Vôlei: Sesi-SP perde e precisa vencer em Taubaté para conquistar campeonato paulista

Agência Indusnet Fiesp

Diante de um reforçado Funvic/Taubaté, com nomes como Lorena, Lipe, Sidão e Dante, o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) de Lucão, Marcelinho, Serginho e Lucarelli acabou derrotado por 3 sets a 0 (21/25, 23/25 e 18/25) na primeira das duas partidas válidas pela final do Campeonato Paulista. O jogo aconteceu na noite desta segunda-feira (20/10) no ginásio da Vila Leopoldina, casa do Sesi-SP na zona oeste da capital.

Sesi-SP teve dificuldades para conter ataque do Taubaté. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

 

Com o resultado, o Sesi-SP precisa vencer quatro sets para levantar seu quinto título estadual e quarto consecutivo. Além de superar o adversário no segundo jogo, marcado para a tarde sábado (25/10), às 13h, em Taubaté (SP), por qualquer placar, logo na sequência, o Sesi-SP precisa ganhar o chamado “golden set” – tira-teima previsto no regulamento em caso de empate na disputa.

Para o treinador da equipe, Marcos Pacheco, na primeira partida faltou um desempenho melhor no saque. “Eles tiveram um saque com intensidade e qualidade muito forte e nós não conseguimos imprimir essa agressividade para o lado deles. O jogo ficou desparelho.”

Segundo Pacheco, é preciso que o levantador Marcelinho receba a bola em melhores condições para poder variar as jogadas. “Tem duas coisas que são fundamentais para o jogo equilibrar: nós sacarmos mais ou melhor e ter uma linha passe mais competente. Se não o jogo fica desigual como foi hoje.”

O jogo

O Sesi-SP começou bem, chegando ao primeiro tempo técnico com vantagem de três pontos (08/05). O jogo ganhou mais equilíbrio e a diferença caiu na segunda parada obrigatória, com o Sesi-SP ainda na frente: 16/15. Os visitantes viraram e abriram dois pontos, mas o central Rogério diminuiu na mão de ferro e o empate veio com um ataque do oposto Leozão (do Taubaté) na antena. Em ataque de fundo, Dante ampliou para 20/22. A vantagem foi ampliada quando o ponteiro Lipe foi para o saque e Taubaté chegou ao set point. O parcial foi fechado em erro de saque do Sesi-SP: 21/25.

No segundo set, o Taubaté começou melhor e abriu dois pontos. Theo empatou pela saída de rede e virou em bonito rali: 05/04. Mas a equipe visitante virou e chegou ao primeiro tempo do parcial com 06/08. O Taubaté continuou virando suas bolas e foi para a segunda parada com 15/16. Douglas empatou em 18/18. Mas o Taubaté venceu em saque para fora do Seis-SP: 23/25.

No terceiro set, o Taubaté seguiu sacando muito forte, mas o Sesi-SP conseguiu o empate em 07/07 em bloqueio de Lucão sobre o ponteiro Lorena. A equipe visitante foi para a primeira parada em vantagem (07/08) e ampliou a diferença em boa passagem de Lipe no saque, abrindo 09/14. Marcos Pacheco pediu tempo e o Sesi-SP diminuiu com Douglas (11/15). Riad fez um belo ace e o Sesi-SP aproximou-se: 12/15. Em mais uma pancada de Riad, Lucarelli aproveitou contra-ataque e encurtou para 13/15. O Taubaté fez a virada de bola e chegou ao à segunda parada com 14/16. O oposto Lorena, pela diagonal, ampliou para três pontos (15/18) e Lipe , mais uma vez no saque, desestruturou a linha de passe do Sesi-SP (17/22). No bloqueio, a equipe visitante fechou o parcial em 18/25 e o jogo por 3 sets a 0.

Vôlei masculino do Sesi-SP vence Brasil Kirin na semifinal do Campeonato Paulista

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Na primeira das duas partidas da semifinal, a equipe masculina de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Brasil Kirin na noite desta sexta-feira (10/10) e saiu na frente na luta pela vaga na final. Jogando em casa, no ginásio da Vila Leopoldina (zona oeste da capital), o Sesi-SP venceu por 3 sets a 1 (25/23, 20/25, 30/28 e 25/18).

Com 24 acertos, o oposto Theo foi o maior pontuador do confronto que marcou a volta do ponteiro Murilo, recuperado de uma lesão em sua passagem pela seleção brasileira no Mundial da Polônia.

Lucarelli dá uma largada para superar bloqueio do time de Campinas. Foto: Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

 

Na avaliação de Marcos Pacheco, técnico do Sesi-SP, a equipe ainda precisa evoluir. “Foi uma boa partida. O time tem que aprender a resolver seus problemas. Coletivamente, esse time precisa aprender a jogar junto. Vencemos, maravilhoso. A cada jogo, o time vai evoluindo.”

A equipe atuou com Marcelinho (levantador), Theo (oposto), Mão (ponteiro), Rogério (central), Lucão (central), Lucarelli (ponteiro) e Serginho (líbero). Entraram: Murilo (ponteiro), Rafael (oposto) e Bernardo (levantador).

A partida decisiva está marcada para quinta-feira (16/10), em Campinas. Se o Sesi-SP vencer garante vaga na final. Se perder, um Golden Set define o finalista.


O jogo

O primeiro set começou equilibrado com as duas equipes atacando. Com a diferença de um ponto, o primeiro tempo técnico foi de 07/08 para o Brasil Kirin. Na volta, com ace de Marcelinho, o Sesi-SP passou a frente abrindo 14/11 e forçou o técnico do time de Campinas a pedir tempo técnico. Aumentando ainda mais a vantagem, o Sesi-SP abriu cinco pontos de vantagem com ace de Lucão e uma boa defesa do líbero Serginho, forçando mais um tempo técnico do adversário. Erros de ataque do lado Sesi-SP facilitaram aproximação do Brasil Kirin no placar, diminuindo a vantagem para apenas um ponto, mas a equipe da Vila foi mais guerreira e garantiu o primeiro set (25/23). Destaque do primeiro set, o central Rafael foi o responsável por pontos de ataque e de bloqueio.

No segundo set o time de Campinas entrou mais forte, cometeu poucos erros e chegou abrir uma vantagem de seis pontos, forçando o técnico do Sesi-SP, Marcos Pacheco, pedir tempo. Na frente durante todo o set, o Brasil Kirin aproveitou alguns erros no ataque e na defesa do Sesi-SP para manter a vantagem na pontuação. Após o segundo pedido de tempo técnico de Pacheco, a equipe da Vila acertou algumas jogadas mas não foram suficientes para virar o placar, o time adversário fechou o segundo set em 20/25.

No terceiro set, o técnico Pacheco optou por começar com Murilo no lugar do central Mão. Com erros de saque dos dois times, o set começou equilibrado. O time de Campinas chegou abrir três pontos de vantagem, mas após o pedido de tempo de Pacheco o time da Vila se recuperou e passou a frente, fechando o primeiro tempo técnico em 08/07. Forçando e encaixando bons saques, o Sesi-SP manteve a vantagem de um ponto durante o set e garantiu mais uma parcial (16/15). Ponto a ponto, as duas equipes mantinham o empate, mas com a garra de Theo atacando e forçando o saque o time do Sesi-SP foi mais guerreiro e garantiu o terceiro set com 30/28.

Assim como nos três primeiros, o quarto set começou bastante disputado, com as duas equipes atacando e pontuando. Para sair na frente e fechar o primeiro tempo técnico do set, o Sesi-SP apostou em saques forçados, dificultando a recepção do time adversário. Dando sequencia às boas jogadas e abrindo cinco pontos, a equipe de Pacheco forçou o técnico do Brasil Kirin pedir tempo para tentar quebrar o ritmo e se recuperar na partida. Sem sucesso, o time de Campinas não conseguiu reagir e o Sesi-SP fechou mais um tempo técnico na frente (16/11). Aproveitando os erros do adversário, o Sesi-SP colocou teve bom aproveitamento no ataque e fechou o quarto e último set em 25/18.

Vôlei: Sesi-SP derrota São Bernardo pelas quartas do Campeonato Paulista masculino

Agência Indusnet Fiesp

Mão ataca: Sesi-SP comandou o placar nos três sets. Lucas Dantas/Sesi-SP Divulgação

Na primeira das duas partidas com o São Bernardo pelas quartas de final do Campeonato Paulista Masculino, a equipe de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) saiu em vantagem ao vencer o jogo da noite deste sábado (27/09) por 3 sets a 0  (25/19, 25/18 e 25/15).

O jogo de volta está marcado para sexta-feira (03/10), em Santo André. O Sesi-SP precisa de uma vitória por qualquer placar para avançar às semifinais. Se for derrotado, tem chance de garantir a classificação em um Golden Set logo após a partida.

A partida marcou a volta do ponteiro Lucarelli à equipe, depois de um longo período a serviço da seleção brasileira, com a qual conquistou duas medalhas de prata: a da Liga Mundial, na Itália, e a do Mundial, na Polônia.

O jogador foi um dos destaques, sem mostrar cansaço e marcando pontos de ataque, bloqueio e saque. “Jogando com os amigos fica muito fácil”, disse Lucarelli ao final da partida ao SporTV, lembrando que não houve problema de entrosamento porque atuou dois anos com o levantador Marcelinho quando ambos atuavam pelo Minas Tênis.


