Encenado por atores portadores de síndrome de down, espetáculo emociona no Teatro do Sesi-SP

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Mais de 400 pessoas acompanharam na noite deste sábado (23/08), no Teatro do Sesi-SP, a apresentação única do espetáculo teatral “A Viagem do Capitão Tornado”. Uma história repleta de paixões, duelos e muita comédia, os 22 atores portadores de síndrome de down do Grupo Adid [Associação para o Desenvolvimento Integral do Down] contagiaram a plateia, com o seu profissionalismo e exemplo de superação.

O ator e protagonista do filme “Os Colegas”, Ariel Goldberg, prestigiou o espetáculo. Sua presença foi muito comemorada pelo elenco, que na semana anterior protagonizara uma campanha na internet, intitulada #vemariel, para levar o ator à estreia da peça. O apresentador Rafael Cortez (ex-CQC) também compareceu.

Com direção de Leonardo Cortez, a peça é uma livre interpretação do romance “Le Capitaine Fracasse” (o Capitão Fracasso), do escritor francês Théophile Gautier, e conta a história de um miserável grupo de teatro que percorre a Europa do século XVIII em busca de novos palcos para suas apresentações. Amores, dores, disputas e aventuras acompanham as viagens desta trupe.

No final do espetáculo, Cortez agradeceu o apoio do Sesi-SP na divulgação do grupo, que já tem duas apresentações programadas para o mês de março, em unidades do Sesi-SP no interior do Estado: “A parceria com o Sesi-SP tem sido ótima para o nosso grupo. Ela nos permite apresentar o espetáculo para públicos diferentes e também divulgar o nosso trabalho”, salientou o diretor do grupo Adid.

Por trás das cortinas

De acordo com Glaucia Libertini, assistente de direção e responsável pelo cenário do espetáculo, os atores participam de ensaios semanais onde são realizadas atividades que estimulam a comunicação. “Eles são atores que já têm uma familiaridade com a linguagem teatral e, até por isso, têm a prática de decorar textos. E, quando cometem erros, têm sensibilidade de improvisar”, analisou Libertini.

Segundo ela, a formação de um ator com síndrome de down dura, em média, um ano e meio: “Os processos são longos para que possamos obter esses resultados”.

Apaixonada pela nova profissão, Ana Beatriz – que interpreta a Sr.ª Giacomelli – garante que continuará investindo na carreira de atriz. “Essa peça foi mais do que um prêmio. Foi um presente que caiu do céu. Eu sempre quis ser atriz e pretendo seguir nesta profissão, pois acho que não tem nada melhor do que aprender a ser atriz do que fazendo teatro”, afirmou.

Opinião compartilhada por sua mãe, Ana Maria Pierre Paiva, que acredita que o trabalho desenvolvido pelo Grupo Adid facilita a comunicação dos atores com a sociedade. “O teatro proporciona uma oportunidade para eles [atores com síndrome de down] se comunicarem. Além de ensinar aos meninos a importância do trabalho em equipe”, avaliou.

Campanha #vemariel, para espetáculo no Sesi-SP, repercute na imprensa

Agência Indusnet Fiesp

Inspirados na campanha do ator Ariel Goldberg para trazer o astro norte-americano Sean Penn à estreia do longa Colegas no Brasil, o elenco do grupo ADID de Teatro também criou sua própria mobilização para levar o próprio Ariel à estreia da peça A Viagem do Capitão Tornado, em exibição única no Teatro Sesi-SP neste sábado (23/02).

A campanha #vemariel repercutiu na imprensa, inclusive com nota da colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo. A produção do noticiário SP TV, da Rede Globo, convidou Ariel, portador da Síndrome de Down assim como os atores que estrelam A Viagem do Capitão Tornado, para acompanhar um dos ensaios do grupo.

Livremente inspirada no romance Le Capitaine Fracasse (O Capitão Fracasso), do escritor francês Théophile Gautier, a montagem, uma parceria do Sesi-SP com a Associação para o Desenvolvimento Integral do Down (ADID), é ambientada no século 17 e narra a história de um grupo teatral miserável que busca reconhecimento profissional e novos palcos para suas apresentações.

Clique aqui e veja reportagem com grupo ADID de Teatro na primeira edição do SPTV.