Coral de crianças e batucada encerram 5ª Mostra Fiesp/Ciesp

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

Apresentação do Batuke Tereza durante a Mostra

5ª Mostra Fiesp/Ciesp de Responsabilidade Social encerrou a edição deste ano ao som de crianças e adolescentes cantando e batucando na calça da Avenida Paulista, em um palco montado na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo.

As atrações, apresentadas desde o primeiro dia do evento, geralmente a partir da hora do almoço, chamaram atenção de quem passava pela rua seja a trabalho ou a passeio.

Com uma mochila, roupa de escritório e uma sacola de compras nas mãos, Felipe Monteiro, 27 anos, estagiário de uma distribuidora de petróleo e gás, esperava por um amigo enquanto ouvia o coral de crianças Nova Visão, do Instituto Benemérito Angelina Salvatore (Ibasa). “A gente tá sempre ligado no trabalho. Isso é fundamental para desligar um pouco e revigorar as energias”, disse Monteiro.

Formado por meninos e meninas, muitos portadores de alguma deficiência, e musicistas, o coral Nova Visão interpretou Beethoven, Villa-Lobos, Paraguassú, John Lennon e outros.

Essa e outras atrações fizeram parte da programação do Espaço Lúdico,

Coral Nova Visão após apresentação na 5ª Mostra

ambientado na calçada da Fiesp durante os três dias da Mostra, que esse ano trouxe o tema Desenvolvimento Social e Resultado Econômico.

“Chamou a atenção as vozes das crianças. Eu vi ali o banner da 5ª Mostra, até tirei foto para colocar na Internet”, contou Renata Medeiros, 37 anos, advogada. Ela foi conferir a apresentação após deixar o Juizado Especial Cível Federal, que também fica na Avenida Paulista.

Batucada

Depois da música clássica, o palco do Espaço Lúdico da Mostra deu lugar ao Batuke Tereza, crianças e adolescentes de 10 a 15 anos que batucaram adaptações de Tim Maia, como a música Você.

Grupo Batuke Tereza

O projeto Batuke Tereza pertence à Unidade II do Instituição Assistencial Casa do Caminho Ananias. Trabalhando há 20 anos em Santo André, o instituto promove ações na cidade para idosas, com abrigo de longa permanência, jovens, assistência médica, odontológica e projetos culturais, e para a família, com a distribuição de cerca de 300 refeições aos sábados para pessoas carentes.

Amanda Gandolpho, 20 anos, estudante, passeava pela Paulista com o amigo português Mário Nuno, um médico de 28 anos, que está visitando São Paulo. “Música faz toda diferença, é uma manifestação alegra”, disse Amanda Gandolpho. E seu amigo, que já havia visitado o Brasil, acredita que um ritmo como o do Batuke Tereza trás mais descontração ao prédio da Fiesp. “Centro empresarial é sempre tão sério, é bom ter música para alegrar de vez em quando.”