O jogo

Com Lucarelli como titular e o central Riad poupado, o time do técnico Marcos Pacheco começou bem e logo abriu vantagem, fechando o parcial em 25/19.

No segundo set, o Sesi-SP chegou ao primeiro parcial na frente (08/04), com o central Rogério. A equipe entrou na reta final com sete pontos de diferença (19/12), vantagem mantida até o final: 25/18.

Com boa atuação coletiva, o Sesi-SP abriu cinco de diferença (10/05) e logo ampliou: 17/10. A equipe manteve o ritmo e fechou sem dificuldades a partida: 25/15 e 3 sets a 0.

Lucarelli (camisa 18) comemora com a equipe. Foto: Lucas Dantas. Sesi-SP Divulgação.

Sesi-SP vence São Bernardo e conquista 3ª vitória seguida no Campeonato Paulista

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Com pouca torcida por causa da noite fria em São Bernardo, onde a temperatura chegou a 11 graus, as equipes masculinas de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e São Bernardo fizeram uma partida quente decidida apenas no quinto set, com vitória da equipe da Vila Leopoldina por 3 sets a 2 (19/25; 25/13; 25/23; 22/25; 15/10). Com o triunfo, o time do técnico Marcos Pacheco chegou aos oito pontos, com três vitórias, e agora enfrenta o Funvic Taubaté na próxima rodada.

Rogério (esquerda) teve atuação elogiada pelo técnico Marcos Pacheco. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

Na análise de Pacheco, a vitória foi mais difícil do que o planejado e foram necessárias muitas mudanças para que a equipe conseguisse vencer a partida. Segundo o treinador, alguns jogadores não conseguiram render o esperado, como o central Aracaju e o ponteiro Alisson.

“Os números são frios, e os jogadores não jogaram bem. É isso. Por isso eu mexi. Tem um plantel e o [central] Rogério entrou muito bem no meio. Fez ótimo jogo. O time não pode perder as chances que perdeu. Foi abaixo do que podemos jogar, mas valeu pela vitória. Agora é trabalhar para o próximo jogo”, disse Pacheco.

O time começou com o levantador Thiaguinho, o oposto Théo, o ponteiro Alisson, os centrais Aracajú e Riad e o ponteiro Mão, além do líbero Serginho.

A partida marcou a estreia de um novo uniforme com o brasão da suçuarana que simboliza o espírito guerreiro das equipes de alto rendimento do esporte do Sesi-SP.

O jogo

Líbero Serginho com novo uniforme. Brasão simboliza espírito guerreiro das equipes de esporte de alto rendimento do Sesi-SP. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Apesar do frio, o jogo começou bem quente, com as duas equipes sacando forte e complicando os passes para os levantadores. O Sesi-SP saiu na frente com Riad atacando forte pelo meio, mostrando a tendência de jogo de Thiaguinho, que usou bastante os centrais. A jogada, porém, ficou marcada e Aracaju parou duas vezes no bloqueio rival, fazendo o São Bernardo assumir a vantagem em 08/10. O bloqueio do time da casa era sua maior arma e Théo também teve dificuldades, como quando um triplo de Edy, Vini e Jacke fechou seu caminho, ampliando para 09/12 a diferença e forçando pedido de tempo de Marcos Pacheco. Na volta, o São Bernardo ampliou a vantagem, então Pacheco trocou Thiaguinho e Théo por Marcelinho e Rafael Araújo, fortalecendo o bloqueio. Mas a defesa do São Bernardo continuava funcionando muito bem, ajudando o time a abrir uma boa vantagem na etapa, que se consumou com a vitória por 19/25, com Edy pela ponta.

O time voltou com Marcelinho no lugar de Thiaguinho para o segundo set e chegou a abrir 04/00, mas deixou o São Bernardo chegar, principalmente graças ao bloqueio, que continuava eficiente. Dessa vez, porém, a equipe não se perdeu e manteve a vantagem, fechando o primeiro tempo técnico com Riad, no bloqueio, em 08/05. Com uma atuação mais firme, o time manteve a vantagem sem maiores sustos e com menos erros. Rogério entrou no meio de rede para fortalecer o bloqueio e garantiu dois preciosos pontos para fechar também o segundo tempo técnico em 16/08. Daí foi só segurar o placar e fechar em 25/13 para empatar a partida.

Pacheco manteve a equipe para o terceiro set, mas o jogo não foi o mesmo no início, com Lucas e Vini fechando bem a rede para cima de Alisson. Marcelinho tentava com Théo e Alisson, mas os ataques para fora ajudaram o São Bernardo a abrir vantagem de quatro pontos durante boa parte da etapa. Pacheco trocou Alisson por Composto e ponto a ponto o time foi buscando até empatar em 18/18. A virada veio com o bloqueio triplo de Rafael Araújo, Rogério e Mão. Aos poucos, o time ampliou sua vantagem até fechar em 25/23 com Théo explorando o bloqueio e virar a partida.

O quarto set foi o mais quente da partida. Com as torcidas disputando no grito quem empurrava mais a equipe, os dois times jogaram com mais intensidade, disputando os pontos com duelos intensos. Pacheco lançou Rafael Araújo no lugar de Théo, mantendo Composto na ponta e Rogério no meio. Para o São Bernardo, só a vitória interessava e cada ponto era comemorado como se fosse o último. E com o apoio da torcida, o São Bernardo virou de 15/13 para 16/15, fechando o segundo tempo técnico. Com o ânimo renovado, o time da casa segurou a vantagem até fechar em 22/25 e empatar a partida.

Nervosos, os dois times erraram saques no início, forçando para fora ou na rede, dando pontos de graça para o outro lado. Com belo ataque de Riad pelo meio, o Sesi-SP chegou a abrir 08/05 na virada de quadra, mas o São Bernardo brigava para não deixar os visitantes escaparem. Composto subiu na rede em travou Igor no bloqueio, fazendo 11/07, provocando um pedido de tempo de Douglas Chiarotti. Deu certo e seu time encostou em 11/10. Pacheco pediu tempo. Aí foi a vez de Composto, de novo, salvar o ponto após recepção ruim de Thales. E com bloqueio de Rafael Araújo, o time fechou em 15/10, vencendo a terceira partida seguida no Campeonato Paulista.

Com uniforme novo, time masculino do Sesi-SP busca terceira vitória no Paulista de vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Depois delas, eles. Chegou a hora de o time masculino de vôlei do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) vestir a nova camisa da temporada 2014-15, com o Elmo dos Guerreiros estampado no peito. E a estreia será em grande estilo, em um dos principais e mais conhecidos ginásios do esporte brasileiro, o Adib Moysés Dib, em São Bernardo. O confronto com a equipe da casa será válido pela terceira rodada do Campeonato Paulista, às 19h. O Sesi-SP vem de duas vitórias (Santo André; 3 sets a 1 e Rio Claro; 3×0) e busca o terceiro triunfo, que pode valer a liderança da competição, caso o jogo termine com 3 sets a 0 para a equipe da Vila Leopoldina.

Riad, Serginho e Marcelinho com o novo uniforme. Foto: Everton Amaro/Fiesp

 

A linha das camisas segue as cores da temporadas anteriores. O uniforme tradicional será o vermelho, com detalhes em preto. O reserva terá o tom branco e o do líbero será totalmente preto, com detalhes em dourado. E esses detalhes prestam homenagem às quatro medalhas de ouro conquistadas pela Seleção Brasileira nas Olimpíadas, em 1992, 2004, 2008 e 2012. Fabiana (2008/12) e Talmo (campeão quando era jogador, em 1992) representam as medalhas do núcleo feminino, enquanto Serginho, líbero da conquista em Atenas, em 2004, é a referência da defesa do time masculino atualmente. O jogador falou sobre o uniforme, que estreia na quinta-feira (28/08), e curtiu a novidade.

“O uniforme do líbero ficou bonito. A gente não tinha nenhuma marca, nenhum logotipo, era só o nome do Sesi-SP. Com um símbolo, vamos conseguir atrair mais torcedores para o time. Acho que vamos ter de aumentar a capacidade do ginásio. A marca Sesi-SP precisava de um uniforme novo. Ficou legal, eu gostei”, disse o camisa 10.

Quem também falou sobre a nova vestimenta foi o técnico Marcos Pacheco, que elogiou a ação de marketing da equipe, que ajudará a formar novos torcedores.

“É espetacular. Ações como essas viabilizam que, mesmo as pessoas que não torçam pelo Sesi-SP, simpatizem e conheçam todo o projeto do Sesi-SP, que é maior do que um time de vôlei.”

Mas além de estrear a camisa, o time terá a missão de vencer sua partida. No último confronto, pela Copa São Paulo, o Sesi-SP derrotou o São Bernardo por 3 sets a 0 e se classificou para a final da competição. Era apenas o segundo jogo oficial na temporada, onde o entrosamento ainda não era o ideal. Agora, depois de mais algumas partidas, a equipe já mostra estar mais encorpada. Essa é a avaliação do levantador Marcelinho, que prevê um duelo ainda mais difícil nesta quinta-feira.

“As duas equipes melhoraram (desde aquele jogo). Tiveram mais treinamentos, têm um melhor entrosamento. O São Bernardo teve uma vitória muito importante contra o Taubaté, e isso deu moral para a equipe. Vai ser uma partida muito mais difícil do que na Copa São Paulo”, disse Marcelinho, que também ressaltou a evolução do Sesi-SP durante esse período. “Hoje a equipe melhorou, nos conhecemos mais, estamos jogando melhor dentro do sistema que o Marcos Pacheco quer. É um outro momento nosso também”.

