‘Atleta do Futuro’ do Sesi-SP beneficiará 420 alunos em Jacareí e Campos do Jordão

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Campos do Jordão e Jacareí

O Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) firmou, nesta quarta-feira (20/08), convênio para o desenvolvimento da formação esportiva do Programa Atleta do Futuro (PAF) em Jacareí e Campos do Jordão. A iniciativa atenderá 420 alunos nas cidades.

Em Jacareí, 220 jovens entre seis e 17 anos terão aulas de futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. O convênio foi oficializado no Centro de Atividades (CAT) Karan Simão Racy da cidade.

Para o diretor da Divisão de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, Alexandre Pflug, o PAF é positivo porque muitas cidades não têm orçamento para criar e manter um programa esportivo de qualidade. O Sesi-SP dá essa oportunidade, na sua visão. “Os investimentos do Sesi-SP em formação esportiva são vastos. Com o programa, pretendemos que os jovens tenham experiência em diversas modalidades esportivas”, disse.

A assinatura do PAF em Jacareí: futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A assinatura do PAF em Jacareí: futebol, futsal, handebol, rugby e voleibol. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Na avaliação de Ricardo Esper, diretor do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) de Jacareí, que esteve presente na solenidade, a indústria dá mais um passo para o estímulo da formação cidadã dos jovens na região com a formalização do projeto. “O bom brasileiro nasce na escola, através do esporte”, afirmou.

Para Sandra Lopes, secretária de Esportes e Recreação de Jacareí, que esteve na cerimônia representando o prefeito Hamilton Mota, o programa dará aos jovens uma formação humana completa.

Campos do Jordão

Em Campos do Jordão, o programa atenderá 200 alunos, nas modalidades futebol e atletismo. A parceria foi assinada na sede da prefeitura local, no gabinete do prefeito Frederico Guirdoni.

Na cidade, os professores já foram capacitados pela equipe do Sesi-SP da região.

Futuros atletas na assinatura do PAF em Campos do Jordão: programa deve ser ampliado na cidade em breve. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Futuros atletas na assinatura do PAF em Campos do Jordão: programa deve ser ampliado na cidade em breve. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Na cerimônia de formalização do convênio, o prefeito pediu que o Sistema Sesi-SP de Ensino passe a ser implantado nas escolas municipais de Campos. Há previsão de que o PAF seja ampliado já nos próximos meses.

Com mais os dois convênios, o programa do Sesi-SP alcança 270 municípios no estado, com 147 empresas parceiras. São 27 modalidades ensinadas, 20 delas olímpicas.

Modelo educacional do Sesi-SP e Senai-SP é tema de Congresso em Campos do Jordão

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Campos do Jordão

O modelo de educação desenvolvido pelo sistema Sesi-SP e Senai-SP foi tema de um dos painéis do 58º Congresso Estadual de Municípios, realizado nesta quinta-feira (20/03), em Campos do Jordão, a 170 quilômetros da capital. O evento busca promover a discussão sobre as principais questões que afetam o dia a dia dos municípios, além de apresentar alternativas que atualizam e modernizam as administrações públicas nas áreas de produtos, serviços e tecnologias.

A palestra sobre o Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e  sobre o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) foi coordenada pelo deputado estadual e coordenador do conselho consultivo da Associação Paulista de Municípios (APM), Itamar Borges, que ressaltou a atuação da indústria na área educacional. “É muito importante conhecer os exemplos, avanços, conquistas, experiências vividas e resultados alcançados pelo Sesi e pelo Senai-SP, que oferecem educação de altíssima qualidade, melhorando o ensino no Estado e sendo reconhecido em todo País.”

Também fez parte da mesa o deputado estadual e presidente da APM, Celso Giglio, que explicou que o Congresso é o momento em que os dirigentes podem trocar ideias e buscar alternativas de ações. “A APM congrega 645 municípios do estado e este é o nosso momento mais importante, porque é quando os agentes políticos podem buscar conjuntamente soluções para os problemas que ocorrem nas cidades.”

O diretor técnico do Senai-SP, Ricardo Terra, falou sobre o ensino profissionalizante promovido pelas escolas técnicas mantidas pela indústria em todo o estado de São Paulo. Já o diretor de educação e cultura do Sesi-SP, Fernando Carvalho, explicou o desenvolvimento do Sistema Sesi de ensino e o que são os projetosAlimente-se Bem e Programa Atleta do Futuro.

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf colocou o Sesi-SP e o Senai-SP à disposição dos dirigentes para colaborar com a educação nos municípios.

