Skaf recebe título de Cidadão de Americana

Agência Indusnet Fiesp

Ao receber nesta sexta-feira (10 de novembro) o título de Cidadão de Americana, o presidente da Fiesp, do Ciesp, Sesi-SP e Senai-SP, Paulo Skaf, destacou que a cidade o faz lembrar de parte de sua vida. “Dezenas de vezes, talvez centenas, estive em Americana, vendendo, comprando, vendo máquinas, tratando com empresas parceiras. Durante 22 anos me dediquei à indústria têxtil, e quando se fala em setor têxtil se lembra de Americana.”

“Agora está no papel, mas sempre me senti um cidadão de Americana, uma cidade que orgulha todos os paulistas e todos os brasileiros.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542064109


Paulo Skaf recebeu o título de Cidadão de Americana. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Sociedade não pode pagar o pato pela falta de água, diz Skaf

Graciliano Toni, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, disse nesta sexta-feira em Americana que a sociedade não pode pagar o pato pela falta de obras de abastecimento de água. Ele fez o comentário ao explicar por que a Fiesp decidiu mover ação contra a Sabesp para evitar o aumento da tarifa da água.

“Além do sacrifício da sociedade pela falta de água, ela ainda tem que pagar preços absurdos por causa das falhas do governo do Estado e da Sabesp”, afirmou.

Segundo Skaf, a Sabesp e o governo do Estado deixaram de fazer obras nos últimos dez anos. Ele disse que houve, sim, um racionamento de água. “O que é racionar? É diminuir, é abastecer com menos volume. Isso é racionar. Pode chamar de qualquer nome, mas no fundo isso é racionar água.”

Benjamin Steinbruch visita escolas do Sesi-SP e do Senai-SP em Americana e Campinas

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Americana e Campinas

Em visita à região de Campinas, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), Benjamin Steinbruch, visitou na tarde desta terça-feira (26/08) unidades da instituição.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542064109

Benjamin Steinbruch em visita à unidade do Senai-SP em Americana. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Depois de assinar convênios do Programa Atleta do Futuro na escola do Sesi-SP Mendel Steinbruch, de Americana, o presidente andou pelas salas de aula e conversou com os alunos. Ele solicitou um estudo para ampliar as instalações esportivas da escola, que já tem uma quadra coberta, mas por ter duas turmas por ano em período integral, apresenta uma demanda crescente dos alunos pela prática esportiva.

Em seguida, Steinbruch foi a outra unidade do Sesi-SP no município, o Centro de Atividades Estevam Faraone, onde vistoriou a reforma, participou de um encontro com funcionários e ouviu sugestões e demandas. A programação contou com a presença do presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone.

Na reunião, o coordenador pedagógico Gilmar Francisco Mantovanelli, funcionário do Sesi-SP desde 1980, elogiou a estrutura da instituição. “Tenho muito a agradecer pela formação que o Sesi-SP dá. Quem é professor do Sesi-SP consegue ser coordenador pedagógico em qualquer escola”, declarou.

Steinbruch passou também por uma sala de aula onde estava sendo ministrado um dos cursos do programa Alimente-se Bem, que tratava do tema colesterol. Ele conversou com a professora e com os alunos e aproveitou para pedir dicas de alimentação saudável.

Ensino técnico

A terceira parada do presidente, ainda em Americana, foi em uma escola do Senai-SP, a unidade Professor João Baptista Salles da Silva, que forma, por ano, quase 4 mil alunos em diversas áreas, mas com mais força na área de metal-mecânica e eletroeletrônica. O presidente passou pelas oficinas e laboratórios da escola e conheceu professores e alunos de diferentes cursos.

Steinbruch questionou sobre a presença feminina nos cursos, já que encontrou turmas formada exclusivamente por homens. O professor de metal-mecânica Roberto Schlautmann Filho garantiu que, apesar de estarem em minoria, o número de mulheres está crescendo nesses cursos, em especial na área de elétrica.

Ex-aluno do Senai-SP, o hoje professor de eletroeletrônica, Glauber Rogerio de Oliveira, afirma que se sente realizado na instituição. “Trabalhava na CPFL e dava aulas como terceirizado. Decidi pedir demissão e trabalhar definitivamente no que eu sempre sonhei: ser docente do Senai-SP”, contou ele, que há um mês e meio é funcionário efetivo.

Se o número de mulheres nos cursos de metal-mecânica na unidade não é expressivo, elas são a maioria nos da área têxtil e de vestuário. Com atenção especial, já que foi nessa área que começaram os negócios de sua família, Steinbruch elogiou as instalações e conversou com os alunos.

Durante a visita, ele foi presenteado com uma ecobag comemorativa aos 30 anos da escola. O acessório foi totalmente produzido pelos alunos, desde o desenvolvimento do tecido até os testes de costurabilidade e resistência.

A estudante do curso técnico em vestuário e filha de um professor de mecânica do Senai-SP, Raissa Maria Gasparini Mapeli, de 19 anos, aproveitou a presença do presidente para agradecer pela oportunidade de estudar no Senai-SP. “A escola tem uma ótima estrutura, muito bem organizada. As indústrias precisam de formação de qualidade”, disse ela, afirmando em seguida que pretende buscar um estágio na área de vestuário.

Encerrando as visitas, Steinbruch esteve ainda no Centro de Atividades Joaquim Gabriel Penteado, em Campinas. Na mesma cidade, ele participou de um encontro com empresários na sede do Ciesp da região.

Sesi-SP leva o Programa Atleta do Futuro para Cosmópolis e Nova Odessa

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp, de Americana

A partir desta terça-feira (26/08), as cidades de Cosmópolis e Nova Odessa passam a integrar o Programa Atleta do Futuro (PAF), criado pelo Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) para estimular a prática esportiva e a cidadania.

Os convênios foram formalizados em cerimônia realizada na escola Mendel Steinbruch, em Americana. O evento teve a presença do presidente do Sesi-SP e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Benjamin Steinbruch, filho do patrono da escola, e do presidente do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), Rafael Cervone.

Steinbruch mostrou estar emocionado por visitar a escola que leva o nome de seu pai, se considerando apenas “a continuação piorada do que ele foi”. “Casualmente, essa é a primeira visita que faço como presidente da Fiesp, do Sesi-SP e do Senai-SP. Vim antes para inaugurar a escola e tenho muito orgulho de estar aqui novamente”, contou. “Além de ter esse nome, a escola fica na região em que eu me criei. Meu pai era empresário do setor têxtil e a base dele era em Americana, onde eu passei a maior parte da minha infância.”

Steinbruch (de terno, ao centro), Cervone (à esquerda) e autoridades de Nova Odessa: 305 alunos atendidos na cidade. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Steinbruch (de terno, ao centro), Cervone (à esquerda) e autoridades de Nova Odessa: 305 alunos atendidos na cidade. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


O presidente também afirmou estar feliz pelos convênios do Programa Atleta do Futuro. “Estamos hoje fazendo a assinatura de duas parcerias importantes. Acreditamos que a melhor forma de educar as crianças, além de oferecer a educação tradicional, é o esporte. Para que depois, como cidadãos, eles possam ter noções de responsabilidade e companheirismo, além de despertar o espírito de competição, do querer fazer bem feito, do aprimoramento.”

O impossível

Ele lembrou que pensou em seguir carreira profissional no futebol, quando tinha 16 anos. Acabou desistindo por causa de uma sequência de fraturas no pé, mas continuou sendo fã do esporte.

“Queria ter me tornado esportista, representado o Brasil, ter sido o melhor da categoria. Isso ajudou a criar dentro de mim essa vontade de querer atingir sempre o impossível. Porque o possível é obrigação da gente”, declarou Steinbruch, que ressaltou a importância do Programa para o futuro das crianças e jovens.

Assinaturas

Em Cosmópolis, o convênio vai atender 305 alunos nas modalidades futsal e futebol. A medida foi assinada pelo prefeito, Antônio Fernandes Neto.

Na cidade de Nova Odessa, participam 200 alunos, que vão praticar futsal. O prefeito Benjamin Vieira de Souza esteve no evento para firmar a parceria.

Também participaram da cerimônia atletas de rendimento da equipe de Atletismo de Piracicaba, que realizaram uma clínica da modalidade com os alunos presentes.

Alexandre Pflug, diretor de Esporte e Qualidade de Vida do Sesi-SP, explicou como funciona o PAF. “Hoje, o Programa Atleta do Futuro é dividido em três grandes pilares: o envolvimento da família, as aulas de esporte propriamente ditas e os temas transversais. Isso faz do PAF um programa completo”, afirmou.

Inaugurada nova escola do Sesi-SP em Americana; unidade homenageia Mendel Steinbruch

Agência Indusnet

Na manhã desta sexta-feira (12/04), o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP)., Paulo Skaf, viajou até a cidade de Americana, município a 126 quilômetros da capital paulista, para inaugurar mais uma nova escola do Sesi-SP.

Neste ano, foram inauguradas seis unidades, respectivamente nos municípios de Presidente Epitácio, Mococa, Tambaú, Guararapes, Votuporanga e Vinhedo. Até o primeiro semestre de 2014 está prevista a entrega de 70 escolas, 50 do Sesi-SP e 20 do Senai-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542064109

Paulo Skaf inaugura nova escola do Sesi-SP em Americana. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp


Durante a visita, Paulo Skaf  conversou com professores, funcionários e alunos e conferiu as instalações da nova unidade ensino projetada com 16 salas de aula, duas áreas de convivência, uma biblioteca escolar com acervo atualizado, dois laboratórios de informática educacional, um laboratório de ciência e tecnologia, um laboratório de química e biologia, um laboratório de física, duas áreas de convivência, e quadra poliesportiva coberta, totalizando um investimento de R$ 13 milhões.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542064109

Benjamin Steinbruch participou da inauguração da escola do Sesi-SP Americana, cujo patrono é o seu pai. Foto: Ayrton Vignola/Fiesp

Homenagem a Mendel Steinbruch

O 1º vice-presidente da Fiesp, Benjamin Steinbruch, também participou da inauguração da escola, cujo patrono é o seu pai, o empresário Mendel Felipe Steinbruch, um dos fundadores do Grupo Vicunha, o maior grupo têxtil da América Latina. “Estou gratificado pela homenagem ao meu pai”, afirmou.

A nova escola vai atender a 841 estudantes – entre alunos do Ensino Regular e Educação de Jovens e Adultos – do município, que serão beneficiados com um moderno e bem equipado espaço de educação, esporte e cultura.

Durante a solenidade, Skaf anunciou a construção de uma nova quadra poliesportiva na escola do Sesi Americana. Alguns alunos falaram [durante a visita] que precisavam de mais uma quadra. E eu pensando comigo, esses alunos têm razão“, disse Skaf, explicando que com o advento de escolas de dois andares, há necessidade de duas quadras. Os novos projetos [de escolas] vão ser com duas quadras. O terreno do lado é nosso. Ele tem 10 mil metros. Acho que podemos muito bem fazer mais uma quadra.

O presidente da Fiesp e do Sesi-SP afirmou que instituição fará um estudo para avaliar a viabilidade de construção de um teatro no local.“Se [esse estudo] chegar a uma conclusão de que é necessário um teatro, se for possível, faremos, sim, um teatro.”

Skaf reafirmou a importância da educação para a cidadania – “Nós acreditamos que nada é mais importante do que o conhecimento e a educação” – e disse ser muito justa a homenagem à memória de Mendel Steinbruch: “Que saiam muitos jovens que tenham como referência Mendel”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1542064109

Walter Vicioni na inauguração do Sesi-SP Americana. Foto: Ayrton Vignola

A unidade de ensino irá oferecer ensino fundamental em tempo integral, permitindo que os alunos permaneçam nos períodos da manhã e tarde na escola realizando vivências complementares de esporte, arte, cultura e tecnologia, além das refeições diárias compostas de café da manhã, almoço e lanche da tarde.

Mais que um prédio

Presente na solenidade, o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni destacou a importância da escola na formação plena  do cidadão, relembrando que ela  (escola) é mais do que um simples prédio. “Nela temos a alegria das crianças, a dedicação de professores e de especialistas de ensino, além da presença e participação permanente de pais. Nesta escola criam-se oportunidades de identificar sua vocação e seu projeto de vida e podemos vivenciar a  transformação de cada aluno em um jovem formado para a vida e para o trabalho, consciente dos seus deveres com a família e a sociedade”, afirmou.

Educação de qualidade

A instituição de ensino desenvolve seu próprio material didático, um diferencial da metodologia conhecida como sistema Sesi-SP de Ensino que engloba processos de ensino, aprendizagem e pesquisa. Essa concepção educacional parte da perspectiva de que toda criança ou adolescente é capaz de aprender se lhe forem oferecidas boas situações de aprendizagem.


