Durante todo o mês de novembro, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) promove ações com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da prevenção ao câncer de próstata.

E a campanha também é voltada para a comunidade. Neste período, os líberos Serginho e Suelen, das equipes masculina e feminina de vôlei do Sesi-SP, usam uniforme azul.

A cor simboliza o movimento mundial conhecido como Novembro Azul, campanha para sensibilizar a população para os riscos e a necessidade de diagnóstico precoce para esse tipo de câncer.

Saúde: Sesi-SP promove campanha de prevenção nas escolas da rede

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542356317O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), por meio da área de Saúde e Inclusão Escolar da Divisão de Educação e Cultura, realiza desde o início desta semana (17/03) o programa “Colar da Vida” nas escolas da rede.

O programa tem caráter preventivo e educativo com o objetivo de estimular jovens e suas famílias a quebrar os mitos em relação à saúde, prevenindo o câncer de mama, colo uterino e próstata, a gravidez na adolescência e as doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

A iniciativa, em parceria com o Instituto Se Toque, vai promover oficinas de prevenção para os estudantes do 8º e 9º ano do ensino fundamental e distribuir cartilhas sobre saúde do adolescente.

Outra ação visa estimular a realização periódica de mamografia entre as mães dos estudantes que participarem das oficinas.  Está programada a distribuição de “Colares da Vida”, bijuteria com pérolas em diversos tamanhos que simbolizam as etapas de crescimento do tumor de mama e suas chances de cura.

As ações desenvolvidas presencialmente têm o alcance de 1.500 alunos em 13 escolas da capital. Já a cartilha será distribuída para 38.000 alunos em todas as escolas da rede a partir do segundo semestre de 2014.


O Instituto Se Toque

Fundado em outubro de 2005, o Instituto Se Toque é uma organização sem fins lucrativos que atua na promoção da saúde da mulher, com foco no câncer de mama.

O instituto promove a educação para a saúde junto às escolas e utiliza, como instrumentos de mudança de hábitos de vida, a realização de palestras, de oficinas de prevenção e de atividades teatrais, estimulando a busca pelo diagnóstico precoce.

Visite o site: www.setoque.org.br

Foto: Sesi-SP e Fiesp encerram campanha Novembro Azul com ícone na Galeria Digital

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542356317

Laço azul foi exibido na fachada do edifício-sede da Fiesp e do Sesi-SP. Foto: Juan Saavedra/Fiesp


Entre as diversas ações realizadas para promover o “Novembro Azul”, movimento internacional que estimula a prevenção ao câncer de próstata, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) exibiu na noite dos últimos dias do mês – em sua Galeria Digital, na Avenida Paulista – a imagem do laço azul, ícone da campanha.

A campanha contou com o apoio da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP) e do Instituto Roberto Simonsen (IRS).

O laço começou a ser exibido após o término da segunda edição do SP_Urban Digital Festival.

A exemplo do que foi feito durante a campanha “Outubro Rosa”, durante mês de novembro os times feminino e masculino de vôlei do Sesi-SP também apoiaram a campanha de prevenção ao câncer de próstata.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542356317

Jogadores de vôlei do Sesi-SP apoiam a campanha 'Novembro Azul'. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Os líberos vestiram azul durante os jogos desse mês e antes da partida contra o Moda Maringá pela Superliga, no sábado (30/11), o time masculino entrou em quadra com uma faixa que pedia menos preconceito e chamava atenção para a importância do movimento “Novembro Azul”.



‘Homem que é homem cuida de si’, diz oncologista em palestra para colaboradores da Fiesp e do Sesi-SP

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

“Homem que é homem cuida de si, não acha que o toque retal vai afetar a sua masculinidade”. Foi com esse alerta que o oncologista Fernando Maluf, chefe do Centro Avançado de Oncologia Clínica do Hospital São José, de São Paulo, abriu a sua palestra sobre o câncer de próstata para os colaboradores da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), na manhã desta terça-feira (26/11), no Teatro do Sesi-SP, na Avenida Paulista.

O evento fez parte das atividades da campanha Novembro Azul, de prevenção à doença. Com direito à plateia lotada. “O cuidado com a saúde deve ir além do mês de novembro e durar os 12 meses do ano”, afirmou Maluf. “O Brasil é um país marcado pelo preconceito em relação à prevenção do câncer de próstata”, disse. “É na hora da doença, no hospital, que o paciente reflete por que não foi homem consigo mesmo e com a sua família, por que não se fez o exame preventivo”.

Dessa forma, o médico lembrou que 50% dos homens brasileiros nunca procuraram um urologista. “Para cada homem que procura assistência médica sem sintomas, oito mulheres fazem a mesma coisa”, afirmou. “É por isso que os homens vivem, em média, sete anos menos que as mulheres no país”.

