Cai o preço da cesta básica

Cai o preço da cesta básica

Paulo Skaf

Já podemos comemorar a vitória de mais uma luta iniciada pela Fiesp em 2008, quando defendemos a retirada dos impostos dos produtos que compõem a cesta básica, com o objetivo de baratear os alimentos que vão para a mesa dos brasileiros. Na ocasião, fizemos um estudo que mostrou que a carga dos impostos sobre alimentos é muito mais alta aqui que nos demais países: algo como três vezes mais!

O mesmo estudo mostrou a injustiça dos impostos altos nos alimentos, porque eles recaem em maior proporção sobre aqueles que ganham menos. Famílias com renda de até 2 salários mínimos gastam 30% do que ganham com comida. Para essas famílias, portanto, o peso dos impostos é muito maior.

No último dia 8 de março, a presidente Dilma Rousseff anunciou em cadeia nacional o corte do IPI, do PIS e da Cofins nos itens tributados da cesta básica, entre alimentação e produtos de higiene pessoal.  O repasse do corte de impostos começou a ser vigorar no dia 12 de março.

Essa medida permitirá que milhares de trabalhadores tenham condições de adicionar mais produtos ao seu carrinho de compras. Os produtos que terão maior queda em seu preço serão a carne, começando com uma redução de 6%, e os produtos de higiene pessoal. Os demais itens cairão cerca de 3%.

É importante ressaltar também que o corte de impostos gera outros benefícios à população, além da diminuição do custo na compra da cesta básica. Esta é uma medida que estimula e aquece o consumo, o que gerará mais produção, mais emprego e renda.

As batalhas da Fiesp e do Ciesp têm sido todas voltadas para garantir um país mais justo e mais competitivo. Acabar com o imposto do cheque, derrubar o valor das contas de luz e, agora, baixar o preço da cesta básica estão entre elas. Ganham os brasileiros. Ganha o Brasil.