Três atletas do Sesi-SP ganham Prêmio Brasil Olímpico

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Fabiana e Ana Marcela. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


As atletas do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Fabiana Claudino (vôlei) e Aline Silva (lutas) ganharam o Prêmio Brasil Olímpico, organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), como as melhores em sua categoria no ano de 2014.

A cerimônia de premiação foi realizada na noite desta terça-feira (16/12), no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com presença de Ana Marcela – Fabiana não pode comparecer por estar em quadra no jogo em que o Sesi-SP venceu o Molico Osasco.

A 16ª edição do prêmio homenageou os esportistas brasileiros que se destacaram em 43 modalidades. Além disso, elegeu os Atletas do Ano (ginasta Arthur Zanetti e as velejadoras Martine Grael e Kahena Kunze), o Atleta da Torcida (ginasta Flávia Saraiva) e entregou o Troféu Adhemar Ferreira da Silva ao maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima, por representar os valores éticos, esportivos e morais em sua trajetória.

Além de atletas e ex-atletas olímpicos de diversas modalidades, estiveram presentes à cerimônia o presidente do COB e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman; o ministro do esporte, Aldo Rebelo; o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão; a vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional e presidente da comissão de coordenação do Rio 2016, Nawal El Moutawakel; presidentes de Confederações Brasileiras Olímpicas, entre outras personalidades.

Ana Marcela é eleita ‘Melhor do Ano’ pela Fina e escreve o nome na história

Agência Indusnet Fiesp

Tricampeã mundial de Maratonas Aquáticas, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, coroou nesta segunda-feira (01/12) o melhor ano de sua jovem carreira. Com apenas 22 anos, a baiana recebeu da Federação Internacional de Natação (Fina) o prêmio de Melhor Nadadora do Mundo em Maratonas Aquáticas, pela segunda vez, (a primeira foi em 2010), sendo a única a receber a honraria duas vezes na categoria.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Ana Marcela Cunha e Fernando Possenti. Foto: Arquivo pessoal

Ana também detém o recorde de estar no pódio em todas as provas da Copa do Mundo de Maratonas no ano de 2014, feito jamais alcançado por algum campeão antes. Vale mencionar também o título da travessia de Capri-Napoli, em setembro, com quebra de recorde. Um ano, sem dúvidas, para ficar na história.

“O ano foi mesmo muito bom. Conseguimos muitas coisas inéditas, ser tricampeã da Copa, conquistar medalhas em todas as etapas. Fico muito feliz com a temporada, mas ser bi nessa celebração é mais um motivo para colocar o nome na história e coroar 2014. Porém, isso não é tudo. Devemos continuar treinando como todo dia e chegar ano que vem no Mundial de Kazan e arregaçar, para ser ainda melhor que 2014”.

Em 2014, Ana Marcela conquistou a Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas (tricampeã), onde esteve em todos os pódios, foi octacampeã Brasileira, medalha de ouro nos Jogos Sul-Americanos no Chile, campeã e recordista da travessia de Capri-Napoli, entre outros resultados.

Ana Marcela é campeã brasileira pela 8ª vez e aumenta sua hegemonia

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Depois de brilhar no mundo, faltava o título em casa. Agora não falta mais. Ana Marcela Cunha, nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) precisava apenas entrar na água e confirmar seu favoritismo para conquistar pela oitava vez o Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, feito que ela cumpriu nesta quinta-feira, na Praia da Base Naval de Aratu, em Inema (BA).

Com o tempo de 1h39m06, a nadadora chegou bem à frente de Betina Lorscheitter (1h41m52s), mostrando a sua superioridade no esporte. E quem completou o pódio foi Bruna Primati, também do Sesi-SP, com a marca 1h46m58s.


Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Ana Marcela (com o troféu) e Bruna Primati. Foto: Divulgação

 

Para Ana, ganhar é sempre importante, não importa a competição e ela continuará buscando as vitórias. Mas ganhar em casa tem um gostinho especial, para quem já comemorou em todos os lugares do mundo.

“Sempre que caio na água, seja em que competição for, é para fazer o meu melhor e tentar vencer. Todo mundo quer ter o gosto da vitória e ganhar aqui é sempre especial. Passo apenas 15 dias dos 365 do ano na Bahia e este é sempre um momento especial. Estou totalmente voltada para estar entre as 10 primeiras do Mundial de Kazan (Mundial dos Esportes Aquáticos de 2015, na Rússia) e garantir minha vaga nos Jogos Olímpicos, mas quem sabe também batendo em primeiro lugar”, disse Ana, campeã brasileira pela 8ª vez, sendo a sexta seguida – as outras foram em 2006, 2007, 2009, 2010, 2011, 2012 e 2013. A atleta do Sesi-SP ganhou também todas as cinco etapas do Campeonato Brasileiro em 2014.

O Sesi-SP conseguiu mais uma medalha na prova em Inema com Bruna Primati, que chegou em terceiro lugar e completou o pódio. Para o técnico Fernando Possenti, Ana Marcela se superou, mas melhor que os resultados, foi o “lucro” que o Sesi-SP teve após a competição, com a conquista de três vagas para o Sul-americano Juvenil de 2015, em Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia.

“Gostei do resultado. A Ana chegou muito perto dos líderes masculino. E para quem estava voltando de férias foi muito bom. A Bruna, na verdade foi quarta, mas como uma nadadora acabou desclassificada, ela ficou com a terceira colocação. Mas é bom também, porque o foco dela continua piscina, mas ajuda nos treinos e é mais um pódio. Mas o que gostei é que hoje estavam em disputa quatro vagas para o Sul-Americano juvenil no ano que vem, e o Sesi-SP ficou com três. Isso mostra a qualidade do nosso trabalho e estou bem contente”.

Ana Marcela, mesmo campeã, ainda disputará neste sábado a sexta etapa da competição, que terá largada às 9h45 e percurso de 5km.

