Empreendedores internacionais tiram as dúvidas de participantes da 9ª edição do Concurso Acelera Startup da Fiesp

 Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp 

O mundo é o limite. Novidade desta 9ª edição do Concurso Acelera Startup da Fiesp, de incentivo ao empreendedorismo, a mentoria internacional atraiu muitos participantes da iniciativa na tarde desta segunda-feira (07/08). Os interessados receberam dicas de empresários e especialistas do Vale do Silício, nos Estados Unidos, da Dinamarca e de Israel. Para tanto, foram instaladas quatro cabines de teleconferência, com 15 minutos de conversa liberados por vez. Organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF), o evento vai até esta terça-feira (08/11), na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, na capital paulista.

“Perguntei como o nosso aplicativo seria aceito fora do Brasil ao consultor dinamarquês”, conta Eduardo Voegel, da Light Lemon e à frente do projeto Eleven.

Do que se trata? De um aplicativo que transforma o movimento de seus usuários em doações para instituições de caridade. “Passei três meses correndo dez quilômetros por dia porque precisava emagrecer 33 quilos por questões de saúde”, diz. “E comecei a pensar em por que não transformar aquele esforço em algo que pudesse ajudar os outros”.

Assim, basta que os interessados se cadastrem façam login com suas redes sociais e comecem a contar seus passos e movimentos a pé. Depois de determinado grau de movimento, são atingidos os pontos para a doação para a causa escolhida, feita por empresas participantes do projeto. “Já estamos fechando acordo com uma grande rede de supermercados para ser patrocinadora da iniciativa”, diz Voegel.

O projeto recebeu Menção Honrosa (Escolha dos Investidores) na última edição do Hackathon, maratona de desenvolvimento de aplicativos realizada na Fiesp em outubro.

Nesse sentido, o papo de Voegel com o dinamarquês Martin Justesen, gestor e fundador da Sund Innovation, hub da Universidade de Copenhagen, o ajudou a ver que a iniciativa teria espaço no exterior. “Mesmo nos países ricos que não enfrentam os mesmos problemas do Brasil há disposição em colaborar com causas como a dos refugiados ou com o combate à fome na África”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

As cabines de mentoria internacional do Acelera: orientações variadas sobre negócios. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Também em busca de informações sobre o potencial da sua ideia fora do Brasil, Adalberto Silvestre, do aplicativo Lar Digital, de soluções para vendas online de empresas de itens para casa e construção, saiu animado da conversa com o diretor de Soluções WorldWide da ECI Telecom, de Israel, Marco Berger. “Queria ouvir alguém de Israel porque sei que lá as empresas têm muito foco internacional, pelo fato de o mercado interno ser pequeno”, disse Silvestre. “Tive uma ótima orientação sobre direcionamento de mercado”.

Pagamentos online e aprovação

Outro participante do Acelera que conversou com o israelense foi Felipe Hideki, criador do projeto Meu Primeiro Livrinho. Trata-se de uma startup que visa incentivar a leitura a partir da produção de livros totalmente customizados para crianças. “Esse é o primeiro Acelera de que participo, o evento é muito bem estruturado”, disse Hideki. “Com o Berger, tive boas orientações sobre pagamentos online e formas de aprovação dos livros junto aos clientes”.

No caso de Giovanna Borini, da startup Grautec, de pesquisa, desenvolvimento e inovação na área de extração de componentes a partir de resíduos, as boas orientações irão além da mentoria internacional oferecida pelo Acelera. A empresa de Giovanna trabalha com soluções como o uso de elementos do bagaço da cana que sirvam como fonte de fibras para outros produtos. “Conversei com o dinamarquês Justesen, que me deixou o seu e-mail e se colocou à disposição para ajudar mais”.

Para o diretor titular do CAF, Sylvio Gomide, esse contato com empreendedores internacionais é uma boa oportunidade para que os participantes do Acelera respirem outros ares. “É bom respirar um pouco do ar do Vale do Silício aqui”, disse. “E uma excelente oportunidade de tirar dúvidas e alavancar negócios”.

A disputa

O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores. Participam projetos ou empresas, tanto pré-operacionais (sem faturamento) quanto operacionais (que já tenham faturamento), nas categorias geral; esporte; negócio social; realidade virtual e games.

