Governador de Minas Gerais fala sobre gestão pública em reunião do Consea/Fiesp

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) recebeu segunda-feira (20/08), em sua sede, o governador do Estado de Minas Gerais, Antonio Anastasia. Convidado da reunião do Conselho Superior de Estudos Avançados (Consea) da Fiesp, Anastasia apresentou um panorama das ações da gestão pública mineira. O encontro fez parte da série de debates ‘Repensando o Brasil’, mediado por Ruy Altenfelder, presidente do Consea.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1539663549

Governador de Minas Gerais, Antonio Anastasia, participa debate mediado por Ruy Altenfelder, presidente do Consea, em reunião do conselho da Fiesp

Anastasia cumprimentou o colegiado da Fiesp por abordar o tema da gestão pública que, segundo ele, por séculos foi desdenhado pelo Brasil. “Durante muito tempo a gestão pública foi um assunto estranho e de menor importância, ao contrário das questões econômicas. E hoje pagamos o preço por não ter investido em valores humanos”, explanou o governador.

O chefe do executivo mineiro lembrou que na década de 1990, com a estabilidade da moeda, houve a primeira reviravolta na administração em seu Estado. “Até então, a inflação que protegia o poder público, que vivia de aplicações financeiras, não permitia o planejamento.  Com o choque de gestão, foi possível colocar a casa em ordem.”

Na primeira geração do choque de gestão mineiro em 2003, lembrou o governador, o patamar era desfavorável pela precariedade da infraestrutura e dos serviços públicos, com dificuldades de honrar em dia as obrigações e para captação de recursos. “Naquele ano, o déficit era de R$ 2,4 bilhões. Em 2004, conseguimos revertê-lo e houve equilíbrio fiscal nas contas públicas”, afirmou.

Procedimento distinto

Com a ideia do Planejamento, de reduzir drasticamente as ações governamentais onde fosse necessário, promoveu-se uma série de medidas, como a priorização do fluxo de recursos, plataforma de gerenciamento de metodologia diferenciada e monitoramento de projetos, visando o atingimento das metas.

Já entre 2004 e 2006, segundo Anastasia, 31 projetos estruturadores do governo mineiro representaram 4% da despesa orçamentária. Nos anos seguintes até 2010, os projetos estruturadores aumentaram para 57, elevando a 11,5% a despesa orçamentária.

O governador expôs o plano mineiro de desenvolvimento integrado 2007-2023, que prevê a perspectiva integrada do capital humano, integração territorial competitiva, equidade e bem-estar e sustentabilidade que, segundo ele, foi concebido com planejamento detalhado e acompanhamento passo a passo.

“Temos que levar o governo, através dos resultados, para perto das pessoas que passaram a sentir a ação do poder público. É fundamental que as pessoas participem, para valorizarem aquilo que lhes pertence. O dinheiro do governo é o dinheiro da sociedade”, enfatizou Anastasia, acrescentando que Minas Gerais “é um dos melhores Estados para se viver, pela prosperidade, cidadania e qualidade de vida.”

Ao finalizar sua exposição, o governador de Minas Gerais destacou a educação como um dos principais pilares de sua gestão: 1º lugar no ranking nacional do Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico (Ideb) em 2011; melhor desempenho brasileiro em matemática e língua portuguesa; aumento de 67,7 pontos na proficiência dos alunos em leitura.

Governador de Minas Gerais debate gestão pública no Brasil em reunião na Fiesp

Agência Indusnet Fiesp

O Conselho Superior de Estudos Avançados (Consea) da Fiesp receberá, na próxima segunda-feira (20/08), o governador do Estado de Minas Gerais, Antonio Anastasia.

Ele participará de debate com os conselheiros da entidade sobre o tema “Repensando o Brasil: A gestão pública”.

Dorothea Werneck, secretária de Estado do Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais, também participará da reunião.

Serviço
Data/horário: 20 de agosto de 2012, segunda-feira, das 10h às 12h30
Local: sede Fiesp – Av. Paulista, 1313, 15º andar, São Paulo, SP