Paulo Skaf recebe nadadora do Sesi-SP bicampeã mundial

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

A nadadora Ana Marcela Cunha, atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), chegou nesta segunda-feira (3/8) a São Paulo com três medalhas na bagagem, vindo de Kazan (Rússia). Ela trouxe do Mundial de Esportes Aquáticos medalha de ouro nos 25 km, prata nos 5 km em equipe e bronze nos 10 km, medalha que lhe garantiu uma vaga nos Jogos Olímpicos Rio 2016. Ela é bicampeã mundial nos 25 km, prova que ganhou também em 2011 em Xangai.

Ana Marcela foi recebida pelo presidente do Sesi-SP, Paulo Skaf, na unidade da Vila Leopoldina. “Hoje é dia de festa aqui no Sesi-SP, com você (Ana Marcela), suas medalhas e suas conquistas, que são conquistas do Brasil. Você merece todos os aplausos”, disse Skaf, também presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), à atleta.

É no Sesi-Vila Leopoldina que Ana Marcela treina – e como todas as nadadoras da equipe feminina, sente-se em casa.

Dona de 3 das 4 medalhas do país que aparecem no quadro geral da competição até o momento, Ana vibra com o resultado e aposta nos colegas para a evolução desse número. “Pela primeira vez conquistei tudo isso, fico muito feliz de poder fazer história. Acho que estamos só no começo, depois da maratona vem a natação, com várias provas, e acredito que eles trarão mais medalhas para o país”.

Ana Marcela com as medalhas conquistadas em Kazan. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Ana Marcela com as medalhas conquistadas em Kazan. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


“Agradeço muito pela natação feminina crescer o que cresceu nos últimos três anos, tempo em que o Sesi-SP vem investindo, e por encontrar um clube que queira investir na maratona, o que é difícil. Agradeço pelo Sesi-SP ter confiado no meu trabalho e deixo também o meu agradecimento ao [técnico do Sesi-SP e da seleção] Fernando Possenti, estou muito feliz de poder seguir trabalhando com ele”, completou.

>>Ouça entrevista com Ana Marcela

O Sesi-SP semeou um projeto de estímulo à natação feminina no Brasil e colheu ouro. Antes da medalha trazida por Ana Marcela, que venceu a prova de 25 km no Mundial de Kazan (Rússia), veio o ouro de Etiene Medeiros nos 100 m costas em Toronto, o primeiro ganho por uma brasileira em todas as edições dos Jogos Pan-Americanos.

O Projeto Sesi-SP Rendimento Esportivo Natação e Maratonas Aquáticas começou em 2009 na Vila Leopoldina. Foi ampliado a partir de 2010. Hoje funciona também nas unidades de A.E. Carvalho, São José do Rio Preto, Osasco e Sertãozinho. Os atletas são divididos nas categorias Petiz, Infantil, Juvenil, Junior e Sênior.

Ana Marcela sobe no lugar mais alto do pódio na Copa do Mundo da Hungria

Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp

Mais uma etapa, mais um pódio. A nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha conquistou no sábado (20/6) a medalha de ouro e seu décimo pódio consecutivo ao nadar a 5ª etapa da Copa do Mundo de Maratona Aquática, na Hungria.

Concluindo os 10km de prova com 1h50m36s68, Ana superou a dona da casa e atual campeã olímpica, Eva Risztov (1h50m37s69), que ficou com a segunda colocação e a britânica Keri Anne Payne (1h50m38s87), terceiro lugar no pódio.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Ana Marcela assume o pódio do Mundial da Hungria. Foto: Divulgação/Fiesp

“Foi uma prova muito dura, de altíssimo nível técnico, disputada braçada a braçada. Qualquer uma de nós poderia ter vencido. Só tinha fera do meu lado”, comentou Ana, que ainda elogiou a desenvoltura das atletas durante a prova.

“O ritmo durante todo o percurso foi muito intenso, mas consegui acompanhar e, nos últimos metros, abri um pouco para vencer. Uma prova bonita de assistir”.