Ana Marcela Cunha vence a 4ª etapa consecutiva do brasileiro de Maratonas Aquáticas

Agência Indusnet Fiesp

Tricampeã na Copa do Mundo e vencedora da travessia de Capri-Napoli, com direito a recorde mundial, Ana Marcela provou mais uma vez que está numa fase sem igual na carreira. Neste domingo (21/09), a maratonista aquática do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) conquistou a quarta temporada do Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas, em Brasília. Foi a quarta vitória da baiana, em quatro provas disputadas. Ela lidera com folga o ranking nacional, com 148 pontos.

Em Brasília, Ana terminou a prova com o tempo de 2h04m36s, se sagrando campeã com larga vantagem sobre Betina Lorscheitter (2h11m06s) e Gabriela Ferreira (2h11m08s), nadadoras do Grêmio Náutico União que completaram o pódio. Com duas provas a cumprir pela Copa do Mundo, Ana falou da preparação e elogiou a estrutura do Sesi-SP, onde treina sob o comando de Fernando Possenti.

“Esse ano como não tinha o Campeonato Mundial, que é a competição que a gente foca, conseguimos fazer um planejamento e treinar em altitude numa época boa. Conseguimos cumprir as fases de treinamento para todas as competições. A gente resolveu fazer essa prova porque era um desafio diferente e pensando no Mundial do ano que vem, já foi um bom treino.”

A nadadora agora vai se concentrar nas provas que faltam da Copa, onde só precisa cair na água na última etapa, em Hong Kong, para sacramentar o título.

“Apesar de estar um pouco cansada, consegui cumprir os objetivos e agora é descansar para viajar pra China daqui a 15 dias. Estou indo bem passo-a-passo. A meta agora é terminar bem o ano, com a Copa do Mundo e depois pensar no Mundial de Kazan e buscar a medalha e a classificação para as Olimpíadas”, finalizou a nadadora, que elogiou a estrutura do Sesi-SP.

“No Sesi-SP encontramos uma equipe multidisciplinar completa, um staff por trás com psicólogo, nutricionista e tudo mais.”

Pelo Campeonato Brasileiro, ainda restam duas etapas para concluir o ano, que serão disputadas em Inema, Bahia, nos dias 13 e 15 de novembro. Ana poderá comemorar o título em sua terra natal.

Ana Marcela Cunha vive a melhor fase da carreira e já vê Rio-2016 na linha de chegada

Agência Indusnet Fiesp

Ana Marcela vive o seu melhor ano. Tricampeã da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas – com duas rodadas de antecedência – a baiana de apenas 22 anos continua destruindo marcas e recordes como uma onda avassaladora por onde passa. No último domingo (07/09), a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) venceu os 36km da tradicional travessia de Capri-Napoli com autoridade e ainda diminuiu o tempo da prova em sete minutos, completando o percurso em 6h24min47s, quase 10 minutos antes da argentina Pilar Geijo, segunda colocada.

Com o tri da Copa do Mundo praticamente assegurado (precisa apenas cair na água na última prova, em Hong Kong), Ana já começa a pensar na próxima missão que é assegurar vaga nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. Mas, como uma autêntica maratonista, a atleta prefere continuar seguindo o planejamento por etapas, para não dar um sprint errado e perder o fôlego na hora decisiva.

“Como já disse no começo do ano, vamos passo a passo. Agora quero pensar nas etapas da Copa do Mundo. Acabando as 2 etapas que faltam, aí sim o próximo passo será pensar e treinar para Kazan e buscar a vaga para as Olimpíadas. Quando se tem objetivos claros, fica mais fácil treinar e “nadar” atrás deles. Por isso acredito no passo a passo”, disse a maratonista, que quer chegar no pódio das duas últimas etapas da Copa do Mundo, completando o ciclo inteiro, feito inédito para uma campeã da modalidade.

Os dez melhores do Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de 2015, que será disputado em Kazan, na Rússia, de julho a agosto, se classificam automaticamente para Rio-16. Hoje, Ana é “A maratonista”, mas para conseguir manter o nível até o Mundial, a baiana sabe que tem um oceano de trabalho pela frente.

“É a primeira vez que chego a esse nível. É muito bom ser a atleta a ser batida. A sensação de subir no pódio e escutar o Hino Brasileiro é muito boa, por isso procuro fazer tudo da melhor forma possível”.

Melhor fase da carreira? Sim, segundo a própria, mas ainda pode melhorar. “Acredito que estou melhor do que nunca, mais quero estar ainda melhor até Kazan 2015”.

A ótima fase de Ana é resultado de muito trabalho, foco e vontade de superar e chegar mais longe. Essas são as palavras do técnico Fernando Possenti, seu principal parceiro nessa maratona mundial. E mesmo após um resultado tão expressivo, ele diz que cobrará por mais.

“Não existe segredo. O que existe é treino, é preparo, é foco e principalmente sempre querer mais. Eu quero que ela faça essa prova de novo e não só bata o recorde. Que vá abaixo de seis horas. Se é possível, não sei, mas é o que eu quero e é para isso que nos preparamos”, afirma Fernando, que vê Ana acima das demais, mas sem poder se descuidar para não perder a vantagem.

“Hoje ela se encontra num patamar físico, técnico e de experiência que está, sim, acima das demais. Não tão acima, não é uma superioridade tão absurda a ponto que as demais não possam alcançá-la. Ela precisa ficar alerta para manter a distância, que não é tão grande, mas tá, sim, fisicamente acima, tecnicamente muito bem e com muita experiência acumulada”.

Ainda de acordo com o treinador, para esta temporada foi feita uma reformulação dos treinamentos de toda equipe de Maratonas Aquáticas do Sesi-SP. A comissão técnica entendeu que seria melhor disputar menos competições, mas as mais importantes, dando espaço para recuperação e treinamentos entre as provas. Os resultados comprovam o acerto na estratégia.

A prova, segundo relato de Fernando Possenti

“A Ana largou bem, nadando na frente com os homens. Foi assim por uns 22km. Por diversas vezes, os atletas da frente deram alguns sprints para separar e diminuir o pelotão, até restarem 10 nadadores. No caso, nove homens e ela. Inclusive, essa foi a posição final da Ana, no geral. Depois de 4h40 de prova, cerca de 25km, o grupo masculino abriu e tivemos que deixar isso acontecer, pois ela tinha que se alimentar. Já estava há 30 minutos sem se hidratar. Era a estratégia, até não perder o vácuo. Ali a gente optou que ela se alimentasse e perdesse o pelotão. Aí, nos últimos 11 quilômetros, fomos só eu, no barco, e ela, sem o pelotão.

