Alunos de escolas públicas se emocionam no musical ‘O Homem de La Mancha’

Fernanda Barreira, Agência Indusnet Fiesp

Centenas de alunos de escolas públicas do Estado de São Paulo tiveram o privilégio de assistir a uma sessão exclusiva e gratuita do espetáculo musical “O Homem de La Mancha”, na tarde desta quinta-feira (25/09), no Teatro do Sesi-SP.

Aplausos de pé, assovios e até lágrimas marcaram a apresentação, que, para muitos dos jovens, foi uma experiência inédita. É o caso do estudante Álvaro Coelho Jesus, de 13 anos, que nunca tinha assistido a um musical. “A iniciativa é interessante porque ajuda a gente a entender como é o teatro. Eu já conhecia a história de Dom Quixote, mas gostei muito da adaptação.”

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Alunos Álvaro Coelho Jesus (atrás) e Vinícius Kenji (frente) e a professora Solange Moreira (centro) após o espetáculo. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

O musical, com versão e direção de Miguel Falabella, conta a história de um homem que, ao ser internado em um hospício, diz ser Miguel de Cervantes.

Abordado pelo “Governador”, homem que comanda os internos, Cervantes tem seus pertences roubados, inclusive um de seus manuscritos. Para reaver o objeto, Cervantes se defende convidando os internos a encenarem uma peça, em que ele assume o papel de Dom Quixote de La Mancha.

Ao final do espetáculo, alguns alunos tiveram a oportunidade de conversar com parte do elenco, inclusive com o protagonista, Cleto Baccic, que falou sobre a emoção de levar cultura para crianças e adolescentes, especialmente aquelas que não possuem muitas oportunidades. “Ver a alegria de vocês em presenciar algo novo é indescritível. Isso nos motiva de forma única”, disse o ator.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Atores Frederico Reuter, Jorge Maya, Cleto Baccic e Ivan Parente (da esquerda para a direita) conversam com os alunos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Essa iniciativa também foi destacada positivamente pela professora de artes Solange Moreira da escola estadual Justiniano Rezende Silva, no município de Suzano (SP). “A experiência de poder trazer os alunos para vivenciar o que é um teatro profissional é ótima. Isso vai ajudar muito nas aulas, nas discussões, nos jogos teatrais. O que eu acho muito importante também é a aproximação deles com a arte. Viver esses momentos culturais, porque onde a gente mora não tem muito incentivo. Que bom que a gente pode vivenciar isso graças ao Sesi-SP.”

Vinícius Kenji, de 13 anos, comemorou seu aniversário ao lado dos seus colegas assistindo ao musical e garantiu que não poderia haver melhor presente. “A peça foi muito boa. Dom Quixote é um herói louco, mas com muito carisma e cativa a plateia. Até me emocionei durante o musical. Foi ótimo.”

Serviço
“O Homem De La Mancha”
Local: Teatro do Sesi-SP (456 lugares) – Avenida Paulista, 1313 – Bela Vista
Temporada até 21 de dezembro
Recomendação: 10 anos
Duração: 1h45
Informações: (11) 3146-7405/7406
Entrada gratuita
Ingressos gratuitos reservados online pelo site www.sesisp.org.br/meu-sesi de 15 em 15 dias a partir do dia 25 de agosto.
Apresentações entre dias 1º e 15, publicação na internet dia 25 do mês anterior.
Apresentações entre dias 16 e 31, publicação na internet dia 10 do mesmo mês.
Serão distribuídos 50 ingressos por sessão na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir do horário de abertura da bilheteria.
Horário da bilheteria: quarta a sábado, das 13h às 21h; domingo, das 11h às 19h. Quarta a sexta às 21h; sábado às 17h e 21h e domingo às 19h.

Na Bienal, Sesi-SP Editora lança o livro ‘1ª Mostra Literária do Sesi-SP’

Ariett Gouveia, Agência Indusnet Fiesp

“O destino de uma criança/É de acreditar e ser feliz/Ser astronauta ou filósofo/Ou montar seus próprios gibis”. Essa é uma das estrofes do poema Profissão, do aluno do Sesi-SP de Santo Anastácio, Heitor Correia Montagnini Santos, uma das produções que faz parte do livro “1ª Mostra Literária do Sesi-SP”, lançado nesta sexta-feira (29/08), na Bienal Internacional do Livro, no Anhembi, em São Paulo.

A obra reúne contos, poesias e ilustrações dos estudantes de três níveis de ensino, finalistas da mostra literária nas três categorias. Os temas dos trabalhos foram definidos pela organização da iniciativa, que quis destacar o cotidiano dos alunos.

A primeira edição da mostra, realizada em 2013, resultou em cerca de mil trabalhos, que correspondem aos primeiros e segundos colocados em cada categoria de todas as escolas Sesi-SP do estado. Destes, foram selecionados pelos analistas técnicos educacionais de arte e de língua portuguesa as 19 produções que compõem o livro.

O livro com textos e ilustrações dos alunos do Sesi-SP: registros do cotidiano. Foto: Beto Moussalli/Fiesp

O livro com textos e ilustrações dos alunos do Sesi-SP: registros do cotidiano. Foto: Beto Moussalli/Fiesp


A supervisora de bibliotecas de toda a rede Sesi-SP e idealizadora da mostra literária, Enisete Malaquias, explica que o livro reflete o trabalho realizado na rede.

“O Sesi-SP tem um avanço com relação às outras escolas porque coloca em prática o trabalho do bibliotecário escolar. Hoje, há escolas que têm biblioteca, mas não uma biblioteca escolar, que vai além de estar lá para quando o aluno precisar, mas sim acompanha o professor, agregando no processo de ensino e aprendizado.”

Lançamento

Os alunos que mostraram seus trabalhos no livro estiveram no evento de lançamento, no estande da Sesi-SP Editora na Bienal. E agradeceram a oportunidade de participar do projeto.

“Espero que isso incentive outras pessoas a escreverem”, disse Marina Morales Rigueti, de 15 anos, estudante do 9º ano do Sesi-SP de Guararapes, que participou na categoria conto. “Recebi muito incentivo do bibliotecário e da professora, porque eles sabem que eu sempre gostei muito de ler e escrever. Quando recebi o resultado, foi uma emoção indescritível, algo que eu vou levar para a vida toda.”

Em seu discurso, Célio Henrique Garcia Chiquini, de 12 anos, agradeceu a mãe pelas ideias, a professora pelo apoio, a bibliotecária pelo incentivo e o Sesi-SP pela oportunidade de revelar novos escritores.

