Fórum de negócios Brasil-França debate oportunidades de investimentos na Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

Como parte do intenso esforço de integração externa promovido pelo Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior da Fiesp (Derex), empresários brasileiros e franceses debateram nesta terça-feira (4 de novembro) novas oportunidades de investimentos no Fórum de Negócios Brasil-França em São Paulo.

Segundo o diretor titular do Derex, Thomaz Zanotto, a indústria do Estado de São Paulo trabalha para atuar como importante impulso dessa nova fase da revolução tecnológica mundial, sempre tendo a França como um parceiro estratégico de negócios, principalmente neste momento de uma retomada econômica no país.

Para o embaixador da França no Brasil, Michel Miraillet, os franceses veem o Estado paulista como um berço do empreendedorismo no Brasil, “região que abriga dez vezes mais empresas que todo o México”, comparou.

O presidente do conselho França-Brasil do Medef Internacional, entidade que promove a promoção internacional de empresas francesas, e presidente do conselho executivo do Tereos Groupe, Alexis Duval, por sua vez, lembrou que mais de 60 companhias francesas mostraram ou renovaram interesses em fazer negócios com o Brasil.

O diretor executivo adjunto da agência de desenvolvimento francesa Proparco, Amaury Mulliez, falou sobre o papel que as organizações de desenvolvimento econômico podem desempenhar em projetos entre os dois países. Já o diretor financeiro da Guarani-Tereos, Jairo Carolinski, o diretor financeiro da Aegea Saneamento, Flavio Crivellari, e o diretor executivo da Euromaxx, Marcel Baumgartner, contaram suas experiências comerciais envolvendo as duas economias.

Para detalhar a dinâmica das decisões de investimentos no Brasil, o chefe de pesquisas em Mercados Emergentes para a América Latina do BNP Paribas, Marcelo Carvalho, e o chefe de Project Finance, Gaetan Quintard, fizeram uma breve análise macroeconômica do país aos empresários franceses. “Como disse Tom Jobim, os franceses sabem que o Brasil não é para iniciantes. Sabemos que reformas estruturais como da Previdência e tributária facilitariam muito o ambiente de negócios para estrangeiros”, destacou Carvalho.

As discussões ligadas ao agronegócio foram encabeçadas pelo presidente do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag), Jacyr Costa Filho, e pelo diretor do Departamento de Agronegócio da Fiesp (Deagro), Roberto Betancourt.

De olho no surgimento de novas formas de negócios em todo o mundo, em um painel organizado em parceria com a French Tech Hub (FTH), instituição de apoio para startups francesas, a diretora do Comitê Acelera Fiesp, Nathalia Britto, liderou um painel sobre startups e inovação.

Aline Bros, diretora da FTH no Brasil, explicou que a entidade em que trabalha é uma rede internacional do empreendedorismo francês, voltada às startups.

Hélène Jullien, co-fundadora da Abacashi, descreveu o conceito viral da empresa, de origem francesa, que faz vaquinhas online. Ela deu exemplos das dificuldades de empreender no Brasil.

Brasil e França reforçam parceria na indústria de defesa

Patrícia Ribeiro, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), em parceria com o Ministério da Defesa, sediou nesta quarta-feira (11/3) o Seminário e Rodada de Relacionamento Industrial Brasil – França. Durante o encontro, especialistas e autoridades do setor  avaliaram como reforçar a parceria estratégica, e de longo prazo, entre ambos países. Empresários também tiveram a oportunidade de estabelecer novos negócios.

Participaram do evento o embaixador da França, Denis Pietton, o diretor-titular Departamento de Defesa (Comdefesa) da Fiesp, Jairo Cândido, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Defesa (ABIMDE), Sami Hassumi, o presidente da Associação das Indústrias Francesas Aeroespaciais (GIFAS), Marwan Lahoud, e o diretor de Catalogação e Núcleo de Promoção Comercial do Ministério da Defesa, Wagner Lopes Moraes Zamith.

Segundo o embaixador Pietton, a consolidação da parceria estratégica franco-brasileira para a indústria de defesa revela a credibilidade do Brasil em relação ao parceiro francês. “A França acredita na estabilidade do Brasil, na facilidade de fazer novos negócios, bem como na alta capacidade tecnológica de desenvolver novos produtos.”, disse Pietton.

Seminário e Rodada de Relacionamento Industrial Brasil – França. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

 

Cândido, da Fiesp, afirmou que o encontro na sede da federação é “uma oportunidade de conhecer novos modelos e experiências da França”.Segundo ele, a Fiesp quer contribuir com a indústria de defesa estreitando as relações positivas entre Brasil e França.

Já o presidente da Abimde, Hassuni, alertou que “não podemos desvincular este encontro do momento atual de crise econômica que o país está passando”. Ele ponderou, no entanto, que mesmo com um cenário de incertezas é importante trabalhar para a segurança e defesa do Brasil.

Ainda na abertura do encontro, Zamith, do Ministério da Defesa, lembrou de um convênio assinado pelos dois países em 2008, que resultou em contratos envolvendo submarinos, helicópteros e satélites de comunicação. “Sem dúvida, as transferências de tecnologias criaram trocas reais entre empresas francesas e brasileiras”, afirmou.

Senai-SP e Firjan assinam memorando de entendimento com a ministra do Ensino Superior e da Pesquisa da França

Agência Indusnet Fiesp 

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Paulo Skaf; e o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves, assinaram memorando de entendimento com a ministra do Ensino Superior e da Pesquisa da França, Geneviève Fioraso,  na manhã desta sexta-feira (13/12), na abertura do Encontro Econômico Franco-Brasileiro, na sede da entidade.

São dois convênios: um com o Senai-SP e outro com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan).

“Haverá um investimento de 50 milhões de euros no Centro de Inovação e Tecnologia, em São José dos Campos. Essa parceria também inclui o Sitema Firjan, com a formação de mão de obra para o setor naval, mais especificamente em submarinos, enquanto o Senai-SP focará na formação profissional para o setor aéreo”, explicou Skaf, durante a abertura do evento.

Da esquerda para a direita: o diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves; a ministra do Ensino Superior e da Pesquisa da França, Geneviève Fioraso; e o presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Embaixador brasileiro na França deu as boas-vindas à delegação da Fiesp nesta quarta (4)

Agência Indusnet Fiesp

A diretoria da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) foi recebida nesta quarta-feira (4) pelo embaixador do Brasil na França, José Maurício Bustani, em coquetel de boas-vindas.

José Maurício Bustani, embaixador do Brasil na França e José Carlos de Oliveira Lima, diretor do Deconcic da Fiesp

O grupo, que conta com a participação dos diretores dos departamentos da Indústria da Construção (Deconcic) da entidade, José Carlos de Oliveira Lima e Paul Alain Wroclawski; de Comunicação, Fernando Jafet; e do Jurídico, Hélcio Honda, está em Paris acompanhando uma missão de cem empresários à Feira da Batimat.

Além da visitação à maior exposição do setor da construcão no mundo, os participantes contam com rodadas de negócios e visitas a órgãos de fomento de relações internacionais.

“Estamos satisfeitos com os encontros comerciais e também com as novas parcerias que a Fiesp está fazendo durante essa estada em Paris. Estamos convictos de que a balança comercial com a França apresenta as melhores condições para se destacar no próximo ano”, disse Oliveira Lima.