Após o confronto contra o São Bernardo, o Sesi-SP disputará um amistoso contra a seleção do Japão, segunda-feira (01/09), em Mogi das Cruzes, e volta a disputar o Campeonato Paulista na sexta seguinte (05/09), contra o Funvic/Taubaté, na Arena Santos.

Em Campinas, Sesi-SP decide nesta quinta (31/10) Campeonato Paulista de Vôlei

Agência Indusnet Fiesp

Lucarelli, Ary e Serginho. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

O time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) decide na noite desta quinta-feira (31/10), às 19h, em Campinas, o Campeonato Paulista de Vôlei. A partida tem transmissão confirmada pelo canal Sportv.

O adversário é o Brasil Kirin, que joga em casa no ginásio da Taquaral.

Na primeira partida das finais do campeonato paulista de vôlei, o Sesi-SP venceu o Brasil Kirin, de Campinas, por 3 sets a 1 (21/18, 18/21, 21/16 e 21/15).

Com o resultado , o Sesi-SP pode conquistar o título nesta quinta (31/10) com uma vitória por qualquer placar.

Se o Brasil Kirin vencer, o regulamento prevê a disputa do Golden Set, logo após a partida, em melhor de 21 pontos, para definir o campeão estadual.

Sesi-SP vence Brasil Kirin por 3 sets a 1 e sai na frente na decisão do Campeonato Paulista

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Na primeira partida das finais do campeonato paulista de vôlei, o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o Brasil Kirin, de Campinas, por 3 sets a 1 (21/18, 18/21, 21/16 e 21/15) na tarde deste domingo (27/10), no ginásio da Vila Leopoldina.

Com o resultado , o Sesi-SP pode conquistar o título com uma vitória por qualquer placar na segunda partida, que será realizada na quinta-feira (31/10), às 19h, em Campinas, no ginásio do Taquaral.

Se o Brasil Kirin vencer, o regulamento prevê a disputa do Golden Set, logo após a partida, para se definir o campeão estadual.

Sesi-SP joga partida decisiva fora de casa. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

O Sesi-SP marcou nove pontos de saque – seis de Evandro, dois de Lucão e um de Lucarelli. Na avaliação do oposto Evandro, maior pontuador da partida, com 26 pontos, o bom desempenho da equipe no Sesi-SP não foi o único fundamento determinante para a vitória. “Tirando uma hora no segundo set que a gente tomou alguns pontos seguidos, nosso ataque foi muito eficiente, nosso bloqueio foi eficiente, nossa recepção. Jogamos bem. Jogamos muito bem. Isso fez a diferença.”

O técnico do Sesi-SP, Marcos Pacheco, elogiou o desempenho de sua equipe. “Hoje foi uma atuação muito boa, contra um adversário muito bom, mas o time jogou bem, foi competente para obter a vitória”, analisou o técnico do Sesi-SP, Marcos Pacheco. Segundo ele, o time do Sesi-SP tem a oportunidade de ter jogadores extremamente agressivos no saque. “Como foi o Lucão no terceiro set e o Evandro no quarto set.”

De acordo com o levantador e capitão da equipe do Sesi-SP, Sandro, a vantagem do Sesi-SP é relativa. “A gente conquistou uma vitória hoje, mas tem que conquistar outra na quinta-feira. Descansar um pouquinho amanhã voltar a treinar na terça-feira forte, ajustando algumas coisas que não deram certo no jogo de hoje, mas valorizando, sim, as coisas que a gente fez bem. A gente sacou muito bem, pressionou a equipe deles o tempo inteiro. Acho que isso foi primordial para conseguir a vitória.”

Segundo Sandro, a equipe é experiente para suportar a pressão no jogo em Campinas. “A gente vai esperar um caldeirão lá em Campinas. No Taquaral a gente sabe que a torcida vai, comparece, gosta de voleibol. Com certeza vai ajudar a equipe deles, mas a gente vai preparado. Vamos trabalhar a semana e ir com tudo para buscar nosso tricampeonato.”

Com relação à possibilidade de decidir o campeonato no chamado Golden set, Pacheco disse acreditar ser situação nova e muito perigosa. “Não temos histórico no Brasil quanto a isso. Vamos lutar muito para não chegar a esse ponto.”

O Sesi-SP do técnico Marcos Pacheco atuou com Sandro, Evandro, Sidão, Lucarelli, Ary e Lucão. Serginho foi o líbero. Entraram: Renan, Rogério, Thiaguinho, Mão e Lucianinho.

O Brasil Kirin do técnico Alexandre Rivetti atuou com Rivaldo, Gustavão, Vini, Diogo, Bravo e Rodriguinho. Alan foi o líbero, Entraram: Bergamo, Paulo Renan, Rodrigão e Mineiro.

O jogo

Evandro foi o maior pontuador do jogo. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

No primeiro set, num prenúncio do equilíbrio que marcaria boa parte do confronto, o jogo começou com um breve rali. Depois de troca de pontos, o Sesi-SP conseguiu abrir uma pequena vantagem (05/03) em saque de Lucarelli, mas em boa passagem de Vini pelo saque, o Brasil Kirin virou. Sidão, em boa trama pelo meio, empatou (06/06). Na sequência, o bloqueio parou Rivaldo e os donos da casa chegaram na primeira parada técnica com vantagem mínima (07/06). O jogo seguiu disputado ponto a ponto, com o bloqueio do Sesi-SP funcionando bem. Evandro, no saque, abriu a margem para dois pontos (10/08) e o técnico da equipe de Campinas pediu tempo. Funcionou e o Brasil Kirin virou (11/12). Foi a vez de Marcos Pacheco parar o jogo para conversar com seus atletas. Aproveitando um contra-ataque em que Sandro defendeu, Serginho levantou e Evandro botou na quadra adversária, o Sesi-SP chegou à segunda parada obrigatória na frente (14/13). Na sequência, o bloqueio do funcionou duas vezes e a equipe abriu três (16/13). Em bela jogada de Sidão, a vantagem foi mantida (17/14). Os visitantes aproveitaram um rali para encostar (17/18). Lucão, pelo meio de rede, deixou o placar em 19/17. Marcos Pacheco fez uma inversão do 5-1, escalando Thiaguinho e Renan. Mas Thiaguinho errou saque e Marcos Pacheco desfez a opção. Diogo errou o saque e o Sesi-SP chegou ao primeiro set point. O Sesi-SP soube aproveitar um contra-ataque e Lucão fechou parcial: 21/18.

No segundo set, as equipes seguiram trocando pontos até que Rivaldo acertou um saque (02/03). Lucarelli, com muita habilidade, explorou o bloqueio para empatar. Rivaldo parou no bloqueio de Sidão (04/03). Em belo ataque do fundo de quadra, Lucarelli marcou mais um (05/04). O Sesi-SP soube aproveitar um contra-ataque e Lucão não perdoou: 06/04. O Sesi-SP chegou ao primeiro tempo técnico obrigatório em erro de Rivaldo: 07/04. Os visitantes diminuíram em bloqueio de Gustavão. Evandro soube explorar o bloqueio para fazer 11/08. Lucarelli parou e bloqueio de Rivaldo: 11/10. Bravo soube explorar o bloqueio e empatou (11/11). Os visitantes viraram para 11/12 em bola de Serginho que o árbitro apontou como dois toques. Marcos Pacheco pediu tempo mas o Sesi-SP seguiu errando na linha de recepção e o Brasil Kirin chegou a 11/14. A vantagem caiu para 13/15 e Alexandre Rivetti pediu tempo. O Sesi-SP conseguiu diminuir para 15/17 em bloqueio de Evandro. Em belo ataque de Ary, a diferença caiu para 16/18. O Brasil Kirin chegou a 16/20. Ary reduziu para 17/20 e, depois de defesa de Renan, o Sesi-SP diminuiu para 18/20. Depois de belo rali, o Brasil Kirin empatou o jogo ao fechar em 18/21 em 23 minutos, em ataque para fora de Lucarelli.

No início do terceiro set, o Sesi-SP soube sair de uma desvantagem de 01/03 para 05/04 em saque de Evandro. Lucarelli, voando do fundo da quadra, fez 06/05. Os visitantes chegaram na frente na primeira parada técnica (06/07). Um belo ace de Lucão empatou a contagem (08/08). O central acertou a mão novamente e virou (09/08). Sidão, pelo meio, manteve o Sesi-SP um ponto na frente. Gustavão errou o ataque e perdeu a chance de empatar. Bravo parou em bloqueio triplo do Sesi-SP, que marcou 12/10. Em bela levantada com uma só mão, Sandro colocou Sidão em condições de fazer o 13/11. Rivaldo não conseguiu superar mais um bloqueio triplo do Sesi-SP e atacou na rede. O Sesi-SP chegava à segunda parada com 14/11. Com 15/11, Marcos Pacheco fez a inversão de 5-1. Bravo acertou um ace e reduziu a vantagem do Sesi-SP para apenas um ponto (15/14). Marcos Pacheco pediu tempo. O Brasil Kirin conseguiu empatar em 15/15. Lucão, finalmente, marcou pelo meio: 16/15. Diogo errou ataque pela entrada de rede e o Sesi-SP fez 17/15. Foi a vez de Alexandre Rivetti pedir tempo. Evandro aproveitou contra-ataque e fez 18/15. Rivaldo tentou explorar o bloqueio sem sucesso e o Sesi-SP ampliou: 19/15. Diogo parou em bloqueio simples de Lucão e o Sesi-SP chegou ao primeiro set point (20/15). O técnico do Brasil Kirin novamente pediu tempo, mas Lucão fechou o set em 21/16.