“Quando fiquei sabendo do concurso, comecei a pensar, mas não nenhuma ideia boa. Depois que eu vi o filme ‘Truque de mestre’, resolvi misturar os temas magia e literatura. E deu certo”, lembra o aluno do Sesi-SP de Garça. “Foi uma emoção muito grande ver meu conto publicado no livro.”

Guernica

Na categoria ilustração, Erivelton da Silva Pereira, de 16 anos, ficou em 1º lugar na sua faixa etária, representando o Sesi-SP de Suzano. “A proposta era fazer a releitura da obra “Guernica”, do Picasso. Minha ideia foi usar a ilustração para falar de obesidade. Fiquei muito feliz ao ver o livro”, conta o jovem, que pretende seguir carreira na área artística e fazer faculdade de design.

“Participei na categoria ilustração, mas gosto de escrever e desenhar”, disse Juliana Monteiro Peixinho, de 15 anos, aluna do 1º ano do ensino médio, do Sesi-SP de Mogi das Cruzes. Tendo como tema os grandes escritores brasileiros, a estudante fez uma caricatura de Ariano Suassuna. “Fiquei triste quando ele morreu, porque meu sonho era conhece-lo.”

Para Juliana, estudar no Sesi-SP foi fundamental para desenvolver o gosto pela leitura e pela escrita. “Ajudou muito, muito, muito. O Sesi-SP dá o maior apoio em todas as áreas, seja na ciência, no esporte ou na literatura.”

No fim do evento, o escritor José Santos, autor do livro “Matintapereira”, conversou com os estudantes sobre a importância da leitura e da biblioteca.

O estande da Sesi-SP Editora na Bienal fica na Rua I, no número 598. O evento segue até este domingo (31/08) no Anhembi.

Para conferir o catálogo completo da editora, só clicar aqui.


Comdefesa da Fiesp apresenta setor para alunos da Escola de Guerra Naval

Isabela Barros, Agência Indusnet Fiesp

Em se tratando do setor de defesa, não se deve falar em gastos, mas sim em investimentos. A afirmação foi feita, na tarde desta sexta-feira (01/08), pelo diretor do Departamento da Indústria de Defesa (Comdefesa) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) Anastácio Katsanos, durante apresentação para os alunos da Escola de Guerra Naval, realizada na sede da federação.

“O setor estimula o desenvolvimento econômico do país”, destacou Katsanos, que apresentou um panorama do setor no país e o trabalho da Fiesp na área para os militares.

Segundo ele, o Comdefesa foi criado há dez anos com a missão de desenvolver a indústria nacional e fomentar a base industrial de defesa. Dessa forma, o departamento trabalha fazendo contatos com autoridades, apresentando propostas de leis e decretos e sendo base de fóruns e debates, entre outras iniciativas.

Katsanos: “O setor estimula o desenvolvimento econômico do país”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Katsanos: “O setor de defesa estimula o desenvolvimento econômico do país”. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Para ilustrar aos alunos a importância do setor, Katsanos citou uma estimativa da Embraer segundo a qual, para cada R$ 1 investido no desenvolvimento de sistemas de defesa foram gerados cerca de dez vezes esse valor em divisas de exportação. “O Brasil está em 12º lugar no ranking dos gastos militares globais, com 1,4% de participação no PIB”, disse. “Na média dos demais países, esses gastos correspondem a 2,5% do PIB mundial”.

Dias melhores virão

Mesmo diante de uma série dificuldades enfrentadas pelas empresas do setor no Brasil, conforme o diretor do Comdefesa, há um maior interesse do governo de investir nas Forças Armadas, com planos estratégicos de reequipamento, novos programas iniciados e um ambiente regulatório em evolução positiva.

Para melhorar, são necessárias ações como a oferta de garantias contratuais e o acesso a financiamentos pelas pequenas e médias empresas, entre outras.

Nesse ponto, segundo Katsanos, a Lei 12.598, de 2012, que estabelece regras especiais para as contratações e o desenvolvimento de produtos e sistemas de defesa, pode ser considerada um avanço.

Em São José dos Campos

Entre as ações da indústria paulista pelo setor, foi destacada a participação do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), com dois projetos anunciados em fevereiro de 2014: o do Centro Senai de Tecnologias Aeronáuticas e o do Instituto Senai de Inovação em Defesa, em São José dos Campos, São Paulo. Somadas, as iniciativas receberão aporte financeiro de R$ 102 milhões.

A apresentação do Comdefesa para os alunos da  Escola de Guerra Naval: ações da indústria de São Paulo. Foto: Everton Amaro/Fiesp

A apresentação do Comdefesa para os alunos da Escola de Guerra Naval: ações da indústria de São Paulo. Foto: Everton Amaro/Fiesp


O Centro de Tecnologias Aeronáuticas do Senai-SP será a primeira estrutura de capacitação em aviação de classe mundial na América Latina. Dotado de mais de 20 mil metros quadrados de área construída, contemplará tecnologias emergentes, incluindo laboratórios para áreas como novos materiais, com ênfase em compósitos, biocombustíveis, novas tecnologias para união de materiais.

O espaço também abrigará 13 laboratórios voltados para a área de eletrônica embarcada em aeronaves (como sistemas de comunicação, navegação e detecção), uma câmara para acionamento e testes de motores a reação, câmaras para desenvolvimento de projetos virtuais e em realidade aumentada (CAVE), laboratórios de metrologia, idiomas e modernos equipamentos de usinagem.

Compatibilidade eletromagnética

Já o Instituto reunirá quatro grandes laboratórios, além de estruturas de apoio com mais de 2 mil metros quadrados de área. As tecnologias instaladas contemplarão as áreas de compatibilidade eletromagnética, que terá uma câmara capaz de suportar os rigorosos padrões de testes do setor de defesa.

O instituto abrigará ainda um laboratório de pesquisa em materiais compósitos, com ênfase no desenvolvimento e investigação de propriedades específicas; um laboratório para o desenvolvimento de sensores, com ênfase no desenvolvimento de sensores inerciais e infravermelhos e um laboratório de realidade virtual para o desenvolvimento de projetos virtuais, incluindo estudos ergonômicos aplicados.

Na nova escola de Agudos, alunos do Sesi-SP já fazem planos para futuro profissional

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp, de Agudos

Tornar-se advogado, arquiteta, veterinária e professora – são estas as aspirações de alguns alunos entre 9 e 10 anos da nova escola do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) em Agudos.

Em conversa com a reportagem, momentos antes da solenidade de inauguração, as crianças mostram convicção ao falar de planos para um futuro não tão próximo.

