Nova escola do Sesi-SP é um ‘salto de 1000%’, afirma diretora da unidade de Andradina

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, de Andradina

Foi uma madrugada em claro. A ansiedade era grande e a diretora da unidade do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em Andradina, Claudia Cristina Gonzales, mal conseguiu dormir horas antes da inauguração de uma das mais novas escolas da instituição,  em cerimônia realizada nesta quinta (15/05), com a presença do presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf.

Claudia e Skaf durante a cerimônia de inauguração da escola: salas e laboratórios mais estruturados. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Claudia e Skaf durante a inauguração da escola: salas e laboratórios mais estruturados. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Na entrevista abaixo, logo depois da inauguração, Claudia destaca a importância da nova unidade para a educação no município.

Qual é o salto em termos de estrutura da escola anterior para esta nova?

Claudia Cristina – Um salto de 1000%. A escola em que estávamos era muito pequena, sem uma infraestrutura adequada para atender melhor a esses alunos. Aqui a gente tem sala com iluminação muito boa, televisores, DVD, lousa interativa. Nós temos laboratórios com um computador para cada aluno e isso de física, química, biologia, ciências. Os alunos vão ter realmente algo mais. Tenho certeza que eles apresentarão resultados melhores.

No ano que vem começa a ser implementado o ensino em tempo integral. Qual é o desafio?

Claudia Cristina – Um desafio grande. Estávamos em uma escola pequena, trabalhando de manhã com adolescentes e à tarde com os pequenininhos, do 1º ao 5º ano.  Então, vamos ter que organizar a escola para aula o dia todo, do 1º ao 9º ano. Outras escolas fizeram isso gradualmente, primeiro do 1º ao 5º, depois o 6º. Então, vamos pegar do 1º ao 9º ano para entender o que é o ensino em tempo integral. A expectativa é muito grande para a gente se organizar e atender aos alunos.

Como está a expectativa dos professores para começar a trabalhar nessa escola?

Claudia Cristina – Tivemos uma reunião antes e eu sinto o brilho nos olhos de cada um, com aquela vontade, aquela determinação de fazer algo diferente. É um desafio e vamos conseguir porque a garra dessa equipe é muito grande.

Está previsto aumento de quadro de funcionários na escola?

Claudia Cristina – Acredito que sim porque vamos ter vivências artísticas, vamos ter bibliotecária, coisas que nós não tínhamos. Então, acredito que tenhamos aumento de quadro, sim.

Os alunos parecem empolgados com a nova quadra poliesportiva…

Claudia Cristina – Eles têm vontade de fazer esportes, querem participar, mas a quadra na escola anterior era inviável realmente para qualquer tipo de atividade. Não era coberta, a estrutura física não tinha condições de atendê-los. Então, eu sinto que eles estão com vontade de fazer esporte à noite, de aproveitar os sábados,  é uma intenção de abrir a escola nesses dias. Eu sinto que esse prédio vai fazer a diferença para todo mundo.

A cerimônia de inauguração da nova escola do Sesi-SP em Andradina, nesta quinta-feira (15/05). Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

A cerimônia de inauguração da escola do Sesi-SP em Andradina, nesta quinta-feira. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Sesi-SP inaugura nova escola em Andradina para 858 estudantes

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp, de Andradina

Manhã de festa em Andradina, município do noroeste paulista a 630 quilômetros da capital. Em cerimônia com a presença de autoridades da região, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Paulo Skaf, inaugurou, nesta quinta-feira (15/05) a nova escola do Sesi-SP da cidade.

Com aporte de R$ 13 milhões, a unidade atende um total de 858 estudantes, dos quais 283 no ensino fundamental, 87 no médio e 488 na Educação para Jovens e Adultos. A solenidade marcou o primeiro dia de atividades da escola, que até a véspera funcionava em outro local, sem a mesma estrutura.

“Normalmente costumo inaugurar oficialmente escolas que já estejam funcionando. E é a primeira vez que venho para a abertura de portões de uma escola. Fiquei muito feliz de ver a emoção dos alunos”, disse Paulo Skaf.

Skaf na inauguração da escola do Sesi-SP em Andradina: indústria dando o exemplo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf na inauguração da escola do Sesi-SP em Andradina: indústria dando o exemplo. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Destacando que é muito melhor para um país abrir escolas do que penitenciárias, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP afirmou que educação completa e de qualidade é aquela em tempo integral, em que “o aluno aprende o tempo inteiro” nas atividades esportivas, culturais e na alimentação oferecida pela escola.

