Ação Fiesp – Gestão Sustentável Da Cadeia De Fornecedores

Evento na cidade de Rio Claro (SP)

Por Raquel Sajonc com colaboração de Amanda Alves de Melo

O projeto “Jornada da Indústria pela Sustentabilidade” deu foco às atividades deste ano na “Cadeia de Fornecedores”. Foram desenvolvidos seminários e workshops em três municípios do estado São Paulo: Taubaté (alcançando cidades do Vale do Paraíba); São Bernardo do Campo (do ABC Paulista) e Rio Claro (da região de Campinas). Os eventos reuniram cerca de 90 profissionais da indústria paulista nas unidades do Sesi e Ciesp, onde foram realizadas as atividades.

O objetivo do projeto este ano foi orientar e promover o diálogo entre pequenas, médias e grandes empresas de diversos ramos ou segmentos de negócios sobre boas práticas de sustentabilidade à estratégia de compras.

A Engenheira Ambiental do Grupo Antonlin, Laila Cristine Resende, participou do evento em Taubaté e ficou satisfeita com o conhecimento que adquiriu. Para ela foi uma oportunidade de reciclagem. “Foi um evento muito importante que veio reforçar nossa responsabilidade perante às escolhas e cuidado com as parcerias firmadas junto a fornecedores. Para que se consiga fornecer um produto que preze sustentabilidade, vemos que o caminho é muito mais que garantir o nosso processo de fabricação, temos que literalmente dar o peixe, ensinar a pescar e ajudar a cuidar do rio. ”, ressaltou.

Evento em São Bernardo do Campo (SP)

A “Jornada da Indústria pela Sustentabilidade” é uma iniciativa da Fiesp, Ciesp e Sesi SP que, para acontecer de forma bem-sucedida, necessita das parcerias das Diretorias Regionais do Ciesp (DR) e dos Centros Atividades do Sesi (CAT). A diretora geral do Sesi de Taubaté, Roberta Borrego, foi uma dessas parceiras que atuou com muita dedicação para realizar o evento na sua cidade e atender as indústrias da região. “Este evento foi de suma importância para as indústrias de nossa região que participaram. Muitas indústrias saíram do evento já com o esboço do projeto e ideias para implantação de ações em suas empresas. Parabenizamos a FIESP e o CIESP SP pela iniciativa e agradecemos a oportunidade de sediar o evento”, comenta.

No encontro de São Bernardo do Campo a participação das indústrias superou as expectativas. Cerca de 30 profissionais do setor produtivo interessados em integrar ações e processos de sustentabilidade em suas cadeias produtivas e de relacionamento com os fornecedores participaram do evento.

O diretor de Centro de Atividades (Centro de Atividades) do SESI de São Bernardo do Campo, Sérgio Moretti, mencionou a importância da participação dos profissionais da indústria no projeto. “O interesse e a qualidade profissional dos participantes da Jornada em São Bernardo do Campo foi o diferencial marcante nesse evento e, com certeza, a aplicabilidade dos conteúdos e práticas nele apresentados contribuirão fortemente para o aprimoramento do compromisso dos integrantes da cadeia de fornecedores em prol da sustentabilidade”, ressaltou.

Evento em Taubaté (SP)

A média de satisfação dos participantes dos seminários e workshops da “Jornada pela Indústria pela Sustentabilidade” deste ano, que trouxe o tema “Gestão Sustentável da Cadeia de Fornecimento”, alcançou 93.2%. Os pontos mais elogiados pelos profissionais foram a organização dos eventos, o conteúdo e a experiência dos palestrantes e atendimento da equipe organizadora.

O projeto teve início no ano de 2013 e já realizou diversos encontros e capacitações na capital e em municípios do interior do Estado de São Paulo, como Campinas, Marília e Sertãozinho.