O evento conta ainda com palestras sobre inovação, investimento e empreendedorismo e acompanhar as apresentações dos pitches (apresentações) dos finalistas à banca de investidores mais seleta do mercado. Para os 300 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação haverá dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias.

Os dez mais bem avaliados (sendo seis operacionais e quatro pré-operacionais) chegarão como finalistas do evento, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (com duração de até três minutos), à banca de investidores. Dois deles serão os vencedores, sendo um operacional e outro pré-operacional, independentemente da categoria. Serão premiados projetos e empresas inovadoras tanto em fase pré-operacional quanto operacional.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 300 mentores e mais de 250 investidores. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Para saber mais sobre a iniciativa, só clicar aqui

Consultoria para formar empreendedores de sucesso no Acelera Startup

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Não tem cara feia na fila para entrar na área em que estão os consultores (mentores). Pelo contrário: o clima é de expectativa e animação. Inscritos na oitava edição do Concurso Acelera Startup, de empreendedorismo, os participantes esperavam, na tarde desta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, em São Paulo, a sua vez de tirar dúvidas com especialistas de áreas como marketing, finanças, investimentos e direito, entre outras. O trabalho de mentoria é parte da competição organizada pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF). O evento termina no final desta quarta-feira (06/07), quando serão divulgados os nomes dos dois vencedores.

“O Acelera reúne muita gente do mercado, com empresas grandes envolvidas”, afirmou Carlos Batista, participante do concurso com a sua Easetask, empresa em fase de projeto. O negócio consiste na oferta de serviços de assistência pessoal como marcar médico, pesquisar preços e até comprar flores se for preciso.

Com os mentores, o empreendedor conversaria sobre contratos e inovação.

Com empresa aberta há sete meses, a sua Vivalá, de turismo de experiência para o mercado corporativo e pessoas físicas, Daniel Cabrera esperava a sua vez de falar com os consultores sobre investimentos e direito tributário.

“Estamos num momento de captação de investimentos e queremos expor o nosso projeto para mais pessoas”, explicou.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Cabrera: empresa aberta há sete meses e foco nos contatos com investidores. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Também interessado em apresentar a sua ideia, Daniel Araújo, responsável pela Be Visto, plataforma de conteúdo gratuito e colaborativo na internet, queria tirar dúvidas sobre o chamado “pitch”, apresentação curta, em poucos minutos, do negócio.

“Queremos conseguir investidores para a nossa ideia, preciso aprimorar essa parte de como me preparar para vender o projeto”, afirmou.

Vindo direto de Curitiba, no Paraná, com o mesmo objetivo dos demais participantes que a acompanhavam na fila, Luciana Penante também queria falar sobre o pitch com os mentores.

Seu projeto, o Leia.me, consiste numa rede social para escritores, um espaço para a publicação de textos literários. “Quero elaborar melhorar o modelo de negócios”, disse ela, que ficou sabendo do Acelera pela internet e por indicação de amigos que já conheciam a fama da competição, a maior do Brasil em empreendedorismo.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Luciana: direto de Curitiba para o Acelera e interessada em elaborar melhor seu modelo de negócios. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Confira a programação completa do Acelera na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo

Acelera Startup: maior concurso de empreendedorismo do Brasil oferece oportunidades na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

É uma questão de oportunidade. De aproveitar todas as chances até a tarde desta quarta-feira (06/07). Isso porque foi aberta, na manhã desta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, em São Paulo, a 8ª edição do Concurso Acelera Startup, de empreendedorismo. Organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF), o evento vai escolher dois vencedores entre os 250 participantes. Além da disputa em si, serão oferecidas palestras, consultorias e serviços de orientação para os empreendedores.

“É importante investir em relacionamento”, disse o diretor-titular do CAF, Sylvio Gomide. “Em ocasiões assim é possível ouvir uma dica que pode transformar o seu negócio”.

Segundo o membro do CAF Renê Rodrigues, também presente à cerimônia de abertura do Acelera, o concurso é um “tumulto organizado” e repleto de oportunidades. “Temos mentorias sobre marketing, assuntos jurídicos e financeiros, por exemplo”, explicou. “É só escolher a sua dúvida”.