Nadando sua segunda etapa na temporada e alcançando o segundo pódio consecutivo do ano, Ana Marcela avançou para o segundo lugar no ranking mundial com 38 pontos, atrás apenas na italiana Rachelle Bruni, com 56.

“Estou realmente muito feliz. A vitória nesta prova mostrou que todo o esforço e dedicação integral aos treinamentos vêm surtindo efeito e estamos no caminho certo. Agora falta alcançar o grande objetivo desta temporada que é a vaga olímpica. A batalha continua”, completou.

Na volta à Copa do Mundo, Ana Marcela conquista a prata em Cozumel

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Em sua primeira prova na temporada da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas, Ana Marcela Cunha já subiu no pódio. A nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) chegou na segunda colocação na prova realizada em Cozumel, no domingo (3/5), com o tempo de 1h48m04s, sendo também a única representante do Brasil a conseguir medalha.

Ana chegou apenas três segundos após da norte-americana Haley Anderson (1h48m01s) e a medalha de bronze ficou com Aurora Ponsell, da Itália (1h4805s). As demais brasileiras Poliana Okimoto e Carolina Bilich acabaram em sexto e 24º lugar, respectivamente.

“Foi uma prova muito forte e bem disputada. Ao todo largaram mais de 60 nadadoras e chegar entre as primeiras é sempre muito gratificante. Melhor ainda é poder representar o Brasil no pódio. Estou bem satisfeita com o meu resultado”, contou a baiana.

Ana Marcela aproveitou a ocasião para fazer uma homenagem a nadadora Sarah Corrêa, vítima de um atropelamento fatal no Rio de Janeiro no fim de semana.

“Éramos amigas e ex-colegas de clube e de Seleção, foi uma grande perda para o esporte brasileiro e para todos nós”, lamentou a atleta, que nadou com os dizeres “Para Sempre Sarah” desenhados no antebraço esquerdo.

Ana Marcela volta ao Brasil nesta segunda-feira onde retoma os treinamentos visando o Mundial de Esportes Aquáticos em Kazan (Rússia), em agosto.

Ana Marcela é tricampeã da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Agência Indusnet Fiesp

A nadadora Ana Marcela Cunha, atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), conquistou no dia 18 de outubro o tricampeonato da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas, ao chegar em terceiro lugar na última etapa da competição, realizada em Hong Kong.

Com o bronze, a nadadora atingiu um marco inédito para o Brasil, subindo ao pódio em todas as etapas do mundial. A baiana fechou o ano com 149 pontos, contra 65 de Christine Jennings, dos Estados Unidos.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Ana Marcela comemora em Hong Kong ao lado do também campeão Allan do Carmo. Foto: Divulgação CBDA


“A temporada foi muito boa, mas como já entrei campeã na última prova, fiquei ansiosa para saber a minha colocação, para fazer história, estar no pódio em todas as etapas. A prova de Hong Kong foi bem mais forte, estilo Cancún ou Setúbal, e pela temporada que fiz, estou muito contente”, afirmou Ana Marcela ao portal globoesporte.com.

“Agora vou tirar umas férias merecidas e depois voltar com tudo para me preparar para a seletiva olímpica, que será no Mundial de Kazan, participando das provas que tiver que participar no ano que vem. Espero que em 2015 dê tudo certo também”, concluiu a nadadora.

Ana Marcela quer a vitória no Canadá para aumentar a liderança e se aproximar do tri

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Faltando apenas quatro provas para o final da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas de 10km, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, nada em liderança folgada, com 74 pontos, 18 à frente da segunda colocada, Poliana Okimoto.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Ana Marcela: "Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas." Foto: Arquivo Pessoal.

Como sua rival brasileira não disputará a próxima etapa em Lac Magog (Canadá), nesta sexta-feira (01/08), a chance de Ana Marcela aumentar sua vantagem para as demais e se aproximar do título fica consideravelmente maior. A terceira colocada no ranking atual é a italiana Martina Grimaldi (34 pontos).

Mesmo com uma vantagem tão boa, a nadadora não quer saber de relaxar ou mudar a estratégia. Ela garante que entrará na água fria de Magog para vencer e ampliar ainda mais a distância no ranking.

“Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas. O primeiro lugar é o mais importante e não importa contra quem estamos nadando, o que importa é vencer”, disse Ana Marcela, apoiada pelo treinador Fernando Possenti, que destaca a possibilidade de um feito histórico pela atleta.

“Nunca uma nadadora que venceu a Copa esteve em todos os pódios da temporada. Nem mesmo a Ana, que ganhou em 2010 e 2012, conseguiu. Então queremos esse diferencial”, completou Possenti.

Entre as principais rivais na prova, Ana Marcela já elegeu sua maior concorrente. Para a bicampeã mundial, a chilena Kristel Kobrich, campeã sul-americana de 2014, tem algumas vantagens em Magog, mas nada que a experiência não possa superar.

“Aqui não venta muito e a água é mais parada, como ela gosta. Mas ainda não sabemos como será a prova. Já ouvi boatos sobre 10 voltas de 1km cada, mas só vamos saber mais pra frente. Acho que pela temperatura prevista, vai ser um pouco mais frio, o que para mim é melhor. E se tiver muita bóia, melhor também, pois exige mais técnica e experiência para fazer os contornos”, disse a líder do ranking.

Após nadar em Magog, Ana Marcela terá mais uma etapa no Canadá, no tradicional Lac Megantic, dia 09/08, antes de voltar ao Brasil para se preparar para o Troféu José Finkel, em setembro.

Ana Marcela busca liderança na Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Agência Indusnet Fiesp 

Duas provas já foram, seis estão por vir e agora é a hora das águas geladas. Segunda colocada no ranking geral, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) Ana Marcela Cunha terá a partir de Setúbal, em Portugal, a primeira chance de pegar a liderança da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas. A prova do dia 28 será em águas mais frias do que as já realizadas (Argentina e México), o que favorece Ana na disputa particular com Polyana Okimoto, líder geral com 38 pontos. Ana Marcela tem 34.

A teórica vantagem se dá pelo percentual de gordura no corpo das atletas. Ana Marcela tem mais massa muscular do que Polyana, o que ajuda a suportar melhor o frio e evita maior perda de calor. Além disso, a baiana do Sesi-SP já disputou provas nessas caraterísticas, enquanto sua adversária nunca nadou em duas das próximas localidades.

Ana Marcela, porém, descarta qualquer favoritismo e sabe que será uma prova muito difícil. A atleta destaca o treinamento realizado na altitude de Flagstaff (Arizona-EUA), e quer nadar bem para conseguir acumular gordura para as provas finais na China.

“Será uma etapa muito forte porque é na Europa e também servirá de seletiva para muitos nadadores para o Campeonato Europeu, em agosto. Sabendo disso, nós treinamos muito na altitude para conseguir um resultado melhor do que nas provas anteriores, mas será muito duro. Para ser líder, preciso de uma combinação de resultados. Preciso vencer e a Polyana chegar de terceiro para trás. Se eu vencer as próximas quatro na água fria, consigo vantagem para as finais. O negócio é vencer em Portugal para conseguir uma vantagem maior na china. Quanto mais pontos abrir agora, melhor”, disse Ana Marcela, que sabe da rivalidade com Polyana, mas não a considera a única adversária na Copa do Mundo.

“Temos uma rivalidade saudável. Não importa quem está lá, o que importa é bater na frente. Tem muita gente que aparece do nada e que de repente ganha uma prova. Na França mesmo, tivemos uma menina que ninguém conhecia e que acabou ganhando. Tem a Martina Grimaldi, da Itália, que também nada muito e está sempre no pelotão de frente”.

Olimpíadas

Os Jogos no Rio-2016 serão daqui dois anos, mas Ana Marcela não quer afobação para não correr risco de ficar fora das Olimpíadas, como aconteceu em Londres.