Para conhecer mais, acesse: http://www.fiesp.com.br/jornada-da-industria-pela-sustentabilidade/

Iniciativas Sustentáveis: Sandvik – Parceria na Integração de Procedimentos

Nesta indústria de equipamentos de usinagem todos os fornecedores contam com programa de orientação e supervisão que preserva os colaboradores e o meio ambiente

Com colaboração de Amanda Alves de Melo

Com a globalização e a disseminação das informações, os consumidores passaram a ser mais exigentes ao comprar e adquirir produtos e serviços de qualidade. Visando o aumento da competitividade, as organizações compreenderam a influência recíproca entre os clientes e seus fornecedores e começaram a integrar a Sustentabilidade na cadeia de fornecimento.

Visto a grande relevância do tema nos negócios atuais a Sandvik, grupo global de engenharia e alta tecnologia, especializada em produção de equipamentos destinados à mineração e construção, atuante em todo o Brasil, tem uma equipe especializada em Sustentabilidade e Responsabilidade Social para desenvolver e colocar em prática o conceito de gestão sustentável da cadeia de fornecedores. O objetivo é garantir a integração dos procedimentos de parcerias e gerenciamento de desempenho em toda a organização.

Preocupada com sua cadeia a Sandvik criou e desenvolveu o programa “Gestão de Fornecedores Sustentáveis”, que atua em temas como Conduta do Fornecedor; Capacitação e Treinamento; Monitoramento e Identificação de Riscos e Envolvimento com a Comunidade. Os fornecedores da companhia precisam seguir o código de conduta com princípios fundamentais de direitos humanos, direitos trabalhistas e meio ambiente. Os treinamentos visam aumentar a conscientização das políticas de compras sustentáveis e o engajamento na relação entre os stakeholders. Para monitorar e identificar os altos riscos, eles supervisionam a saúde e segurança dos colaboradores, os salários e benefícios e as condições de trabalho, além de coibir o trabalho infantil com auditoria anual. Para ser uma comunidade fornecedora é preciso possuir políticas que condizem com o código de ética da Sandvik e ter ações consideradas seguras para a saúde e ou para o ambiente.

A gerente regional da empresa na área de Gestão Sustentável de Fornecedores, Lovisa Curman, explica que a ideia é de parceria para ajudar a melhorar o ambiente e a gestão dos fornecedores. “Não temos a intenção de punir, pois nossa equipe de especialistas dá todo suporte para adequação”, conta a executiva. Lovisa destaca ainda que esta preocupação com a cadeia evita, por exemplo, que a empresa compre um mineral de área de conflito.

Para Nibu Borr, cliente de perfuração de poços de água e energia, “a Sandvik é totalmente comprometida com o cliente e cria valor por meio da prestação de serviço superior, liderança tecnológica e soluções inovadoras”.

Em 2017, entrará em vigor a ISO 20400, Norma de Compras Sustentáveis que orientará e padronizará os processos de aquisição de forma sustentável às organizações que desejam integrar a sustentabilidade, esta Norma complementará a ISO 26000 de Responsabilidade Social (baseados nos princípios: responsabilidade, transparência, comportamento ético, legalidade, direitos humanos) e iniciativas de cadeia de fornecedores.

Sobre a Sandvik

O grupo Sandvik possui mais de 45 mil colaboradores mundialmente no segmento de engenharia e alta tecnologia. Tem o conceito baseado na inovação, na liderança tecnológica e no relacionamento duradouro com os seus clientes. A empresa participa ainda do projeto Inspirewater (abordagem sobre a gestão da água na indústria para aumentar a água e a eficiência dos recursos na indústria de processo) da UE (União Europeia), que tem por objetivo reduzir o consumo de água e energia nos processos industriais.

Iniciativas Sustentáveis: Grupo Boticário – Programa de Parceria em Ecoeficiência

Compartilhar suas tecnologias em ecoeficiência com seus fornecedores é uma das ações do programa de relacionamento com a cadeia desta indústria cosmética

Com colaboração de Amanda Alves de Melo

Durante algum tempo acreditou-se que a Sustentabilidade custava caro ou que era apenas para grandes empresas, mas com a velocidade das transformações na globalização, a necessidade de incorporar em seus negócios a responsabilidade socioambiental ganhou grande relevância. Hoje, diversos estudos demonstram que uma empresa com gestão sustentável tem vantagem competitiva no mercado.