Celeiro de empreendedores, a competição é palco de muitas histórias de persistência. “Temos o caso de um empreendedor que venceu em sua terceira participação no Acelera”, afirmou o membro do CAF Bruno Ghizoni. “Uma força de vontade que é fundamental para o empreendedor”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

A abertura do Acelera na manhã desta terça-feira (05/07): palestras, consultoria e muitas oportunidades. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Na manhã desta terça-feira (05/07), foram apresentados painéis de debates sobre sistemas de financiamento, comunicação e inovação. A tarde será dedicada às mentorias (orientações personalizadas) para os participantes do concurso.

Os vencedores serão anunciados no final desta quarta-feira (06/07).

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 400 mentores e mais de 250 investidores, sendo anjos, representantes de fundos de investimentos e empresas que trabalham com inovação aberta. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Confira a programação completa na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo


Vencedores do Acelera Startup comemoram expansão e reconhecimento do mercado

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A vida deles nunca mais foi a mesma. E o que importa: mudou para melhor depois que eles decidiram se inscrever no Concurso Acelera Startup, maior competição de empreendedores do Brasil, organizada pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF) desde 2012. Vencedores na disputa, viram seus negócios deslancharem e suas redes de contatos cresceram numa velocidade jamais imaginada antes. E estimulam todos os interessados em empreender a fazerem o mesmo. A oitava edição do evento começa nesta terça-feira (05/07), na sede da Fiesp, na capital paulista, se encerrando na quarta (06/07), com a divulgação dos resultados.

Além de incentivar o empreendedorismo, o Acelera Startup aproxima projetos e empresas de investidores.

“Não tivemos crise em 2016”, conta Valmir Valverde Júnior, da Carrega +, que fornece carregadores portáteis de celulares e tablets para eventos e empresas. O empresário ficou em segundo lugar na quarta edição do Acelera, em 2014. “Crescemos mais de 300% ao ano desde que participamos do concurso”.

Hoje membro do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, Júnior diz que o maior ganho foi o reconhecimento trazido pela conquista. “O mercado passou a nos respeitar”, conta.

Além de fornecer os carregadores para eventos, a Carrega + ainda disponibiliza esses objetos para estabelecimentos como restaurantes, vendendo espaço publicitário nas peças, atividade que já responde por 80% do faturamento da empresa.

Não menos animado, Sergio de Andrade Coutinho Filho, da Sayou, de tecnologia de capina elétrica, diz que o primeiro lugar na 3ª edição do Acelera, em 2013, “abriu uma nova rede de contatos e despertou o interesse dos investidores”.

Nesse embalo, a linha de produtos da empresa cresceu e hoje tem produtos de capina elétrica para os mercados agrícola, urbano e florestal, com o lançamento de opções para uso residencial no varejo em 2017.

“O Acelera é uma das melhores iniciativas de empreendedorismo existentes no Brasil hoje”, diz. “Crescemos 100% ao ano, sou muito grato à Fiesp”.

Quase um noivado

Campeão na categoria Energia na 6ª edição do evento, em 2015, o responsável pela área de Investimentos da Somatec, Paulo Morais, diz que a vitória acabou com o “ceticismo de mercado” em relação aos produtos da marca. O carro-chefe da linha da empresa é o retentor eletromagnético, que ajuda as indústrias a consumirem menos energia, entre outros benefícios.

“Existimos desde 1999, mas foi só depois do concurso que nos tornamos conhecidos e reconhecidos”, explica ele. “Agora crescemos 80% ao ano”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Morais, da Somatec: “Só depois do concurso nos tornamos conhecidos e reconhecidos”. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Com mais de 2 mil equipamentos instalados em indústrias de todo o país, a Somatec está em fase de negociação com alguns investidores. “Passamos a ser procurados e ouvimos algumas propostas”, conta. “Posso dizer que estamos namorando sério e caminhando para um noivado”, brinca.

Por isso, a gratidão com a disputa de empreendedores promovida pelo CAF é eterna. “O Acelera é um dos eventos mais importantes do Brasil e da América Latina na área, tem um peso imenso”.

Nas últimas edições do evento, foram recebidas mais de 11.500 inscrições de todo o Brasil e participaram mais de 400 mentores e mais de 250 investidores, sendo anjos, representantes de fundos de investimentos e empresas que trabalham com inovação aberta. Somando as edições anteriores (2011, 2012, 2013, 2014 e 2015), o evento já gerou investimentos de mais de R$ 5 milhões.