No quarto set, o Sesi-SP fez 02/00 depois de um peixinho salvador de Serginho. O Brasil Kirin empatou com Vini. E virou depois de um longo rali: 02/03. Sidão parou no bloqueio dos visitantes, que abriram 03/05. Marcos Pacheco não esperou e decidiu pedir tempo. Deu certo e o Sesi-SP soube aproveitar um contra-ataque para empatar e virar com Evandro em boa passagem de Sidão pelo saque. Lucão fez mais um e o Sesi-SP chegou na frente na primeira parada técnica. Em belo bloqueio de Lucão, o Sesi-SP fez o 09/07. Evandro, em saque demolidor, fez o 10/07 e Alexandre Rivetti pediu tempo. Evandro continuou soltando o braço e ampliou: 11/07. O oposto prosseguiu bem na partida e o Sesi-SP chegou com 14/11 na segunda parada obrigatória. O Sesi-SP continuou acertando suas bolas e manteve a vantagem (16/13). Em erro de ataque do Brasil Kirin, o Sesi-SP ampliou para 17/13. Lucão, pelo meio, fez mais um: 18/14. Evandro voltou ao saque e continuou demolidor, marcando o 19º e o 20º pontos. O Sesi-SP fechou o jogo com Evandro : 21/15 e3 sets a 1.

Em noite de festa para Serginho, Sesi-SP vence primeira partida da semifinal do campeonato paulista de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Serginho usou uma camisa diferente, em apoio à campanha Outubro Rosa. Foto: Divulgação

A noite era do aniversariante Serginho. Jogando com uma camisa especial para a campanha Outubro Rosa, o líbero de 37 anos surpreendeu ao marcar um ponto com rara habilidade e teve apenas um erro na vitória por 3 sets a 0 do time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sobre o do São José dos Campos. Os parciais foram de 21/18, 21/19 e 21/15 em partida válida pela primeira semifinal do campeonato paulista de vôlei realizada na noite de terça-feira (15/10), na casa do adversário.

O destaque foi a atuação dos centrais Lucão, com nove pontos, e Sidão, com oito. Com ataques precisos, a dupla desmontou a defesa da equipe do Vale do Paraíba e foram decisivos para o triunfo apo mostrar bom rendimento em fundamentos como saque e bloqueio.

A segunda partida da semifinal será na próxima sexta-feira (18/10), na Vila Leopoldina, às 19h. Em caso de vitória do São José, a vaga na final será decidida no chamado Golden Set – um set extra, de 21 pontos, novidade do regulamento da competição. Quem avançar enfrenta o vencedor do confronto São Bernardo x Brasil Kirin em dois jogos programados para os dias 27 e 31 de outubro.

Apesar da vitória por 3 sets a 0, o técnico Marcos Pacheco alertou para o alto número de erros. E prometeu que a equipe vai trabalhar ainda mais, de olho no segundo jogo e na retomada da Superliga 2013/14, na próxima terça-feira (22/10), contra o Volta Redonda, também no ginásio da Vila Leopoldina.

“Apesar do placar, o jogo não foi muito bom. Erramos demais. Só no primeiro set, demos 10 pontos para eles. Isso não pode acontecer. Podíamos ter imposto um ritmo melhor, ter feito uma partida melhor, como todo o respeito ao São José, mas foi um jogo abaixo do que o Sesi-SP tem para oferecer. Agora vamos trabalhar bastante, porque tem muita coisa para melhorar”, declarou o técnico, que já pensa na maratona que terá pela frente e as dificuldades futuras.

“Se passarmos para a final, será uma pedreira atrás da outra. Volta Redonda, Canoas, três jogos seguidos contra o Brasil Kirin (Paulista e Superliga)… Acabou a moleza e precisamos melhorar nossas deficiências agora. Mas não vamos dizer que está tudo ruim, pelo contrário. Temos problemas, mas uma vitória por 3 sets a 0 numa partida difícil como essa precisa ser muito valorizada. E sexta-feira [18/10] será muito mais difícil, tenho certeza”, finalizou Pacheco.

O jogo

Impulsionado pela torcida, que fazia muito barulho no ginásio do CTA de São José dos Campos, o time da casa forçou bastante o saque e forçou erros por parte do Sesi-SP. A equipe paulista chegou a equilibrar a etapa, mas o São José se mantinha firme e no ritmo dos torcedores, que vibravam muito a cada ponto, até conseguir o primeiro tempo técnico em 05/07. Após a conversa, o Sesi-SP começou a moldar o jogo à sua maneira. Com a eficiência do ponteiro Tiago Wesz, o Mão, no saque e nos ataques na ponta, além da força de Lucão de meio, o time virou o jogo e abriu três pontos de vantagem no segundo tempo técnico (14/11), mantendo a média até o final da primeira etapa, fechada em 21/18, em 23 minutos.

O segundo set começou bem melhor para o São José. Com Jean inspirado, o time forçou ainda mais no saque e chegou a abrir 02/07 no tempo técnico. Mais uma vez, Pacheco precisou acertar a recepção para conseguir botar o Sesi-SP de volta no jogo. Com calma e apostando também nos erros adversários, o time da indústria equilibrou a partida e empatou em 10/10, deixando o set em aberto. Com a entrada de Renan, a equipe cresceu e passou a virar bolas importantes, além de funcionar melhor no bloqueio. E foi com Renan que o Sesi-SP fechou o set em 21/19 em 24 minutos, abrindo 2 sets a 0 na partida.

A etapa final seguiu o script até então. O São José começando muito forte e fazendo o primeiro tempo técnico. Novamente, calma, conversa e o Sesi-SP assumiu o controle do jogo. Sem que o São José conseguisse fazer um único bloqueio na etapa, e ainda dando nove pontos através de erros, a equipe de Pacheco administrou o placar até fechar em 21/15, em 17 minutos, dando números finais ao jogo.

Sesi-SP vence São Caetano na primeira partida das quartas de final do campeonato paulista

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Com placar de 3 sets a 1 (21/16, 21/15, 33/35 e 21/13), a equipe masculina do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) superou o São Caetano no primeiro jogo das quartas de final do campeonato paulista de vôlei. A partida aconteceu nesta quarta-feira (11/09) na cidade do ABC paulista.

Renan ataca pela saida de rede. Oposto marcou 11 pontos. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

 

Mesmo atuando na casa do rival, o Sesi-SP – segundo mais bem colocado na primeira fase da competição – não encontrou dificuldades para superar o São Caetano, sétimo na tabela.

Nos dois primeiros sets, o time comandado pelo técnico Marcos Pacheco conseguiu manter-se à frente do placar logo no início e soube administrar a vantagem durante o restante dos sets. No terceiro set, que durou trinta e cinco minutos, os donos da casa equilibraram o jogo, vencendo por 35/33, e levando o jogo para o quarto set. No final, prevaleceu a força do elenco do Sesi-SP: 21/13.

Evandro foi o maior pontuador do Sesi-SP, com 14 pontos, seguido por Sidão (13), Renan (11), Manius (10), Alisson (oito), Lucão (seis) e Sandro (um). Pelo São Caetano, Schueroff liderou a pontuação, com 12 acertos, seguido por Wennder (11).

O líbero Serginho elogiou o poderio no saque do São Caetano e afirmou que o time precisa entrar concentrado na partida de volta para não deixar a vaga escapar. “É uma boa vantagem para decidirmos em casa; temos que entrar focados como fizemos hoje.”

Sidão ressaltou o desempenho do time no primeiro e quarto set. “Essa é a forma como devemos jogar, bastante atentos e usando a força e a altura dos nossos jogadores. No segundo set, apesar de termos vencido, nosso rendimento caiu.”

Para Sidão, a vaga ficou mais próxima – a próxima partida está marcada para a Vila Leopoldina. “Só depende de nós. Temos que entrar 100%, somos favoritos e terminar o jogo o mais rápido possível.”

O jogo decisivo, que define o classificado para a semifinal, está marcado para quinta-feira (19/09). Em caso de vitória do São Caetano no jogo normal (melhor de cinco sets), o regulamento prevê a realização imediata de um set extra, o chamado golden set, para a definição do time que avança.

No confronto entre Sesi-SP e São Caetano válido pela primeira rodada da competição, o Sesi-SP venceu por 3 sets a 0 (21/18, 21/15 e 21/12).

O Sesi-SP começou a partida com o ponteiro Alison, o levantador Sandro, o oposto Evandro, os centrais Sidão e Lucão e o ponteiro Manius. Líbero: Serginho. Entraram: o oposto Renan, o levantador Roese, o líbero Lucianinho e o central Tarcisio. O técnico Marcel Pacheco tem como assistente Marcel Matz.

O São Caetano do técnico Marcio Marques começou com Figueiredo, José Ricardo, Fazanha, Baiano, Wennder e Schueroff. Líbero: Orelha. Entraram: Danilo, Jonas, Lucas e Araquem.

O jogo

O time do Sesi-SP começou a partida impondo ritmo forte, abrindo boa vantagem de três pontos (06/03) logo nos primeiros minutos da partida.

No primeiro tempo técnico, o placar marcava 07/05 para o Sesi-SP. Poucos minutos depois, com o segundo tempo técnico, pedido pelo São Caetano, o placar mostrava ampliação da diferença (10/06).