A poucas semanas de completar 10 anos, Daniela Nogueira quer ser veterinária quando crescer e “ter uma lojinha para abrigo de animais. Vou ter uma gatinha também”, diz a aluna do Sesi-SP, que gosta das aulas de educação física e matemática.

Já a amiga Gabriele Ravezes, também com 9 anos, quer ser arquiteta. O que ela mais gosta de fazer na escola são os projetos com montagem de peças e tecnologia. Ela se inspirou na escolha profissional da mãe para decidir pela carreira. “Minha mãe está estudando para ser arquiteta, quero ser igual a ela.”

Também influenciado pela família, Vitor Augusto Murbach, 9 anos, pretende ser advogado. “É porque minha irmã mais velha diz que pareço um”, diz com as mãos cruzadas sobre a mesa.

Já Yasmin Piotto Sanches Silva, 9 anos, encontrou no jeito “legal” da professora uma inspiração para seguir a profissão. “Ela ensina muitos jogos legais. Também quero ser professora. Eu já brinco de escolinha.”

A aula preferida de Yasmin e da amiga Bruna Aparecida Simões Terra, com 10 anos, é a de educação física. Mas Bruna também gosta do espaço da sala de aula. E pensa em seguir a profissão dos pais: comerciante de artigos eletrônicos.

Da esquerda para a direita, Yasmin, Nicole e Bruna: não faltam planos para o futuro. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Da esquerda para a direita, Yasmin, Nicole e Bruna: não faltam grandes planos. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp


Mais falante do grupo, Nicole Cunha Romacho, de 10 anos, não sabe exatamente o que quer ser quando crescer, mas tem uma certeza. “Quero é ganhar muito dinheiro para comprar roupa, sapato, comida. Já pensei em cuidar de planta, ser cabeleireira”, conta a menina ao resumir seus planos para levar uma vida confortável no futuro.

Foto: Paulo Skaf homenageia alunos da Escola Preparatória de Cadetes do Exército

Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, participou, na tarde desta segunda-feira (02/12), de cerimônia em homenagem aos alunos da Escola Preparatória de Cadetes do Exército.

A solenidade, realizada na sede da federação, na Avenida Paulista, em São Paulo, reconheceu os alunos que conquistaram as melhores classificações durante o curso.

Paulo Skaf durante a homenagem aos cadetes em cerimônia na Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Paulo Skaf durante a homenagem aos cadetes em cerimônia na Fiesp. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Sesi-SP conquista dois prêmios em torneio de robótica na Alemanha

Bartira Betini, Agência Indusnet Fiesp

O Sesi-SP, representado pelo time da escola Sesi de Itapetininga, conquistou dois prêmios no First Lego League (FLL) Open European Championship, em Paderborn, na Alemanha. Ao todo, participaram da competição 53 times de 32 países.

O time conquistou o prêmio de Melhor Técnico e Mentor da competição. A equipe também ficou com a segunda colocação na categoria Apresentação de Pesquisa, com o projeto desenvolvido pelos oito alunos durante a temporada Senior Solutions (soluções para a terceira idade).

Eles desenvolveram um sistema com um leitor de códigos de barras e tablet que, acoplados ao carrinho de supermercado, trazem dicas alimentares de acordo com a condição de saúde do idoso, informada no início da compra.

É a segunda vez que a escola Sesi de Itapetininga participa do FLL Open European Championship. No ano passado, a equipe Sesi Robotic Girls, formada por oito meninas, foi para a competição, que aconteceu na cidade de Mannheim, também na Alemanha.

Participação do Sesi-SP em outros torneios internacionais

No último mês de abril, em Saint Louis, no estado de Missouri, Estados Unidos, oito alunos da escola Sesi-SP, da cidade de Ourinhos, conquistaram o segundo lugar do First Lego League World Festival.

Essa colocação do Sesi-SP no Champion’s Award garantiu ao Brasil a sua melhor participação na história do FLL World Festival. Participaram da competição 80 times de todo o mundo, entre eles 35 campeões nacionais dos seis continentes.

Outro time do Sesi-SP também representará o Brasil em um torneio da First Lego League este ano. Os alunos da escola Sesi de Valinhos, terceiros colocados na Etapa Nacional do Torneio FLL, participarão do FLL Asian-Pacific Open Championship. O evento acontece de 4 a 6 de julho, na Macquarie University, em Sidney, na Austrália.

Escola Sesi de Itapetininga

Alunos
– Bruna Caroline Angelo Lemes
– Camila Helena Rodrigues Inacio
– Gabriel Gineis De Vasconcelos
– Gabriel Reginaldo da Silva
– Gabriela Cavalcante Bueno Rodrigues
– Gelson Jose de Almeida Filho
– Hugo Kenji Taciro Leal
– Paulo Tavernaro Fraletti

Técnico
– Aldo de Lima Ricardo

Mentora
– Camila Aparecida Almeida Pires Mastromaouro dos Santos

Para saber mais, visite a pagina de Robótica Sesi no Facebook.

Nova unidade do Senai em Ourinhos vai oferecer mais de 60 cursos profissionalizantes

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O presidente do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, participou nesta sexta-feira (19/04) da cerimônia de inauguração do novo centro de treinamento tecnológico do Senai-SP em Ourinhos, município a aproximadamente 370 km da capital paulista. O evento contou com a presença dos alunos, pais e autoridades locais e de cidades vizinhas.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf com alunos e professores, durante inauguração. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Com 2.500 metros quadrados, a nova escola do Senai Ourinhos é composta por oficinas e laboratórios equipados com alta tecnologia, onde são oferecidos mais de 60 cursos direcionados para as áreas de automação, eletroeletrônica, vestuário, segurança no trabalho e tecnologia de informação, entre outros. Além dos moradores de Ourinhos, a escola beneficiará estudantes de outros oito municípios: Canitar, Chavantes, Salto Grande, Ribeirão do Sul, Pirajú, Ibirarema, Campos Novos Paulistas e Palmital.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Vicioni: Senai estimula aluno a ampliar conhecimentos e superar limites. Foto: Everton Amaro/Fiesp

Durante a visita, Skaf conheceu as novas instalações do centro de ensino e aproveitou a oportunidade para conversar com os estudantes, pais de alunos e docentes da instituição.

O presidente enfatizou a importância da educação no processo de formação do ser humano: “A grande preocupação da indústria paulista é que os estudantes adquiram conhecimento. Esta é a nossa riqueza, além de ser um importante capital que nós acreditamos que contribui para que o indivíduo se torne cada vez mais independente”.