“Primeiro eu vou pensar na etapa de Kazan (agosto 2015), que definirá as vagas (os 10 primeiros colocados se classificam para o Rio de Janeiro). Não quero que seja como na última, quando podia chegar entre as 10 e cheguei em 11ª. Sem afobação, tem a Copa do Mundo antes e estou pensando aqui. Meu maior objetivo é chegar em Kazan entre as três primeiras, o que vai me levar para as Olimpíadas naturalmente”.

Ana embarca para Portugal segunda-feira (23), às 17h. Confira abaixo o calendário de provas da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas.

28/06 – Setúbal – Portugal

24/07 – Lago St Jean – Canadá

31/07 – Lago Memphremagog – Canadá

09/08 – Lago Megantic – Canadá

12/10 – Chun’an, Hangzhou, Zhejiang – China

18/10 – Hong Kong – Hong Kong

Depois de duas medalhas no Mundial de Natação, Ana Marcela treina para novos desafios

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Com duas medalhas na bagagem, a maratonista aquática do Sesi-SP, Ana Marcela Cunha, voltou do Mundial de Barcelona com mais energia para novas conquistas.

Nas três provas que disputou, a atleta conquistou pontos para a seleção brasileira, que terminou o Mundial em primeiro lugar nas provas em águas abertas. Ana Marcela conquistou a medalha de bronze na prova de 5km, a prata nos 10km e ficou em 5º lugar nos 25km.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Ana Marcela Cunha: prata e bronze em Barcelona. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Assim que desembarcou no Brasil, a nadadora já recomeçou os treinamentos, com foco nas suas próximas competições: Copa do Mundo, Troféu José Finkel e campeonato brasileiro.

Em entrevista coletiva, Ana Marcela falou sobre a emoção de conquistar medalhas e pelo amor pela natação:

Como você avalia o desempenho da maratona aquática brasileira em Barcelona?

Ana Marcela Cunha – Antes desse Mundial, o Brasil tinha conquistado, na história, duas medalhas em campeonatos mundiais. Saímos dessa competição com cinco medalhas, o que mostra que estamos em uma evolução muito grande. Nas duas provas mais tradicionais tivemos duas brasileiras nas primeiras colocações. Além das dobradinhas femininas, teve o crescimento do masculino. Os meninos conseguiram a medalha de bronze, com a Poliana, no revezamento, o Alan foi 5º nos 25km e o Samuel foi 6º nos 5km. No próximo Mundial, esperamos que o masculino também esteja na briga pelas vagas para a Olimpíada de 2016.

Qual foi a sensação de conseguir uma medalha na prova dos 10km?

Ana Marcela Cunha – Foi minha volta por cima! Há dois anos eu havia ficado em 11º colocação nessa prova e fora dos Jogos Olímpicos. Voltar no Mundial seguinte, ganhar a medalha de prata, ser a segunda melhor nadadora do mundo, na prova olímpica em que estavam as três medalhistas de Londres-2012, é um saldo muito positivo.

E a medalha nos 5km foi uma surpresa?

Ana Marcela Cunha – Não esperava a medalha porque o 5km é uma prova um pouco mais difícil para mim. Virei a primeira volta em 12º e fui tentando crescer. No final, era eu e mais quatro meninas alinhadas em 3º lugar. Mas o treino de perna, que eu fiz bastante, funcionou e eu consegui abrir na frente. Aproveitei a oportunidade que elas saíram para os lados, dei um tiro e veio uma medalhinha. Fiquei muito feliz, por não esperar uma medalha e pela confiança que me deu para as próximas provas. Se na prova de 5km eu já ganhei a medalha, na de 10km, da distância olímpica, sabia que estaria bem.

Depois da medalha de ouro nos 25 km que você conquistou no Mundial de Xangai, ficou decepcionada por não chegar ao pódio nessa prova em Barcelona?

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Ana Marcela Cunha: 'Essas medalhas não são só minhas, mas de todos que nos ajudaram também.' Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ana Marcela Cunha – A prova foi uma consequência de eu ter nadado um pouquinho mais à frente na última volta dos 10km. Se eu tivesse guardado um pouquinho…  Mas, não estou frustrada, estou muito feliz por ter conseguido uma medalha na prova olímpica. Esse Mundial foi muito mais rápido, com provas muito mais fortes que o passado. Nadamos a prova de 5km em 57 minutos, o que fazíamos em 1h02. A prova de 10km baixou de 2h06 para 1h58. A de 25km, no último Mundial, nadamos 5h29 e nesse foi para 5h07, ou seja, 22 minutos mais rápida. Como todas as provas foram mais fortes, foi isso que me fez sentir um pouco no final da prova dos 25km.