Com 20 minutos jogados do primeiro set, o Sesi-SP continuava a mostrar superioridade, fechando o primeiro set  (21/16).

O segundo set começou mais acirrado. Mas o Sesi-SP conseguia manter-se à frente no jogo. Aos seis minutos, o placar era de 07/06 a favor do time da indústria. O equilíbrio continuou a ser visto durante a etapa, com o Sesi-SP encontrando dificuldades para furar o bloqueio do time adversário – foi utilizando desta arma que o São Caetano passou à frente do placar pela primeira vez durante a partida, fazendo 10/09.

Mas o domínio do São Caetano pouco durou. Com 18 minutos da segunda etapa, o Sesi-SP alcançava os 18 pontos, contra 14 do rival, ficando próximo de fazer 2 sets a 0. Com 21/15, com pouco mais de 20 minutos de jogo, o Sesi-SP fechava o set, ficando a um da vitória.

No terceiro set, o mais emocionante e disputado da partida, o São Caetano mostrou poder de reação. Estando em desvantagem de 13/09, o time conseguiu equilibrar, virou o placar e venceu seu primeiro set por 35/33, em 35 minutos.

O Sesi-SP soube lidar com o revés no terceiro set e veio forte para o quarto. Rapidamente abriu vantagem de quatro pontos no placar e soube manter essa diferença durante boa parte da etapa.  Com pouco mais de 15 minutos, o time fechou a partida, 21/13, garantindo vantagem para o jogo decisivo.

A partida decisiva, que define uma das quatro equipes que passam à semifinal, será disputada dia 19/09, às 18h30, no Sesi Vila Leopoldina.

Acompanhe o vôlei do Sesi-SP nas redes sociais

Twitter: @sesisp_volei 
Facebook: www.facebook.com/sesisp.volei

>> Leia mais notícias do Sesi-SP Esporte

Na estreia de Lucão, Sesi-SP vence São Bernardo: 3 sets a 0

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Em partida válida pelo campeonato paulista, o time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu o São Bernardo por 3 sets a 0 (21/18, 21/18 e 24/22). O jogo aconteceu na tarde deste sábado (24/08), no ginásio da Vila Leopoldina.

O compromisso marcou a estreia do ponta Manius Abbadi e do central Lucas Saatkamp, o Lucão, campeão mundial, medalhista olímpico em Londres e campeão da Superliga 2012/13 pelo RJX.

Lucão fez nove pontos em seu primeiro jogo pelo Sesi-SP. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

Após a partida, Lucão avaliou sua atuação. “Foi um jogo bom. Mesmo no primeiro jogo, deu para acertar a primeira bola do [levantador] Sandro”, disso o central, que marcou nove pontos.

Ao avaliar sua estreia, o reforço do Sesi-SP disse que ainda tem muito a evoluir. “Fui bem no ataque. No saque e no bloqueio, um pouco irregular. Dá para melhorar bastante. Treinei muito pouco depois de uma semana parada”, comentou, referindo-se ao período de férias depois de atuar pela seleção brasileira na conquista do sul-americano e do vice da Liga Mundial.

Lucão aproveitou para elogiar o novo clube. “O Sesi-SP tem uma estrutura espetacular. Montaram aqui algo de primeiro mundo. Tem pessoas que gostam de voleibol. É sempre muito bom jogar aqui.”

Satisfeito com mais uma vitória, que credencia o Sesi-SP a buscar o primeiro lugar na tabela de classificação, o treinador Marcos Pacheco analisou a atuação da equipe. “O que a gente pode melhorar: o entrosamento no bloqueio. Com o saque que a gente tem, pode evoluir muito mais no bloqueio. Isso é treinamento. Tem que dar tempo ao tempo”, ressaltou Pacheco.

De acordo com Sidão, maior pontuador do Sesi-SP na partida, com 14 acertos, a presença de Lucão desafoga o ataque. “Eu acho que, com o passe chegando na mão, eu e ele vamos dar bastante trabalho [para os adversários].”

Para o camisa 9 do Sesi-SP, mesmo nos momentos em que os visitantes estiveram na frente do placar, a equipe manteve a cabeça no lugar e soube aproveitar as oportunidades.” A postura foi muito legal. A gente entrou com muita determinação”,  afirmou, revelando que ainda não s habituou ao novo placar, que encerra os sets aos 21 pontos.“Eu até tinha esquecido”, confessou,  referindo-se- ao “súbito” final do primeiro set, fechado pelo Sesi-SP em 21/18.

O Sesi-SP atuou com Sandro , Evandro, Sidão, Manius, Lucão e Alisson. Serginho foi o líbero. Entraram: Lucianinho e Tarcisio.

O São Bernardo começou com Leozão, Luis, Matheus, Ceará. Michael e Canhoto. Felipinho foi o líbero. Entraram no decorrer da partida os atletas Rodrigo, Luizinho, Joel e Felipe Grah.

A próxima partida será novamente em casa, no ginásio da Vila Leopoldina, no sábado (31/08), às 17h, diante do Campinas. A entrada é gratuita, com distribuição de ingressos uma hora antes da partida, obedecendo a ordem de chegada.

O jogo

 

Ponteiro passador Manius Abaddi: mais um reforço do Sesi-SP. Foto Helcio Nagamine Fiesp

A partida começou equilibrada, com as equipes alternando dianteira no placar, mas o São Bernardo conseguiu chegar ao primeiro tempo técnico em vantagem (05/07) em pontos de Leozão (ex-oposto do Sesi-SP) e num erro de ataque dos donos da casa. Na volta, Lucão fez seu primeiro ponto com a camisa do Sesi-SP. O adversário continuou mais regular, abrindo 11/08 e forçando um pedido de tempo de Marcos Pacheco. O Sesi-SP voltou melhor e, depois de um belo rali, diminuiu com Sidão, chegando ao empate no ponto seguinte (11/11). A partida prosseguiu disputada ponto a ponto até que Lucão, pelo meio, chamou a segunda parada técnica (15/14). O Sesi-SP conseguiu abrir dois pontos (17/15) – foi a vez do treinador Cezar Douglas pedir tempo. Lucão fez o 18/16, mas os visitantes reduziram para 19/18. O set point veio com Alisson. Um erro de recepção do São Bernardo depois de saque de Lucianinho deu números finais ao parcial: 21/18.

Na retomada do segundo set, o Sesi-SP manteve o ritmo e um ataque do oposto Evandro fez com que o técnico visitante pedisse novo tempo. O primeiro tempo técnivo veio depois de erro de saque dos visitantes: Sesi-SP 07/05. Na volta, Evandro continuou bem e o Sesi-SP abriu três pontos: 09/06. O São Bernardo melhorou, com a atuação do ponta Luis, e Leozão fez o ponto da virada (10/11). O Sesi-SP empatou com Sidão, depois de mais um rali. Na sequência, Lucão levou o jogo para a segunda parada técnica em ponto muito comemorado por estudantes do Sesi-SP (15/14). Em ponto de bloqueio triplo, o Sesi-SP fez 18/16 e forçou novo pedido de tempo do adversário. O ponta Luis, maior pontuador do São Bernardo, continuou bem, mas Sidão fez o set point: 20/18. O ponteiro passador Manius fechou o set com ponto pela entrada de rede: 21/18.

No terceiro set, o São Bernardo seguiu mostrando consistência, chegando a abrir dois pontos de vantagem. Sandro começou a acionar os centrais, ambos da seleção brasileira – Lucão e Sidão – e o Sesi-SP conseguiu virar (07/06). O equilíbrio continuou sendo a tônica do jogo, e os visitantes viraram novamente, abrindo 10/12, Marcos Pacheco preferiu pedir tempo. Mas os visitantes continuaram bem e chegaram à segunda parada técnica na frente: 13/15. Melhor na sequência, o Sesi-SP virou de novo o placar (16/15). O São Bernardo empatou (18/18) e Marcos Pacheco pediu tempo. Foi o suficiente para a equipe se acertar e ter vários set points seguidos. Sidão deu números finais ao jogo: 24/22 e  3 sets a 0.

O Sesi-SP pontuou com Sidão (14), Evandro (11), Lucão (nove), Alisson (sete), Manius (quatro), Sandro (um) e Lucianinho (um). Pelo São Bernardo, Luiz fez 12 pontos, seguido por Leozão (11), Matheus (10), Ceará (seis), Felipe Grah (quatro) e Michael (um).

De virada, vôlei masculino do Sesi-SP vence Funvic/Taubaté por 3 sets a 2

Agência Indusnet Fiesp

O time masculino do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) continua invicto no campeonato paulista de vôlei.

Em compromisso fora de casa, no ginásio do Abaeté, na noite deste sábado (17/08), a equipe comandada pelo técnico Marcos Pacheco superou, de virada, o Funvic/Taubaté por 3 sets a 2 (18/21, 21/19, 19/21, 21/17 e 17/15) em 1h52 de jogo.

O oposto Evandro (22 pontos) e o central Sidão (21) foram os principais pontuadores do Sesi-SP. A partida foi acompanhada pelo presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

É a quarta vitória do Sesi-SP em quatro jogos na competição. Nos jogos anteriores, o Sesi-SP venceu os times do São Caetano, do São José dos Campos e do Climed/Atibaia.

O próximo jogo do Sesi-SP está programado para sábado (24/08), em casa, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo, onde recebe o contra São Bernardo.

