Empreendedores do agronegócio premiados pelo Rally da Safra na Fiesp

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A noite desta terça-feira (01/04) foi de reverência aos empreendedores do agronegócio nacional. Para fechar as atividades do Rally da Safra 2014, levantamento com projeções da safra de grãos no país, foram premiados os destaques do setor em cerimônia realizada na Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). O evento teve a participação do diretor da Agroconsult, André Pessoa, que apresentou os resultados do estudo de campo realizado este ano. A consultoria é a responsável pela iniciativa.

Além disso, estiveram presentes na ocasião o segundo vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Sabino Ometto, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Nery Geller, o membro do Conselho Superior do Agronegócio (Cosag) da Fiesp, coordenador do Centro de Agronegócio da Fundação Getúlio Vargas e ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues e o diretor titular do Departamento de Agronegócio (Deagro) da Fiesp, Benedito da Silva Ferreira.

“O André Pessôa, como um verdadeiro bandeirante, adentrou as áreas de plantio do país para fazer o Rally da Safra”, disse Ometto.

De acordo com o segundo vice-presidente da Fiesp, 24% da representação da entidade está ligada à indústria de insumos e alimentos. “Temos uma grande vocação na área”, disse. “Estamos aqui para trabalhar para o Brasil, todas as nossas posições são construtivas”.

Ometto: “Estamos aqui para trabalhar para o Brasil, todas as nossas posições são construtivas”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Ometto: “Estamos aqui para trabalhar para o Brasil”. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Segundo diretor titular do Deagro, as condições enfrentadas pelos produtores rurais muitas vezes são “adversas”. “Por isso a importância de iniciativas como essa: a cada edição do Rally da Safra nos sentimos mais motivados a estreitar essa parceria”.

Em sua apresentação, Pessôa lembrou que o Rally é um esforço no sentido de “reduzir a assimetria das informações no agronegócio”. “Percorremos 65 mil quilômetros de praticamente todas as regiões do país, mobilizando uma equipe de 112 pessoas e envolvendo 2,2 mil produtores”, afirmou.

Ao longo do levantamento feito pelo Rally da Safra, conforme Pessôa, até mesmo as condições das estradas e as características físicas e nutricionais da soja no Brasil foram consideradas.

Quem tem compromisso

Para o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, é preciso ajudar a “reduzir os gargalos que atrapalham o desenvolvimento”. “Temos que trazer para dentro do agronegócio quem tem compromisso com a produção”, disse Geller.

Geller: para promover a inovação tecnológica. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

Geller: foco na inovação tecnológica. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

“No ministério, estamos focados em trazer conhecimento para ajudar a resolver problemas”, afirmou. “Não é só disponibilizar recursos, mas também promover programas de acesso à inovação tecnológica”.

O homem que empurra o barco

Alvo da homenagem especial do prêmio Rally da Safra 2014, o fundador do Grupo Manah, de fertilizantes, Fernando Penteado Cardoso, emocionou a plateia ao destacar a “força humana” do agronegócio. “Parabenizo todos os premiados pela sua eficiência”, disse. “Que continuem a representar a força humana da nossa agricultura. A qualidade do homem que empurra o barco é muito importante”.

Representante do Grupo Bom Jesus, do Mato Grosso, na cerimônia, Nelson Vígolo recebeu o prêmio de “Produtor do Ano”. “Essa é uma grande satisfação para mim e para a minha família, que acreditou no cerrado e na produção de soja”, disse. “O Brasil é gigante na agricultura e pode crescer bem mais”.

Já a jornalista Sônia Bridi, da Rede Globo, destacada com o “Prêmio Especial Régis Alimandro de Jornalismo”, fez questão de citar a sua história pessoal com o campo. “Fiquei mais do que envaidecida e orgulhosa com esse prêmio: sou da primeira geração da família Bridi que nasceu fora da lavoura”, contou. “Foi a expansão da lavoura no país que mudou o meu destino”.

Para Sônia, é importante lembrar que existe um Brasil agrícola “eficiente e de altíssima produtividade”.

Confira abaixo a relação completa de premiados pelo Rally da Safra 2014:

Produtividade

Irmãos Cambruzzi (SC)

Excelência Agronômica

Geraldo H. Morsink (PR)

Gestão da Propriedade Agrícola

Fazenda Progresso (PI)

Produtor do Ano

Grupo Bom Jesus (MT)

Prêmio Régis Alimandro de Jornalismo

Gustavo Bonato – Thomson Reuters

Prêmio Especial Régis Alimandro de Jornalismo

Sônia Bridi – Rede Globo

Homenagem Especial

Fernando Penteado Cardoso (Fundador do Grupo Manah, de fertilizantes)

O Rally da Safra

Iniciado em 2004, o Rally da Safra vai a campo, todos os anos, para avaliar as condições das lavouras de soja e milho no Brasil. A expedição é realizada entre janeiro e março. O roteiro é escolhido com o objetivo de percorrer os principais polos produtores.