Já deu tempo de analisar o que você precisa melhorar?

Ana Marcela Cunha – Faz só uma semana que fiz a prova de 10km. Só agora vamos sentar para conversar, rever as provas e ver o que podemos melhorar para os próximos dois anos. Se a medalha de prata já veio com os erros, vamos tentar corrigir os erros para que venha a medalha de ouro.

As conquistas da maratona aquática já são reflexos dos investimentos recentes, como o ‘Plano Brasil Medalhas’ e o projeto do Sesi-SP na natação feminina?

Ana Marcela Cunha – A gente conquista as coisas, mas pouca gente sabe quantas pessoas estão por trás, nos ajudando. O Projeto Medalhas tem feito a diferença para gente, que agora tem psicólogo, nutricionista, preparador físico, técnico, assistente. Também foi muito importante o que o Paulo Skaf fez com a natação feminina, que ainda está atrás da masculina no Brasil. Essas medalhas não são só minhas, mas de todos que nos ajudaram também.

Quais são seus próximos desafios?

Ana Marcela Cunha – Na próxima terça-feira [06/08], embarco para o Canadá, onde nado os 10km no dia 10 de agosto, em mais uma etapa da Copa do Mundo. Dia 12, embarcamos de volta e dia 14, nado os 800m livre no Troféu José Finkel. Dia 17, vou para Brasília, onde nado novamente os 10km, no dia 18. Dia 19, volto para casa e fico de folga até o dia 23. Vou aproveitar a folga para descansar, dormir o máximo que eu puder para repor as energias e voltar treinando com tudo para a China.

Diferente da natação, a maratona aquática tem atletas mais velhos. Você planeja até quando vai nadar e competir?

Ana Marcela Cunha – Eu amo o que eu faço! Se depender de mim, quero ser como a Angela Maurer, que tem quase 40 anos e chegou ao pódio. E mesmo quando não estiver mais competindo, pretendo nadar sempre, até o quanto eu aguentar.

Paulo Skaf recebe equipe de natação do Sesi-SP; atletas visitam as duas mostras no Centro Cultural Fiesp

Guilherme Abati, Agência Indusnet Fiesp

Atletas de natação do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), que na semana passada disputaram o Troféu Maria Lenk no Rio de Janeiro, visitaram a sede da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), nesta quinta-feira (02/05), para um encontro com o presidente das instituições, Paulo Skaf.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Atletas das equipes feminina e masculina do Sesi-SP no encontro com presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, e o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

“É um grande orgulho ter uma equipe como esta da natação. Estou muito satisfeito com os resultados dos atletas no Maria Lenk. Nada se conquista sem luta, dedicação e perseverança, e a equipe de natação é um exemplo para todos os jovens deste país. Fico muito feliz em poder, além de priorizar a educação, realizar projetos tão importantes quanto esse do Sesi-SP”, afirmou Skaf, durante o encontro.

O medalhista olímpico Thiago Pereira, prata em Londres-2012, disse estar muito satisfeito nesse primeiro mês na nova casa. “Quero agradecer a todos do Sesi-SP pelo apoio, pela estrutura e pelo investimento”, disse Thiago Pereira. “Consegui a classificação para o Mundial de Barcelona. Meu grande objetivo agora é me concentrar, treinar muito e conquistar medalhas de ouro em Barcelona. A estrutura que o Sesi-SP dá é fundamental para que eu possa, de fato, conquistar grandes resultados”, acrescentou o nadador.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Thiago Pereira: estrutura que o Sesi-SP dá é fundamental para conquistar resultados. Foto: Junior Ruiz/Fiesp

Além de Thiago Pereira, participaram da reunião as nadadoras Etiene Medeiros, Jessica Cavalheiro, Daynara de Paula e Ana Marcela.

