André Esteves, do BTG Pactual, revela sua trajetória empreendedora de sucesso

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539656658

André Esteves, CEO do BTG Pactual, fala sobre empreendedorismo a jovens empresários

A atual geração de empresários tem o privilégio de viver o melhor momento do País, em virtude do equilíbrio macroeconômico e do consenso político.

A análise de André Esteves, CEO do BTG Pactual (principal banco de investimentos brasileiro) foi exposta em forma de bate-papo durante a reunião do Comitê de Jovens Empreendedores (CJE) da Fiesp, para uma plateia com mais de 500 pessoas que lotaram o Teatro do Sesi São Paulo nesta terça-feira (23).

Esteves considerou que a solidez destes fatores se tornou relevante após a estabilização da moeda, com o advento do Plano Real em 1994. Entretanto, as mudanças efetivas foram acontecendo nos anos subsequentes, principalmente após a eleição do presidente Lula.

Para ele, o consenso político existente no Brasil não significa que não haja disputa entre partidos, mas é necessário ter política de Estado e não só de governo. “A sociedade também deve ter agenda de Estado”, afirmou.

Segundo Esteves, o momento em que vivemos é uma nova transformação, da qual fez uma analogia: “O que se passa hoje no Brasil é o que se passou com os Estados Unidos 50 anos atrás, no pós-guerra. Nossa história está só começando”, observou.

O empreendedor

Filho de professora universitária, André Esteves contou que em sua juventude o panorama brasileiro apontava um cenário desfavorável. Cursou informática na UFRJ e passou em um concurso na própria universidade. Não satisfeito, queria mudar para um emprego com ambiente meritocrático e conquistou uma vaga em um então pequeno banco de investimento no Rio de Janeiro.

Logo no primeiro dia de trabalho, teve seu carro furtado. Como se não bastasse, passou a cuidar de um sistema de bolsas “horroroso, que apresentava erro todos os dias”. Determinado, aprendeu a domar o sistema e começou a estudar o mercado acionário para compreender melhor a complexa estrutura financeira.

Pouco tempo depois conseguiu tornar o sistema eficaz e, com base no resultado, foi promovido e passou a trabalhar na área de renda fixa. Não contente, Esteves queria mais, porém, deparou-se com o Plano Collor, que transformou sua excitação em desespero.

Ele contou que na época, foram criados os Fundos de Aplicação Financeira (FAF), o primeiro fundo de renda fixa constituído. Entre a dúvida dos sócios sobre a modalidade, André Esteves leu um capítulo do plano, que contemplava a possibilidade de criar para os bancos médios um fundo de investimento em FAFs dos bancos grandes, exatamente para simplificar o trabalho operacional.

Esteves então sugeriu aos sócios do banco a criação de um fundo que investia em outros fundos, com o intuito de evitar riscos. “Daí nasceu a Pactual Asset Management, que atualmente tem US$ 70 bilhões sob gestão. Temos que tirar as lições de onde estão as oportunidades”, concluiu o CEO do BTG Pactual.