Obrigado, mestres!

Obrigado, mestres!

Paulo Skaf

A educação melhora a vida das pessoas, dá a elas oportunidade de evoluir e é a grande base do desenvolvimento! E, sem dúvida, a condição mais decisiva para que o ensino cumpra a sua grandiosa responsabilidade é o trabalho dos professores, cujo dia comemoramos em 15 de outubro. Nesta data, é oportuno lembrar que D. Pedro I, em 1827, decretou que todas as cidades do Brasil criassem as suas “Escolas de Primeiras Letras”.

Professores e professoras são pessoas muito especiais e devem ser reverenciados, pois ensinar é um dos mais expressivos atos humanos, a essência da boa formação e progresso dos indivíduos. Transmitir conhecimento é uma ação transformadora da vida, da sociedade e da pátria.

Exemplo muito claro disso encontra-se no desempenho dos mestres do Senai-SP, que oferece educação profissional, e do Sesi-SP, maior rede privada de ensino regular do País. Esses milhares de docentes cumprem sua missão com idealismo, talento e muito empenho. São elementos fundamentais para a revolução que está sendo feita no ensino ministrado em nossas instituições.

O Brasil precisa valorizar e reconhecer cada vez mais aqueles que se dedicam com carinho à profissão de ensinar, pois sem eles não conseguiremos melhorar a qualidade do ensino público. Vencer esse desafio é uma prioridade nacional. A educação gratuita de qualidade pode garantir que crianças e jovens de famílias de baixa renda tenham oportunidades iguais às das famílias mais abastadas.

Isso também é muito relevante para o país, porque precisamos formar novas gerações cada vez mais qualificadas e capazes de suprir o mercado de trabalho por profissionais de alto nível. Por isso, nesta data tão importante, devemos cumprimentar e agradecer os professores pela grande contribuição que dão, diariamente, ao Brasil!

90 anos de rádio

90 anos de rádio

Paulo Skaf

A partir da primeira transmissão no Brasil, há 90 anos, em 7 de setembro de 1922, nas comemorações do Centenário da Independência, o rádio tornou-se fundamental. Informa, presta serviços, é o primeiro a dar as notícias e proporciona conhecimento, música, entretenimento e emoção.

A pioneira transmissão, em equipamento da Westinghouse Eletric International instalado no Corcovado, na Cidade Maravilhosa, foi de um discurso do então presidente da República, Epitácio Pessoa. A primeira emissora do país é de 1923: a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, fundada por Roquete Pinto.

O rádio comercial surgiu em 1932, com a regulamentação da publicidade. Na década de 30, fundaram-se várias das emissoras importantes que ouvimos atualmente. Nas décadas de 30 e 40, surgiram os antológicos programas de música popular e os de auditório, ídolos como Carmem Miranda, Linda Batista e Orlando Silva e as novelas (a primeira foi “Em Busca da Felicidade”, na Nacional).

Em 28 de agosto de 1941, às 12h55, entrava no ar, na Rádio Nacional, a edição inaugural do Repórter Esso, marco do radiojornalismo, hoje um dos principais meios de informação. No histórico programa, o locutor Romeu Fernandes anunciava o ataque da Real Força Aérea Britânica (RAF) à Normandia, na Segunda Guerra.

Com a chegada da TV, em 1950, dizia-se que o rádio acabaria. Pelo contrário! Ficou mais forte, desenvolvendo sua vocação para prestar serviços e explorando a imbatível agilidade de noticiar. Cada nova tecnologia, como os telefones celulares, é utilizada com inteligência para tornar as emissoras mais eficientes.

Agora, com a internet, o rádio rompeu todas as fronteiras, tornando-se global. Depois de 90 anos, é o amigo certo do brasileiro, onde quer que ele esteja nos quatro cantos do mundo! Parabéns a todos que fazem do rádio a razão de ser de suas vidas, informando e prestando serviços à sociedade.