“Começamos a formatar a equipe no ano passado e no Maria Lenk o objetivo traçado foi alcançado” contou Fernando Vanzella, treinador da equipe.

“Temos cinco atletas classificados para o Mundial de Barcelona, em julho. Thiago Pereira conseguiu a vaga nos 200 e 400 medley, vai para seu quinto mundial; Etiene Medeiros fez o quarto melhor tempo da história nos 50 metros costas; a Jessica Cavalheiro venceu os 200 metros livre; Daynara de Paula venceu os 100 metros borboleta e fez nos 100 livre o melhor tempo do Brasil; e a Ana Marcela terminou a competição classificada para o Mundial de Barcelona nas maratonas aquáticas”, acrescentou Vanzella.

“É um projeto que tem ainda muito a crescer, graças ao apoio do presidente Paulo Skaf. A natação do Sesi-SP é projeto de apenas quatro anos, mas que já dá resultados. Nossa equipe foi a mais eficiente no Maria Lenk”, disse Alexandre Pflug, diretor de Esporte e Lazer do Sesi-SP.

Visita ao  Centro Cultural Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Etiene Medeiros observa peças da mostra “Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A equipe do Sesi-SP aproveitou para visitar duas exposições no Centro Cultural Fiesp: “Olhar a toda prova” e “Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte”.

“Olhar a toda prova” reúne 48 imagens de atletas do Sesi-SP sob o registro das lentes de fotógrafos como Claudio Edinger, Jonne Roriz, Marlene Bergamo e Renan Cepeda. A curadoria é de João Kulcsár.

“Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte”, organizada pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB), com apoio da Fiesp e do Sesi-SP, apresenta cerca de 300 peças do acervo do Museu Olímpico do Comitê Internacional (COI) em Lausanne, na Suíça, que representam a trajetória dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

As mostras ficam abertas ao público até 30 de junho

Equipe de natação do Sesi-SP visita exposições esportivas no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso

Agência Indusnet Fiesp 

A equipe de natação do Sesi-SP estará no prédio da Federação das Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta quinta-feira (02/05), à partir das 14h30, para visitar as duas exposições esportivas realizadas no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso.

Dentre os atletas confirmados estão Thiago Pereira (ouro nos 100m Borboleta; ouro nos 400m Medley; prata 200 medley), Ana Marcela (ouro nos 800m Livre; prata nos 400 livre), Etiene Medeiros (ouro nos 100m costas; ouro nos 50m costas – recorde da competição – melhor índice técnico da competição; prata 4×100 e 4×50 livre), Daynara de Paula (prata nos 100m borboleta, 50 borboleta,100 livre, 4×200 livre, 4×50 livre, 4×100 livre; bronze nos 4×100 estilo) e Jessica Cavalheiro (prata nos 200m livre 4×200 livre, 4×50 livre, 4×100 livre; bronze nos 4×100), além de jovens revelações como Giovanna Diamante e Mariana Serrano (ambas com índice para o Mundial Junior em Dubai). A comissão técnica formada por Fernando Vanzella e Fernando Posseti também estará presente.

As exposições

Olhar a toda prova, com curadoria de João Kulcsár, retrata de forma artística os esportes olímpicos e paraolímpicos por meio de 48 imagens, registradas por fotógrafos como Claudio Edinger, Jonne Roriz, Marlene Bergamo e Renan Cepeda e trazem uma nova perspectiva dos retratos dos atletas incentivados pelo SESI-SP.

Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte é uma parceria da Fiesp e do Sesi-SP com o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e reúne cerca de 300 peças do acervo do Museu Olímpico do Comitê Olímpico Internacional (COI), que marcaram e representam a trajetória dos Jogos Olímpicos da Era Moderna.

Durante a visita às exposições, os atletas receberão a imprensa.