Opinião compartilhada pelo diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni: “O Sistema Senai de formação profissional é um sistema único que estimula o aluno a ampliar os seus conhecimentos, superar os seus limites, descobrir novos talentos e aprender uma nova profissão”, enfatizou Vicioni.

Desenvolvimento social e econômico

A nova escola do Senai Ourinhos atende a cerca de 1.350 alunos e, segundo estimativa da instituição, aproximadamente 85% dos alunos egressos estão empregados. Números comemorados pela prefeita da cidade, Belkis Fernandes, que destacou a importância dos investimentos realizados na área da educação pelo Sesi-SP e pelo Senai-SP para o desenvolvimento social e econômico das cidades do interior: “Hoje é um momento de muita emoção. Esta escola é um ícone que representa o desenvolvimento de Ourinhos e de toda a região”, salientou.

Paulo Skaf reforçou que a indústria paulista apoia todas as iniciativas que estimulem o desenvolvimento social. “Milhares de alunos passam por estas escolas e têm mais oportunidade na vida, conseguem melhores empregos, melhores salários, têm mais autoestima. E isso tudo é altamente gratificante”.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Unidade oferece mais de 60 cursos. Foto: Everton Amaro/Fiesp


Também presente na solenidade, o proprietário da fábrica de colchões Castor, Hélio Antônio Silva, tem no seu quadro de funcionários centenas de alunos formados pelo Senai-SP. Segundo ele, a construção do centro de ensino contribui para o desenvolvimento da indústria local: “É muito importante e muito gratificante a gente ter mão de obra qualificada. E o Senai-SP oferece uma oportunidade para que estes jovens estejam preparados para o mercado de trabalho. Apesar de muito jovens, eles [alunos do Senai-SP] são muito responsáveis e dedicados. E sabem respeitar o ambiente de trabalho.”

Educação que transforma

Atenta ao mercado de trabalho, a aluna do curso de eletromecânica, Nathália Ramos Marques, disse que o curso do Senai-SP será um diferencial no seu currículo na hora de buscar o seu primeiro emprego: “Essa área vai me abrir vários parâmetros para escolher o que eu vou fazer do meu futuro. É um conhecimento a mais. Aqui eu aprendi coisas que nunca imaginei. Hoje na minha casa, quando precisa instalar uma lâmpada, sou eu que instalo.”

Já para sua colega de curso, Ingrid Fernanda de Souza Bezerra, a principal lição que a estudante levará do Senai para sua vida é a importância do companheirismo e do trabalho em equipe: “A gente aprende aqui que você depende muito do seu parceiro para concluir o trabalho, não é uma coisa individual. Quando você aprende a trabalhar em equipe e ser companheira, você cresce muito mais”.

Leia mais

Vinte estudantes do Senai-SP representarão o Brasil no Worldskills 2013

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) levará 20 alunos para a 42ª edição do Worldskills, que será realizado em Leipzig, de 2 a 7 de julho, na Alemanha. Os estudantes paulistas competirão em 17 modalidades da indústria e representam mais da metade da delegação brasileira no evento.

Além dos jovens de São Paulo, 19 alunos do Senai de seis Estados (Minas, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte, Distrito Federal, Pernambuco e Santa Catarina) representarão mais 17 ocupações. Outros cinco estudantes do Senac de cinco Estados brigarão por medalhas em atividades do comércio.

O Worldskills é o maior torneio de formação profissional do mundo, que reunirá mais de 900 competidores de mais de 50 países, dentre eles Coréia, Japão, Singapura, Alemanha, França e Inglaterra.

Para Paulo Skaf, presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Senai-SP, o resultado reflete o comprometimento dos docentes de todo o Estado com a qualidade de ensino. “A indústria paulista tem investido fortemente na educação profissionalizante e básica, e resultado tão bom como esse é fruto do engajamento dos docentes, instrutores e demais profissionais do Senai-SP.”

Walter Vicioni, diretor regional do Senai-SP e superintendente do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP), acredita que a competição internacional é um momento especial para expor a educação profissional oferecida pela entidade. “O desempenho dos estudantes de São Paulo prova que estamos brigando em pé de igualdade com outras nações do mundo.”

Na edição anterior do mundial, realizada de 5 a 8 de outubro de 2011 em Londres, quatro dos sete alunos paulistas subiram ao pódio. No geral, a delegação brasileira, representada por 28 estudantes, faturou seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e dez certificados de excelência, batendo grandes potencias educacionais como Japão, Suíça, Alemanha e Singapura. A pontuação brasileira só foi superada pela Coréia do Sul, primeira colocada na competição.

“Diferentemente dos economistas, que se referem aos trabalhadores como recursos humanos, os olhamos como pessoas que têm recursos que podem ser potencializados”.

Representantes do Senai São Paulo:

– CAD: Paulo Kazuo Inoue
– Caldeiraria: Kleber da Silva Santos
– Confeitaria: Patrícia Cristina Martins
– Construção de Moldes: Bruno Ramalho
– Fresagem a CNC: Henrique da Silva Santana
– Funilaria e Reparação Automotiva: Lucas Moreno Claro
– Jardinagem e Paisagismos: Hipólito Ribeiro dos Santos; e Michel John Martins Miranda dos Santos
– Joalheria: Renata da Silva Santos
– Manufatura Integrada: Arivaldo Júnior Donato; Arthur Zuliani de Oliveira; e Daniel Henrique Minutti
– Manutenção Aeronáutica: Bruno Batista Moreira
– Manutenção e Suporte a Redes PC: Thiago Villamagna Machado
– Marcenaria: Leandro de Lima Rosolen
– Mecânica de Automóveis: Bruno Pereira de Assis
– Polimecânica: Richard Souza da Silva
– Refrigeração: Felipe Barbosa Benicio
– Soluções em Programas de Computador para Negócios – TI: Leonardo Félix Gajardo
– Web Design: William Adriano Martins

Representantes de Minas Gerais:
. Cabeamento em Redes de Informação – Jader Lucas de Souza Santos
. Tornearia a CNC – Jacques Dias Prado
– Eletrônica – Sávio Vieira Silva Moura
– Eletricidade Industrial – Caique Ferreira de Faria
– Sistemas de construções a seco – Marcos Assis de Oliveira
– Robótica Móvel – Guilherme Douglas Rodrigues; e Gustavo Lemar Cardoso
– Pintura automotiva – Carlos Guilherme da Silva Pascoal
– Cozinha – Gabriela Rabelo Freitas Melo (Senac)

Rio Grande do Sul
– Mecatrônica – Henrique Baron; e Maurício Zangali Toigo
– Impressão Offset – Lucas de Souza Cardoso
– Instalação Hidráulica e a Gás – Paulo Facchin
– Design Gráfico – Ricardo Calvi Vivian

Santa Catarina
– Construção em Alvenaria – Ariel Bertoluci
– Marcenaria de Estruturas de Madeira – Antonio Elizeu da Cunha Júnior

Rio Grande do Norte
– Soldagem – Rafael Wenderson Morais Pereira
– Estruturas Metálicas – Danilo Batista da Silva

Distrito Federal
– Aplicação de Revestimento Cerâmico – Geovane Oliveira da Silva
– Técnico de Enfermagem – Jessyca dos Santos Cardoso Pacheco (Senac)

Pernambuco
– Instalações Elétricas Prediais – Leandro Figueredo Oliveira
– Tecnologia da Moda – Charlene Darvyllen dos Santos Oliveira (Senac)

Ceará
– Cabeleireiro – Patrícia de Sousa Gomes (Senac)

Paraná
– Serviço de Restaurante – Ueslei Felipe de Oliveira Vale (Senac)


Leia mais


Para dar competitividade ao Brasil, indústria prioriza educação, diz Paulo Skaf

Alice Assunção e Flávia Dias, Agência Indusnet

Ao discursar na cerimônia de abertura da 7ª Olimpíada do Conhecimento – principal torneio ente alunos do ensino profissional do país –, o presidente da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), Paulo Skaf, ressaltou que faz parte da estratégia da indústria investir em educação para trazer competitividade ao Brasil.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Ciesp/Senai-SP/Sesi-SP: Indústria prioriza educação para trazer competitividade ao Brasil

“A indústria se orgulha muito de tudo isso que está acontecendo e prioriza a educação porque sabe que é importante para a competitividade do país”, afirmou Skaf – também presidente do Serviço Nacional e Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP).

Ao menos 600 estudantes do ensino profissional de todo o país estão competindo em 52 modalidades. Somente o Senai-SP participa da competição com 84 alunos. Os vencedores da disputa que começa nesta segunda-feira (12/11) e termina no domingo (18/11) estão automaticamente classificados para o World Skills, torneio internacional com estudantes de mais de 50 países que deve acontecer em 2013, na Alemanha.

“Quando o Brasil participou pela primeira vez de um World Skills, em uma competição com 18 países, a equipe brasileira terminou em 16º andar. No World Skills na Inglaterra, no ano passado, entre mais de 40 países, o Brasil terminou em segundo lugar. Nós temos evoluído muito”, lembrou Skaf.

Lula

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf, Lula e Robson Braga de Andrade, na abertura da Olimpíada do Conhecimento. Foto: Junior Ruiz


O importante é competir e não desistir de ser primeiro lugar. A afirmação foi feita pelo ex-presidente da República, Luiz  Inácio Lula da Silva, a alunos do Senai competidores da 7ª Olimpíada do Conhecimento durante a cerimônia abertura do evento.

“Que vença quem estudou mais”, afirmou Lula, que já foi aluno do curso de torneiro mecânico do Senai de São Paulo (Senai-SP) na década de 1960.

O ex-presidente destacou a importância de cursos profissionalizantes como os oferecidos pelo Senai para movimentar a economia e gerar renda. “Eu fui o primeiro da minha casa a ter um diploma do primário, o primeiro a ter um diploma como o do Senai. E graças a isso fui o primeiro a ter uma casa própria e emprego”, lembrou, acrescentando que “esse país vai fazer uma revolução industrial”.

Lula parabenizou a organização do evento, por incluir entre competidores alunos portadores de deficiência. “Eu aprendi que o portador de deficiência não quer que a gente tente um tratamento diferente. O que eles querem é provar a sua capacidade, e é isso que o Senai está fazendo”, afirmou.

O presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Braga de Andrade, também participou da abertura da Olimpíada do Conhecimento e declarou que as escolas do Sesi e do Senai representam “uma oportunidade de levar desenvolvimento aos Estados brasileiros”.

‘Esperamos que vocês possam deixar um legado’, diz Walter Vicioni a técnicos ingleses de rúgbi

Edgar Marcel e Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Walter Vicioni, superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, ressalta importância dos treinadores no processo educacional dos alunos das instituições

Durante o encontro com técnicos britânicos do projeto Try Rugby SP, em evento que anunciou oficialmente a parceria do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP) com o British Council e a Premiership Rugby (liga do esporte na Inglaterra), o superintendente do Sesi-SP, Walter Vicioni, ressaltou a importância dos treinadores no processo educacional dos alunos da instituição.

“Vocês têm uma missão extraordinariamente importante. Nós queremos que eles [alunos] possam ter a mesma habilidade e o dinamismo que vocês têm. Esperamos que vocês possam nos deixar um legado para que a gente possa multiplicar e atender os nossos alunos para, quem sabe, um dia, eles possam superar a Inglaterra no rúgbi”, afirmou.

Vicioni, também diretor regional do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP), lembrou que as entidades e o British Council sempre estiveram presentes na cultura a nas manifestações artísticas. “E agora, juntas no esporte, colocam em realce o impressionante papel que o presidente Paulo Skaf representa nessas questões, principalmente na educação”, salientou. E emendou: “É por isso que estamos neste processo, tentando inspirar e incentivar os esportes, em especial os olímpicos, do qual o rúgbi vai fazer parte na Olimpíada de 2016, no Rio de Janeiro”.

Diretores dos CATS comentam parceria

Heraldo Pimentel, diretor do Centro de Atividade (CAT) Ernesto Pereira Lopes Filho, unidade localizada em São Carlos, afirmou acreditar muito no projeto. “É um marco profundo porque o Brasil sempre foi denominado o ‘país do futebol’, que enfrenta crise atualmente. E esse projeto veio dar um novo início e direcionamento ao rúgbi. Precisamos de uma injeção cultural diferente”, avaliou.

Opinião compartilhada por Alexandre Minghin, diretor do CAT Professor Azor Silveira Leite, em Matão: “Assim como outras ações inovadoras do Sesi-SP, essa é mais uma que nos motiva e dá orgulho. Projetos diferenciados motivam as equipes, e nos empenharemos ao máximo para que tudo dê certo”.

