Dois atletas do Sesi-SP são convocados para Mundial de Bocha Paralímpica

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141181

Anderson Vieira e Daniela Falotico, atletas de bocha paralímpica do Sesi-SP. Foto: Divulgação

Daniela Falotico e Anderson Vieira, ambos atletas de bocha paralímpica do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), foram convocados para o mundial da modalidade, que acontece de 19 a 28 de setembro, em Pequim, na China.

Ao lado de outros nove atletas, Daniela e Vieira representarão a seleção brasileira nas categorias Classe BC1 e Classe BC3, respectivamente.

Recentemente, o Sesi-SP conquistou o tetracampeonato da Regional Sudeste de Bocha 2014, realizada em Águas de Lindóia (SP).

Alunos do Sesi-SP apoiam paratletas da Bocha em competição

Agência Indusnet Fiesp

De 5 a 8 de agosto, atletas da Bocha Paralímpica do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) participaram do Campeonato Regional Sudeste da modalidade, na cidade de Águas de Lindóia, interior de São Paulo. A equipe conquistou o tetracampeonato na competição.

Conquistaram medalhas de ouro os atletas Guilherme (classe BC1) e Anderson (classe BC3). Jonathan (classe BC1) e Jorge (classe BC4) ganharam medalhas de prata e Evelyn (classe BCe3) trouxe um bronze. Também pontuaram e colaboraram para a conquista os atletas Jorge Junior (4º lugar na BC1), Vladimir (5º lugar na BC2), Edyvaldo (7º lugar na BC3, Jarbas (5º lugar na BC4), Alcides (6º lugar na BC4) e Josiane (7º lugar na BC4).

O próximo desafio é o Campeonato Brasileiro de Bocha Paralímpica, que acontece em outubro, em Foz do Iguaçu. Dos 20 atletas convocados para a seleção da região Sudeste, 10 são do Sesi-SP.

Pedagogia do exemplo

Além de dar exemplo pelo talento dos seus atletas, o Sesi-SP também mostrou como o esporte contribui para o projeto educacional da instituição. Os alunos do Sesi-SP, Thabata Santana das Neves (ensino médio em Ferraz de Vasconcelos) e Talles de Almeida da Silva (técnico em lazer na unidade Jardim Monte Cristo), ambos de 17 anos, trabalharam de forma voluntária como staff da equipe Paralímpica de Bocha durante o campeonato.

Como parte do projeto Pedagogia do Exemplo, eles exercitaram o protagonismo juvenil, atuando como ajudantes dos paratletas cadeirantes, servindo as refeições ou auxiliando durante os jogos. Os jovens puderam conviver com os atletas, conhecer as histórias de vida de cada um e conhecer a dinâmica e as possibilidades que eles encontram no esporte paraolímpico.


Presidente da Fiesp e do Sesi-SP visita obras do Sesi em Suzano

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Suzano

O presidente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, visitou, nesta sexta-feira (21/02), as obras do Centro de Atividades Max Feffer, na cidade de Suzano. Ao lado das instalações esportivas, está sendo construída uma nova escola, que vai reunir os alunos das três unidades que funcionam atualmente no município. O investimento foi de R$ 34,1 milhões e a previsão é de que a inauguração aconteça em setembro de 2015.

Skaf visita as obras do Sesi-SP em Suzano: alicerce da educação para as crianças. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Skaf visita as obras do Sesi-SP em Suzano: alicerce da educação para as crianças. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Além de ser um prédio moderno, equipado com ar condicionado, a nova escola é mais uma ação do Sesi-SP para atingir o objetivo de oferecer ensino integral em todas as suas unidades até 2015.

“Em setembro do ano que vem, vamos inaugurar uma belíssima escola em Suzano, que vai ter a escola mais moderna do mundo de ensino fundamental em período integral. Aqui as crianças vão ter o alicerce da educação, a base do conhecimento”, afirmou Skaf. “Essa obra é a representação material de tudo que pregamos no Sesi-SP e no Senai-SP.”

Skaf lembrou que a unidade de Suzano foi a primeira a ser inaugurada por ele. “Quando assumi o Sesi-SP, a primeira inauguração que eu fiz foi a escola de Suzano. Depois disso, construímos as quadras cobertas, os campos de futebol, aquecemos a piscina e agora estamos construindo esse prédio”, lembrou. “Se olhar uma foto de antes e depois, no lugar de um terreno vazio, temos um templo sagrado de educação completa, que vai dar oportunidade para as pessoas.”

Lição de vida

A unidade do Sesi-SP em Suzano é a sede das modalidades paraolímpicas da instituição. Nesta sexta-feira (21/02), durante a visita do presidente da instituição, a equipe de Bocha Paralímpica realizava uma vivência com um grupo de alunos do 6º ano do Sesi-SP.

No encontro, os atletas começaram contando suas histórias de vida, explicando quais eram suas deficiência e como elas surgiram. Depois, os alunos foram divididos em grupos para que os atletas pudessem ensiná-los a jogar bocha paralímpica. Essa prática faz parte da pedagogia do exemplo, um dos objetivos dos investimentos do Sesi-SP em atletas de alto rendimento, olímpicos e paraolímpicos: dar às crianças e jovens exemplos de superação, trabalho e dedicação.

Bocha paralímpica e rapel no prédio da Fiesp e do Sesi-SP chamam atenção para ‘Virada esportiva’

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), na avenida Paulista, chamou a atenção de pedestres, passageiros e motoristas na tarde desta quarta-feira (27/06). E por um motivo nada convencional – um rapel feito por seis pessoas na fachada de 60 metros de altura.

Prestigiada pelo presidente da Fiesp e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), Paulo Skaf, a aventura teve como objetivo divulgar a sexta edição da Virada Esportiva, que acontece neste final de semana (30/06 e 01/07) na cidade de São Paulo.

Entre os participantes do rapel estava o especialista da Divisão de Esporte do Sesi-SP, Saulo Françoso, que superou o medo por amor à prática esportiva. “Quando contei para minha esposa que faria o rapel, ela perguntou se eu estava ficando maluco. Confesso que fiquei com um pouco de receio, mas a experiência foi inesquecível. Este dia vai ficar marcado para sempre em minha vida”, contou.

A médica Kátia Gonzales, que passeava por ali com a filha Ana Júlia, 10 anos, gostou da surpresa: “O rapel chama atenção para a importância da prática esportiva, principalmente na avenida Paulista, onde o ritmo de vida é louco”, disse.

Bocha paralímpica

Imagem relacionada a matéria - Id: 1545141181

Paulo Skaf cumprimenta os atletas da equipe de bocha paralímpica do Sesi-SP

Enquanto os esportistas desciam a fachada da Fiesp, 15 atletas da equipe paralímpica do Sesi-SP aproveitaram para fazer uma demonstração da modalidade de bocha paralímpica na calçada do prédio. Entre eles, Luísa Lisboa, da categoria BC2, recentemente convocada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) para integrar a seleção brasileira de bocha nos Jogos Paralímpicos de Londres-2012.

“Eu nunca pensei que fosse chegar aonde eu cheguei. Representar o Brasil vai ser uma grande responsabilidade. Quero ganhar e vou fazer o meu melhor. Estou treinando muito para isso”, declarou depois da exibição.

Atualmente, a equipe paralímpica do Sesi-SP é composta por 60 atletas, divididos em três categorias esportivas: atletismo, bocha e vôlei sentado.  Além de Luísa, outros dez atletas da equipe foram convocados para os Jogos Paralímpicos de Londres, representando cerca de 5% da delegação brasileira no torneio.