Skaf: recuperação da economia é suave e crise sugere cautela em previsões para o futuro

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

A recuperação da economia brasileira – prevista, ou adiada, por analistas para o segundo semestre deste ano – não aconteceu como o setor produtivo gostaria, avaliou nesta terça (02/10), em entrevista coletiva, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf .

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544497669

Paulo Skaf: 'recuperação própria de final de ano'. Foto: Junior Ruiz

“É uma recuperação suave, não é como a gente gostaria, mas é uma recuperação própria de final de ano”, afirmou Skaf, acrescentando que “a economia pode crescer 3% ano que vem até porque a base vai ser baixa por conta do pouco crescimento deste ano.”

De acordo com estimativa da Fiesp, o Índice de Atividade da Indústria Paulista deve fechar o ano de 2012 negativo em 5% na comparação com 2011. A entidade ainda um projeta um crescimento de 1,4% para o Produto Interno Bruto (PIB) em 2012. No final de setembro, o Banco Central revisou para baixo o seu prognóstico para o crescimento econômico este ano, de 2,5% para 1,6%.

“Como há uma crise internacional, nós temos de ser cautelosos para fazer as previsões do futuro”, concluiu Skaf.