Diretores da Fiesp apontam perspectivas para 2014 em coletiva de imprensa da entidade

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Além do balanço de 2013 para a indústria e a economia brasileiras, apresentado pelo presidente da Federação e do Centro das Indústrias de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, a coletiva de imprensa de final de ano das entidades contou com a participação de diretores de várias áreas de atuação da indústria paulista.

Um desses participantes foi o superintendente do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Walter Vicioni Gonçalves.

Segundo Vicioni Gonçalves, o Sesi-SP e o Senai-SP se empenham e seguirão empenhados na oferta de educação de qualidade, o que também é uma forma de “estimular o desenvolvimento econômico”. “Em 2015, teremos 90 mil alunos na educação fundamental em regime integral no Sesi-SP”, disse.

Ele lembrou ainda que o Sesi-SP fez intervenções no currículo para estimular as áreas de ciência e tecnologia na rede. “E isso para os alunos desde os seis anos de idade”, explicou. “Temos laboratórios de química e física, por exemplo”.

Vicioni na coletiva de imprensa: educação de qualidade para “estimular o desenvolvimento econômico”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Vicioni: educação de qualidade para “estimular o desenvolvimento econômico”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Projetos como o Teatro Musical, de formação de atores na área, ligado ao setor de Cultura do Sesi-SP, também foram lembrados.

Assim como as unidades móveis do Senai-SP sobre áreas como nanotecnologia, robótica aquática e aviônicos. “Para a Fiesp a educação é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”, disse Vicioni Gonçalves.

Meio ambiente

Também presente à coletiva de imprensa, o diretor-titular do Departamento de Meio Ambiente (DMA) da Fiesp, Nelson Pereira dos Reis, explicou que existe no estado de São Paulo um “arcabouço com mais de 800 normas ambientais”. “Isso gera uma enorme dificuldade de licenciamento e de processos de renovação de licenças”, disse.

Assim, o DMA está fazendo um ordenamento da legislação estadual a partir de um conjunto de 700 normas. “Estamos desenvolvendo uma proposta de código ambiental para facilitar a vida dos empresários”, afirmou. “É mais uma contribuição da Fiesp para ajudar São Paulo e o Brasil a serem mais competitivos”.

Reis: “Estamos desenvolvendo uma proposta de código ambiental para facilitar a vida dos empresários”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Reis: proposta de código ambiental para facilitar a vida dos empresários. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Pequena e média indústria

Diretor-titular do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), Milton Bogus destacou a atuação da entidade no sentido de ajudar empreendedores de todos os portes. “Fechamos uma parceria com 20 universidades para atendimento, consultoria e palestras para mais de 6 mil empresas”, explicou.

Ele lembrou ainda que as salas de crédito realizadas na federação sempre contam com a participação dos seis principais bancos do país, além do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

De olho na Copa

No Departamento de Segurança (Deseg) da Fiesp, as atenções já estão voltadas para a Copa do Mundo de 2014. “Estamos focados na segurança privada no Brasil até por conta da Copa”, disse o diretor-titular do Deseg, Ricardo Lerner.

Nesse sentido, a federação deve receber, em sua sede na Avenida Paulista, em São Paulo, em 25 de fevereiro de 2014, um evento para discutir a segurança em cada uma das cidades que vão sediar o evento no Brasil no próximo ano.

Construindo oportunidades

Para o diretor titular do Departamento da Indústria da Construção (Deconcic) da Fiesp, Carlos Eduardo Pedrosa Auricchio, o “destravamento do setor nos diversos aspectos que têm atrapalhado a construção” é uma prioridade do departamento para 2014.

Nacionais x importados

Coordenador adjunto do Comitê da Cadeia Produtiva da Bioindústria (Bio Brasil) na Fiesp, Paulo Fraccaro, é preciso estimular a discussão, em 2014, de temas como a dificuldade de concorrência entre produtos nacionais e importados na área da saúde.

“Hospitais e órgãos públicos importam artigos na área com isenção de tributos”, disse. “Precisamos de isonomia na área, de igualdade de competição”.

O debate também vale para o setor de defesa. “A nossa busca maior é buscar a equiparação da indústria nacional com a estrangeira”, afirmou o diretor-titular do Departamento da Indústria de Defesa (Comdefesa) da Fiesp, Jairo Cândido.

Reunindo cadeias produtivas

Para o diretor-titular do Departamento do Agronegócio (Deagro) da Fiesp, Benedito da Silva Ferreira, uma das principais missões da área em 2014 será continuar “reunindo cadeias produtivas”.

“Vamos sofisticar o nosso estudo Outlook com a inclusão de projeções de análise de cenários”, disse. “Por exemplo, se continuarem a existir restrições ao etanol, o que vai acontecer?”, afirmou.

‘Cultura de controle no setor público, sem priorizar a finalidade da ação, é preocupante’, diz ministro interino dos Portos

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

No que diz respeito a obras de logística e infraestrutura, o setor público, no final das contas, está criando uma cultura de controle sem se preocupar com a finalidade da ação, avaliou o ministro interino da Secretaria dos Portos, Antonio Henrique Silveira. Ele participou, na manhã desta quinta-feira (08/11), da reunião do Conselho Superior de Infraestrutura (Coinfra) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) na sede da entidade.