A Ana sentiu um pouco, cansou, teve dores e se superou muitas vezes. Eu usei a lousa com mensagens dizendo o quanto faltava, passando informações verdadeiras das demais concorrentes e perguntando se queria comer. De verdade, porque em outras provas eu usei a lousa falando que as outras estavam perto, quando na verdade estavam bem longe, para estimular mais a Ana. Só que lá eu avisei o real, mesmo.

Os três últimos quilômetros, onde já se avista Napoli e a chegada, foram a pior parte da prova. Ali, entra uma correnteza contra que atrapalha e dificulta muito. Não bastassem os 36km, chega essa correnteza e você vê a Ana dando braçada atrás de braçada e praticamente sem sair do lugar. Foi mais uma superação, acho que a vigésima dela só naquele dia, mas no final foi só alegria. Seis horas e meia nadando. Chegou 10 minutos na frente da segunda colocada.”

Ana Marcela retorna ao Brasil nesta quarta-feira, retomando os treinos no CAT do Sesi-SP na Vila Leopoldina na quinta, pela manhã.

Ana Marcela é tricampeã da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas

Agência Indusnet Fiesp

Ela só precisava de um quinto lugar para garantir o tricampeonato da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas. Mas Ana Marcela Cunha, nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) entrou para vencer a prova e ganhou o ouro na etapa do Canadá, realizada neste sábado (09/08), em Lac Megantic.

Campeã da Copa do Mundo em 2010 e 2012, Ana Marcela somou 114 pontos na edição de 2014 e ficou com o título por antecipação. Apesar de ainda estarem previstas mais duas etapas (Hangzhou e Hong Kong, ambas na China, nos dias 12 e 18 de outubro, respectivamente), a segunda colocada, a brasileira Poliana Okimoto tem 56 pontos, sem possibilidade de alcançar Ana Marcela.

O ouro foi a sexta medalha da nadadora do Sesi-SP em seis etapas da Copa do Mundo. Em fevereiro, foi prata na Argentina. Depois, em Cancún, México, ficou com o bronze, no mês de abril. Daí em diante, foi só ouro: Setúbal, em Portugal, em junho; e as três em lagos canadenses, uma em julho e duas em agosto.

Na prova do Canadá Ana Marcela foi a única nadadora que conseguiu seguir o sprint da argentina Cecilia Biagioli, imposto ainda no oitavo quilômetro da prova, e as duas formaram o pelotão principal. Nos últimos 800 metros a brasileira forçou o ritmo e assumiu a dianteira da etapa até vencê-la, com 2h28m03. O pódio ainda contou com Cecilia Biagioli, medalha de prata com o tempo de 2h29m08, e Emily Brunemann (Estados Unidos), bronze com 2h32m56.

“Começamos com um ritmo mais tranquilo até a Cecilia apertar mais, mas quando abri uma distância, consegui administrar bem e vencer”, contou a atleta, em entrevista para a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). “Foi mais um passo importante para conseguir o nosso objetivo principal deste ano, o terceiro título do Circuito e nos preparar bem para o Mundial do ano que vem e chegar bem aos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016.”

Ana Marcela teve mais um motivo para comemorar: a vitória no masculino do seu conterrâneo Allan do Carmo. “Ver dois baianos vencendo uma etapa de Mundial é muita alegria. Allan estava batendo na trave fazia um tempo e merecia muito esta vitória. Isso só vem comprovar o trabalho sério que fazemos e reforçar que somos os atuais campeões mundiais por mérito. Toda a equipe está de parabéns”.


Ana Marcela quer a vitória no Canadá para aumentar a liderança e se aproximar do tri

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp 

Faltando apenas quatro provas para o final da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas de 10km, a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, nada em liderança folgada, com 74 pontos, 18 à frente da segunda colocada, Poliana Okimoto.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Ana Marcela: "Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas." Foto: Arquivo Pessoal.

Como sua rival brasileira não disputará a próxima etapa em Lac Magog (Canadá), nesta sexta-feira (01/08), a chance de Ana Marcela aumentar sua vantagem para as demais e se aproximar do título fica consideravelmente maior. A terceira colocada no ranking atual é a italiana Martina Grimaldi (34 pontos).

Mesmo com uma vantagem tão boa, a nadadora não quer saber de relaxar ou mudar a estratégia. Ela garante que entrará na água fria de Magog para vencer e ampliar ainda mais a distância no ranking.

“Estar 18 pontos na frente traz um conforto, com certeza. Mas queremos fazer história e ganhar todas as etapas. O primeiro lugar é o mais importante e não importa contra quem estamos nadando, o que importa é vencer”, disse Ana Marcela, apoiada pelo treinador Fernando Possenti, que destaca a possibilidade de um feito histórico pela atleta.

“Nunca uma nadadora que venceu a Copa esteve em todos os pódios da temporada. Nem mesmo a Ana, que ganhou em 2010 e 2012, conseguiu. Então queremos esse diferencial”, completou Possenti.

Entre as principais rivais na prova, Ana Marcela já elegeu sua maior concorrente. Para a bicampeã mundial, a chilena Kristel Kobrich, campeã sul-americana de 2014, tem algumas vantagens em Magog, mas nada que a experiência não possa superar.

“Aqui não venta muito e a água é mais parada, como ela gosta. Mas ainda não sabemos como será a prova. Já ouvi boatos sobre 10 voltas de 1km cada, mas só vamos saber mais pra frente. Acho que pela temperatura prevista, vai ser um pouco mais frio, o que para mim é melhor. E se tiver muita bóia, melhor também, pois exige mais técnica e experiência para fazer os contornos”, disse a líder do ranking.

Após nadar em Magog, Ana Marcela terá mais uma etapa no Canadá, no tradicional Lac Megantic, dia 09/08, antes de voltar ao Brasil para se preparar para o Troféu José Finkel, em setembro.