Serviço
Visita da equipe de natação do Sesi-SP às exposições Olhar a toda prova e Jogos Olímpicos: Esporte, Cultura e Arte
Data: 02 de maio de 2013, às 14h30.
Local: Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso (Av. Paulista, 1.313 – Metrô Trianon-Masp)

Ana Marcela conquista o seu primeiro título no Troféu Maria Lenk

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

Especialista em maratonas de águas abertas, a nadadora Ana Marcela, do Sesi-SP, conquistou nesta quarta-feira (24/04) o seu primeiro título no Troféu Maria Lenk 2013, na disputa dos 800 metros livres.

Durante a prova de longa distância, a atleta do Sesi-SP manteve o ritmo e abriu vantagem confortável para as adversárias.  Mesmo classificada de antemão para o Mundial de Natação de Barcelona, Ana Marcela comemorou muito a queda de seis segundos no seu índice.

“Estou muito feliz. Estamos treinando muito forte para Barcelona e aqui foi mais uma amostra de que nós estamos muito bem. Esse é o melhor tempo da minha vida [nessa modalidade]. Baixei seis segundos e queria muito agradecer ao Sesi-SP”, afirmou a atleta.

Outros resultados

Na disputa dos 50 metros livre, a nadadora do Sesi-SP Etiene Medeiros terminou a prova na quarta colocação, com o tempo de 25s71, em prova vencida pela nadadora holandesa bicampeão olímpica Inge Dekker (25s23).

Com o resultado, Etiene Medeiros encerra a disputa na terceira colocação, tendo em vista que de acordo com o regulamento da competição, o lugar no pódio é dado às atletas brasileiras.

Etiene foi três centésimos mais rápida que a sua companheira de equipe, Daynara de Paula que terminou a prova na quinta colocação.

Outra nadadora do Sesi-SP, Bruna Primati, ficou na sétima colocação na final dos 400 metros medley, completando a prova em 4m59s89.

Ana Marcela é ouro na 3ª etapa da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

No pódio, Ana Marcela comemora a conquista da medalha de ouro na Copa do Mundo Fina. Foto: Divulgação/Sesi-SP

Com o tempo de 2h02m53s, a atleta da equipe de natação do Sesi-SP Ana Marcela conquistou, na madrugada desta sexta-feira (01/03), a medalha de ouro na terceira etapa da Copa do Mundo Fina de Maratonas Aquáticas, realizada na cidade de Eilat, em Israel.

Durante a prova, a nadadora brasileira superou por décimos de segundo a sua principal adversária, a alemã Isabelle Harled. O terceiro lugar ficou com a italiana Martina Grimaldi.

Com a vitória, Ana Marcela, atual campeã do torneio, está cada vez mais próxima da conquista do tricampeonato do Circuito Mundial Fina de Maratonas Aquáticas. Com um histórico favorável, a nadadora do Sesi-SP já faturou a medalha de prata – etapa da Argentina – e a 6º colocação, na primeira prova realizada em Santos.

Confira o calendário com as próximas etapas:

13 de abril – Cancún – México
25 de julho – Lac. St-Jean – Canadá
10 de agosto – Lac Megantic – Canadá
6 de outubro – Hong Kong
13 de outubro – Shantou – China

Veja outras notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte

Ana Marcela, atleta do Sesi-SP, é prata na Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp 

Imagem relacionada a matéria - Id: 1540204821

Atleta encerrou a travessia de Viedma com o tempo de 1h59min55Foto: Ricardo Brandão

Reforço da equipe de natação do Sesi-SP para temporada 2013, a especialista em maratonas aquáticas, Ana Marcela, conquistou neste sábado (02/02), a medalha de prata na segunda etapa da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas, realizada na Argentina.

Convocada pela Confederação Brasileira de Despertos Aquáticos (CBDA) para representar o Brasil nesta disputa, a atleta do Sesi-SP encerrou a Travessia de Viedma com o tempo 1h59min55, ficando apenas quatro segundos atrás da primeira colocada, a atleta americana Emily Brunemann (1h59min51).

Ana Marcela é bicampeã do circuito da Copa do Mundo (2010/2012).

Leia mais

Veja outras notícias de esporte do Sesi-SP no site: www.sesisp.org.br/esporte