Fiesp e Banco Industrial e Comercial da China assinam memorando de entendimento

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) recebeu na tarde desta segunda-feira (10/11) a visita do presidente do Conselho de Supervisores do Banco Industrial e Comercial da China (ICBC), Zhao Lin, terceiro executivo na hierarquia do banco.

Na foto, ao centro, Zhao Lin e José Ricardo Roriz Coelho com o memorando assinado. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

Ao final do encontro, as instituições assinaram um memorando de entendimento. O acordo dá prosseguimento a um diálogo iniciado em abril sobre a forma de cooperação das duas instituições para estimular a relação comercial e de investimentos entre Brasil e China.

“Para nós é muito importante fazer a assinatura desse memorando de entendimento”, disse o vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, durante a reunião.

Ele mencionou áreas de atuação no Brasil em que há oportunidades para investimentos chineses – agronegócio, mineração, tecnologia, acesso a capital, infraestrutura e petróleo e gás, entre outras.

“Só para citar um exemplo. Serão investidos 50 bilhões por ano só em exploração e produção de petróleo e gás no Brasil. Boa parte dos produtos para explorar petróleo nessa profundidade  ainda não foi desenvolvida em nenhum lugar do mundo.”

Segundo ele, o Brasil precisa melhorar em itens como tecnologia, acesso a capital e infraestrutura. “Podem ser oportunidades para explorar em conjunto”, acrescentou Roriz, ressaltando a representatividade e a capilaridade da Fiesp no setor industrial brasileiro.

“Vamos divulgar [o acordo] a todas as empresas para que a gente possa levar esse projeto a uma aproximação cada vez maior.”

De acordo com Zhao Lin, o mais importante do entendimento é a troca de informações e a possibilidade mútua de apresentar as respectivas empresas aos mercados.

Ele destacou que o ICBC conta com mais de 4 milhões de clientes corporativos e cerca de 40.000 empregados em 40 países e que é um dos maiores bancos do mundo. E informou que quase todas as empresas chinesas que têm negócios no Brasil são clientes no ICBC.

“Acredito que o ICBC possa apresentar as empresas indicadas pela Fiesp para conhecer a China e que a Fiesp possa ajudar as empresas chinesas no Brasil. O ICBC é um grupo que tem filiais em diversas partes do mundo e pode oferecer serviços financeiros para diversos lugares do mundo.”

De acordo com o vice-presidente da Fiesp, José Ricardo Roriz Coelho, Brasil e China tem oportunidades que podem ser exploradas conjuntamente em áreas como infraestrutura e petróleo e gás. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

 

O diretor titular do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex), Thomaz Zanotto, assinalou que as relações bilaterais ganharam um impulso com a visita do presidente da China, Xi Jinping, ao Brasil.

“Nós queremos ser ponto de apoio para as empresas chinesas que queiram entrar no Brasil. Estamos muito satisfeitos e tenho certeza de que é o início de uma relação bastante profunda”, disse Zanotto.

Participaram do encontro os diretores do Derex Harry Chiang e Antonio Bessa; o diretor da Fiesp, Fernando Greiber; o procurador e presidente do ICBC Brasil, Zhao Guicai; o cônsul geral da China em São Paulo, Chen Xi, o conselheiro econômico e comercial do Consulado Geral da China em São Paulo, Yu Yong; a chefe adjunta do Departamento de Relações Internacionais do ICBC, Cai Qi; Yang Kaiyu (Chris), o chefe do Departamento de Corporate Banking do ICBC Brasil, Yang Kaiyu; e o gerente do Departamento de Corporate Banking do ICBC Brasil, Huang Xin.