Confira a programação completa na página do concurso: http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

 Serviço

Concurso Acelera Startup

Data: 5 e 6 de julho

Local: Edifício-sede da Fiesp.

Endereço: Avenida Paulista, 1313. São Paulo

Startups de segurança e de saúde vencem 7º Acelera Startup

Agência Indusnet Fiesp

A Tela de Bloqueio, com um produto que impede por exemplo que ladrões entrem numa garagem enquanto o portão está sendo fechado, foi, ao lado da Livre – Montagem de Produtos Assistivos, uma das vencedoras do 7º Concurso Acelera Startup, da Fiesp. Os prêmios foram anunciados nesta terça-feira (17/11), na sede da Fiesp.

Representada no Acelera por Tarcisio Caddah Melo, a Tela de Bloqueio impede a entrada de pessoas não autorizadas em áreas de acesso restrito, em instalações fixas (residências, galpões, armazéns) ou instalações móveis (caminhões e carros-fortes, por exemplo). A patente é uma solução de engenharia que tem como suporte o princípio físico da “Gaiola de Faraday”.

Da categoria Saude e Bem-estar, a Livre realiza o desenvolvimento de equipamentos assistivos para auxílio de mobilidade, para pessoas que utilizam cadeiras de roda. Seu Kit Livre transforma qualquer modelo de cadeira de rodas em triciclo motorizado. Foi representada no Acelera por Júlio Oliveto Alves.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Os vencedores do Acelera Startup, Júlio Oliveto Alves (primeiro à esquerda) e Tarcisio Caddah Melo (sexto). Foto: Everton Amaro/Fiesp


Os finalistas da sétima edição do Acelera Startup foram escolhidos entre cerca de 5.000 empresas. Foram para a fase final 316 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. Depois de passar por dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias, foram definidos 13 finalistas, nas categorias Geral; Agronegócio; Educação; Saúde e Bem-estar.

Os outros finalistas foram Poliol vegetal, PlayDown, DoctorID, Omnize, Biotec do Brasil, Timokids, Indigoway, Fawke, PeggyPeg, Indicadores de Necessidade de Irrigação, Opa!.

Sobre o Acelera

Uma boa ideia na cabeça e a chance de encontrar seu potencial investidor, no elevador, e convencê-lo em prazo recorde: esta é uma das propostas do dinâmico Concurso Acelera Startup. O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores.

Trata-se da maior arena de aceleração do Brasil, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de empreendedores e de investidores para a geração de negócios. Somando as seis edições anteriores, o evento já gerou investimentos de mais de R$ 3 milhões.

Agilidade das startups dá vantagem na crise, afirma diretor durante abertura do Acelera Startup

Agência Indusnet Fiesp

Na abertura, nesta segunda-feira (16/11), da fase final do 7º Acelera Startup, concurso de empreendedorismo da Fiesp, Bruno Ghizoni, diretor do Comitê Acelera Fiesp (CAF), disse que “por incrível que pareça”, o momento no Brasil é bom para as startups. “Vocês são mais ágeis, pensam fora da caixa.” Lembrou que os finalistas da sétima edição do Acelera Startup foram escolhidos entre cerca de 5.000 empresas e “já são mais que vencedores”.

Participam 316 empreendedores que tiveram projetos ou startups selecionados na primeira fase de avaliação. São dois dias de um exclusivo processo de aceleração, com palestras, workshops, mentorias e avaliações classificatórias. As categorias desta edição são Geral; Agronegócio; Educação; Saúde e Bem-estar.

Sylvio Gomide, diretor titular do CAF, fez um paralelo entre os atentados na França e a crise enfrentada pelo Brasil. No nosso caso, afirmou, parte da solução vem da educação e do trabalho. “O momento de reflexão é importante para nós”, disse. “Não podemos fingir que nada está acontecendo. A primeira resposta é educação, e a segunda é trabalho, a geração de renda, de emprego.”

Gomide explicou a importância da campanha “Não Vou Pagar o Pato”, com participação ativa da Fiesp, e pediu a participação do público.

Também elogiou a presença dos empreendedores no Acelera Startups. “É importante contar com a participação de todos vocês. Na última edição, 17 Estados participaram deste concurso.”