“A indústria paulista está fazendo sua parte e dando o exemplo”, ressaltou Skaf ao falar dos investimentos em educação do Sesi-SP e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Estrutura

Já nesta sexta (16/05) os alunos terão o primeiro dia de aula nas novas instalações, que contam com 12 salas de aula, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, duas áreas de convivência e dois laboratórios (de ciência e tecnologia e de informática educacional, além de cozinha com despensa e refeitório e quadra poliesportiva coberta com vestiários masculino e feminino, entre outros espaços administrativos e para atendimento aos pais.

O prefeito de Andradina, Jamil Ono, agradeceu as entidades da indústria pela iniciativa. “Este é o maior investimento que Andradina já recebeu em educação”, disse Ono, que assinou, juntamente com outros prefeitos, convênio para implantar o Programa Atleta do Futuro (PAF), iniciativa de formação esportiva que vai beneficiar 1160 alunos em Andradina e quatro outros municípios: Itapura, Nova Independência, Castilho e Pereira Barreto.

Ao discursar, o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni Gonçalves, apontou o PAF como o maior programa de inclusão por intermédio do esporte no Brasil.

Alunos da inauguração da escola do Sesi-SP em Andradina: para aprender o tempo inteiro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Alunos da inauguração da escola do Sesi-SP em Andradina: para aprender o tempo inteiro. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

 

Vicioni disse que no Sesi-SP o aluno não é um produto. “O sistema educacional procura transformar o aluno, que vai atrás do conhecimento. E o único meio é a via da educação. Nossos alunos estão aqui para serem autores do seu próprio futuro”, assinalou Vicioni, elogiando a visão que predominou na gestão das entidades nos últimos dez anos. “Primeiro o desenvolvimento humano antes do desenvolvimento econômico. Os grandes resultados vêm com as pessoas. São os cidadãos que vão construir uma região melhor, um estado melhor, um Brasil melhor.”

Mudando de escola

Minutos antes da abertura de portões, a aluna da quinta série Laura Ruiz, de 10 anos, não escondia a expectativa. Seria a primeira vez que ela iria conhecer as dependências da escola.  “Estou com muita curiosidade, muito ânimo. Vai ser muito melhor tanto pelo espaço como pela educação. E o período integral vai ser melhor porque a gente vai aprender mais coisas”, disse a menina, ansiosa por ver a quadra poliesportiva coberta.

Enquanto organizava a recepção dos alunos, a inspetora Vera Lúcia Veanholi revelou que muitos deles nem tinham dormido bem, tamanha a expectativa por ver a nova escola, que começou a ser construída em junho de 2013. “Vai melhorar em tudo, tanto a parte física como a pedagógica. Na outra escola era muito apertado e a quadra não era coberta.”

A partir de 2015, a nova unidade passa a oferecer ensino fundamental em tempo integral, o que permite que os alunos permaneçam nos períodos da manhã e tarde na escola realizando vivências complementares de esporte, arte, cultura e tecnologia, além das refeições diárias compostas de café da manhã, almoço e lanche da tarde.

Metodologia própria 

O Sesi-SP desenvolve seu próprio material didático, um diferencial da metodologia da entidade que engloba processos de ensino, aprendizagem e pesquisa. Essa concepção educacional parte da perspectiva de que toda criança ou adolescente é capaz de aprender se lhe forem oferecidas boas situações de aprendizagem.

A iniciativa representa é mais um passo para a consolidação do novo modelo educacional da entidade iniciado em 2007, que prevê a oferta de ensino fundamental em tempo integral e o ensino médio articulado com a educação profissionalizante do Senai-SP.

Prefeitos de três municípios assinam doação de áreas ao Sesi-SP

Elcio Cabral, Agência Indusnet Fiesp

Em evento realizado no início da noite de terça-feira (8), na Fiesp, prefeitos e representantes das cidades de Andradina, Itapira e Osvaldo Cruz formalizaram a doação de áreas públicas ao Sesi paulista.

O ato de assinaturas acelera o projeto de renovação da rede física da entidade, que viabiliza o Ensino Fundamental em regime de tempo integral.

Até o presente, já foram inauguradas seis das mais de 30 unidades que serão substituídas por sedes próprias no Estado, além de outras 40 que aguardam a doação de áreas.

“Nessas escolas nós vamos formar cidadãos do bem, bons brasileiros”, afirmou o presidente da Fiesp/Ciesp e dos conselhos regionais do Sesi e Senai de São Paulo, Paulo Skaf.

“Agora que os terrenos foram doados pelas prefeituras, nós vamos licitar as obras. A previsão é que até o final de 2010 as escolas estejam prontas para receber alunos”, disse Skaf.