Com apoio da Fiesp, World Bike Tour contou com 8 mil participantes pedalando por São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

Federação das Indústrais do Estado de São Paulo (Fiesp) apoiou na quarta-feira (25) a Edição 2012 do Word Bike Tour São Paulo. Para festejar o aniversário de 458 anos da cidade, mais de oito mil pessoas pedalaram 11 quilômetros, desde a ponte Octávio Frias de Oliveira (Estaiada) até a portaria 14 da Cidade Universitária.

Mais de 8 mil pedalaram em SP. Foto de divulgação

“O evento ocorreu sem incidentes, o que deixa a organização e seus parceiros honrados. Consideramos que os objetivos foram atingidos no decorrer de todas as atividades do WBT 2012 que aconteceram ao longo de 60 dias”, informaram os organizadores da pedalada em sua página na Internet.

Sob o compromisso com o bem-estar físico, social e mental, a Fiesp sediou o VI Seminário Internacional – Saúde, Esporte e Ação Social, promovido pela World Bike Tour.

O tema inclusão social e bem-estar também fez parte das discussões no seminário preparatório para o passeio deste ano, o qual reuniu autoridades, representantes do governo e empresários para debater sobre como prevenir doenças e combater o sedentarismo e as drogas.

Seminário da World Bike Tour discute inclusão social, drogas e bem-estar na Fiesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Mário Frugiuele, 1º diretor-secretário em exercício da Fiesp

Sob o compromisso com o bem-estar físico, social e mental, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) vai sediar até esta quinta-feira o VI Seminário Internacional – Saúde, Esporte e Ação Social, promovido pela World Bike Tour (WBT|), organização portuguesa que realiza pedaladas anuais em todo mundo em prol da atividade física como fonte de saúde.

“Com um evento esportivo de alto impacto, que é um passeio de bicicleta com oito mil pessoas, assuntos que permeiam a cidade como drogas, deficiência física passam a ser discutidos”, afirmou o Mário Frugiuele, 1º diretor-secretário em exercício da Fiesp. “A Fiesp enxerga isso de forma muito positiva.”

Este ano, a WBT vai prestigiar a cidade São Paulo em seu aniversário colocando oito mil participantes na rua para pedalarem por 10 quilômetros. O percurso do passeio terá início na Ponte Octávio Frias de Oliveira (ponte estaiada) e seguirá pela Marginal Pinheiros, com ponto final na Cidade Universitária. As inscrições estão encerradas.

A primeira edição da WTB fora do continente europeu aconteceu em São Paulo em 2009. No ano passado, pelo menos sete mil participantes pedalaram pelas ruas da capital paulista; 100 pessoas com alguma deficiência física assumiram a frente do pelotão de bicicletas que faria o circuito.

O tema inclusão social e bem-estar também faz parte das discussões no seminário preparatório para o passeio deste ano. O primeiro dia do evento reuniu autoridades, representantes do governo e empresários para debater sobre como prevenir doenças e combater o sedentarismo e as drogas.

“Este seminário vem ao encontro da linha mestra da saúde: bem-estar físico social e mental. A Secretaria é da Saúde, não deveria ser uma Secretaria da doença. Ele vai ao encontro daquilo que a medicina propõe: atividade física”, afirmou Antônio Neto, que representou o secretário municipal da Saúde, Januário Montone.

Segundo Neto, um dos fatores de maior incidência de doença é o sedentarismo. “Infelizmente hoje a sociedade anda sentada, isso é lamentável.”

Drogas

João Goulão, presidente do Observatório da Europeu da Droga

Na carona do bem-estar, os envolvidos na organização do Bike Tour reiteram a mensagem de combate às drogas.

João Goulão, presidente do Observatário Europeu da Droga, compartilhou a experiência da organização em diminuir os índices de consumo e tráfico de drogas em Casal Ventoso, bairro da região portuária de Lisboa conhecido pelo tráfico e consumo de drogas.

“Era uma realidade que se comparava facilmente à Cracolândia aqui de São Paulo. E os traficantes eram pessoas como os antigos trabalhadores do porto que perderam seu emprego após a perda significativa de nossa marinha mercante após a descolonização”, contou o presidente do Observatório. O tráfico de drogas na região ainda existe, mas em menor escala, acrescentou ele.

Goulão veio à São Paulo compartilhar sua experiência de combate às drogas em Lisboa no momento em que a Polícia Militar completa 16 dias de ocupação na Cracolândia, região povoada por usuários e traficantes de drogas no centro da cidade, e enquanto o Ministério da Saúde anuncia uma verba de R$ 6,4 milhões para tratamento de dependentes de drogas em 2012.

No segundo dia, o seminário na sede da Fiesp vai apresentar o livro Drogas, como obter ajuda e orientação.