O Grupo Boticário percebeu a oportunidade de incluir a sustentabilidade em seus negócios atuando, principalmente, em três áreas estratégicas: matérias-primas e embalagens, canais de venda e ecoeficiência. Na estratégia de matérias-primas, abrange ciclo de produtos e logística reversa (aproveitamento da matéria-prima reciclada no processo produtivo ou encaminhá-la ao seu descarte adequado).

Nos canais de venda (PDVs), os representantes de venda direta (VD), e o “Programa de Parceria em Ecoeficiência”, estruturado em 2014, promove soluções para usar os recursos naturais de forma consciente, como a redução do uso de água, energia, emissões de gases de efeito estufa ou na geração de resíduos. Através de uma consultoria técnica, avalia-se as oportunidades nas instalações dos fornecedores selecionados e, a partir dessa avaliação, o fornecedor verifica quais melhorias podem ser implantadas e qual o melhor momento para executá-las. O Grupo Boticário acompanha e monitora todo o processo e os resultados obtidos. Segundo a empresa informa em seu site estima-se que até 2018 40% dos fornecedores-alvo devem participar do Programa.

A Ecoeficiência e o Desenvolvimento Sustentável estão interligadas, pois combina desempenho econômico e ambiental, reduzindo impactos ambientais, utilizando matérias-primas e energia, e melhorando a relação da organização com seus stakeholders conforme o conceito do World Business Council for Sustainable Development (WBCSD), elaborado em 1992, no Brasil é representado pelo CEBDS (Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável). “A ecoeficiência é alcançada mediante o fornecimento de bens e serviços a preços competitivos que satisfaçam as necessidades humanas e tragam qualidade de vida, ao mesmo tempo em que reduz progressivamente o impacto ambiental e o consumo de recursos ao longo do ciclo de vida, a um nível, no mínimo, equivalente à capacidade de sustentação estimada da Terra”.

O Grupo Boticário é parceiro do CEBDS e ajudou na construcao do Manual de Compras Sustentáveis, que é referência para os processos internos de concorrência e de qualificação e desenvolvimento dos fornecedores em sustentabilidade. Entre as empresas fornecedoras que participaram do programa e fazem parte da cadeia do Grupo Boticário está a Wheaton Brasil, líder nacional no fornecimento de embalagens de vidro. O projeto desenvolvido, com foco em eficiência energética trouxe mudanças no damper (amortecedor que regula o fluxo de ar nos dutos de instalações de climatização, conforme a inclinação de suas lâminas). Anteriormente era realizado manualmente e agora é realizado automaticamente, e na iluminação da área produtiva com instalações de lâmpadas LED (Light emitter diode), aumentando ainda mais a eficiência

O gerente de Vendas da Wheaton, Marcelo Oliveira, diz que a parceria com o Grupo Boticário foi visionária. “Quando começamos, o cenário de crise hídrica e energética no Estado de São Paulo ainda não estava tão evidente. Então, as mudanças vieram em excelente momento, uma vez que o custo da nossa matriz energética teve um aumento significativo nos últimos meses”, explica. Oliveira conta também que, além das melhorias que foram implantadas ou estão com investimento aprovado, há uma série de outros projetos que foram mapeados e que serão realizados em médio e longo prazos.

O gerente de Gestão Técnica de Fornecedores e líder da frente de Ecoeficiência do Grupo Boticário, Milton de Souza, fala sobre o diferencial competitivo que o programa gera para as empresas, por permitir que economizem recursos. “O modelo do ‘Programa de Parceria em Ecoeficiência’ com fornecedores é inédito. Expandir nossa cultura de sustentabilidade é a grande conquista. No longo prazo, desejamos que esse projeto seja o embrião de um setor industrial preocupado e especialmente engajado em iniciativas de ecoeficiência”, enfatiza.

Sobre o Grupo Boticário

Grupo Boticário é uma empresa brasileira de cosméticos, foi fundada em março de 2010 após a “O Boticário” criar a holding, composta pelas empresas “Quem disse, Berenice”, “The Beauty Box” e “Eudora”. O Boticário, principal companhia do Grupo, possui mais de 3 mil pontos de venda em todo Brasil e 93 unidades internacionais. Isso a torna a maior rede de franquias de beleza no mundo. A empresa possui duas fabricas, a mais antiga na cidade de São José dos Pinhais no estado do Paraná, e mais recente na cidade de Camaçari na Bahia. Em suas indústrias, saem cerca de 300 milhões de produtos a cada ano.