Equipe de vôlei e comissão técnica com presidente do Sesi-SP e da Fiesp. Paulo Skaf. Foto: fanpage no Facebook do jogador Sidão

O jogo

No primeiro set, o placar foi dominado pelos donos da casa, que chegaram em vantagem de quatro pontos no primeiro e no segundo tempos obrigatórios. O Sesi-SP chegou a encostar, mas o Funvic/Taubaté conseguiu fechar em 22 minutos: 18/21. O Sesi-SP voltou melhor e liderou o marcador nas paradas obrigatórias. Chegou a sofrer virada, mas eve mais consistência no final para encerrar a contagem em 24 minutos: 21/19.

No terceiro set, os mandantes foram melhores e devolveram o placar: 19/21. Perdendo por 2 a 1, o Sesi-SP voltou mais decidido e manteve vantagem durante todo o parcial: 21/17 em 23 minutos. O tie-break foi marcado pelo equilibrio. O Sesi-SP chegou a ficar em desvantagem (11/12), mas teve tranquilidade para dar números finais ao set (17/15) e à partida: 3 sets a 2.

Destaques no título do Sesi-SP, Sidão e Lorena valorizam união da equipe para superar adversidade

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Pouco mais de dois meses depois da frustração na final olímpica, quando a seleção brasileira chegou perto da medalha de ouro, o atleta Sidão voltou a sentir nesta segunda-feira (22/10) o sabor do lugar mais alto do pódio – o Sesi-SP faturou o bicampeonato paulista com uma vitória incontestável sobre o Medley/Campinas por 3 sets a 0.

Time comemora com a torcida. Foto: Everton Amaro

 

O central acredita que a união do elenco será decisivo para conquista da principal competição da temporada nacional. “É com essa união e com essa força destes dois últimos jogos [duas vitórias por 3 sets a 0 ante o Medley] que a gente pode fazer resultados ótimos nesta Superliga.”

Sidão fez questão de elogiar a torcida. “Quero agradecer a essa torcida maravilhosa que está sempre apoiando a gente, acima de qualquer coisa.”

Lorena

Lorena: ataques demolidores pela saída de rede do Sesi-SP. Foto: Everton Amaro.

Maior pontuador da partida, com 16 pontos, o oposto Lorena – reforço contratado para esta temporada – agradeceu o apoio da comissão técnica e dos dirigentes do Sesi-SP.

“Eu acho que, depois da dificuldade, nada melhor do que conseguir vencer. Passamos pela dificuldade juntos. Depois disto [o episódio em Campinas, onde o jogador e o ponteiro foram expulsos depois de uma longa discussão com a comissão técnica do Medley], nós nos unimos muitos e, a partir daí, o nosso voleibol evoluiu muito e passamos a jogar um voleibol muito bonito”, admitiu o oposto.

“Eu queria agradecer muito à diretoria do Sesi-SP que, neste momento difícil, sempre esteve do nosso lado e isso foi muito importante para conquistar este título”, concluiu o camisa 6.

Giovane, técnico do time campeão paulista de vôlei: ‘Temos estrutura e apoio incansável da Fiesp e do Sesi-SP’

Edgar Marcel e Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Giovane Gávio, Benjamin Steinbruch (1º vice-presidente da Fiesp) e Paulo Skaf (presidente da Fiesp e do Sesi-SP)após vitória do Sesi-SP na segunda partida da série final. Foto Junior Ruiz.

Giovane Gávio não escondia a alegria após o título. “Esse título tem um gosto especial”, comentou o técnico do Sesi-SP ao Sportv, logo após  a vitória por 3 sets a 0 sobre o Medley/Campinas na final do Paulistão de voleibol.

Giovane revelou certo alívio depois dos incidentes que marcaram a primeira das três partidas da final. “É uma responsabilidade grande a de estar no comando desse timaço”, destacando que o time não é o que protagonizou a discussão com a comissão técnica do Medley, no ginásio do Taquaral, em Campinas, no domingo da semana passada (14/10).

“Ficamos envergonhados [com o episódio]. Somos um time de vôlei que tem que jogar vôlei “, ensinou o bicampeão olímpico.

Ao falar com o Portal Fiesp, Giovane Gávio elogiou ainda o aparato à sua disposição. “A gente tem um projeto perfeito. Nós temos a estrutura e o apoio incansável da Fiesp e do Sesi-SP. A gente zela por cada detalhe para que dê tudo certo no final”, disse Gávio antes de levar um balde d’água na cabeça oferecido pelos jogadores. Tudo era festa na Vila Leopoldina.

Ao recuperar-se da pegadinha de seus liderados, Giovane adicionou: “Graças à ajuda do Paulo Skaf, do Walter Vicioni e de toda a equipe do Sesi-SP que acreditou no projeto, deu tudo certo”.

O técnico da equipe adversária, Marcos Pacheco, lamentou os erros no serviço. “Nosso saque não entrou. Não conseguimos uma sequência”, disse o treinador, sem deixar de cumprimentar o campeão. “Não podemos tirar os méritos do Sesi-SP.”

Sesi-SP vence Paulistão pela terceira vez em quatro anos e é bicampeão no vôlei masculino

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Com uma vitória por 3 sets a 0 sobre o Medley/Campinas, o Sesi-SP conquistou na noite desta segunda-feira (22/10), em casa, o bicampeonato paulista de vôlei masculino.

Presidente Paulo Skaf, equipe e comissão comemoram título do Paulistão. Foto: Everton Amaro.

 

Embalados pelos gritos da torcida, que lotou as arquibancadas do ginásio da Vila Leopoldina, o time liderado em quadra pelo capitão Murilo mostrou determinação e, com certa tranquilidade, bateu o adversário com parciais de 25/19, 25/17 e 25/17.

Com a vitória, o Sesi-SP encerra a série melhor de três com uma derrota e duas vitórias – a outra aconteceu no sábado (20/10). É o terceiro título do Sesi-SP na competição estadual (2009/11/12). O título coroa a trajetória do Sesi-SP durante o torneio, em que obteve a melhor campanha na fase classificatória, com 13 vitórias em 14 partidas.

Os jogadores receberam as medalhas das mãos do presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Sesi-SP, Paulo Skaf, acompanhado do superintendente do Sesi-SP, professor Walter Vicioni. Coube a Skaf a entrega do troféu a Murilo, ao lado do presidente da Federação Paulista de Voleibol, Renato Pera.

O presidente elogiou a atuação da equipe e mostrou esperança de uma nova conquista na principal competição da temporada. “O time está excelente, equilibrado, com garra, vibrando e ganhar em final do campeonato 3 a 0 não é uma coisa fácil. Nós estamos preparados para caminhar para a vitória na Superliga”,

Vicioni lembrou a importância da conquista para os alunos do Sesi-SP. “Fico muito feliz porque isso vai servir de exemplo para os nossos alunos. Acho que estamos preparados para fazer bonito na Superliga. É uma maravilha ver estas crianças e os nossos atletas brilharem .”

A conquista do Sesi-SP é a segunda da equipe do técnico Giovane Gávio na temporada 2012/13 – em agosto, o Sesi-SP conquistara o tetracampeão da Copa São Paulo de Vôlei Masculino.

O jogo

Lorena vibra após assinalar um de seus 16 pontos no jogo. Foto: Everton Amaro.

No primeiro set, a equipe do técnico Giovane Gávio apresentou excelente volume de jogo, liderando o placar desde o inicio. O oposto Lorena soube explorar as bolas de contra-ataque e incentivou os jogadores e a torcida nas arquibancadas. Sem grandes dificuldades, o Sesi-SP fechou a parcial em 25/19.

A história se manteve e o Sesi-SP abriu cinco pontos de vantagem no início do segundo set (11/6). O time de Campinas errou muito na finalização e o Sesi-SP não perdoou. Com uma bola de ataque do central Eder, fechou a parcial em 25/17.

No terceiro set, o Sesi-SP soube tirar proveito das bolas de contra-ataque, com destaque para Murilo. Eficiente no bloqueio, o ponteiro-passador ajudou a abrir grande vantagem já no início (09/02). O Medley/Campinas continuou cometendo muitos erros de recepção e finalização e não foi capaz de conter  a euforia dos donos da casa e da torcida, que, já na metade da partida, ecoava o coro: “O campeão voltou!”.

O Sesi-SP chegou a abrir dez pontos de diferença (16/6) e administrou o placar. Coube a Lorena, maior pontuador do jogo (16 pontos), marcar o ponto da vitória.

Final do set, 25/17 e 3 sets a 0.

Sesi-SP tem que ter foco na partida, diz Murilo sobre a final de vôlei ante Medley/Campinas

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Segundo Murilo, equipe precisa fazer o que sabe: sacar, passar e defender bem. Foto: Talita Camargo.

Depois da derrota na primeira partida da final, marcada pelo desentendimento com parte da comissão técnica do adversário, o time do Sesi-SP mostrou outra atitude em casa. Deixou de lado a rivalidade, não se perturbou com a vantagem do Medley/Campinas – a um simples triunfo de levantar a taça – e procurou concentrar-se no jogo. O resultado foi uma vitória incontestável na tarde deste sábado (20/10) na Vila Leopoldina: 3 sets a 0 (25/21, 25/19 e 25/21).

“Tínhamos a consciência hoje que precisávamos ganhar dentro de quadra. As provocações [no primeiro jogo, em Campinas] nos prejudicaram um pouco. Estávamos muito nervosos, cometendo muitos erros. Hoje, esses erros foram menores e, consequentemente, ganhamos por 3 a 0.”, explicou o ponteiro-passador Murilo, capitão da equipe.

