Duratex e Amidoeste são as vencedoras do prêmio de Mérito Ambiental da Fiesp

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

Com objetivo de incentivar as boas práticas ambientais na indústria, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) promove, há duas décadas, o Prêmio Mérito Ambiental. A 20ª edição do evento foi realizada na noite desta segunda-feira (02/06), na sede da federação, em São Paulo. As duas empresas vencedoras foram a Duratex, na categoria médio e grande porte, e a Amidoeste, em micro e pequeno porte.

O vice-presidente e diretor titular do Departamento de meio ambiente (DMA) da Fiesp, Nelson Pereira dos Reis, fez a abertura do evento e destacou a história de 20 anos da iniciativa. “O Mérito Ambiental tem crescido em número de participantes, o que é importante, já que a ideia do prêmio, além de reconhecer as práticas, é transformar essas práticas em benchmark, para que todo universo industrial aproveite essas boas iniciativas e as incorpore em seus processos”.

O projeto vencedor da Duratex foi na área de gestão de resíduos nas unidades Deca. Nas fábricas de metais e louças, a empresa deu tratamento adequado ao óxido de zinco, à areia de fundição e à areia de macho, além dos cavacos e da sucata metálica.

A Deca também fez o aproveitamento do lodo da estação de tratamento de efluentes da galvanoplastia, um resíduo considerado perigoso, e promoveu o reaproveitamento de gesso. Assim, um grande volume de resíduos deixou de ser enviado a aterros sanitários ou outra destinação que não promova a melhoria de qualidade ambiental.

Os vencedores do Prêmio Mérito Ambiental: exemplos para a indústria. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Os vencedores do Prêmio Mérito Ambiental: exemplos para a indústria. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Representando a Deca, receberam o prêmio Alan Pereira dos Santos, gerente de fábricas – louças, e Roberto Rossi, gerente de fábricas – Metais. “O assunto sustentabilidade hoje é algo que permeia toda a organização, do presidente a todas as equipes de produção”, afirmou Santos.

A partir da esquerda: Santos, Reis e Rossi. Sustentabilidade em toda a organização. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A partir da esquerda: Santos, Reis e Rossi. Sustentabilidade em toda a organização. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Biogás como alternativa

Atuando no ramo de derivados de mandioca, a empresa Amidoeste, da cidade de Tarabai, no interior paulista, apresentou o projeto de biogás como energia alternativa no processo agroindustrial. Foram considerados os aspectos de redução dos impactos ambientais por meio da emissão do gás metano (CH4) para o meio ambiente, originado do processo de fermentação de resíduos orgânicos na água residual da produção.

Também se levou em conta a reciclagem da água utilizada em todo o processo fabril uma vez que nesse processo há a redução de Demanda Biológica de Oxigênio (DBI)  tornando a água possível de ser reaproveitada.

Renata, da Amidoeste: “Não foquem só na empresa e no lucro, façam projetos pensando em proteger o meio ambiente”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Renata, da Amidoeste: “Não foquem só na empresa e no lucro, façam projetos pensando em proteger o meio ambiente”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Bióloga, a representante da Amidoeste, Renata Moleiro Fadel deixou um alerta aos empresários. “Não foquem só na empresa e no lucro, façam projetos pensando realmente em proteger o meio ambiente. Pensando no futuro, nos nossos filhos.”

Menções honrosas

Outras empresas participantes receberam prêmios de menção honrosa:

Categoria médio e grande porte

 AES Tietê – Projeto Créditos de carbono provenientes de áreas restauradas no entorno dos reservatórios da AES Tietê.

Johnson & Johnson – Projeto Johnson & Johnson Sustentável, que promove iniciativas que otimizam o uso de recursos naturais, redução de resíduos, redução no consumo de energia elétrica e da degradação ambiental.

Honda Automóveis do Brasil – Projeto Redução da geração de resíduos, que contempla redução da umidade da borra de tinta, reciclagem da areia de fundição, reciclagem de chapas de raio-X e campanha de conscientização sobre desperdício.

Essencis Soluções Ambientais – Programa de Ecoeficiência ambiental e de processos criado com o objetivo de estabelecer metodologia para minimizar e compensar os impactos ambientais causados em operações industriais e ambientais.

Categoria Micro e pequeno porte

Apoioware Comércio de Equipamentos e Consultoria em Informática – Projeto de postes autônomos eólicos-solares, que possibilita a iluminação de áreas externas, tanto públicas como privadas, alimentando também áreas internas e residências.

Metalúrgica Inca – Projeto Multiplicadores ambientais, que conscientizou aproximadamente 15 mil pessoas a partir dos quatro anos, com palestras em escolas, além da formatação do informativo Inca com matérias, dicas e sugestões de consumo racional dos bens naturais.

Ambiental MS Projetos – Apresentação da tecnologia utilizada na construção da nova sede da Metalsinter. Desde a concepção, escolha do local e acabamento, foram reduzidos os impactos ambientais a partir de medidas como o uso de estrutura à base de pré-moldado, que dispensou a utilização de madeiras.

Arte 

Além das indústrias, o artista G. Comini também apresentou sua obra na cerimônia. Com 12 quadros expostos durante a premiação, produzidos em uma técnica de microcolagem que utiliza resíduos de revistas, folders e outras publicações gráficas, ele mostrou a filosofia da metaciclagem.

“Toda vez que as pessoas me diziam que eu fazia uma arte que reciclava, eu discordava. Mas hoje eu cheguei à conclusão de que é reciclagem sim, mas vai além. Por isso eu chamo de metaciclagem”, explica. “A metaciclagem é transformar esses resíduos sólidos por meio da arte, dando a eles uma alma e uma transcendência.”