Ana Marcela, nadadora do Sesi-SP, vence no Canadá e dispara na Copa do Mundo

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

A diferença foi só de 3 centésimos. Praticamente na unha e só decidida na foto. Mas a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela Cunha, ganhou pela segunda vez consecutiva e agora lidera, com folga, a Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas. A prova foi realizada nesta quarta-feira (23/07), no Lac St-Jean, em Roberval, no Canadá.

Com o tempo de 2h03m1s2c, a brasileira superou a norte-americana Christine Jennings (2h03m1s5c) e a alemã Angela Maurer (2h03m02s7c).

Com a vitória, Ana Marcela chegou aos 74 pontos e disparou na liderança do ranking mundial. Poliana Okimoto, sua principal concorrente, não nadou e continua na vice-liderança com 56 pontos.

A próxima prova será também no Canadá, no Lac Magog, dia 01 de agosto.

“Sabia que esta prova iria ser muito difícil. Então busquei uma estratégia um pouco diferente, nadando um pouco mais a frente para não deixar ninguém escapar. Na última volta, abri ainda mais, mas acabou que a Christine veio junto.A prova foi decidida por centímetros e felizmente a meu favor”, disse Ana, que precisou recorrer a uma estratégia diferente no final para garantir a vantagem.

Ana Marcela: “A prova foi decidida por centímetros e, felizmente, a meu favor”. Foto: Arquivo Pessoal

Ana Marcela: “A prova foi decidida por centímetros e, felizmente, a meu favor”. Foto: Arquivo Pessoal

“Ela nadou muito consciente. Na penúltima volta, a Kristel cansou e a Ana pegou a frente do pelotão, faltando 2km para terminar. E ao fazer isso, ela levou três americanas no vácuo. Quando quando faltavam apenas 150 metros para a chegada, a Christine chegou a passar a Ana e liderar. Mas faltando só 15 metros, a Ana mudou de lado, foi para onde não respira, e bateu na frente por 0.3 centésimos. Maratona é assim, e ela foi muito inteligente, mostrou sua experiência e mereceu ganhar”, explicou o treinador Fernando Possenti.

Ana Marcela vence em Portugal e se aproxima da liderança na Copa do Mundo

Agência Indusnet Fiesp

Nadando em águas mais frias, no seu território, Ana Marcela Cunha, nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), venceu neste domingo (29/06), em Setúbal, Portugal, a terceira etapa da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas em 10km, com o tempo de 2h03m52s, e diminuiu a diferença no ranking final para a líder Poliana Okimoto. Agora, Ana tem 54 pontos, contra 56 de Poliana. Bicampeã mundial, Ana, já havia vencido em Setúbal, em 2008.

“Estou me sentindo recompensada pelo excelente trabalho que conseguimos fazer. Todo esforço e dedicação valeram à pena. Foi um objetivo que traçamos e conseguimos alcançar. Parabéns para todos os envolvidos. Hoje é um dia muito feliz”, festejou a nadadora.

Ana liderou nas duas primeiras voltas, caiu para segundo na terceira, se mantendo assim na quarta, assumindo a liderança na quinta e aí não deixou mais ninguém chegar perto.

“É sempre bom voltar a Portugal e seis anos depois voltei a ganhar. Senti-me muito bem. Fiquei um pouco atrás no início, mas depois fui para a frente e venci. Espero repetir a vitória nas próximas provas do circuito mundial”.

Para o técnico Fernando Possenti, a diferença se deu nos treinamentos na altitude, antes da competição. Foi a melhor prova dela desde que trabalhamos juntos. Fantástica. Você olha a foto da Ana tocando a placa no final e vê a Poliana longe e nem sinal da terceira colocada. Ter treinado na altitude fez toda a diferença. Ela estava muito bem condicionada e vimos isso no final da prova”.

Aatleta já retomou os treinos visando a sequência de três provas no Canadá, em 24/07, 01 e 09/08. A Copa do Mundo se encerrará em Hong Kong, em outubro.

Natação: Thiago Pereira ganha mais um ouro e Sesi-SP sobe para 3º no Maria Lenk

Agência Indusnet Fiesp

No terceiro dos seis dias de provas no parque aquático do Ibirapuera, em São Paulo, o medalhista olímpico Thiago Pereira confirmou o favoritismo e venceu a final dos 400m medley do Troféu Maria Lenk de Natação.

O atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) fez o percurso com um tempo bem abaixo do índice exigido para nadar a prova no Pan-Pacífico, que será disputado na Austrália, em agosto.  O índice era 4m18s99 e ele marcou 4m15s45.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Thiago Pereira: dois ouros e um bronze no Maria Lenk 2014. Foto: Caio Lopes/Fiesp


“Quero competir o máximo possível, com grande volume. E aí funilando a cada ano para me preparar pro Rio 2016. Vamos ver até quanto tempo meu corpo vai aguentar esta quantidade de provas. Estou me sentindo cada vez melhor, o que me motiva a ir ainda mais longe”, disse Thiago Pereira ao portal da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA). O nadador já tem dois ouros e um bronze no Maria Lenk.

No feminino, o Sesi-SP ficou com o bronze no revezamento 4x200m livre feminino. A equipe foi formada por Jessica Cavalheiro, Daynara de Paula, Ana Marcela Cunha e Giovanna Diamante.

Com os resultados do dia, o Sesi-SP subiu da quarta para a terceira posição, com 357 pontos, atrás do Corinthians  (828 pontos) e Minas Tênis (389). O Grêmio Náutico União está em quarto (279 pontos) e o Pinheiros em quinto (244 pontos).

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Jessica, Giovanna, Daynara e Ana Marcela depois da medalha no revezamento. Foto: Caio Lopes/Fiesp


Veja os resultados do Sesi-SP nas finais desta quarta (23/04)

. 400m medley masculino – 1) Thiago Pereira – Sesi-SP – 4m15s45 / 2) Thiago Simon – Corinthians – 4m17s98 / 3) Brandonn Almeida – Corinthians – 4m20s76

. Revezamento 4x200m livre feminino – 1) Corinthians (Katinka Hosszú, Natalia de Luccas, Isabela Silva e Jeanette Ottesen) – 8m08s47 – Recorde de Campeonato / 2) Minas Tênis (Manuella Lyrio, Inge Dekker, Carolina Bilich e Maria Paula Heitmann) – 8m09s27 3) Jessica Cavalheiro, Daynara de Paula, Ana Marcela Cunha e Giovanna Diamante – 08:11.59    .

Natação: Sesi-SP sobe ao pódio cinco vezes na abertura do Maria Lenk

Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Etiene: índice para o Pan-Pacífico na Austrália. Foto: Lucas Dantas/Fiesp

No primeiro dia de competições do Troféu Maria Lenk de Natação, no Parque Aquático do Ibirapuera, a equipe do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) mostrou suas credenciais, subindo ao pódio em cinco das sete finais disputadas na noite desta segunda-feira (21/04).

O destaque ficou com Etiene Medeiros, que confirmou o favoritismo ao vencer a prova dos 100m costas. Com o tempo de 1m01s37, a atleta do Sesi-SP atingiu o índice para o Campeonato Pan-Pacífico, na Austrália, em agosto próximo.

Nos 1500m livre, Ana Marcela Cunha ficou com a prata ao marcar o tempo de 17m01s39. Também de prata foi a medalha de Thiago Pereira nos 100m costas, com 54s90.

A equipe feminina de revezamento do Sesi-SP conquistou o bronze nos 4x50m livre. Etiene Medeiros, Daynara de Paula, Jéssica Cavalheiro e Priscila de Souza chegaram em 1m42s33, atrás das formações do Corinthians e do Minas Tênis Clube.

Jéssica Cavalheiro também ficou com o bronze nos 200m livre, com  2m01s56.


Veja os resultados desta segunda-feira (21/04)

. 200m livre feminino: 1) Larissa Oliveira – Pinheiros – 2m00s73 / 2) Manuella Lyrio – Minas Tênis – 2m00s94 / 3) Jessica Cavalheiro – Sesi/SP – 2m01s56

. 100m costas feminino: 1) Etiene Medeiros – Sesi/SP – 1m01s37 / 2) Natalia de Luccas – Corinthians – 1m02s41 / 3) Florênia Perotti – Grêmio Náutico União – 1m03s68

. 100m costas masculino: 1) Fabio Santi – 54s32 / 2) Thiago Pereira – Sesi/SP – 54s90 / 3) Guilherme Guido – Pinheiros – 55s24

. 1500m livre feminino: 1) Poliana Okimoto –  Unisanta – 16m47s44 / 2) Ana Marcela Cunha – Sesi/SP – 17m01s39 / 3) Bianca Ávella – Corinthians – 17m04s35

. Revezamento 4x50m livre feminino: 1) Corinthians – Katina Hosszú, Natalia de Luccas, Bruna Rocha e Jeanette Gray – 1m40s03 / 2) Minas Tênis – Inge Dekker, Carolina Bergamaschi, Roberta Albino e Lorrane Ferreira – 1m40s56 / 3) Sesi/SP – Etiene Medeiros, Daynara de Paula, Jéssica Cavalheiro e Priscila de Souza – 1m42s33

Sesi-SP terá força máxima visando seu melhor resultado no Maria Lenk

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Thiago Pereira no Troféu José Finkel 2013. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Durante muito tempo, o time da natação do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) disputou os campeonatos absolutos para colocar os jovens nadadores em contato com os “graúdos” e, assim, dar experiência e vivência de competição.

Com a chegada do técnico Fernando Vanzella, e de nadadores mais experientes como o medalhista olímpico Thiago Pereira, Ana Marcela Cunha, Daynara de Paula, Etiene Medeiros e Jéssica Cavalheiro, o cenário mudou.

Agora, as metas são muito mais ambiciosas.

Para o Troféu Maria Lenk, que começa nesta segunda-feira (21/04), na piscina do Ibirapuera, em São Paulo, o Sesi-SP quer conquistar o máximo possível de pódios. Na natação feminina, o objetivo é disputar a primeira colocação geral.

“Ainda não temos um setor masculino muito forte, mas, no feminino queremos estar nos primeiros lugares, inclusive vencendo as nadadoras estrangeiras. Sempre foi dito que nosso projeto era ajudar o esporte nacional como um todo. E com índices cada vez melhores, estaremos fazendo exatamente isso”, comenta Vanzella.

“Sem dúvida entramos com uma expectativa maior em termos de resultados individuais delas e consequentemente uma pontuação melhor na classificação, comparado ao ano passado”, acrescenta o técnico, que acabou de trazer a equipe da Copa da Holanda, onde Etiene Medeiros faturou o ouro nos 50m costas e Giovanna Diamante ficou com a 4ª posição nos 200m borboleta.

Para Vanzella, a própria Giovanna é a prova do sucesso do projeto e da rapidez com que os resultados estão surgindo. Com apenas 17 anos, a atleta conseguiu a medalha de prata nos 200m borboleta no Troféu José Finkel, nadando entre atletas bem mais experientes.

“Hoje a gente vê como foi o desenvolvimento das meninas e o patamar que estamos. A Giovanna, que muitos pensavam que nem chegaria ao pódio, conquistou o segundo lugar no Finkel. Agora ela foi a quarta colocada na Copa da Holanda, em nível internacional. Isso tudo aumenta nossa expectativa.”

Além da prata no Campeonato Brasileiro, Giovanna também conseguiu o bronze no Open de Porto Alegre, no final do ano. Ciente de que agora nadará com os olhos de todo mundo voltados para sua performance, a jovem promessa da natação apenas quer nadar bem e dar o seu máximo no Maria Lenk.

“A competição na Holanda foi importante para ter noção de como estamos contra o pessoal lá fora. Eu e a equipe. Foi muito bom e nos deu um novo gás para o Maria Lenk. Como sou uma nadadora mais jovem, tenho que fazer o meu melhor, mas não penso na responsabilidade. Eu me cobro, sou exigente e quero o pódio, mas, se fizer o meu melhor, vou ficar feliz com qualquer resultado”, diz Giovanna.