“Então”, prosseguiu Murilo, “segunda-feira [22/10] é isso aí: foco na partida. A gente sabe que tem que sacar, tem que passar e tem que defender e a gente sabe fazer isso muito bem.”

De acordo com o oposto Lorena, expulso no primeiro jogo depois do episódio em Campinas, a bela atuação representou um pedido de desculpas para o público e para as crianças que acompanham o time. “Nós estamos arrependidos. Queríamos mostrar que nossa equipe sabe jogar voleibol e foi o que fizemos hoje, com muito prazer. É isso que a gente sabe fazer e acho que todo mundo está de parabéns.”

Na avaliação do técnico do Sesi-SP, o bicampeão olímpico Giovane Gávio,  o time entrou com muita vontade de jogar vôlei e a comemoração deveria se limitar a 15 minutos. “Já é hora de se preparar para o próximo jogo, pois acredito que tem que ser assim: temos que ter a cabeça focada para fazermos o mesmo que fizemos hoje, ou melhor.”

A decisão acontece na segunda-feira (22/10), às 18h30, no ginásio da Vila Leopoldina, em São Paulo.

Congratulações

Ao final da partida, os jogadores foram parabenizados pelo presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf; pelo superintendente da instituição, professor Walter Vicioni, e pelo 1º vice-presidente da Fiesp, Benjamin Steinbruch.

Paulo Skaf, Giovane Gávio, Benjamin Steinbruch e filha ao final da partida. Foto: Junior Ruiz

Sesi-SP vence, empata final e joga pelo título paulista masculino na segunda-feira

Juan Saavedra e Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Com um jogo bem agressivo, os rapazes do Sesi-SP venceram na tarde deste sábado (20/10), no ginásio da Vila Leopoldina, a equipe do Medley/Campinas por 3 sets a 0 (25/21, 25/19 e 25/21). A vitória empata a série melhor de três (um a um) e leva a decisão do título paulista de voleibol para segunda-feira (22/10), às 18h30, também com a vantagem de jogar em casa, na zona oeste de São Paulo. Uma nova vitória garante o bicampeonato paulista.

Lorena (camisa 6) foi um dos destaques da partida. Foto: Junior Ruiz.

 

O time do técnico Giovane Gávio mostrou desde o início disposição para esquecer os erros do último domingo (14/10), quando perdeu por 3 sets a 2 na casa do adversário. Mais concentrados, os jogadores forçaram bastante o saque, mantendo a vantagem no placar durante os três sets.  A experiência dos medalhistas olímpicos Murilo, Serginho e Sidão, aliada aos ataques demolidores de Lorena, pela saída da rede, e de Cléber, pela ponta, fizeram a diferença.

Ao final da partida, o ponteiro Cléber pediu desculpas pelos erros em Campinas e disse que a atitude da equipe nesta segunda partida foi voltada exclusivamente para o voleibol. “Espero que na segunda-feira nossa equipe entre assim, com qualidade, para levar o título”, disse o atleta ao canal Sportv, enquanto o presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, e o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, cumprimentavam a equipe.

“O jogo foi uma maravilha! 3 a 0 numa final é coisa fora de sério! Parabéns a todos!”, comentou Skaf.

Para o levantador Sandro, é muito bom poder ter à disposição atacantes que não se escondem do jogo e pedem a bola o tempo inteiro. “São malucos do bem”, comentou, rindo. “Nos momentos de ter calma, a equipe teve e botou a cabeça no lugar. A postura exemplar foi exemplar e conseguiu jogar muito bem”, avaliou.

De acordo com o oposto oposto Lorena, expulso no primeiro jogo depois do episódio em Campinas, a bela atuação representou um pedido de desculpas para o público e para as crianças que acompanham o time. “Nós estamos arrependidos. Queríamos mostrar que nossa equipe sabe jogar voleibol.”

O jogo

Sesi-SP está a uma vitória do bicampeonato.

No primeiro set, o Sesi-SP liderou o placar desde o início, fazendo 05/02 em saque de Éder. Com boa passagem do ponteiro Cléber no serviço, o Sesi-SP chegou a 15/11 e fez o 16/12 com Murilo, aproveitando erro de recepção do time de Campinas. A vantagem caiu para 19/16 em erro de Lorena.  O oposto se redimiu e marcou o 20º ponto. O ponto seguinte veio com Cléber, explorando o corredor. Lorena, bem no saque, conseguiu o 22º e o Sesi-SP abriu seis pontos. O Campinas reduziu para 22/17, apesar de defesa sensacional de Serginho. Cléber, desta vez na diagonal, fez o 23°. O Sesi-SP chegou ao set point em erro do cubano Jurquin , mas boa sequência de pontos do gigante Gustavão, central do Campinas, reduziu a margem para 24/21. Em ataque do meio-de-rede Sidão, o parcial foi encerrado em 25/21.

No segundo set, aproveitando ótima atuação de Serginho na defesa e na recepção, o Sesi-SP chegou ao 08/04. O árbitro chamou os capitães para pedir que controlassem suas equipes na parte disciplinar. Sidão fez 09/05 e, na sequência, Lorena fez dois pontos explorando o bloqueio e soltando o braço no saque, forçando um pedido de tempo do técnico Marcos Pacheco.  O 15/09 veio em ataque demolidor de Lorena. O cubano Jurquin, atacando atrás da linha de três metros, reduziu para 15/10, mas Murilo fez o 16º. Pela ponta, Cléber conseguiu o 18/10. Lorena, pela diagonal, conseguiu o 19/13 e foi o primeiro a chegar à casa de dois dígitos na pontuação. O Campinas reduziu a vantagem para cinco pontos em bloqueio de Murilo sobre o atacante Cléber. O set point veio em erro de saque adversário e o Sesi-SP fechou o parcial em 21/19, com Sidão.

No terceiro set, o Sesi-SP continuou arrasador no saque. Em lance de Cléber, a equipe foi para o primeiro técnico com 08/01.  A vantagem ficou ainda mais elástica em ataque de Lorena (09/01). O Medley, com Gustavo, diminuiu para 10/05, mas logo o Sesi-SP retomou as rédeas e foi abrindo, em pancada de Cléber (14/08). O jogo foi para o segundo tempo técnico com 16/09, mais uma vez com Lorena. O ponteiro Cléber fez 20/11. Tudo parecia encaminhar-se para um final tranquilo quando Rivaldo, do Campinas foi para o saque, e desnorteou a recepção do Sesi-SP com saques potentes. A equipe do técnico Marcos Pacheco reduziu para 21/17. Giovane Gávio pediu calma e, em lance de Cléber, explorando o bloqueio, o Sesi-SP finalmente interrompeu o serviço de Rivaldo. O ponteiro do Sesi-SP continuou decisivo e fez 22/18. O Campinas aproveitou um rali e baixou para 22/19, mas um inspirado Lorena soube explorar o bloqueio para conseguir o match point. A vitória veio em ace de Éder. Final, Sesi-SP venceu o set por 25/21 e a partida por 3 sets a 0.

O Sesi-SP jogou com Murilo, Sandro, Sidão, Lorena, Éder, Cleber e Serginho (líbero). Entraram Leozão, Ary e Mão.

A formação do Medley/Campinas reuniu Rodriguinho, Gustavão, Rivaldo, Renato Russomano, Diogo, André Heller e Alan (líbero). Participaram Franco, Murilo Radke e Jurquin.

Em Campinas, Sesi-SP perde primeiro jogo da final do Paulistão

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Na disputa da primeira partida da grande final do campeonato paulista de vôlei masculino, o time do Sesi-SP viajou até a cidade de Campinas, onde foi derrotado pelo Medley/Campinas na tarde deste domingo (15/10) por 3 sets a 2 (21/25, 25/23, 25/17, 18/25 e 15/13), no ginásio do Taquaral.

Com o resultado, o Medley/Campinas fez 1 a 0 na série melhor de três e pode ser campeão já no segundo jogo, programado para sábado (20/10), às 13 horas, no ginásio do Sesi Vila Leopoldina. Já o Sesi-SP precisa vencer para forçar um tira-teima.

A partida foi marcada por uma discussão no intervalo do terceiro set entre membros da comissão técnica do Medley/Campinas e jogadores do Sesi-SP, que resultou na expulsão dos opostos Lorena e Leozão, ambos do Sesi-SP.

O jogo

No primeiro set, a equipe do Sesi-SP apresentou um bom volume de jogo e apostou no saque forçado, estratégia que desestabilizou a recepção do time da Campinas. Com um ponto de ataque do ponteiro Murilo, o Sesi-SP fechou  a parcial em 25/21.

No segundo set, a equipe do Campinas conseguiu se reestruturar em quadra e abriu três pontos de vantagem (07/04). Com o saque forçado do oposto Lorena, o Sesi-SP conseguiu a virada antes no segundo tempo técnico (16/14). Com a entrada do oposto Diogo, o time de Campinas virou bolas importantes de contra-ataque, o que foi decisivo para conquista da parcial em 25/23.

Animado com a vitória no set anterior, o Medley/Campinas abriu cinco pontos de vantagem (08/03) no inicio do terceiro set. O rendimento da equipe do Sesi-SP caiu e o time de Campinas abriu cinco pontos (15/10).  No final do parcial, o clima esquentou. Reagindo a provocações, o central Sidão discutiu com oposto Diogo, do Medley, e ambos receberam cartão amarelo. O time de Campinas venceu a parcial em 25/17.

O clima tenso permaneceu no intervalo da partida.  Membros da comissão técnica do Medley/Campinas e jogadores do Sesi-SP tiveram um bate-boca, que culminou na expulsão dos opostos Lorena e Leozão.

Em quadra, a equipe do técnico Giovane Gávio não se deixou abater pela pressão da equipe adversária. Com uma excelente atuação do ponteiro Murilo e do central Sidão, o Sesi-SP abriu oito pontos de vantagem (19/11) e, depois de uma bela jogada de ataque do ponteiro Mão, fechou o quarto set em 25/18, levando a decisão para disputa do tie-break.

O último set foi bastante equilibrado, mas erros de saque e recepção do Sesi-SP foram bem aproveitados pelo Medley/Campinas, que fechou o set em 15 a 13e a partida em 3 sets a 2.

Sesi-SP vence São Bernardo garante vaga na final do Paulistão

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Em busca do bicampeonato paulista de vôlei masculino, o time do Sesi-SP conquistou na noite desta quinta-feira (11/10) uma vaga na final do torneio estadual.

Com o apoio da torcida, que lotou as arquibancadas do ginásio do Seis Vila Leopoldina, o time do técnico Giovane Gávio derrotou a equipe do São Bernardo do Campo por 3 sets a 0 (25/23, 25/20 e 29/27) Com o resultado, o Sesi-SP fechou a série melhor de três em 2 a 1.

O adversário do Sesi-SP na grande final é o time do Medley/Campinas. A primeira partida acontecerá neste domingo (14/10), às 13 horas, no ginásio do Taquaral, em Campinas.

No final da partida, o time do técnico do Sesi-SP Giovane Gávio ficou satisfeito com o desempenho da equipe da indústria paulista: “Fazer parte de mais uma final é muito bom, ainda mais quando nós saímos de uma situação adversa, após a derrota no primeiro jogo. Conseguimos ganhar bem, mas poderíamos ter cometido menos erros, principalmente de contra-ataque”. O técnico fez uma breve avaliação sobre o confronto com o Medley/Campinas, considerado um dos clássicos do voleibol brasileiro: “Agora, a nossa cabeça está na final que acontecerá no domingo [primeiro jogo da série melhor de três]. Temos uma pedreira pela frente, mas nada que a nossa equipe não esteja acostumada”, avaliou.

De volta à equipe após o tratamento de uma lesão, o central Sidão elogiou a postura dos colegas de time. “Eu acho que a gente trabalhou muito forte para conseguir esta vaga na final.”

O jogo

No início da partida, a equipe do Sesi-SP cometeu uma série de erros táticos, falhas que foram aproveitadas pela equipe de São Bernardo, que abriu três pontos de vantagem (19/16). Com o saque forçado do oposto Lorena e as boas recepções do ponteiro Murilo, o time do técnico Giovane Gávio conseguiu virar, fechando a parcial em 25/23.

Abatido com a derrota no primeiro set, a equipe do grande ABC cometeu muitos erros de saque e contra ataque, o que favoreceu a equipe da indústria paulista, que abriu dois pontos no placar (16/14). Com grande atuação de Lorena, que marcou pontos importantes de saque e contra-ataque, o Sesi-SP venceu a parcial por 25/20.

Com a entrada do central Sidão, a equipe do Sesi-SP ganhou volume de jogo, ampliando em três pontos a vantagem no placar (07/04). Com o oposto Renan, o São Bernardo conseguiu encostar no placar (23/23). Mas mais uma vez, os opostos Lorena e Ary foram decisivos e garantiram a vitória do Sesi-SP por 29/27, fechando a partida em 3 sets a 0.

Sesi-SP está a apenas uma vitória da final masculina do Paulistão

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Time do técnico Giovane Gávio não deu chances ao BMG/São Bernardo. Foto: Everton Amaro/Arquivo Fiesp

A história foi bem diferente na noite desta segunda-feira (08/10). Redimindo-se dos muitos erros de sexta-feira (05/10), quando perdeu em casa por 3 sets a 2, os rapazes do Sesi-SP foram até a cidade de São Bernardo do Campo, na grande São Paulo, e superaram o time da casa, o São Bernardo, por 3 sets a 0 (25/19, 25/19 e 25/21). A partida, no ginásio Poliesportivo, foi válida pelas semifinais do campeonato paulista de vôlei masculino.

Mais concentrada, a equipe da indústria apresentou um bom volume de jogo e soube tirar proveito dos erros do São Bernardo, empatando a série melhor de três em 1 a 1.

Destaque da partida, o oposto do Sesi-SP Ary agradeceu ao técnico Giovane Gávio pela oportunidade jogar na equipe titular. “Para mim foi muito importante sair do banco e tentar ajudar a equipe na hora decisiva. Em um time como este, com jogadores importantes como o Murilo e o Serginho, é muito difícil jogar. Então, quando a gente entra em quadra, tem que dar o máximo.”

O jogo

No inicio do primeiro set, as equipes disputaram de forma acirrada a liderança do placar. Como na partida anterior, os comandados do técnico Rubinho utilizaram o saque forçado para quebrar a linha de passe do Sesi-SP, mas cometeram muitos erros no fundamento. Movido pelas defesas do líbero Serginho e aproveitando os contra-ataques com o oposto Lorena, o Sesi-SP abriu seis pontos no placar (20/14) e fechou a parcial em 25/19.

Abatido pela derrota no primeiro set, o jovem time do São Bernardo não conseguiu explorar seu melhor fundamento, o saque. Melhor para o time do técnico Giovane Gávio, que abusou das bolas rápidas de ataque, abrindo seis pontos de vantagem no placar (17/11). Com tranquilidade, o Sesi-SP novamente fechou o set por 25/19.

O terceiro parcial começou muito equilibrado. O time do ABC conseguiu abrir dois pontos de vantagem no placar (09/07), mas a equipe do Sesi-SP manteve o ritmo e soube tirar proveito das bolas de contra-ataque com o oposto Ary. A equipe da indústria paulista ampliou em quatro pontos a vantagem no placar (21/17) e venceu o jogo em erro de saque de Joel, oposto do São Bernardo. Final, 25/21, 3 sets 0.

A partida decisiva acontecerá nesta quinta-feira (11/10), às 18h30, no ginásio do Sesi Vila Leopoldina. O jogo terá transmissão ao vivo do canal SporTV.

Pelo Paulistão, Sesi-SP sai em desvantagem na abertura da semifinal masculina

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

A chuvosa noite desta sexta-feira (05/10) foi frustrante para os torcedores do Sesi-SP que lotaram o ginásio da Vila Leopoldina. Em quadra, o melhor time da fase classificatória do campeonato paulista de vôlei masculino não fez uma boa partida. Saiu derrotada por 3 sets a 2 (25/23, 18/25, 21/25, 25/18 e 15/09) para o BMG/São Bernardo.

São Bernardo venceu o primeiro, o terceiro e o quinto set. Foto: Everton Amaro

 

A equipe do ABC soube aproveitar as falhas coletivas e individuais dos donos da casa e não se intimidou com a presença dos medalhistas olímpicos Murilo e Serginho.

Agora, a equipe do técnico Giovane Gávio precisa vencer fora de casa , na segunda-feira (08/10), para forçar a realização de um terceiro jogo. Uma nova derrota elimina o Sesi-SP.
O jogo

Sesi-SP teve dificuldades para superar bloqueio do adversário. Foto: Everton Amaro.

Em quadra, o time do São Bernardo conseguiu encaixar o saque e com jogadas agressivas de ataque no meio de quadra, a equipe do grande ABC conseguiu abrir quatro pontos de vantagem no placar (14/10).  Destaque da indústria paulista, o oposto Lorena conseguiu virar bolas importante de ataque, o que contribuiu para que o time do Sesi-SP conseguisse empatar a parcial (16/16). Com o saque potente do central Isac e as jogadas de ataque do oposto Renan o time do BMG/São Bernardo saiu na frente e fechou parcial em 25/23.

No segundo set, o time do Sesi-SP entrou mais concentrado em quadra. Com bolas rápidas de ataque, a equipe do técnico Giovane Gávio conseguiu variar as jogadas de ataque, com destaque para atuação dos ponteiros Lorena e Mão. Sem grande dificuldade, o Sesi-SP fechou a parcial em 25/18.

Durante o terceiro set, o Sesi-SP cometeu muitos erros saque e ataque, falhas estas que foram aproveitadas pela equipe do grande ABC abriu seis pontos no placar (20/14).  Com um bloqueio eficiente, o jovem time do BMG/São Bernardo conseguiu neutralizar as jogadas de ataque do oposto Lorena, fechando a parcial em 25/21.

O jogo começou equilibrado no início do quarto set. No decorrer da partida, a equipe do Sesi-SP conseguiu abrir quatro pontos de vantagem no placar (16/12). Destaque da partida, o oposto Lorena marcou sete pontos, decisivos para conquista da parcial em 25/18.

Na disputa do quinto e último set, o time do São Bernardo começou à frente no placar (8/5) e com tranquilidade, o time do grande ABC fechou a parcial em 15/09.

Na segunda-feira (08/10), às 18h30, a equipe do BMG/São Bernardo recebe no ginásio Poliesportivo o time do Sesi-SP, para a segunda partida da série melhor de três da semifinal do Paulistão.  A disputa terá transmissão ao vivo do canal SporTV.

Sesi-SP tem que vencer fora de casa para forçar terceiro jogo. Foto: Everton Amaro