Paulo Skaf recebe alunos vencedores do concurso Heróis do Futuro

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), do Serviço Social da Indústria (Sesi-SP) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP), Paulo Skaf, recebeu na manhã desta quarta-feira (29/08) a visita dos estudantes da unidade do Sesi Igaraçu do Tietê e do Senai Taubaté, vencedores do concurso Heróis do Futuro – iniciativa do Sistema Firjan em parceria com as entidades da indústria paulista.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf premia alunos do Sesi-SP e Senai-SP vencedores do concurso Heróis do Futuro


No encontro, cada aluno recebeu um Ipad e um videogame PlayStation 3. As escolas também foram premiadas com um kit de lousa digital. Antes de entregar os prêmios, Skaf fez questão de parabenizar o empenho e a dedicação dos estudantes durante toda a competição.

Ele lembrou que os dois projetos vencedores concorreram com mais de 15 mil equipes formadas por estudantes da rede Sesi-SP e Senai-SP de todo o Estado de São Paulo: “Vocês fizeram jus a todos estes prêmios e realizaram um trabalho muito bonito”, enfatizou o presidente das entidades.

Opinião compartilhada pelo superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, que acrescentou: “O pessoal do Sesi-SP e do Senai-SP se dedicou a essa tarefa de construir um mundo mais justo e sustentável”.

Guardiões do meio ambiente

Durante o concurso, os alunos trabalharam os conceitos de sustentabilidade por meio de games, quizzes, desafios e a construção de uma Cidade Sustentável.

O estudante do 9º ano do ensino fundamental do Sesi Igaraçu do Tietê, Leonardo de Oliveira Silva Barbosa acredita que o conhecimento adquirido ao longo do concurso será útil para o desenvolvimento da sua comunidade. “Cuidando do nosso planeta a gente pode combater a poluição das cidades. É isso que nós queremos levar para nossa cidade [Igaraçu do Tietê]”, afirmou.

Já seu colega de classe, João Vitor Cunha Chiato, destacou a importância do trabalho em equipe para conquista do primeiro lugar na categoria escolar Sesi/Senai-SP. “Nós só chegamos aqui, hoje, porque trabalhamos muito. Eu espero que a nossa escola tenha ainda muito mais sucesso”, disse.

Os alunos do Sesi Igaraçu do Tietê foram premiados com uma viagem para o arquipélago de Fernando de Noronha, realizada entre os dias 23 e 27 de julho.

Medalhistas olímpicos recebem homenagem dos alunos do Sesi-SP na Vila Leopoldina

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Cerca de 700 alunos com idade entre seis e 12 anos, professores e funcionários do Sesi da Vila Leopoldina, na capital paulista, deram uma pausa em sua rotina de estudos e trabalho na unidade, nesta quinta-feira (16/08), para um evento especial: a visita dos medalhistas olímpicos Dani Lins, Murilo, Sidão, Serginho e Tandara.

Era a oportunidade de ficar mais perto de seus ídolos, tirar fotos e pedir autógrafo. Então, todos capricharam na recepção calorosa, com direito a cartazes espalhados por todos os lados, gritos de euforia, muitos aplausos e muito carinho.

E foi este clima de festa que os ídolos do vôlei feminino e masculino do Sesi-SP encontraram ao chegar no Centro de Atividade no começo da tarde, após terem sido recebidos e homenageados, durante a manhã, pelo presidente Paulo Skaf, na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Veja mais aqui.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Alunos do Sesi Vila Leopoldina fazem festa para os atletas do vôlei feminino e masculino da entidade, medalhistas de ouro e de prata nos Jogos Olímpicos de Londres


A acolhida dos pequenos fãs emocionou a oposta Tandara que, após distribuir autógrafos e abraços, declarou: “Está sendo uma honra receber esta homenagem de vocês. Estou muito feliz de entrar para família Sesi-SP”.

O ponteiro Murilo, eleito o melhor jogador de vôlei masculino das Olímpiadas de Londres, concordou: “É lindo todo este carinho que eles [alunos] têm pela gente. Eles fizeram cartazes e perguntas, tudo isso é muito bacana. Apesar de conviver com eles todos os dias, não é sempre que a gente volta para casa com uma medalha olímpica. Eu tenho certeza que torceram bastante e sofreram junto com a gente. Hoje estão aqui nos recebendo de braços abertos. Para eles não interessa muito a cor da medalha, o importante é que a gente volte”, disse o ponteiro da equipe da indústria paulista.

Estímulo

Para professora de matemática do ensino fundamental e médio, Lucila Folgosi Francoso, a presença dos atletas de vôlei do Sesi-SP na rotina escolar dos estudantes favorece a propagação dos valores da prática esportiva, atividade que ela considera importante para formação plena do indivíduo.

“O esporte está relacionado com a educação. Não dá para não ligar uma coisa com a outra. O esporte é tudo e faz com que eles [alunos] consigam relacionar todo o aprendizado com as questões sociais, aprendam a viver melhor em comunidade, a importância do trabalho em grupo e do respeito ao próximo”, sublinhou a professora Lucila.

Com a máquina fotográfica em mãos, o estudante o do 1º ano do ensino médio e atleta da categoria de base da equipe de polo aquático do Sesi-SP, Igor José de Oliveira, registrou cada momento da visita dos atletas. E contou que se sentiu honrado com a oportunidade de conviver com os atletas.

“Ter medalhistas olímpicos junto com a gente dá uma motivação a mais na escola. A gente quer aprender mais para chegar no nível deles e tentar ser alguém, como eles são para o esporte brasileiro. Eles são um exemplo para gente”, afirmou.

Leia mais

Preparação insuficiente de professores atrasa a educação no Brasil, afirmam especialistas

Lucas Dantas, Agência Indusnet Fiesp

A socióloga Maria Helena Guimarães de Castro, vice-presidente do Consocial da Fiesp

A socióloga Maria Helena Guimarães de Castro, vice-presidente do Consocial da Fiesp

Professores que não sabem ensinar dando aulas para alunos que não sabem aprender. A frase é da socióloga Maria Helena Guimarães de Castro, vice-presidente do Conselho Superior de Responsabilidade Social (Consocial) da Fiesp, ao apontar o que considera o maior problema da educação no país: o preparo insuficiente de professores para a vida letiva e a falta de investimento das universidades nessa formação.

“A formação inicial do professor no país é um fracasso”, avaliou Maria Helena durante a reunião mensal do Consocial, nesta quinta-feira (31/05), na sede da Fiesp, que discutiu o tema “Da educação infantil ao ensino médio”.

De acordo com Maria Helena, não há um fator capaz de melhorar isoladamente a qualidade do ensino. “Nossas universidades estão formando muito mal. E faz muito tempo que esse debate está na mesa. Os professores não sabem ensinar. Assim, os alunos não aprendem. O problema da educação começa aí”.

Opinião compartilhada por Mozart Neves Ramos, ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O profissional de educação, segundo ele, não recebe o devido valor e é desestimulado a seguir na carreira. “Temos escolas do século XIX, professores do século XX e alunos do século XXI”.

Ex-reitor da UFPE dá exemplo de despreparo

Mozart Neves Ramos, ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco

Mozart Neves Ramos, ex-reitor da Universidade Federal de Pernambuco

Ramos observou que quatro das 10 profissões que mais empregaram em 2009 não existiam cinco anos antes. “A escola não conseguiu acompanhar essa dinâmica”.

“Certa vez conheci uma professora de química em Araripina (PE). Perguntei onde se formara e ela me disse que, na verdade, era formada em geografia. Quis saber como ela dava aula e respondeu: ‘Eu olho no livro e copio. Se algum aluno faz uma pergunta e não sei, falo que responderei na próxima aula e torço para que ele esqueça’. E esse caso é muito comum”, disse o professor, explicando que na sua área, química, 44% dos professores brasileiros não são formados. “É como você ir a um hospital para uma cirurgia no coração e falarem que tem um dermatologista bom para resolver”.

Tanto Maria Helena Guimarães de Castro como Mozart Ramos concordam que medidas estão sendo adotadas, mas ambos consideram os exames nacionais, como Provinha Brasil e Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), insuficientes para medir a qualidade do ensino nas escolas.

Maria Helena destacou que o Enem ficou mais fácil para o aluno. “Desde que o exame permitiu a certificação do ensino médio, basta ao aluno responder às perguntas fáceis e médias e, pela lei das probabilidades, ele alcança o 500 pontos necessários para obter o certificado. Cerca de 40% dos alunos do primeiro ano desiste [de estudar], faz o teste, pega o certificado e entra na universidade – onde também não aprende – e se forma. É uma realidade cruel em termos de qualidade”.


Mudança no sistema de ensino 

Maria do Pilar Lacerda, professora de História

Maria do Pilar Lacerda, professora de História

A professora de história Maria do Pilar Lacerda apontou a mudança do sistema de ensino no Brasil como uma explicação para o alto número de adultos que não concluíram a escola.

“Até o final do Império tivemos uma educação elitista. Na República, até 1988, era seletiva. Na época do Exame de Admissão (décadas de 1960 e 1970), milhões de brasileiros pararam de estudar. Hoje, os 40 milhões de brasileiros que têm até a quarta série, no máximo, são frutos desse sistema antigo. Mas hoje seus filhos estão na escola. Temos, assim, um problema ‘bom’. Quase 100% das crianças estão na escola, mas para muitos dos pais o terreno escolar é território estrangeiro”, analisou.

Maria do Pilar também mencionou a meta educacional do governo para 2016, de matricular obrigatoriamente 3,4 milhões de crianças de quatro a 17 anos que hoje estão fora da escola – valor que o professor Mozart Ramos considera “muito difícil” de ser alcançado.

“Esta meta é enorme. Esse número representa a população do Uruguai. Temos um Uruguai para colocar na escola obrigatoriamente até 2016. É um esforço grande, pois a maioria desses jovens está em áreas rurais e distantes”, concluiu Ramos. 

Jovens competidores e seus coordenadores fazem avaliação positiva do torneio

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

O último dia de Olimpíada do Conhecimento 2011 (quinta-feira, 10) foi bastante agitado para os participantes. Ainda pela manhã, enquanto alguns já desmontavam seus equipamentos ao término de suas provas, outros ainda cumpriam atividades. Alheios à movimentação, competidores de algumas modalidades permaneceram concentrados por toda a tarde.

Regina Toledo Andrade, aluna do curso de Impressão Gráfica da Escola Senai João Martins Coube, de Bauru, já havia concluído suas tarefas e adorou a experiência. “Foi muito proveitoso, aprendi bastante. Treinei um ano para a competição e tive muito apoio em casa, em especial do meu tio, que também é do Senai”, contou.

Integrados

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Fabiana Bonacina, Alex Massayuki e Luís Augusto: bom desempenho

A equipe formada por Fabiana Bonacina (17 anos), Alex Massayuki (18) e Luís Augusto Schiavon (17) veio da cidade de Pompeia (470 km da capital) para disputar a categoria Manufatura Integrada.

Confiantes, os alunos da Escola Senai Shunji Nishimura estavam contentes com o bom desempenho nos trabalhos executados.A equipe formada por Fabiana Bonacina (17 anos), Alex Massayuki (18) e Luís Augusto Schiavon (17) veio da cidade de Pompeia (470 km da capital) para disputar a categoria Manufatura Integrada.

“Tudo saiu dentro do planejado. Até os imprevistos aconteceram a nosso favor”, comemorou Luís Augusto, mecânico de usinagem. Alex, aluno do curso técnico em Eletroeletronica, celebrou também a presença de sua família no local das competições. “Me deu muita força”, disse. Fabiana completou: “Adquiri conhecimento e conheci bastante gente”.

Experiência

O êxito na Olimpíada do Conhecimento foi celebrado também pelos profissionais que avaliam e organizam as provas. O coordenador da modalidade Fresagem a CNC (Controle Numérico Computadorizado), Helcio Nascimento, exaltou o esforço de sua equipe.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Helcio Nascimento, instrutor do Senai Leopoldina e coordenador da modalidade Fresagem a CNC

“Este ano foi show de bola porque vínhamos fazendo um trabalho de melhorias há praticamente um ano. Temos 20 máquinas de 3,5 toneladas cada e realizamos a façanha de colocá-las em funcionamento em dois dias de trabalho extenuante, o que nos deu rentabilidade total”, comentou Nascimento, instrutor na Escola Senai Mariano Ferraz, no bairro paulistano de Vila Lepoldina.

O coordenador ressaltou o maior número de participantes na modalidade, de 26 em 2009 para 36 este ano. “Gradativamente a lista de competidores está aumentando, e isso é muito bom. Aumenta também o número de máquinas nas escolas e traz novas tecnologias.”

“Este ano foi show de bola porque vínhamos fazendo um trabalho de melhorias há praticamente um ano. Temos 20 máquinas de 3,5 toneladas cada e realizamos a façanha de colocá-las em funcionamento em dois dias de trabalho extenuante, o que nos deu rentabilidade total”, comentou Nascimento, instrutor na Escola Senai Mariano Ferraz, no bairro paulistano de Vila Lepoldina.

Segundo Nascimento, os jovens de 16 a 18 anos saem do Senai praticamente com vagas garantidas no mercado de trabalho. Se alguns alunos não ganham medalha, levam para sempre a experiência do trabalho em conjunto e o espírito de ajudar uns aos outros.