“A finalidade passa a ser a ação em conforme com os valores de controle e os valores de controle vão se autoregulamentando de forma a facilitar ao máximo o controle deles”, afirmou Silveira.

Silveira: “A finalidade passa a ser a ação em conforme com os valores de controle e os valores de controle vão se autoregulamentando de forma a facilitar ao máximo o controle deles”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Silveira: “A finalidade passa a ser a ação em conforme com os valores de controle”. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Na ocasião o diretor titular do Departamento de Agronegócio (Deagro) da Fiesp, Benedito da Silva Ferreira, alertou para a possível limitação logística ao escoamento da produção recorde de grãos no país. “O agronegócio está crescendo, a produção de soja vai ser recorde, mas vai parar no porto se não houver obras que garantam o escoamento das exportações”, apontou o diretor.

A esse respeito, o ministro interino afirmou que a secretaria está “procurando desenvolver um sistema de rastreamento de carga para fins de gestão portuária exatamente para evitar a formação daquelas filas mais complicadas que invadem a área portuária e a cidade”.

A reunião foi conduzida pelo presidente do Coinfra, Rodolpho Tourinho. Ele alertou para uma atuação gestora do Tribunal de Contas União (TCU) e afirmou que o órgão está “extrapolando” sua função.

“O TCU é absolutamente necessária e fundamental, mas ele está fazendo papel de gestor quando deveria estar limitado à sua função constitucional. Quando a empresa, o governo e o executivo estão de acordo com um tema, eu acredito que seja difícil que um órgão de controle possa discordar disso”, afirmou.

Na véspera, o TCU recomendou a paralisação de quatro obras que integram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).  O órgão encontrou irregularidades no trecho da Ferrovia Oeste-Leste (Fiol) entre Caetité e Barreiras, na Bahia, no trecho da Ferrovia Norte-Sul em Tocantins, na implantação e pavimentação da BR-488 no Rio Grande do Sul e na construção de ponte sobre o Rio Araguaia na BR-153, em Tocantins.

Concessões

Tourinho disse estar pessimista tanto com as concessões ferroviárias quanto com as concessões dos portos.  Na avaliação do presidente do Coinfra, a maneira como os processos estão sendo conduzidos talvez tenha que mudar para “chegar lá”. “Eu vejo de uma forma muito complicada a questão dos portos na medida em que vejo com algum pessimismo as concessões ferroviárias”, disse Tourinho.

Ele reconheceu, no entanto, que “o governo tem o entendimento de que ele nunca dependeu tanto da iniciativa privada como depende hoje nessa área”.

Apesar de achar que existe controle demais, o ministro Silveira afirmou que o diálogo e a integração entre o setor privado e o governo precisam ser permanentes, enquanto o “jeitinho” para enfrentar as burocracias deve ser evitado.

A reunião do Coinfra nesta quinta-feira (07/11): obras e logística em debate. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

A reunião do Coinfra nesta quinta-feira (07/11): obras e logística em debate. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


“Temos que elevar a eficiência aos limites, mas sempre dentro da legalidade. O país é insuportavelmente burocrático, mas dar um jeitinho, na maneira mais pejorativa possível, para suportar essa burocracia pode trazer um custo incomensurável ao longo do tempo”, disse. “A gente precisa ter clareza do estrago que essas coisas podem dar para todo o processo”, concluiu.

Diretor-titular do Deagro/Fiesp recebe prêmio da Sociedade Nacional de Agricultura

Agência Indusnet Fiesp.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544685117

Benedito da Silva Ferreira, diretor-titular do Deagro (à esquerda), recebe o prêmio das mãos do diretor da SNA, Carlos Malta. Premiação SNA. Foto: Divulgação SNA

O diretor Benedito da Silva Ferreira, titular do Departamento do Agronegócio (Deagro) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), recebeu na quinta-feira (04/10), no Rio de Janeiro, o prêmio “Destaques – A Lavoura”.

O prêmio é concedido pela Sociedade Nacional de Agricultura (SNA).

Benedito da Silva Ferreira foi reconhecido na categoria “Informação”. De acordo com a justificativa da SNA, “a instituição [Deagro/Fiesp] tem colaborado ativamente com o setor do agronegócio, sistematizando e divulgando informações relevantes para a tomada de decisão dos produtores rurais.”

A premiação da revista “A Lavoura” – mais antiga publicação do setor – visa homenagear pessoas que contribuem de maneira relevante para o desenvolvimento do setor agrícola brasileiro. O reconhecimento recebeu destaque no site da revista Globo Rural.

O Deagro

Em alinhamento com sua missão, o Deagro presta serviços à indústria e à comunidade do agronegócio com uma série de publicações, boletins informativos e informes sobre a legislação.

Destacam-se publicações como “Tendências do Agronegócio (Outlook Brasil 2022)” e “Brasil Food Trends 2020”; boletins como “Balança Comercial do Agro”, “IPCA – Alimentação e Bebidas”, “Safra Brasileira de Grãos”, “Safra Mundial de Milho” e “Safra Mundial de Soja”; e os informes “AgroLegis Federal” e “AgroLegis Estadual”, entre outros.