Maluf explicou aos participantes que a próstata é um órgão do tamanho de uma noz localizado na região da pelve. Sua função no corpo? Produzir uma parte do sêmen, o líquido que contém os espermatozoides e é liberado no ato sexual.

Maluf, à esquerda, e Skaf: campanha em nome da prevenção que salva vidas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Maluf, à esquerda, e Skaf: campanha em nome da prevenção que salva vidas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


De acordo com o oncologista, surgem, todos os anos, 1 milhão de casos novos de câncer de próstata em todo o mundo. A cada seis homens, um tem chances de desenvolver a enfermidade, proporção que aumenta de um a cada três entre aqueles com parentes próximos que tiveram a doença, os de raça negra (que têm os tumores mais agressivos) e os obesos.

A boa notícia é que as chances de cura são grandes. “Entre 80% e 95% dos casos o câncer de próstata é curável”, explicou o médico. “Mas tudo fica mais difícil quando os sintomas levam o médico ao paciente, por isso a prevenção é tão importante”.

Prevenir é preciso

Por falar em prevenção, o oncologista lembrou que, para pacientes sem parentes próximos com a doença, não obesos e não negros, é preciso realizar exames anuais a partir dos 50 anos. Para os que têm mais chance de desenvolver a doença, os exames devem ser feitos a partir dos 40 anos.

Que exames são esses? O PSA, um exame de sangue que mede os níveis da enzima de mesmo nome produzida pelas células da próstata e o toque retal. Mas o médico avisou: “Há tumores que não se expressam bem pelo PSA”.

Segundo Maluf, o câncer de próstata tem como característica a grande variedade dos tumores. “A sua doença não é igual a do seu amigo”, afirmou. “Há pacientes com tumores que não se desenvolvem há 30 anos e outros morrem com um ano de tratamento, por isso é preciso avaliar bem cada caso”.

O tratamento da doença é feito basicamente por cirurgia, radioterapia ou observação continuada. “A nossa vontade é curar todos os pacientes, de preferência com tratamentos simples, baratos e com poucos efeitos colaterais”, disse Maluf.

Ao final da palestra,  o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, subiu ao palco para agradecer pela apresentação do médico, a quem pediu aplausos. “O câncer de próstata, assim como o de mama, é de grande risco, mas, diagnosticado a tempo, pode salvar vidas”, afirmou.

Vicioni Gonçalves: fim dos “preconceitos arraigados” em nome da qualidade de vida. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Vicioni Gonçalves: fim dos “preconceitos arraigados” em nome da felicidade. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Também presente ao evento, o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves, é preciso substituir os “preconceitos arraigados” por uma “atitude preventiva em benefício da vida com qualidade”. “Vamos ser todos nós felizes”.



Para estimular prevenção ao câncer de próstata, Sesi-SP apoia campanha ‘Novembro Azul’

Agência Indusnet Fiesp

A exemplo do mês passado, quando promoveu o “Outubro Rosa“, o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) está apoiando o “Novembro Azul”, movimento internacional que estimula a prevenção contra o câncer de próstata.

Uma das primeiras ações com repercussão na mídia foi no sábado (02/11), quando o líbero Serginho, do time de vôlei do Sesi-SP, atuou com uma camiseta customizada, na cor azul, simbolizando a adesão à campanha. O jogo válido pela Superliga masculina teve transmissão ao vivo do canal Sportv.

Na sexta (01/11), as fanpages do Sesi-SP no Facebook passaram a exibir como avatar o laço azul, ícone da campanha.

Serginho, ao centro, de azul em nome da prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

O líbero Serginho, ao centro, de azul em nome da prevenção ao câncer de próstata. Foto: Lucas Dantas/Fiesp


Uma série de ações está programada ao longo do mês: a distribuição de pulseiras e flyers para alunos das escolas do Sesi-SP; a panfletagem na Avenida Paulista, em data a ser definida; ações de comunicação interna; atividades para colaboradores das entidades; distribuição de flyers aos Centros de Atividades do Sesi-SP e estímulo ao desenvolvimento de ações locais, entre outras.

A iniciativa é da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP.

O câncer de próstata

A próstata é uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen. Quando as células deste órgão começam a se multiplicar de forma desordenada, ocorre o câncer. A próstata fica, então, mais endurecida e a doença é facilmente descoberta no exame de toque retal.

O câncer de próstata é mais incidente que o câncer de mama, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), que em sua estimativa 2012/2013 apontou 60.180 novos casos de câncer de próstata e 52.680 de mama. Esse tipo de câncer é o sexto tipo mais comum no mundo, ainda de acordo com dados do Inca.

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha para a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), em 2009, constatou que o preconceito com o exame de toque retal ainda é forte no Brasil. Apenas 32% dos homens brasileiros declararam já ter feito o exame. Foram ouvidos 1.061 homens com idades entre 40 e 70 anos, de 10 capitais brasileiras (Belo Horizonte, Belém, Cuiabá, Curitiba, Fortaleza, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo).