Atendimento em São José do Rio Preto supera expectativas

Agência Indusnet Fiesp

Oferecer caminhos, soluções e serviços às micro, pequenas e médias indústrias, levando informação precisa sobre a crise econômica e orientações para o crédito, além de apresentar benefícios da inovação. Este foi o objetivo do Atendimento Fiesp/Ciesp, realizado no Ciesp de São José do Rio Preto, no último 28 de abril, evento que recebeu mais de 100 empresas da região.

“Podemos afirmar que o evento superou as expectativas”, destacou Luiz Fernando Lucas, diretor-titular do Ciesp Rio Preto. “A sala de crédito, por exemplo, esteve sempre ocupada para entrevistas dos empresários e gerentes dos quatro bancos parceiros”, assinalou.

Augusto Ribeiro Carvalho, diretor do Departamento da Micro, Pequena e Média Indústria (Dempi), da Fiesp, destacou as ações do Dempi pelo segmento, como a aprovação da Lei Geral da MPE e a luta atual pela aprovação do Simples Trabalhista, uma das bandeiras do Departamento, e o fórum realizado em 17 de abril, na sede, que debateu o impacto da crise econômica sobre as micro e pequenas.

“Hoje, as chances de sobrevida das MPEs são maiores do que há dez anos, quando apenas 65% das empresas passavam do quinto ano,” pontuou o diretor do Dempi.

Parceiros

Além de Bradesco, Caixa Econômica, Nossa Caixa e Banco do Brasil, o Atendimento Fiesp/Ciesp em Rio Preto teve participação de parceiros locais, como a Apeti, que reúne empresas que atuam em Tecnologia da Informação, setor que vem assumindo papel cada vez mais expressivo.

“O uso de softwares na indústria e nos serviços é um nicho em crescimento, gerando oportunidades para as empresas desse segmento”, comentou o diretor Lucas, lembrando que também o setor de confecções infantis vem retomando o lugar de destaque que teve há duas décadas.

“Rio Preto possui um parque industrial diversificado, que inclui os setores joalheiro, gráfico e moveleiro, além de importante centro médico, com recursos e equipamentos de tecnologia avançada”, acrescentou.

Os efeitos da crise mundial são visíveis em alguns desses setores, como o gráfico. “Normalmente, em tempos de dificuldades, as empresas cortam primeiramente os custos com propaganda e publicações“, analisou Carlos Prudêncio, do Sigraf.

Segundo o dirigente sindical, o emprego da nota fiscal eletrônica também contribuiu para a queda nos serviços e abriu ao mesmo tempo campo em outros nichos, a impressão customizada, que permite personalizar parte da tiragem, chamada “variável”.

Workshops temáticos

Além da Sala de Crédito, que registrou mais de 30 consultas numa única tarde, o auditório do Ciesp rio-pretense atraiu dezenas de participantes nas palestras sobre conjuntura econômica, linhas de crédito e inovação, a cargo de técnicos e consultores da Fiesp/Ciesp, que responderam a perguntas dos participantes.

As linhas de financiamento Finep, Fapesp e BNDES, para inovação tecnológica, atraíram interesse de alguns empresários, como Mércia, da Flavor Tec, de Pindorama, fabricante de óleos essenciais e aromas naturais para indústria de sucos concentrados.

A empresa está crescendo e já exporta parte da produção, graças ao apoio de programas de inovação da Fapesp. “Agora, nossa meta é participar dos editais da Finep, para financiamentos do tipo não-reembolsáveis”, afirmou a empresária.