Pelo lado masculino, o destaque não poderia deixar de ser Thiago Pereira, que puxará o jovem time com sua experiência e também tentará os índices para o Pan Pacific, em agosto.

“Eu tenho meus objetivos pessoais e também com a equipe. Quero ajudar a conseguir grandes resultados no Lenk. Pessoalmente, vou tentar vencer o máximo de provas e quebrar algum recorde. Aliado a isso, vou motivar, apoiar e ajudar como puder a equipe masculina do Sesi-SP, dentro e fora da piscina”, declarou Thiago, que nadará nos 100m borboleta, 100m costas, e nos 200m e 400m medley.

No sentido horário, a equipe de natação do Sesi-SP que vai para Barcelona: Fernando Vanzella, Etiene, Thiago Pereira, Jéssica, Fernando Possenti, Ana Marcela e Daynara. Foto: Everton Amaro/Fiesp

No sentido horário, a equipe de natação do Sesi-SP que vai para Barcelona: Fernando Vanzella, Etiene, Thiago Pereira, Jéssica, Fernando Possenti, Ana Marcela e Daynara. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Atletas estrangeiros

Um diferencial do Sesi-SP para as demais equipes que disputam o campeonato é a ausência de atletas estrangeiros. Para Fernando Vanzella, a presença dos atletas de outros países tem lados bons e ruins, mas tudo depende dos pontos de vista de cada equipe envolvida no campeonato.

“Se pensar em termos de pontuação para equipe, não é benéfico para quem não tem nadador estrangeiro. Mas se pensar no desenvolvimento do esporte, é muito importante. Da mesma forma que fomos buscar esse intercâmbio lá fora, ter atletas medalhistas mundiais aqui faz com que nossas nadadoras tenham mais referências e treinem mais para buscar um resultado melhor”, pondera Vanzella.

“Com relação às equipes, aí vai do objetivo de cada uma. Se a ideia for vencer o campeonato, com certeza a equipe vai procurar esse investimento. Em alguns países, isso não é permitido. Mas aqui é e essa é nossa realidade. Talvez quando tivermos uma natação feminina mais próxima da masculina, isso diminua. Ainda teremos estrangeiras, mas com as brasileiras chegando de frente com mais força”, finaliza o treinador do Sesi-SP e da Seleção Brasileira.

Serviço

Competição: Troféu Maria Lenk 2014
Data: de 21 a 26 de abril
Local: Piscina Constâncio Vaz Guimarães – Ibirapuera – Rua Manoel da Nóbrega, Paraíso, São Paulo – SP
Horários: Fase classificatória – 10h às 12h / Eliminatórias – 17h às 18h30

Ana Marcela Cunha ganha ouro e bronze nos Jogos Sul-Americanos

Agência Indusnet Fiesp

Nos dois últimos dias de competições dos Jogos Sul-Americanos do Chile, a nadadora Ana Marcela Cunha, atleta do Serviço Social da Indústria de São Paulo, Ana Marcela Cunha, ganhou duas medalhas na Lagoa Curauma, em Valparaíso.

Na prova por equipes, disputada na segunda-feira (17/03), Ana Marcela ficou com a medalha de ouro na prova por equipes da maratona aquática dos Jogos Sul-Americanos, ao lado de Allan do Carmo e Diogo Villarinho, cumprindo a prova de revezamento 3kms em 34m05s29. Equatorianos e chilenos ficaram com prata e bronze, respectivamente.

Na disputa individual, realizada na véspera (16/03), a nadadora do Sesi-SP chegou em terceiro lugar na prova dos 10 kms de natação em águas abertas e conquistou a medalha de bronze.

Na prova, bastante disputada, Ana Marcela completou o percurso em 2h00min’15s. A vencedora foi a chilena Kristel Arianne Öbrich, com 1h58min06s. A argentina Cecilia Biagioli ficou em segundo, com 1h59min35s.

“Eu queria mais, queria sair com duas medalhas de ouro. Mas é uma fase de treinos e a Copa do Mundo é o nosso maior objetivo. Então saio do Chile com o dever cumprido e vou feliz para casa”, comentou Ana, que falou sobre a prova de 10km do Sul-Americano, onde conquistou o bronze, e sua principal diferença para o Mundial.

“É muito diferente. Na Copa, são 15 ou 20 no pelotão. Aqui foram só três. É muito mais difícil para mim, mas serviu para ver o que preciso melhorar. Vou treinar muito e me preparar para a Copa, pois lá o bicho pega”.

Para o técnico Fernando Possenti, Ana Marcela poderia ter conquistado o ouro, mas as diferenças de estratégia e condições climáticas influenciaram no desempenho. O treinador, porém, acredita que tudo serviu para um grande aprendizado e a nadadora está em ótimas condições para disputar a Copa do Mundo no México.

“Realmente a prova foi bem diferente do que temos na Copa do Mundo. Tinha uma parte da prova com vento a favor de 23km/h, que provocava uma corrente a favor e as adversárias aproveitaram para abrir vantagem nessa parte. Quando a Ana percebeu que poderia alcança-las na volta seguinte, o vento parou, aí não deu”, finalizou Possenti

Ana Marcela volta aos treinos no CAT do Sesi-SP na Vila Leopoldina visando a 2ª etapa da Copa do Mundo de Maratonas Aquáticas que será realizada em Cancun (México), em 5 de abril. No dia 27 do mesmo mês, Ana representará o Sesi-SP na prova de 5km do troféu Maria Lenk, na piscina do Ibirapuera, em São Paulo.

Foto: Paulo Skaf recebe Thiago Pereira e Ana Marcela Cunha, atletas do Sesi-SP

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Paulo Skaf, recebeu, na manhã desta quinta-feira (22/08), duas estrelas da natação do Sesi-SP: Ana Marcela Cunha e Thiago Pereira.

Ambos são atletas premiados e reconhecidos dentro e fora do Brasil. No último Mundial de Natação de Barcelona, na Espanha, em julho e agosto, Ana Marcela ganhou duas medalhas, sendo uma de prata, nos 10km, e outra de bronze, nos 5km. Já Thiago deixou a competição com duas medalhas de bronze, nos 200 e 400m medley.

Na última edição do Troféu José Finkel, realizado na capital paulista em agosto, Ana Marcela levou prata na equipe feminina de revezamento 4x200m livre e um bronze pelos 800m livre.  Thiago fechou o torneio com um ouro nos 400m medley e dois bronzes nos 50m e 100m borboleta.

Paulo Skaf, ao centro, com Thiago Pereira e Ana Marcela Cunha: talentos reconhecidos. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Skaf, ao centro, com Thiago Pereira e Ana Marcela Cunha: talentos reconhecidos. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp






Natação: Sesi-SP fica em quarto lugar no Troféu José Finkel

Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Giovanna Diamante, do Sesi-SP, ganhou quatro medalhas de prata - uma em prova individual e três em revezamento. Foto: CBDA

Com 877,50 pontos, a equipe de natação do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) ficou em quarto lugar no Troféu José Finkel, competição encerrada no sábado (17/08) no parque aquático do Sport Club Corinthians.

O primeiro lugar foi do Fiat/Minas, com 2.593,50. O Corinthians/Abdem ficou em segundo, com 1.919,50. O Pinheiros terminou em terceiro, com 1.631,50.

No quadro geral de medalhas, o Sesi-SP conseguiu quatro de ouro, seis de prata e três de bronze, 13 no total, ficando em quinto lugar, atrás de Fiat/Minas, Corinthians/Abdem, Pinheiros e Unisanta.

Na pontuação individual, Etiene Medeiros, do Sesi-SP, ganhou o troféu de índice técnico feminino, com 950 pontos.

No último dia (17/08) de competição, Daynara de Paula, do Sesi-SP, ficou em segundo lugar na prova dos 100m livre, com o tempo de 55s52. “Fiquei muito feliz com esse tempo. Eu não esperava. Pensava em fazer 56s, que já seria um bom tempo, mas nadei o tempo inteiro atrás da Frank [Heemskerk, do Fiat/Minas, vencedora da prova] e me surpreendi com o resultado. Ajudei bastante o Sesi-SP e saio muito feliz da competição”, disse Daynara ao site da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.

As 13 medalhas do Sesi-SP no Troféu José Finkel 2013
Ouro

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Daynara de Paula. Duas medalhas de ouro e duas de prata. Foto: CBDA

. Daynara de Paula (50m borboleta)
. Daynara de Paula (100m borboleta)
. Etiene Medeiros (50m costas)
. Thiago Pereira (400m medley)

Prata

. Daynara de Paula (100m livre)
. Giovanna Diamante (200m borboleta)
. Jessica Cavalheiro (200m livre)
. Equipe feminina de revezamento 4x50m livre [Daynara de Paula, Giovanna Diamante, Sabrina Todão e Jessica Cavalheiro]
. Equipe feminina de revezamento 4x200m livre [Jessica Cavalheiro, Bruna Primati, Ana Marcela Cunha e Giovanna Diamante]
. Equipe feminina de revezamento 4×100m livre [Daynara de Paula, Etiene Medeiros, Giovanna Diamante e Jessica Cavalheiro]

Bronze

. Ana Marcela Cunha (800m livre)
. Thiago Pereira (50m borboleta)
. Thiago Pereira (100m borboleta)


Thiago Pereira ganha medalha de ouro no José Finkel

Agência Indusnet Fiesp 

No terceiro dia de Troféu José Finkel de Natação, a equipe de Natação do Sesi-SP conquistou mais uma medalha de ouro, com Thiago Pereira na prova dos 400m medley. Ele fez o tempo de 4min20s41.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Thiago Pereira conquistou medalha de ouro no 400m medley, no Troféu José Finkel 2013. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ainda nesta quarta-feira, o Sesi-SP conquistou mais duas medalhas: a prata com a equipe 4x200m livre, formada pelas atletas Jessica Cavalheiro, Bruna Primati, Ana Marcela Cunha e Giovanna Diamante, e o bronze com Ana Marcela Cunha, na prova dos 800m livre, que fez o tempo de 8min55s40.

A competição começou no dia 12 de agosto e vai até o sábado, 18 de agosto. Nesta quinta-feira, atletas do Sesi-SP disputam as provas de 100m borboleta masculino e feminino, 100m peito masculino e feminino, 50m costas feminino e 800m livre masculino.

Ana Marcela, nadadora do Sesi-SP, ganha mais uma medalha para o Brasil no Mundial de Barcelona

Agência Indusnet Fiesp

Mais um resultado histórico para a maratona aquática do Brasil no Mundial de Desportos Aquáticos de Barcelona, nesta terça-feira (23/07).  As atletas brasileiras Poliana Okimoto e Ana Marcela Cunha fizeram a segunda dobradinha no pódio, na prova dos 10km, conquistando as medalhas de ouro e prata, respectivamente.  A prova aconteceu no porto de Barcelona, Espanha. Angela Maurer, da Alemanha, completou o pódio.

No sábado (20/07), as nadadoras já haviam subido juntas ao pódio, na prova dos 5 km, em que Poliana ganhou a prata e Ana Marcela o bronze.

As maratonistas aquáticas do Brasil, Ana Marcela Cunha (à esquerda) e Poliana Okimoto. Foto: Divulgação/CBDA

As maratonistas aquáticas do Brasil, Ana Marcela Cunha (à esquerda) e Poliana Okimoto. Foto: Divulgação/CBDA

“Na prova dos 5km eu não sabia como ia ser e sai com o bronze. Hoje confiei muito mais em mim. Quando passou dos 7,5, vi que viramos junto… Nem tem o que falar, hoje o Brasil está na ponta”, afirmou a nadadora do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Ana Marcela, em entrevista ao portal UOL.

Ana Marcela disputa ainda a prova dos 25km neste sábado (27/07). A competição mais longa da maratona aquática é a especialidade da atleta. No Mundial de Xangai, no ano passado, ela ganhou a medalha de ouro nos 25 km.