Os 12 mais bem avaliados (sendo oito operacionais e quatro pré-operacionais) chegarão como finalistas do evento, podendo apresentar seu negócio, no modelo de elevator pitch (até 3 minutos), à banca de investidores mais seleta do mercado. Dois deles serão os grandes vencedores, sendo um operacional e outro pré-operacional, independentemente da categoria. Pela primeira vez, serão premiados projetos e empresas inovadoras tanto em fase pré-operacional quanto operacional.

O público pôde participar das palestras sobre inovação, investimento e empreendedorismo, também transmitidas ao vivo pela Internet. Na terça-feira (17/11) poderá acompanhar as apresentações dos pitches (apresentações) dos finalistas aos investidores

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Sylvio Gomide, diretor titular do CAF, durante a abertura do 7º Acelera Startup. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Ambiente empreendedor

A primeira palestra, sob o título Inovação – O case da Agência Africa, teve como moderadora Daniela Saad, diretora do CAF e da área comercial dos canais pagos da Band. Em sua apresentação, Sérgio Gordilho, sócio da agência Africa, ressaltou o ambiente favorável ao empreendedorismo na Fiesp, que estimula as startups. Na Bahia, há condição semelhante para a criatividade, disse, como explicação para a grande presença de publicitários e especialistas em marketing em seu Estado.

Gordilho disse que “crise é inovação. Isso é o ponto. Tire o esse, e crise vira crie”. Numa crise, explicou, é preciso olhar de forma diferente tudo que se faz. “Porque isso é inovação – tentar fazer melhor. É alterar a forma de fazer. O que é o bom da crise? Crise é um grande momento de inovar.”

O sócio da agência Africa deu também conselhos práticos sobre comunicação ao público. “Para saber a melhor mídia é preciso conhecer seu consumidor. A melhor mídia é onde ele está. Você sabe para quem sua empresa foi feita? Vivemos um mundo de oportunidade nas mídias, porque o brasileiro é conectado. Primeiro entenda seu consumidor – a partir daí fica fácil.”

Gordilho encerrou sua apresentação estimulando os empreendedores: “Trabalhem, foquem, cresçam”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Sergio Gordilho, sócio da Agência Africa, durante palestra no Acelera Startup. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Investimentos

O primeiro painel do dia, O mercado faz o pitch aos empreendedores – O que existe para ajudar minha startup?. teve intensa participação do público. O moderador do painel, Bruno Ghizoni, explicou que a ideia das apresentações foi mostrar o outro lado para o empreendedor.

Leonardo Pereira, chefe do departamento de capital empreendedor do BNDES, classificou como “impressionante como o empreendedorismo se desenvolve no Brasil, e mais especificamente em São Paulo, e como o ecossistema favorece isso.”

O BNDES, explicou, tenta criar produtos para dinamizar o ecossistema de inovação. Citou como problema no Brasil a remuneração dos títulos do Governo. “Dão 14% a 15% ao ano, e os investidores querem mais do que isso” na hora de escolher empreendimentos. Além desse retorno, o empreendedor precisa ficar de olho nos concorrentes. “Investidor quer ver capacidade do gestor e quer ver resultados.”

Fernanda Bordin, gerente da área de inovação e negócios da Mercedes-Benz, disse que a empresa tem abertura para startups, mas os empreendedores têm que ir preparados – “é preciso convencer muitas pessoas pelo caminho”. Disse que o LinkedIn funciona como canal para apresentar a startup à Mercedes – “mas não aquele pedido padrão de ‘adicionar’”. É preciso pensar como se fosse um pitch de elevador, contar o que a empresa tem a oferecer.

Fábio Kiyan, coordenador de Estratégia Tecnológica da Embraer, disse que a empresa toma ações focadas em fortalecer ecossistema de inovação. Parte importante do que a Embraer vai precisar, explicou, virá de startups. “O Acelera é programa muito importante para a Embraer.” Eventos como ele ajudam a Embraer a identificar fornecedores e encontrar soluções para problemas de curto prazo.

Sérgio Risola, diretor-executivo do Centro de Inovação, Empreendimento e Tecnologia (Cietec), frisou o tamanho – “é o maior do Brasil” – e a qualidade do Acelera Startup. Sobre a incubadora em que trabalha, disse que procuro “tornar simples, segura e escalável a inovação”. Cietec ajuda a criar asas, mas voa junto.

