Skaf participa com Temer de reunião plenária da Associação Comercial de São Paulo

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, participou nesta terça-feira (13 de março), junto com o presidente da República, Michel Temer, da primeira reunião plenária de 2018 da Associação Comercial de São Paulo.

Em seu discurso, Skaf agradeceu a Temer pela implantação de reformas importantes, como o teto de crescimento de gastos e a modernização trabalhista e disse que tem como preocupações a reforma da Previdência e a tributária. “O senhor provou que sabe fazer reformas. Outros falaram durante 20, 30 anos, em reformas, e o senhor mostrou como se faz.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833693

Skaf em reunião plenária da Associação Comercial de São Paulo. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Skaf critica indefinição provocada por tentativa de recuo no processo de impeachment

Agência Indusnet Fiesp

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira (9/5) antes de participar de reunião plenária da Associação Comercial de São Paulo, o presidente da Fiesp e do Ciesp, Paulo Skaf, criticou a decisão do presidente interino da Câmara de anular a sessão em que o plenário da Casa aprovou o prosseguimento do processo de impeachment da presidente da República. “Uma situação como esta é totalmente incoerente, e não vai ao encontro do interesse do Brasil. Essas indefinições todas fazem com que a economia brasileira esteja parada, o desemprego aumentando, empresas fechando.”

Skaf disse que um novo governo, que retome o controle político, despertará novamente nos atores do desenvolvimento a confiança. Com isso, automaticamente o mercado reagirá. “Já é um grande estímulo para retomada do investimento. Vem, gera emprego, o emprego e os investimentos geram consumo, e a roda da economia volta a andar.”

O presidente da Fiesp e do Ciesp ressaltou que o momento exige resolver o problema do Brasil de uma forma horizontal.  “A indústria não é um caso isolado, nesse momento o Brasil está com problema, então a prioridade não é a indústria pontualmente, não é o setor A, B ou C, não é um setor comercial, a prioridade do país é reestabelecer a confiança, é reestabelecer a credibilidade.”

Feito isso, Skaf defende que a equipe econômica ouça “com ouvidos bem abertos a situação da indústria, do comércio, da agricultura, dos serviços, para que realmente os atores do desenvolvimento possam sugerir medidas que vão ajudar na retomada do crescimento do país, na geração de empregos e de oportunidades”.

Mais uma vez Skaf frisou que é necessário que o governo acerte suas contas. “Que o governo, assim como fazem as empresas, as famílias, aperte seu cinto, reduza seus desperdícios, seus gastos demasiados, enfim, tudo aquilo que não funciona bem e melhore sua gestão, de forma a acertar suas contas.”

Day after

“Precisamos entrar numa fase de retomada da confiança: o governo precisa acertar as suas contas e fazer isso de imediato”. Foi assim, defendendo o retorno do investimento no Brasil, que Skaf participou da sessão plenária da Associação Comercial de São Paulo. O presidente das entidades da indústria fez palestra sobre o tema “Impeachment: Day After”, com foco nos desafios que o novo governo terá que enfrentar em caso de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

“Vamos falar de investimento e retomada do crescimento”, afirmou. Nesse cenário de perspectivas melhores para o futuro, o presidente da Fiesp e do Ciesp reforçou o seu posicionamento contra a elevação dos impostos. “Não há diálogo para o aumento de impostos”, disse. “Aquele que paga já paga muito e não consegue mais pagar.” Ajeitada a casa, lembrou Skaf, será possível baixar os juros.”

No cenário novo, a união da sociedade estaria a serviço do Brasil. “Vamos colaborar para que as coisas deem certo”, explicou. “Com a retomada da confiança, vamos estimular o investimento, e com o investimento vem o emprego e o consumo. A resposta não vai demorar 10 ou 15 anos para vir.”

Será o momento em que “a roda vai girar”. “Que venha uma onda de investimentos”, disse. “Os governos passam, a nação é muito maior do que qualquer governo.” Skaf encerrou sua participação inicial na sessão plenária da ACSP lembrando que “o Brasil é um país fantástico”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539833693

Paulo Skaf em reunião plenária da Associação Comercial de São Paulo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp