CAT Roberto Simonsen participa da campanha Outubro Rosa

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537309061

Unidade do Sesi-SP ganhou iluminação em cor rosa. Foto: Divulgação/CAT Ipiranga

O Centro de Atividades  (CAT) Roberto Simonsen, unidade do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) no bairro do Ipiranga, na capital paulista, está engajado na campanha Outubro Rosa.

Além de iluminar a fachada com luzes cor de rosa, o CAT distribuiu folhetos, pulseiras e informativos a alunos, professores e funcionários – o conteúdo do material destaca a importância da realização dos exames preventivos na luta contra o câncer de mama.

Também foram utilizados recursos digitais. Na tela inicial dos computadores da entidade, imagens em pop-up reforçam diariamente que 95% dos casos de câncer de mama podem ser curados desde que detectados no início. A direção da escola disparou ainda e-mails marketing com mais informações sobre como prevenir a doença.

Até mesmo a assinatura eletrônica, presente no fim de cada e-mail enviado por professores e funcionários da unidade, foi adereçada com o laço que simboliza a campanha. O mesmo ícone foi aplicado na fanpage do CAT Roberto Simonsen no Facebook.

A campanha Outubro Rosa prossegue até o final do mês de outubro, mobilizando o Sesi-SP em todo o Estado.

Em noite de festa para Serginho, Sesi-SP vence primeira partida da semifinal do campeonato paulista de vôlei

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1537309061

Serginho usou uma camisa diferente, em apoio à campanha Outubro Rosa. Foto: Divulgação

A noite era do aniversariante Serginho. Jogando com uma camisa especial para a campanha Outubro Rosa, o líbero de 37 anos surpreendeu ao marcar um ponto com rara habilidade e teve apenas um erro na vitória por 3 sets a 0 do time do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) sobre o do São José dos Campos. Os parciais foram de 21/18, 21/19 e 21/15 em partida válida pela primeira semifinal do campeonato paulista de vôlei realizada na noite de terça-feira (15/10), na casa do adversário.

O destaque foi a atuação dos centrais Lucão, com nove pontos, e Sidão, com oito. Com ataques precisos, a dupla desmontou a defesa da equipe do Vale do Paraíba e foram decisivos para o triunfo apo mostrar bom rendimento em fundamentos como saque e bloqueio.

A segunda partida da semifinal será na próxima sexta-feira (18/10), na Vila Leopoldina, às 19h. Em caso de vitória do São José, a vaga na final será decidida no chamado Golden Set – um set extra, de 21 pontos, novidade do regulamento da competição. Quem avançar enfrenta o vencedor do confronto São Bernardo x Brasil Kirin em dois jogos programados para os dias 27 e 31 de outubro.

Apesar da vitória por 3 sets a 0, o técnico Marcos Pacheco alertou para o alto número de erros. E prometeu que a equipe vai trabalhar ainda mais, de olho no segundo jogo e na retomada da Superliga 2013/14, na próxima terça-feira (22/10), contra o Volta Redonda, também no ginásio da Vila Leopoldina.

“Apesar do placar, o jogo não foi muito bom. Erramos demais. Só no primeiro set, demos 10 pontos para eles. Isso não pode acontecer. Podíamos ter imposto um ritmo melhor, ter feito uma partida melhor, como todo o respeito ao São José, mas foi um jogo abaixo do que o Sesi-SP tem para oferecer. Agora vamos trabalhar bastante, porque tem muita coisa para melhorar”, declarou o técnico, que já pensa na maratona que terá pela frente e as dificuldades futuras.

“Se passarmos para a final, será uma pedreira atrás da outra. Volta Redonda, Canoas, três jogos seguidos contra o Brasil Kirin (Paulista e Superliga)… Acabou a moleza e precisamos melhorar nossas deficiências agora. Mas não vamos dizer que está tudo ruim, pelo contrário. Temos problemas, mas uma vitória por 3 sets a 0 numa partida difícil como essa precisa ser muito valorizada. E sexta-feira [18/10] será muito mais difícil, tenho certeza”, finalizou Pacheco.

O jogo

Impulsionado pela torcida, que fazia muito barulho no ginásio do CTA de São José dos Campos, o time da casa forçou bastante o saque e forçou erros por parte do Sesi-SP. A equipe paulista chegou a equilibrar a etapa, mas o São José se mantinha firme e no ritmo dos torcedores, que vibravam muito a cada ponto, até conseguir o primeiro tempo técnico em 05/07. Após a conversa, o Sesi-SP começou a moldar o jogo à sua maneira. Com a eficiência do ponteiro Tiago Wesz, o Mão, no saque e nos ataques na ponta, além da força de Lucão de meio, o time virou o jogo e abriu três pontos de vantagem no segundo tempo técnico (14/11), mantendo a média até o final da primeira etapa, fechada em 21/18, em 23 minutos.

O segundo set começou bem melhor para o São José. Com Jean inspirado, o time forçou ainda mais no saque e chegou a abrir 02/07 no tempo técnico. Mais uma vez, Pacheco precisou acertar a recepção para conseguir botar o Sesi-SP de volta no jogo. Com calma e apostando também nos erros adversários, o time da indústria equilibrou a partida e empatou em 10/10, deixando o set em aberto. Com a entrada de Renan, a equipe cresceu e passou a virar bolas importantes, além de funcionar melhor no bloqueio. E foi com Renan que o Sesi-SP fechou o set em 21/19 em 24 minutos, abrindo 2 sets a 0 na partida.

A etapa final seguiu o script até então. O São José começando muito forte e fazendo o primeiro tempo técnico. Novamente, calma, conversa e o Sesi-SP assumiu o controle do jogo. Sem que o São José conseguisse fazer um único bloqueio na etapa, e ainda dando nove pontos através de erros, a equipe de Pacheco administrou o placar até fechar em 21/15, em 17 minutos, dando números finais ao jogo.