Também participaram do painel Rodrigo Comazzetto, gestor regional de São Paulo do Fundo Criatec 2, Anderson Borille, coordenador da Divisão de Engenharia Mecânica do ITA, e Alexandre Barros, coordenador da Incubadora de Negócios do Cecompi. Borille e Barros destacaram o ambiente favorável à inovação no Vale do Paraíba, com a presença de indústria aeronáutica, aeroespacial e de defesa.

Labs

O segundo painel do Acelera, A nova onda do mercado: Labs – O que são? O que minha startup ganha com isso?, foi mediado por Marcos Moraes, diretor do CAF. José Cláudio Cyrineu Terra, diretor de Inovação do Hospital Israelita Albert Einstein, lembrou que inovação precisa de uma visão diferente. Disse que o hospital quer impactar o ecossistema de inovação da saúde no Brasil. Para acelerar startups da área de saúde, ajuda em pontos como a área científica. “Sem ecossistema de inovação extremamente forte, nossos problemas na área de saúde não serão resolvidos”, afirmou. O hospital criou uma “garagem” para projetos, e contratou 15 engenheiros, de áreas como mecatrônica. Conseguiu montar portfólio de 30 projetos num ano.

Patrick Teyssonneyre, diretor de Inovação e Tecnologia da Braskem, alertou os participantes que o modelo de negócios tem sido a deficiência nos pitches (mais de 70) que acompanhou. “Precisa evoluir nisso”, afirmou. Célio Antunes, presidente da Impacta Tecnologia, citou projeto de plataforma de e-learning desenvolvida por seus alunos. Ele comprou 20% da empresa, e a solução virou comercial.

Sobre o Acelera

Uma boa ideia na cabeça e a chance de encontrar seu potencial investidor, no elevador, e convencê-lo em prazo recorde: esta é uma das propostas do dinâmico Concurso Acelera Startup. O Acelera Startup incentiva o empreendedorismo inovador e aproxima projetos e empresas de investidores.

Cerca de 50 investidores, com potencial de investimento de R$ 500 bilhões, formarão a maior banca do país. Trata-se da maior arena de aceleração do Brasil, que tem como objetivo fomentar o empreendedorismo e a inovação, atraindo o maior número de empreendedores e de investidores para a geração de negócios. Somando as seis edições anteriores, o evento já gerou investimentos de mais de R$ 3 milhões.

Confira toda programação no site http://hotsite.fiesp.com.br/acelera/

Aplicativo que conecta ciclistas é um dos vencedores do 4º Hackathon

Alice Assunção e Amanda Viana, Agência Indusnet Fiesp

Ciclistas que podem se comunicar pelo celular para pedir ou oferecer ajuda para pequenos reparos, pedir socorro ou acionar a polícia. Esse é o aplicativo ConnectBiker, um dos vencedores nesta segunda-feira (24/8) da quarta edição do Hackathon, organizado pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF) no último final de semana.

Este ano, o torneio premiou as melhores soluções tecnológicas em três categorias: consumidor final (iniciativas voltadas diretamente para o usuário), cadeia produtiva (iniciativas que otimizem processos produtivos) e social (iniciativas que tragam avanços sociais, públicos, governamentais ou no terceiro setor).

Na cadeia produtiva, venceu o aplicativo IOTility, desenvolvido por Rodrigo Gabriel Piris, Bruno Gellert, Mario Sergio Melo, Diego Remus e Erivelto Ribeiro. A ferramenta monitora o nível de utilização do maquinário das empresas conectadas ao aplicativo e indica instalações com capacidade ociosa disponíveis para fábricas que estão com excedente de demanda e falta de máquinas.

Criadores do aplicativo IOTility e Paulo Skaf (centro) na premiação do 4o Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Criadores do aplicativo IOTility e Paulo Skaf (centro) na premiação do 4º Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“Tem muita fábrica parada perdendo dinheiro. Unir quem tem capacidade demais e de menos, essa é a tese da IOT”, disse o representante da equipe, Diego Remus.

No segmento social, vitória para a equipe responsável pelo aplicativo Bem Infinito. Alexandre Capozzoli, Luan Fagundes, Karoline Harumi, Bruna Gomes e Carla Real Amorim desenvolveram um serviço de doações online que pode ser incorporado a sites de compras. Neste caso, o consumidor, antes de finalizar a sua compra, pode, por meio de um botão, doar algum item de higiene pessoal ou alimento para entidades como o Grupo de Apoio à Criança e ao Adolescente com Câncer (Graac).