Ana Marcela Cunha ganha medalha de bronze no Mundial de Barcelona

Agência Indusnet Fiesp

Começou com um pódio a participação do Sesi-SP no Mundial de Barcelona. A atleta de maratona aquática, Ana Marcela Cunha, ficou em 3º lugar na prova de 5 km em águas abertas, disputada neste sábado (20/07). A nadadora subiu ao pódio ao lado de outra brasileira, Poliana Okimoto, que ficou com a prata. Foi a primeira vez na modalidade que duas atletas do Brasil ganham medalha na mesma prova. O ouro ficou com a americana Haley Anderson.

Na prova, Ana Marcela se posicionou bem atrás do primeiro pelotão e terminou a primeira metade em 12º lugar. Com um poder de reação impressionante, surpreendeu a todos e arrancou o bronze.

“Era a prova mais difícil que eu tinha na competição. Imaginava que seria a minha pior colocação porque não consigo imprimir um ritmo bom desde o início. Estou muito surpresa com a medalha. Quando vi a grega (Mariana Lymperta) crescendo do meu lado, aí é que bateu uma aflição maior, mas consegui e começar com uma medalhinha já foi muito bom”, disse a nadadora.

“Em 2011 a primeira prova foi a de 10 quilômetros, onde fiquei longe da vaga olímpica por uma posição, depois fui crescendo na competição e terminei com o ouro nos 25 (quilômetros). Se agora comecei com o bronze, espero que até a última prova venham outros resultados melhores.”

Ana Marcela disputa mais duas provas no Mundial: 10km, no dia 23/7, e 25km, prova na qual é a atual campeã mundial, no dia 27/07. Há a possibilidade também que a atleta participe da prova de revezamento.

Nadadora do Sesi-SP, Ana Marcela Cunha embarca para o Mundial de Barcelona

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Depois de uma temporada de muita dedicação e esforço, com treinos intensos e competições preparatórias, os atletas convocados para integrar a seleção brasileira de Natação começam a embarcar para Barcelona, na Espanha, onde será sediada a disputa do Campeonato Mundial, que acontece de 19/7 a 04/8. O primeiro grupo, que viajou nesta quinta-feira (11/07), reuniu os nadadores das maratonas aquáticas, entre eles a atleta do Sesi-SP Ana Marcela Cunha, uma das promessas de medalha na competição, que é considerada a mais importante do ano para a Natação Mundial.

Atual campeã do mundo na prova de 25 km, Ana Marcela vai defender seu título no dia 27/7, além de nadar mais duas provas de resistência: 5 e 10 km, nos dias 20/7 e 23/7, respectivamente. Ainda há a possibilidade de disputar a prova de revezamento. Confiante, a nadadora afirma estar preparada para qualquer condição. “Independentemente de quem vai competir, de quais serão as adversárias, das condições que vamos encontrar, seja da temperatura até o mar no dia, eu estou pronta. Treinei muito e estou focada. Acredito que toda a preparação vai ser recompensada.”

Ana Marcela: treinos para fazer bonito no Mundial em Barcelona. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp

Ana Marcela: treinos para fazer bonito e defender título no Mundial em Barcelona. Foto: Helcio Nagamine/Fiesp


Como parte do treinamento para o Mundial, a atleta passou 21 dias na cidade de San Luis Potosi, no México, uma das mais altas do mundo (3.967 metros de altitude). Para atletas de provas de resistência, o treino na altitude é indicado para melhorar a oxigenação. Ao voltar do México, ainda fez um “treinamento de luxo”, de acordo com o técnico Fernando Possenti, ao disputar uma etapa do Campeonato Brasileiro em Juazeiro, na Bahia.

“Na etapa do Brasileiro em Juazeiro simulamos o que a gente planeja fazer em Barcelona. E deu muito certo, a Ana fez uma ótima largada e nadou muito bem”, conta Possenti. “A expectativa é a melhor possível, porque ela se dedicou muito e deu o máximo de si durante todos os treinamentos.”

Para a nadadora, participar de uma prova na Bahia é sempre especial, por ser o seu estado de origem. Ela nasceu em Salvador. “Eu me esforço para disputar as competições que posso na Bahia, porque ajuda a revigorar as minhas forças”, conta Ana Marcela, que aos 8 anos já fazia travessias no mar. “Lá, desde pequenininho, a gente já vai pro mar e começa a nadar para competir.”

Posenti: barba grande até Ana Marcela alcançar seu objetivo. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Possenti: barba grande até Ana Marcela alcançar seu objetivo, como apoio. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Além da torcida da Bahia e do Brasil todo, Ana Marcela conta com o apoio do técnico, que, mais do que cuidar do treinamento, também se esforça para dar apoio moral à atleta. Possenti deixou a barba crescer e disse que só vai tirar quando a nadadora atingir seu objetivo. “Foi a forma que encontrei de mostrar que estamos juntos. Não gosto da barba e não estou feliz com ela”, disse. “Mas com isso mostro que acredito tanto no trabalho que fizemos que vou fazer esse esforço e só tirar a barba na hora certa: quando ela conquistar um bom resultado.”

Natação do Sesi-SP vai ao pódio na abertura do campeonato paulista de inverno

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544968059

Daynara de Paula. Foto: Sátiro Sodre/Arquivo CBDA

No primeiro dia de competição válido pelo campeonato paulista júnior e sênior de inverno, que acontece até domingo (26/05) no Sesi-SP Vila Leopoldina, na zona oeste de São Paulo, a equipe da casa fechou a sexta-feira (24/05) com três medalhas de ouro.

A especialista em provas de fundo, Ana Marcela Cunha, ficou em primeiro na prova dos 1.500m e ainda bateu o recorde do campeonato, com o tempo de 16min49s91.

Outro recorde veio com a equipe de revezamento de 4x100m livre (Flavia Turini, Daynara de Paula, Jessica de Bruin e Etiene Medeiros), que completaram a prova em 3min47s54 e ficaram com o recorde paulista e do campeonato.

Nos 50m livre, mais um ouro para Daynara de Paula, que fez o tempo de 25s64.