Skaf recebe chefe do governo espanhol e aponta oportunidades no setor de infraestrutura

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Ao receber nesta quinta-feira (21/06), em São Paulo, a visita do presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, disse que, mesmo com a crise na Zona do Euro, há boas oportunidades de reforçar as relações comerciais com o país europeu.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545206986

Da esq. p/ dir.: O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, o presidente do governo da Espanha, Mariano Rajoy, e o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab


“O que discutimos é desenvolver um trabalho em que as empresas espanholas – sejam grandes, sejam médias, além das que já estão aqui – tenham conhecimento de todas as oportunidades que existem no Brasil. Não só para atender às necessidades do Brasil, mas em outros lugares do mundo, em que empresas brasileiras e espanholas podem estar de mãos dadas, ficando mais competitivas para ganhar [concorrência de] grandes obras em outros países como, por exemplo, na África”, disse Skaf em entrevista coletiva.

“Em 20 anos, a Espanha investiu 500 bilhões de dólares em infraestrutura. E o Brasil tem um déficit que todos conhecemos – precisamos investir em rodovia, ferrovia, portos, trem de alta velocidade, temos aí Copa do Mundo, Jogos Olímpicos. E a Espanha tem know-how, mão de obra e empresas especializadas”, explicou o presidente da Fiesp.

No encontro com Mariano Rajoy, Skaf afirmou já existir uma afinidade cultural e um fluxo comercial relevante com o país europeu, enumerando setores e segmentos econômicos onde houve aporte de recursos espanhóis no Brasil e a consequente geração de empregos e impostos para o país. “Para nós é muito importante ter a maior aproximação possível com a Espanha”, assinalou Skaf. “Vamos considerar essa visita como um divisor de águas nas relações comerciais entre Brasil e Espanha. A Fiesp está à inteira disposição para ajudar nas relações entre os dois países”, completou.

O evento contou com a presença do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, e do presidente da Câmara Espanhola e presidente da Telefónica-Vivo, Antonio Carlos Valente. A ministra do Fomento da Espanha, Ana Pastor, e o embaixador no Brasil, Manuel da La Cámara, integraram a comitiva.

Também participaram, entre autoridades e empresários, o 3º vice-presidente da Fiesp e presidente da Coteminas, Josué Christiano Gomes da Silva; o 1º diretor-secretário e chanceler da Ordem do Mérito Industrial de São Paulo da Fiesp, Nicolau Jacob Neto; e o presidente do Conselho Superior de Comércio Exterior da Fiesp, embaixador Rubens Barbosa.

Crise na Europa

Na coletiva, Paulo Skaf disse que saiu do encontro mais tranquilo quanto ao futuro econômico do país ibérico. “O presidente do governo da Espanha me impressionou muito bem.  [Em discurso no evento] Ele colocou a questão de forma realista, firme e corajosa.”

O presidente da Fiesp acrescentou que, em conversa com Mariano Rajoy, destacou a imensa responsabilidade do chefe de governo nesse momento de crise na Zona do Euro, em que a Espanha é um dos principais países afetados. “Ele tem uma responsabilidade que vai um pouco além. As medidas que o presidente [Mariano Rajoy] tomar podem evitar problemas maiores na Europa. E problemas maiores na Europa se refletem no mundo”, explicou Skaf.

“Um momento de dificuldade é onde moram as grandes oportunidades. Esse momento vai passar. As coisas ruins não são eternas. Vejo como uma oportunidade. E as empresas brasileiras deveriam voltar suas atenções para a Espanha”, concluiu o presidente da Fiesp.

Leia mais: Brasil é o segundo país do mundo em que mais investimos, diz Mariano Rajoy