“Esse modelo é replicável para outras áreas. Aproxima os doadores das instituições”, afirmou Bruna Gomes da Silva, representante do grupo.

Os vencedores foram anunciados pelo presidente da Fiesp, Paulo Skaf. Na ocasião, ele sugeriu um encontro com investidores e instituições financeiras para viabilizar não apenas os três projetos vencedores, mas os nove finalistas e os outros 40 semifinalistas.

“Todos estão de parabéns. Vamos nos esforçar, seja por bancos ou investidores, para fazer um encontro”, disse Skaf. “Agradeço a todos vocês por terem participado. Nesse momento delicado que o país enfrenta, a gente tem uma agenda positiva”, completou.

Criadores do aplicativo Bem Infinito, de doações, após receber prêmio na categoria cadeia social do 4o Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Criadores do aplicativo Bem Infinito, de doações, após receber prêmio na categoria cadeia social do 4º Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Ciclistas conectados

Criado por Guilherme Gonzalez, Ricardo Marques De Féo, Luan Almeida, Bruno Ribeiro dos Santos e Maria Consuelo Sá Sonnewend, o ConnectBiker é um aplicativo pelo qual o ciclista pode, por um botão de pânico, pedir socorro diretamente para o Samu ou para a Polícia Militar.

Atentos ao crescimento do movimento ciclístico e aos problemas de mobilidade urbana, os criadores do aplicativo buscam uma forma de conectar os ciclistas, mas que também propõe uma forma de ajuda mútua.

“A quantidade de ciclistas que está indo para as ruas é fabulosa, por isso, nós propomos que o aplicativo coloque o ciclista como ajuda a outro ciclista que está precisando, seja para pneus furados ou acidentes”, disse Ricardo Marques De Féo, integrante da equipe vencedora na categoria social.

Criadores do aplicativo ConnectBiker recebem prêmio pela categoria consumidor final. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Criadores do aplicativo ConnectBiker recebem prêmio pela categoria consumidor final. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Também é possível, pelo aplicativo, disponibilizar e alugar espaços em garagens ociosas para bicicletários.

“Caso não ganhasse, tínhamos a ideia de, em alguns meses, continuar desenvolvendo o aplicativo e lançá-lo oficialmente. Mas a ideia acabou sendo adiantada”, contou Guilherme Gonzalez, outro integrante.

Vencedores do 4º Hackathon

As equipes que venceram a maratona hacker poderão ganhar um passaporte para o Acelera Startup, competição da Fiesp que revela melhores ideias de startups e atrai investimentos, podendo participar dos pitches sem o processo seletivo. Os 9 finalistas poderão participar da seleção do Acelera Startup, passando diretamente pela primeira fase de seleção.

Entre os prêmios para os participantes das equipes vencedoras, o Twitter vai entregar um bluetooth speaker; a Sendgrid dará créditos por 12 meses para o uso da plataforma de envio de e-mails; o IBTA vai entregar um voucher de crédito para uso nos cursos de MBA; o Lingualeo oferecerá um curso de inglês para startups; a HZI vai proporcionar assessoria contábil por um período de seis meses; o Terras Coelho Advogados vai oferecer assessoria jurídica e a IBM permitirá créditos de uso comercial na plataforma.

Neste ano, para a competição do Hackathon, todos os aplicativos deveriam estar funcionando.

Bruna, do aplicativo Bem Infinito, contou que sua equipe passou a noite em claro para finalizar o projeto. “O nosso deadline eram domingo até as 14h, mas a gente apresentou nosso trabalho às 11h”.

Gabriel O Pensador chega ao Teatro do Sesi-SP para encerrar o 4o Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Gabriel O Pensador chega ao Teatro do Sesi-SP para encerrar o 4º Hackathon. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


A competição começou no sábado (22) e terminou nesta segunda-feira, na sede da Fiesp. Para formar um time do Hackathon as equipes precisam ter cinco integrantes e serem compostas preferencialmente por dois programadores ou desenvolvedores, um comunicador, um designer e um empreendedor.

“A gente sabia que tinha chance, e o protótipo, tanto do hardware como do software, funcionou. e algumas pessoas deram boas ideias de negócio. Inclusive alguns empresários de equipamentos ficaram interessados em conversar com a gente”, disse Diego Remus, um dos autores do aplicativo IOTility, para a cadeia produtiva.

