Congresso Brasileiro de Direito Digital.

No dia 29 de outubro de 2015, aconteceu o “Congresso Brasileiro de Direito Digital”, promovido pelo Subgrupo de Direito Digital do GEDEMP/FIESP, com a participação do Desembargador José Renato Nalini, Presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, e diversos especialistas que discutiram sobre os principais desafios atuais e futuros para a indústria no cenário digital.

 

Para saber mais sobre a reunião, veja as apresentações ao lado.

Programa/Expositores: http://www.fiesp.com.br/agenda/congresso-brasileiro-de-direito-digital/

 

Links da transmissão online:

Abertura Institucional: https://youtu.be/eQykTIQws6Y

Painel 1 – Governo Digital: os principais desafios atuais e futuros para a indústria e a criação de uma cultura básica de segurança

https://youtu.be/Ln7vja8b9p0

Painel 2 – “RED – Riscos à Economia Digital” – Empreendedorismo, ética, novas tecnologias: os benefícios da tecnologia no Direito e nos negócios

https://youtu.be/u32jKGOxrvA

Painel 3 – Governança corporativa e o Direito Digital: como obter vantagem competitiva alinhando os interesses corporativos com a proteção do Direito Digital

https://www.youtube.com/watch?v=W83zIj3yO80

Painel 4 – Big Data, dados pessoais e a legislação: investigação e o impacto nas empresas

https://www.youtube.com/watch?v=73UW4Ds8zzA

Parte 5 –  Regras de conformidade e integridade: os desafios do compliance na prática para a indústria

https://www.youtube.com/watch?v=_MTkwShXWDI

Na Folha de S. Paulo, Benjamin Steinbruch destaca retomada da autoestima do brasileiro

Agência Indusnet Fiesp

Nesta terça-feira (02/07), o primeiro vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, escreveu, em sua coluna quinzenal no jornal Folha de S. Paulo, sobre a retomada da autoestima do brasileiro.

No texto “Um bom sinal”, Steinbruch afirma que “nas últimas décadas do século 20, o brasileiro sofria de um enorme complexo de inferioridade” e que “tirando as conquistas do futebol, tudo o que era nacional tendia a ser desqualificado e até tratado com desprezo”. De acordo com o primeiro vice-presidente da Fiesp, “isso mudou nas últimas duas décadas, com a inclusão do País entre os grandes emergentes e a onda de elogios ao modelo brasileiro que veio de fora para dentro”.

Para Steinbruch, agora o brasileiro quer mais: “Quer infraestrutura, saúde, educação, transporte eficiente, combate à corrupção”. “O fato novo é que os manifestantes reivindicam isso tudo com a bandeira nas costas e com listras verde e amarelas no rosto. Não há mais, felizmente, vergonha de ser brasileiro. Cuidemos para que ela não volte”, escreveu o o primeiro vice-presidente da Fiesp.

Por fim, Steinbruch citou a observação de um amigo a respeito de que “o sucesso internacional do futebol brasileiro costuma coincidir com momentos de grande afirmação da economia nacional”. Numa referência ao resultado da Copa das Confederações, concluiu: “Depois da conquista de domingo, portanto, vencer a Copa do Mundo de 2014 pode ser um bom sinal”.

Para ler o artigo na íntegra, só conferir abaixo ou clicar aqui.