“Sabemos que não há crescimento e desenvolvimento sustentável sem educação de qualidade. Uma criança ir para escola e não aprender não adianta nada. Um professor não ser respeitado e estimulado é um erro. É fundamental uma reunião como essa, de líderes dos municípios, para que todos se unam e levantem a bandeira da educação”, afirmou Skaf.

“Se dermos oportunidade para todas as crianças e jovens de construírem uma base de educação de qualidade, o que inclui a boa alimentação, a prática de esportes e atividades culturais, certamente não vamos precisar de tantas penitenciárias, mas teremos, no futuro, que discutir o que fazer com as penitenciárias, que não serão mais necessárias”, disse o presidente. “Temos problemas importantes e complexos, mas, por meio da educação, se resolvem muitas coisas.”

O Brasil e a Coreia do Sul

Skaf comparou a situação do Brasil e da Coreia do Sul nos anos 1950 e hoje. “Enquanto a indústria automobilística chegava no Brasil, a Coreia saía de uma guerra completamente arrasada”, disse. “Vejam hoje a Coreia e o Brasil: as fábricas de automóveis coreanas estão se instalando aqui. Tudo porque eles optaram por investir na educação.”

“A indústria quer colaborar com todos pela educação dos municípios, do estado e do país. Seja com as escolas do Sesi e do Senai, das unidades móveis, das parcerias com o Sistema Sesi, com o Programa Atleta do Futuro, enfim, estamos à disposição para dar oportunidades verdadeiras para milhões de pessoas.”’

Após a palestra, Paulo Skaf visitou os stands do evento e também conversou com dirigentes no estande do Sesi-SP e do Senai-SP.

Estimular setores produtivos é o que fortalece o Brasil, afirma Skaf no 22° Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp, de Campos do Jordão

“Estimular os setores produtivos é o que fortalece o Brasil”. Com essas palavras, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, abriu, nesta quarta-feira (09/10), em Campos do Jordão, o 22° Congresso Brasileiro da Indústria de Águas Minerais, evento realizado pela Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam).

Skaf chamou a atenção para a importância do debate sobre o novo marco regulatório do setor da mineração, tema que foi amplamente discutido durante a reunião do Comitê da Cadeia Produtiva da Mineração (Comin) da Fiesp, realizada nesta terça-feira (08/10), na sede da entidade.

Segundo Skaf, alguns pontos do novo marco podem prejudicar os investimentos e o crescimento do setor. “Precisamos trabalhar com seriedade a questão do marco regulatório da mineração, que afeta diretamente a cadeia produtiva”, disse.

Paulo Skaf: “Novo marco regulatório proposto tem alguns pontos que precisam ser corrigidos. E esperamos que eles sejam”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

“Precisamos defender o que é bom para o Brasil. E qualquer marco que prejudique investimentos, como esse, é contra o interesse da sociedade. O novo marco regulatório proposto tem alguns pontos que precisam ser corrigidos. E esperamos que eles sejam”, afirmou. “Estamos juntos. A Fiesp, Ciesp, o Senai-SP e o Sesi-SP estão – e sempre estarão – ao lado da sociedade”, completou.

Além de Skaf, participaram da cerimônia o presidente da Abinam, Carlos Alberto Lancia, Frederico Scaranello, prefeito de Campos do Jordão e Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

Gouvêa Vieira agradeceu o convite e aproveitou apara elogiar o trabalho que o presidente da Fiesp realiza à frente da instituição paulista. “Como líder, Skaf é generoso. A Fiesp procurou a Firjan para estabelecer alianças densas, fundamentais para as indústrias do país”, disse. “Dessa forma, trazemos à pauta coisas importantes para o crescimento nacional”, afirmou.

Foi a primeira vez que os dois líderes participaram juntos de um evento no interior paulista.  “A união da Firjan e da Fiesp é fundamental e um exemplo de aliança transformadora. É uma parceria que traz benefício às pessoas e a toda a sociedade”, completou.

O prefeito da cidade paulista, Scaranello, agradeceu a Abinam pela escolha da cidade para sediar o evento. “Aqui temos a melhor água do país. Somos uma estância turística que até um ano atrás tinha deficiências de tratamento de esgoto e resíduos sólidos”, contou. “Neste ano, com investimento de R$ 106 milhões, inauguraremos, em dezembro, uma estação de tratamento de esgoto – a mais moderna da América Latina”, disse.

Lancia encerrou a cerimônia e ressaltou a importância da união do setor pela redução do ICMS [ Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação] pago pelas indústrias. “Precisamos da redução da carga tributária, que é 2,5 vezes maior que a do setor energético. Não é possível que um recurso importante como a água pague 18% de ICMS. Queremos a carga em torno de 7%”, afirmou.