Após a premiação, os participantes do Hackathon ainda aproveitaram um bate-papo e show com o rapper Gabriel O Pensador.

Equipes do Hackathon terminam fase de desenvolvimento de aplicativos

Patrícia Ribeiro e Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

Depois de dois dias de trabalho intenso, 200 desenvolvedores, divididos em 40 equipes, terminaram neste domingo (23/8) seus aplicativos e os apresentaram ao júri da 4ª edição do Hackathon, a maratona de criação de soluções tecnológicas para a economia compartilhada/colaborativa promovida pelo Comitê Acelera Fiesp (CAF). Neste ano, os projetos foram divididos em três categorias: consumidor final, cadeia produtiva e social.

Quem não participou tem uma ótima chance de ver de perto como os desenvolvedores negociam seus projetos com investidores. No último dia do Hackathon, esta segunda-feira (24/8), o público poderá acompanhar todas as atividades da maratona, incluindo as rodadas de negociação e os bate-papos com gente inovadora do setor de tecnologia. Basta ir ao prédio da Fiesp a partir das 14h e se credenciar.

Às 19h os finalistas apresentarão seu trabalho, e os vencedores serão anunciados às 20h30. Depois disso, Gabriel O Pensador faz uma palestra-show.

Os participantes que apresentarem a melhor solução móvel terão a oportunidade de participar da 7ª edição do Concurso Acelera Startup da Fiesp, em novembro.

Participaram da disputa programadores, designers, hackers e cientistas da computação, divididos em equipes (compostas por dois programadores ou desenvolvedores, um designer, um profissional de comunicação e um visionário).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Participantes do Hackathon, depois de dois dias da maratona de desenvolvimento. Foto: Patrícia Ribeiro/Fiesp


Sobre a maratona

A proposta do evento é mostrar que compartilhar, emprestar, alugar e trocar substituem o verbo comprar no consumo colaborativo. Uma tendência que, segundo economistas, vai movimentar quase R$ 1 trilhão nos próximos anos. É uma prática comercial mais consciente que possibilita o acesso a bens e serviços sem que haja necessariamente aquisição de um produto ou troca monetária entre as partes envolvidas no processo.

“O objetivo é fomentar o conhecimento tecnológico e o espírito empreendedor dos participantes”, diz o diretor-titular do CAF Sylvio Gomide.

O Hackathon tem finalidade exclusivamente cultural, visando reconhecer e divulgar as soluções tecnológicas desenvolvidas que tenham potencial inovador, estimulando a difusão do tema no meio empresarial, sem caráter comercial.

Programação:

24 de agosto – 2ª feira

14h – Relacionamento com investidores e mentores

16h30 – Acampamento criativo – Um bate-papo com inovadores do setor tecnológico

18h30 – Abertura da cerimônia de premiação e apresentação dos pitches dos finalistas

19h45 – Entrega da premiação

20h – Palestra de Gabriel O Pensador

21h30 – Encerramento

Sylvio Gomide – Diretor-Titular do CAF / FIESP

Cristiano Miano – Membro do CAF / FIESP

22h Coquetel de encerramento

Local: Av. Paulista, 1313 – metrô Trianon-Masp

Foto: representante do CAF se reúne com diretores de Comércio Exterior da Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540298222

Os diretores da Fiesp Antonio Bessa e Thomaz Zanotto (esquerda) e o representante do CAF (direita), Victor Rico, em reunião na sede da entidade. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


O diretor representante do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), Victor Rico, reuniu-se na manhã desta quarta-feira (16/4) com os diretores do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Thomaz Zanotto e Antonio Bessa.

A intenção do encontro foi discutir possibilidades de parcerias com a Fiesp e apresentar o novo representante do CAF.

Desde 2009, o CAF tem buscado intensificar sua agenda Europa com ações institucionais, financeiras, de interação com meios de comunicação e com associações produtivas.

O Brasil é um dos países acionistas do CAF. São eles: Argentina, Bolívia, Brasil, Colômbia, Chile, Costa Rica, Equador, Espanha, Jamaica, México, Panamá, Paraguai, Peru, Portugal, República Dominicana, Trinidad & Tobago, Uruguai e Venezuela.