No encerramento do EEBA 2013, empresários e governos mostram otimismo com futuro das relações bilaterais

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp

Weber Porto, da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK). Foto: Everton Amargo/Fiesp

Durante o encerramento do 31º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA 2013), que aconteceu no início da tarde desta terça-feira (14/05), o representante da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK), Weber Porto, disse que a edição deste ano já pode ser considerada um marco histórico. “Dois mil participantes é um número muito significativo.”

Para Porto, as presenças da presidente da República Dilma Rousseff e do presidente alemão Joachim Gauck foram fundamentais para dar importância ao evento. “É a primeira vez, em 31 edições, que o evento conta com a presença dos dois chefes de Estado e eles contribuíram para que o evento fosse bem-sucedido.”

Segundo Porto, o nível de discussão foi “excelente” e a rodada de negócios “superou as expectativas” ao contabilizar 230 reuniões, sinal, segundo ele, do forte interesse do setor privado na relação bilateral.

O diretor da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Carlos Mariani Bittencourt, concordou. “Tivemos aqui em São Paulo algo diferente do que temos tido no passado. Esse foi um encontro de trabalho do começo ao fim”, afirmou.

Carlos Mariani Bittencourt, da CNI. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Bittencourt elogiou a parceria da CNI com a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), parabenizando o sucesso do evento organizado pelas entidades.

Um representante da Secretária de Estado do Ministério da Economia e Tecnologia da Alemanha, Anne Ruth Herkes, disse acreditar que o evento obteve êxito. “Constatamos que a cooperação é muito importante para os dois lados, principalmente no setor de agrobusiness”, afirmou.

Segundo ele, a Alemanha prevê fortes investimentos nos próximos anos. “Vamos continuar tratando de projetos conjuntos [com o Brasil] nos mais diversos setores e queremos envolver mais as pequenas e médias empresas nesse negócio com o Brasil porque elas são decisivas para a criação de emprego e para o crescimento do país”, concluiu.

A próxima edição do EEBA será realizada na cidade de Hamburgo, na Alemanha, no ano que vem.

Comissão mista

Eduardo dos Santos. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Embaixador Eduardo dos Santos, secretário-geral do MRE. Foto: Everton Amaro/Fiesp

O secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores (MRE) do Brasil, embaixador Eduardo dos Santos, falou sobre a 40ª reunião da Comissão Mista Brasil-Alemanha de Cooperação Econômica, que aconteceu na manhã desta terça-feira (14/05) durante o evento.

“As parcerias das pequenas e médias empresas são um item importante para nossa pauta de negociação bilateral com a Alemanha”, disse ele.

Santos informou que durante a reunião foi feita uma proposta concreta, pelo lado brasileiro, de criar um fórum para discutir a aplicação de projetos concretos na indústria. “Temos esperança de que esse projeto possa frutificar.”

Para o embaixador, as negociações ainda precisam amadurecer. “Considero que as relações entre Brasil e Alemanha atingiram um patamar de adensamento muito interessante, que marca uma etapa em que nossos governos se comprometem a renovar os esforços para solucionar os problemas que ainda existem nessa relação bilateral”, afirmou.

O secretário-geral disse ter motivos para festejar os progressos da relação entre os dois países. “Nosso comércio evoluiu positivamente e nos sentimos muito encorajados pelo nível de investimento alemão no Brasil e dos brasileiros na Alemanha. Podemos confiar no futuro da amizade e cooperação entre os dois países.”