Skaf recebe título de cidadão itapeviense

Agência Indusnet Fiesp

A Câmara de Vereadores de Itapevi concedeu neste domingo (18 de fevereiro) o título de cidadão itapeviense a Paulo Skaf, presidente da Fiesp, Ciesp, Sesi-SP e Senai-SP. Na data foi comemorado o 59º aniversário da cidade, em cerimônia que teve apresentação da Bachiana Filarmônica Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Paulo Skaf recebe o título de cidadão itapeviense durante as comemorações de aniversário da cidade. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Bachiana Filarmônica Sesi-SP se apresenta na Catedral da Sé no aniversário de São Paulo

Raisa Scandovieri, Agência Indusnet Fiesp 

Em comemoração aos 464 anos da cidade de São Paulo, celebrados em 25 de janeiro, a orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP presenteia a capital paulista com uma apresentação especial gratuita sob regência do maestro João Carlos Martins. O concerto comemorativo será realizado na Catedral da Sé, símbolo histórico da fundação de São Paulo, localizado no marco zero da cidade. A apresentação começa às 11h, após missa solene celebrada pelo arcebispo Dom Odilo Scherer.

A catedral, que comporta 900 pessoas, estará de portas abertas para receber o público. Não é necessário realizar reservas ou retirar ingressos no local.

No repertório estarão composições clássicas de Beethoven, Bach e Mozart, além de uma versão de Trem das Onze, canção de Adoniran Barbosa, que se tornou uma das homenagens mais conhecidas à maior metrópole do Brasil.

Sobre a Bachiana Filarmônica Sesi-SP

Uma das maiores orquestras de iniciativa privada no Brasil, mantida pelo Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) desde 2010, tem como missão a educação musical e a inclusão cultural por meio da difusão da música erudita para todos os públicos, sob a direção artística e regência do maestro João Carlos Martins. O termo Bachiana é uma homenagem ao maestro e compositor Heitor Villa-Lobos, autor das célebres Bachianas Brasileiras, e a Johann Sebastian Bach.

Maestro João Carlos Martins

Considerado um dos maiores intérpretes de Johann Sebastian Bach do século XX, o maestro João Carlos Martins é o idealizador de inúmeros projetos ligados à difusão da música clássica no Brasil, dentre eles dois em parceria com o Sesi-SP: a Bachiana Filarmônica Sesi-SP e o projeto Orquestrando São Paulo.

Com mais de 60 anos de carreira, ainda hoje emociona o público quando volta ao piano em ocasiões especiais, após ter que abandonar a carreira de pianista devido a problemas físicos e canalizar sua paixão para a regência. Em agosto de 2017, sua história foi contada nas telas de cinema no filme João, O Maestro (Globo Filmes), com Alexandre Nero interpretando a fase adulta de Martins.

Serviço:
Concerto da Bachiana Filarmônica SESI-SP pelo aniversário da cidade de São Paulo – regência de João Carlos Martins
Local: Catedral Metropolitana de São Paulo (Praça da Sé, s/n – Centro)
Data: 25 de janeiro de 2018 (quinta-feira)
Horário: 11h
Capacidade: 900 lugares
Duração: 60 minutos
Classificação indicativa: livre
Entrada gratuita. Informações pelo telefone (11) 3107-6832 / 7244.

Skaf entrega a João Carlos Martins prêmio Brasileiro do Ano em Ética

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, entregou nesta terça-feira (5 de dezembro) ao maestro João Carlos Martins o prêmio Brasileiro do Ano, na categoria Ética. Iniciativa da revista IstoÉ, a iniciativa reconhece o trabalho de Martins em comunidades carentes.

Martins comanda a Orquestra Filarmônica Bachiana Sesi-SP e idealizou o projeto Orquestrando São Paulo, da Fiesp e do Sesi-SP, de formação e aprimoramento de novos regentes para a música.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Skaf com João Carlos Martins na cerimônia de entrega do prêmio Brasileiro do Ano. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Novo Centro Cultural Fiesp: um presente da indústria para São Paulo e para o Brasil

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

A arquiteta Moema Wertheimer não escondia o orgulho. E não tinha que esconder mesmo: estava ali, na frente dela, o resultado de um trabalho que já foi inaugurado fazendo toda a diferença, o novo Centro Cultural Fiesp. Aberto na manhã deste domingo (19/02), com uma apresentação da Bachiana Filarmônica do Sesi-SP, o espaço agora tem mais de 5 mil metros quadrados, incluindo galeria de fotos, mais espaços de exposições e um café com vista para um jardim assinado por Burle Marx. Isso além dos já conhecidos Teatro do Sesi-SP e Galeria de Arte do Sesi-SP.

[tentblogger-youtube HgdtRe35XFI]

“Estou emocionada de ver as pessoas se apropriando desse espaço de forma tão bonita”, disse Moema, responsável pelo projeto de revitalização do centro. “Todo mundo bem acomodado nas poltronas e sofás, ouvindo piano e vendo o jardim projetado por Burle Marx”.

O público foi convidado a entrar e ficar à vontade logo após a apresentação da Bachiana, realizada num palco montado na frente do prédio, lotando a Avenida Paulista. Não teve calor de 34 graus que impedisse a plateia de aplaudir e gritar “bravo” durante o concerto liderado pelo maestro João Carlos Martins, que ainda acompanhou seus músicos ao piano.

Entre muitos clássicos e sucessos populares, canção nenhuma emocionou mais do que Trem das Onze, de Adoniran Barbosa, “um hino de São Paulo e do novo Centro Cultural Fiesp”. “Esse espaço já é um ponto de encontro na Paulista, reúne todos os segmentos da sociedade, fico feliz de ver”, disse Martins.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Martins, à esquerda, e Skaf: emoção de entregar à Paulista um novo ponto de encontro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“Foi uma apresentação maravilhosa”, afirmou a supervisora de vendas Rejane Melo, de 45 anos, que veio de Ferraz de Vasconcelos, na Zona Leste da capital, especialmente para a inauguração do centro. “Quero frequentar ainda mais o prédio da Fiesp a partir de agora”.

O pianista Fábio Caramuru, de 60 anos, também aprovou o concerto. E disse estar ansioso para frequentar o café a ser aberto em março, com vista para o já citado jardim de Burle Marx. Até lá, todos os visitantes do centro podem circular pelo local, sentar nas mesas e poltronas e relaxar entre uma exposição e outra. “Esse espaço é um local único”, disse.

Um dos convidados da inauguração, o líbero Serginho, astro da seleção brasileira de vôlei nas Olimpíadas do Rio de Janeiro e atleta do Sesi-SP, também era só elogios. “Venho muito ao prédio da Fiesp e considero esse espaço um destaque na Paulista”, afirmou. “É incrível que a Fiesp sempre apoie a cultura”.

Um presente

Anfitrião da festa, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, agradeceu a presença do público e destacou o fato de que o novo centro cultural ficará aberto todos os dias, sempre com programação gratuita. “Todo mundo que estiver passando pela Paulista poderá entrar aqui, conferir as nossas exposições, conhecer o nosso café”, disse. “O novo Centro Cultural Fiesp é um presente da indústria de São Paulo para a cidade e para o Brasil”.

A programação especial deste domingo segue até o final do dia, com show de Luciana Melo e Jairzinho no palco da Paulista às 16h15 e a apresentação da peça Tróilo e Créssida, às 19h, no Teatro do Sesi-SP.

Para saber mais sobre o novo centro, é só clicar aqui.

>> Ouça boletim sobre o novo Centro Cultural Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Público lotou as instalações do novo Centro Cultural Fiesp na inauguração deste domingo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Bachiana emociona ao homenagear medalhistas de ouro do Sesi-SP

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Foi com uma intensa salva de palmas que as mais de 1.400 pessoas na Sala São Paulo receberam na noite desta sexta-feira (26/8) Serginho, Douglas Souza, Bruninho e Lucão, atletas do Sesi-SP campeões de vôlei nos Jogos do Rio. Homenageados pela orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP, sob a regência do maestro João Carlos Martins, os meninos de ouro do Brasil foram recebidos no palco de um dos mais charmosos e importantes pontos da capital paulista ao som do Hino da Vitória, tema do eterno Ayrton Senna.

Com a presença do presidente da Fiesp, do Ciesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, do diretor nacional de jornalismo da Band, Fernando Mitre, do ex-jogador de futebol e atual comentarista da TV Globo Walter Casagrande e do narrador, radialista e apresentador esportivo Galvão Bueno, o evento foi recheado de surpresas.

Ao som dos famosos bordões “É do Brasil” e “É ouro”, Galvão Bueno assumiu o microfone e levou para o palco 4 dos 12 atletas que mais uma vez marcaram a história do país. Aplaudidos de pé, com os flashes das câmeras e celulares registrando todos os ângulos do palco, o ambiente ficou em êxtase ao receber Serginho, líbero de 40 anos e maior medalhista olímpico em esportes coletivos, Douglas Souza, jovem promessa de 21 anos, e a dupla Bruninho e Lucão, que o Sesi-SP trouxe de volta da Itália.

“Eu gosto sempre de dizer que o esporte é umas das melhores ferramentas de inclusão social. Tivemos não só o vôlei e futebol, mas outros exemplos disso durante este mês. E temos aqui hoje um grande exemplo também, a Bachiana do Sesi-SP e os atletas do Sesi-SP juntos, isso é importante, mostrar para o mundo que podemos fazer as coisas bem feitas. Temos ferramentas e sabemos usá-las, se não fosse através da cultura nós não estaríamos aqui hoje”, comentou Galvão, que após elogiar e agradecer pelo convite do maestro ainda fez um pedido ao Brasil.

“Estou muito grato de estar aqui hoje, em poder fazer parte deste momento. E a única coisa que eu peço e espero, na altura dos meus 66 anos, sendo 42 de profissão, é que a gente possa ter, venha de onde vier, da forma que vier, uma política séria de apoio à cultura e ao esporte, porque assim fazendo nós estaremos melhorando a qualidade de vida de muita gente, que vai poder trabalhar, mostrar seu valor e ser na vida o que eles são e o que conseguiram. O Sesi-SP é um desses exemplos, e nada melhor que essa união, entre culturas neste momento.”

Emocionado com as palavras de Galvão, Serginho recebeu o microfone das mãos do narrador e apresentador e -mais uma vez ovacionado por todos- agradeceu pelo convite e carinho. Com um sorriso carismático no rosto e o jeito brincalhão, o líbero confessou preferir estar em um jogo a no palco naquele momento.

“Primeiro quero agradecer o convite do maestro, é uma honra muito grande poder estar neste palco, ao Galvão Bueno pelas palavras, e principalmente ao nosso clube, o Sesi-SP, que, através do nosso presidente Paulo Skaf, sempre nos ajudou, formando cidadãos e atletas de alto nível e colocando o esporte alinhado com a educação e a cultura. Estou muito honrado de estar aqui no meio de todas essas pessoas. Mas confesso que eu preferiria estar em um jogo agora, em uma final do que estar aqui em cima, estou com um medo danado.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Medalhistas de ouro do Sesi-SP no palco com a Bachiana, regida por João Carlos Martins. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Mesmo nervoso com a situação de estar em um placo junto com a Bachiana, Serginho ainda aproveitou o momento para compartilhar um pouco de suas crenças. “Conquistar uma medalha olímpica não é fácil. O Bernardinho nos falou em uma das últimas conversas, que o vitorioso é apenas o perdedor que tentou mais uma vez, então nós somos os perdedores que tentaram mais uma vez e conquistaram. Creio que o que vale e o que nos move é o que temos dentro do coração. E se nós conseguimos, nós não somos diferentes de vocês, somos todos iguais, então em qualquer coisa que a gente vá fazer, é colocar o coração e a dedicação. Qualquer um consegue, se eu consegui, qualquer um consegue”, finalizou, emocionado.

Recém-chegado ao time da capital paulista, o levantador Bruninho, mesmo tímido, não escapou das brincadeira de Serginho e também foi convidado a falar. Presente pela primeira vez em uma apresentação de orquestra, o capitão da seleção brasileira não só agradeceu o convite como também a todos os brasileiros pelo carinho que vem sentindo por onde passa.

“Eu só queria agradecer todas essas oportunidades que estou tendo aqui. É a primeira vez que venho a um concerto de música clássica, e vocês são sensacionais. E sobre a emoção de vencer uma olimpíada no Brasil, está sendo muito boa. A gente sentiu o carinho de cada brasileiro e ainda estamos sentindo nas ruas as pessoas orgulhosas do nosso trabalho, e isso demonstra que todo sacrifício valeu a pena. Isso paga qualquer medalha e qualquer prêmio, eu só tenho a agradecer a todos vocês.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Ciesp e do Sesi-SP, participou da homenagem aos medalhistas. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Uma grande homenagem não poderia terminar assim, apenas com agradecimentos. Com essas palavras, Galvão Bueno assumiu mais uma vez o microfone e fez um pedido especial ao maestro. Ao ser prejudicado por um manifestante nos Jogos Olímpicos de 2004, quando liderava a maratona, Vanderlei Cordeiro de Lima não pôde ouvir o hino nacional do Brasil, por ter chegado na terceira colocação. Assim, com o consentimento de todos os presentes e atendendo ao pedido, João Carlos Martins se dirigiu ao piano e encerrou o concerto, de modo encantador, com o som do hino brasileiro soando entre seus dedos.

Bachiana Filarmônica Sesi-SP 2016

A orquestra, que na temporada 2016 conta a história da música clássica por meio das Olimpíadas, apresentou em seu quarto espetáculo o tema Brasil. Sob os olhares atentos dos espectadores, João Carlos Martins iniciou a noite com a Abertura Zemira, de José Mauricio Nunes Garcia. Para maior dramaticidade o número traz efeitos teatrais de “relâmpagos e trovoadas” nos bastidores. Na sequência, o maestro trouxe para o palco dois grandes sucessos de Villa-Lobos (Trenzinho Caipira Fuga), e para fechar a primeira parte, Quem Sabe?, de Carlos Gomes.

Ainda interpretando peças de grandes compositores brasileiros, o segundo ato contou, sob a regência de Edson Beltrami, com as três danças de Camargo Guarnieri, Dança Brasileira, Dança Negra Dança Selvagem, e para selar seu comando frente à Bachiana, Beltrami mexeu com os sentidos da plateia ao apresentar, Fantasia, peça de autoria própria. E, passando a maestria de volta para Martins, Batuque, de Lorenzo Fernández, foi o número de encerramento do espetáculo.

Skaf vai a concerto da Bachiana em homenagem aos 120 anos de Bauru

Agência Indusnet Fiesp

A Bachiana Filarmônica Sesi-SP, regida pelo maestro João Carlos Martins, fez apresentação na noite desta segunda-feira (1/8) em Bauru, em homenagem aos 120 anos da cidade. Paulo Skaf, presidente da Fiesp, do Ciesp e do Sesi-SP, assistiu à apresentação.

Nesta terça-feira (2/8), Skaf visitou as obras do 1º Polo Pet do Brasil, em Cafelândia. É um polo industrial, a ser instalado em área de 240 mil metros quadrados, aproveitando a vocação da cidade para a fabricação de produtos para animais de estimação. Skaf, que também preside o Sebrae-SP, participou em seguida de reunião com empresários do setor pet da região.

Em Lins, também nesta terça-feira, Skaf visitou o Centro Municipal de Formação Profissional, feito em parceria com o Senai-SP, entidade de ensino profissionalizante também presidida por ele.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Concerto da Bachiana em homenagem aos 120 anos de Bauru. Foto: Ayrton Vignola

Skaf participa de apresentação da Bachiana pelos 70 anos do Sesi-SP

Agência Indusnet Fiesp

Regida pelo maestro João Carlos Martins, a Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP se apresentou neste domingo (3/7) na Catedral da Sé. O concerto homenageou os 70 anos do Sesi-SP, em comemoração que teve também missa solene, celebrada por dom Odilo Scherer, cardeal arcebispo metropolitano de São Paulo. O presidente da Fiesp, do Ciesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, participou do evento, assim como o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540073601

Apresentação da Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP na Catedral da Sé. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Bachiana Filarmônica Sesi-SP se apresenta no Theatro Municipal do Rio

O Sistema Firjan, em parceria com a Fiesp, faz uma homenagem ao Rio de Janeiro, cidade sede dos Jogos Olímpicos 2016, e promove no próximo domingo (6/3) uma apresentação única da Bachiana Filarmônica Sesi-SP no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Os ingressos para a apresentação custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).

Com repertório voltado para a história das Olimpíadas, a Bachiana Filarmônica Sesi-SP idealizou um espetáculo com obras de grandes compositores, inspiradas pela Grécia, berço histórico dos Jogos Olímpicos no século VIII a.C. Fazem parte do repertório composições de Mozart, Glazunov, o tema de “Zorba, o Grego” e três obras de Beethoven: “Ruínas de Atenas”, opus 113; “As Criaturas de Prometeus”, opus 43; e “A Consagração da Casa”.

Com o esporte sob os holofotes, o Sistema Firjan levará para assistir ao concerto 600 crianças e adolescentes do Atleta do Futuro, uma das atividades contempladas pelo Sesi Cidadania. O programa, criado em 2010, promove a cultura, a educação, o esporte e o lazer para moradores das comunidades atendidas pelas UPPs no Rio de Janeiro. Na certeza de que a prática incentiva a formação educativa e sociocultural, o programa também levará 400 alunos da Educação Básica da Escola Sesi, acompanhados de seus professores.

Na ocasião também estarão presentes o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf e algumas das estrelas olímpicas do Sesi-SP – Murilo, Serginho, Fabiana e Jaqueline, do vôlei, e Verônica Hipólito e Marco Aurelio Lima Borges, do atletismo paralímpico –, que serão homenageados pela orquestra.

O presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, afirma que o evento é uma forma de democratizar o acesso à cultura e incentivar a formação de público para música. “Nós acreditamos na força da cultura e do esporte como instrumento de mudança social. O Sistema Firjan faz um trabalho de referência nesse sentido nas comunidades do Rio com presença de UPPs. Por isso, estamos felizes em trazer para crianças e jovens dos nossos projetos o concerto de uma orquestra alinhada com essa proposta, que traz o Sesi no nome, e é dirigida por um dos maiores expoentes brasileiros da música clássica. É também um presente que estamos oferecendo ao público do Rio de Janeiro, um repertório que homenageia a Cidade Olímpica e, ao mesmo tempo, reforça a importância de uma sólida formação sociocultural de nossa juventude, por meio da democratização do acesso à arte e ao esporte”, diz.

A Bachiana Filarmônica começou em 2004 e seis anos depois foi adotada pelo Sesi-SP. Formado hoje por 60 musicistas, o grupo é considerado a maior orquestra de iniciativa privada do Brasil. “Nós temos um grande time de craques na​ orquestra Bachiana Filarmônica do Sesi-SP, um exemplo ​de que ​o trabalho em equipe pode ser um grande transformador​, mudando a vida das pessoas. Além de mexer com os sentimentos, a música educa, envolve e gera união”, afirma o presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf. “Assim também é com o esporte. ​Nada mais justo que,​ nesse domingo tão especial​, a Bachiana ​faça uma homenagem ​ao ​Rio de Janeiro, cidade sede das Jogos Olímpicos 2016. Vamos poder usufruir de todo o talento e espírito ​de união ​de​ nossos músicos e atletas de ponta. É a cultura entrelaçada com o esporte​, mostrando aos brasileiros que sonhos ​podem ser realizados ​com esforço, disciplina e dedicação”, completa ele.

O público terá a oportunidade de ver o maestro João Carlos Martins assumindo o piano, instrumento que lhe deu fama mundial como intérprete de Bach. Além do repertório com nomes conhecidos da música clássica, o maestro vai solar canções-temas de dois filmes famosos: “Nunca aos Domingos”, de 1960, dirigido por Jules Dassin, e que rendeu o Oscar de melhor canção em 1961 com a trilha de Manos Hadjidakis; e o tema igualmente célebre do filme “Zorba, o Grego”, de 1964, dirigido por Michael Cacoyannis, com o ator Anthony Quinn.

João Carlos Martins rege a orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP no Theatro Municipal do Rio, uma casa de espetáculo que representa a própria trajetória da cultura brasileira. “É com grande prazer que homenageamos essa cidade maravilhosa, o Rio de Janeiro, próxima sede Olímpica, com um espetáculo especial e cheio de emoção. Este concerto é inspirado na mitologia e na cultura grega, e vai contar a história da música através do maior evento esportivo do planeta, as Olimpíadas. Me alegra também poder proporcionar uma experiência como essa, em pleno Theatro Municipal, para diversas pessoas que talvez estejam entrando em contato com a música clássica pela primeira vez”, revela o maestro.


Serviço:

Evento: Bachiana Filarmônica Sesi-SP faz tributo à Grécia Antiga

Local: Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, s/n – Centro)

Data e hora: 6 de março (domingo), às 16h

Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada) – ou na bilheteria do Theatro Municipal, de segunda a sexta, sábados, domingos e feriados das 10h às 18h. Nos dias de espetáculos, das 10h até a hora do início da apresentação.