Iniciativas Sustentáveis: Grupo Sabará Beraca – Desenvolvimento Sustentável

Indústria de ingredientes naturais para segmento cosmético promove a Sociobiodiversidade com programa que beneficia a comunidade local e fomenta o uso de matérias-primas sustentáveis

Com colaboração de Amanda Alves de Melo

Com a complexidade das cadeias de fornecimento e o surgimento de novos riscos no âmbito ambiental, social e de governança, o tema de gestão sustentável na cadeia de suprimentos (supply chain management – SCM) ganhou grande relevância e, consequentemente, a necessidade de soluções inovadoras para geri-los.

Preocupada com suas comunidades fornecedoras e os diversos fatores negativos que uma má gestão na cadeia de fornecimento pode resultar, a empresa Beraca Sabará, do segmento farmacêutico e cosmético, criou o Programa de Valorização da Sociobiodiversidade (PVSD), no ano 2000, com foco no equilíbrio do triple bottom line (tripé da sustentabilidade baseado nas três dimensões do desenvolvimento sustentável: econômica, social e ambiental). O intuito do programa é promover os negócios com desenvolvimento humano e a preservação dos bens ambientais. Segundo Tiago Terada, gerente de Sustentabilidade e Assuntos Corporativos do grupo, ”É uma plataforma que engloba todos os processos ligados à fabricação de seus produtos, desde os critérios de seleção das espécies a serem exploradas, passando pelas formulações químicas complexas e os arranjos produtivos das comunidades que efetuam o manejo das áreas verdes”, explica. Ele enfatiza ainda que a Beraca se preocupa em atender requisitos de qualidade, com o desenvolvimento social e a conservação do ecossistema que utilizam. O programa, que atua em 105 comunidades agroextrativistas, abrange os estados do Pará, Amapá, Amazonas, Maranhão Piauí e Minas Gerais.

A empresa trabalha com ingredientes naturais e orgânicos da Amazônia e de outros Biomas brasileiros, e se preocupa em garantir a boa qualidade dos insumos/matérias-primas, o bom relacionamento com as comunidades produtoras e a perpetuação dos negócios de todas as partes envolvidas. Tiago Terada explica que a Sustentabilidade na gestão da cadeia de fornecedores é vista como uma vantagem competitiva na companhia. “Hoje, a Sustentabilidade é parte central das atividades da Beraca, que visa fortalecer as comunidades fornecedoras de insumos vegetais ao mesmo tempo em que atende as demandas do mercado”.

O Programa Valorização da Sociobiodiversidade (SPDV) está comprometido com questões importantes de Responsabilidade Social como, por exemplo, a proibição do trabalho infantil ou forçado, corrupção e falta de ética. O projeto inclui ainda reforma de escolas e geração de renda através de práticas sustentáveis, entre diversos outros pontos que podem afetar o fornecimento, o desenvolvimento socioambiental e o relacionamento com as comunidades. “Nossa missão é acompanhar a rotina das comunidades e sempre reforçar as práticas que devem ser melhoradas e as que devem ser mantidas. Trabalhamos diariamente no campo com nossas comunidades fornecedoras para reduzir riscos e melhorar a atuação delas”, explica Terada.

Sobre a Beraca

Este ano o CEO do Grupo, Ulisses Sabará, recebeu o título inédito da ONU, entre lideranças empresariais do mundo todo, como um dos pioneiros na promoção da Sustentabilidade nos negócios e cadeias produtivas. A premiação SDG Pioneers para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) homenageou 10 lideranças na sede da ONU, em Nova York (EUA). O brasileiro foi reconhecido globalmente pelo trabalho da Beraca, com o Programa de Valorização da Sociobiodiversidade, alinhado ao Objetivo número 15 dos ODS – “Proteger, recuperar e promover o uso sustentável dos ecossistemas terrestres”.