Sesi-SP construirá novo centro educacional em Americana

Agência Indusnet Fiesp,

O prefeito de Americana, Diego De Nadai anunciou na última sexta-feira (6) doação de área com 23 mil metros quadrados para a construção de um Centro Educacional do Sesi-SP.

Segundo ele, o projeto para cessão do terreno será encaminhado nesta segunda-feira (9) para apuração da Câmara. De Nadai também estuda a cessão de salas de aula de escolas municipais para a implantação de cursos profissionalizantes do Senai-SP.

“Nossa principal missão é devolver à Americana a liderança regional, por isso investir em educação é fundamental ao seu desenvolvimento”, declarou o prefeito.

O anúncio foi feito durante apresentação de investimentos de R$ 3 milhões realizados na Escola Senai Prof. João Baptista Salles da Silva, em Americana. O presidente da Federação e dos Centros das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, comemorou a doação.

De acordo com ele, a entidade estuda, a exemplo do Centro de Atividades do Sesi Dr. Estevam Faraone (Av. Bandeirantes), a implantação do ensino integral na escola do bairro Frezzarin e na nova unidade, que deve ser construída no Parque Universitário.

“Queremos implantar esse projeto em todas as unidades do estado para que os alunos tenham, além das aulas normais, a possibilidade de realizar práticas esportivas e atividades culturais”, disse.

Skaf ressaltou, ainda, a implantação do Ensino Médio nas escolas do Sesi vinculado ao Curso Técnico do Senai, e a construção de 100 novas escolas no estado, destacando que Americana é uma das cidades contemplada.

“Após a assinatura do contrato de doação nos empenharemos para que a nova unidade seja entregue em meados de 2010”, ressaltou o líder empresarial.

A cerimônia contou ainda com a presença do ministro dos Esportes, Orlando Silva de Jesus Júnior; do vice-presidente do Ciesp, Rafael Cervone Neto; do diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni; da diretora regional do Ciesp Americana, Nilza Tavoloni; além de diretores das escolas do Sesi e Senai no estado, deputados, vereadores e autoridades empresariais e industriais da região.

Modernização e atualização tecnológica
As áreas receberam novos computadores, equipamentos de áudio e vídeo, ferramentas, máquinas e equipamentos de ponta e mobiliário. A estrutura existente foi adaptada para receber pessoas com deficiência, a partir da construção de rampas e elevadores e da reforma dos banheiros. Além disso, o investimento do Senai-SP permitiu a construção de um auditório com 136 lugares.Paulo Skaf visitou a Escola Senai de Americana e conferiu os investimentos de R$ 3 milhões realizados na unidade. A escola passou por um processo de modernização e atualização tecnológica nos segmentos têxtil, vestuário e eletroeletrônica e teve sua capacidade de atendimento ampliada em 500 vagas.

Skaf fala sobre crise econômica para empresários em Americana

Agência Indusnet Fiesp,

Reunido com cerca de 300 empresários da região na sede do Ciesp em Americana, na última sexta-feira (6), o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp/Ciesp), Paulo Skaf, falou sobre a crise mundial e suas consequências no Brasil.

Para Skaf, “estamos vivendo momentos difíceis, sem saber qual o tamanho da crise. O governo vem tomando medidas, mas bem menos intensas do que deveria. Este momento exige muito mais agilidade nas decisões. Não podemos esperar”.

O líder empresarial observou que a crise no Brasil não é generalizada. Admitiu que alguns setores sentiram mais seus efeitos, como o automotivo, que dependia de financiamentos, e o aeronáutico, que depende das exportações. No entanto, lembrou que há outros, como alimentação e bebidas, que ainda não estão sentindo.

“Isso demonstra que a crise aqui ainda está setorizada. Mas os que foram atingidos continuam com dificuldades. Para estes, a situação ainda não melhorou”, ponderou.

O presidente da Fiesp/Ciesp reafirmou que está atento aos efeitos da crise na economia, e que continuará a oferecer propostas para ajudar a amenizar os problemas que surgirem para o setor industrial no Brasil.

Concorrência desleal
O setor têxtil na região de Americana responde pela contratação de um quarto dos trabalhadores locais. E uma das preocupações das indústrias instaladas ali é com a entrada de produtos chineses e o que isso pode representar no mercado de trabalho na região.

Segundo Nilza Tavolone, diretora regional do Ciesp, outros segmentos da região também enfrentam problemas, como o metalúrgico e o metal-mecânico. Por isso, “a indústria deve estar unida para enfrentar a crise”, sublinhou.