“Eles são bem trabalhados nas escolas não apenas para serem bons competidores, mas para serem bons profissionais, o que é fundamental. Não por acaso, o Brasil é o segundo melhor do mundo no WorldSkills 2011“, realçou, referindo-se à competição mundial de formação profissional.

Final

A cerimônia de encerramento da Olimpíada do Conhecimento 2011 acontece nesta sexta-feira (11), a partir das 15h, no Palácio de Convenções do Anhembi. Depois de uma semana intensa de competição e aprendizagem, os alunos e seus familiares vão torcer pelas melhores colocações, em uma emocionante festa que promete muitas emoções. Boa sorte a todos!

Leia mais:

Saiba mais sobre o maior evento de educação profissional da América Latina
Acesse a página do Senai-SP no Facebook
Acompanhe a Olimpíada do Conhecimento pelo Twitter do Senai-SP

São José do Rio Preto, Ourinhos e São Carlos vencem 3º Torneio do Sesi

Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp

As equipes Robotic Team, do Sesi São José do Rio Preto, Robotic School, de Ourinhos, e Asimov, da unidade de São Carlos, subiram ao pódio nesta sexta-feira (11) para receber os prêmios de 3º, 2º e 1º lugar, respectivamente, do 3º Torneio de Robótica 2011.

Na categoria “Melhor Projeto de Pesquisa”, os alunos da equipe Robobio, do Sesi de Presidente Prudente, ficaram em 3º lugar, seguidos pelo time Tecnodroyds, de Mogi Guaçu, na 2ª posição, e pela equipe Raio-X, de Garça, que levou a primeira colocação.

Em “Melhor Projeto de Robô”, a equipe Laranja Mecânica, do Sesi de Limeira, ficou em 3º lugar. Os alunos da unidade de Catanduva, o Sesi Lego Team, ocupou a 2ª posição, seguidos pelo grupo Sesi Lego Chairs, de Sertãozinho.

Para a etapa nacional do Torneio de Robótica, foram classificadas as equipes: Lego Team, de Catanduva, Sesi Pulsação Zoom, Araçatuba, Sesi Robotic Girls, Itapetininga, Tecnobody Sesi, Catumbi, Sesi Lego Chairs, Sertãozinho.

Sonho

O presidente da Fiesp e do Sesi, Paulo Skaf, classificou a terceira edição do Torneio de Robótica e o 4º São Paulo Skills Senai 2011 – eventos que aconteceram simultaneamente entre os dias 7 e 11 de novembro – como “a realização de um sonho.”

“É através da educação que as pessoas se emancipam, criam independência. É através da educação que as pessoas crescem e constroem patrimônio”, disse Skaf no encerramento dos dois eventos no Palácio de Convenções do Anhembi, na tarde desta sexta-feira (11/11).

Competição

Nesta 3ª edição do Torneio Sesi-SP de Robótica, o desafio das equipes participantes foi explorar o mundo moderno da Engenharia Biomédica, descobrindo inovações tecnológicas para reparar lesões, superar predisposições genéticas e maximizar o potencial do corpo.

Durante o mês de outubro, 726 alunos com idade entre 11 e 13 anos participaram de oito seletivas regionais realizadas em todo o estado. Os 40 melhores colocados disputaram o Campeonato Estadual de Robótica desde terça-feira (8) no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo.

Os alunos competidores construíram e programaram um robô para marcar pontos em disputas de 2,5 minutos num campo temático. Os grupos foram avaliados levando-se em conta quatro requisitos: realização das missões; apresentação do projeto de pesquisa; projeto do robô; e trabalho em equipe. Em relação à pesquisa, os alunos são estimulados a identificar um problema, buscar uma solução inovadora e compartilhar o resultado com a comunidade.

Premiação emociona e surpreende pais e alunos do Senai-SP

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Sorrisos, euforia, lágrimas de alegria e muita comemoração. Estes foram os ingredientes da premiação da Olimpíada do Conhecimento 2011 do Senai-SP – Estadual São Paulo, realizada nesta sexta-feira (11/11), no Palácio de Convenções do Anhembi, na capital.

Alunos de diferentes áreas tecnológicas, de unidades escolares do Senai de todo o Estado, participaram de competições durante toda a semana por meio de provas teóricas e práticas em 52 modalidades, que têm como objetivo avaliar e propiciar a melhoria de qualidade da educação profissional.

A cerimônia de encerramento recebeu todos os participantes, que entraram segurando com orgulho as bandeiras de suas cidades, e logo tomaram o auditório. A expectativa pelo anúncio dos vencedores era grande, visível no rosto de cada um deles.

“Nosso sonho de trazer a Olimpíada do Conhecimento para o Anhembi se tornou realidade, graças ao trabalho árduo de nossos professores, alunos e diretores que mostram a força do Senai-SP e do Sesi-SP, celeiro de tantos talentos do nosso País”, declarou Paulo Skaf, presidente da Fiesp/Senai-SP/Sesi-SP.

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf, presidente da Fiesp (à dir.), e Walter Vicioni, diretor regional do Senai-SP (à esq.) cumprimentaram os vencedores e entregaram medalhas

Ele chamou ao palco os diretores responsáveis pelo evento para um agradecimento especial e homenageou também os alunos do Senai-SP que conquistaram o segundo lugar no World Skills 2011, realizado em outubro em Londres, Inglaterra.

“O Brasil ficou diante do mundo, superando Estados Unidos, Suíça, Alemanha, Reino Unido, entre outras nações. Nossos representantes estiveram lá e mostraram a vibração do povo brasileiro”, enalteceu Skaf, após a exibição de um vídeo com os melhores momentos do evento.

Walter Vicioni, diretor regional do Senai-SP, saudou o público e agradeceu pela participação de todos os envolvidos, principalmente ao presidente Paulo Skaf. “Fazer a maior Olimpíada das Américas confirma e reforça o que nós sabemos de sua gestão, que se preocupa em investir nas pessoas”, exclamou.

Felicidade à flor da pele

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Show do Charlie Brown Jr. encerrou a premiação

A premiação foi regida pela comoção de pais e alunos vitoriosos. A cada nome convocado pelos mestres de cerimônia a buscar sua medalha, companheiros de competição extravasavam a adrenalina acumulada após uma semana de intensas atividades. Muitos vencedores não contiveram o choro e abraçavam seus companheiros com muita alegria.

No meio da entrega de prêmios aos melhores colocados, o ilusionista Mario Kamia fez uma rápida intervenção com uma apresentação de mágica, que empolgou a plateia. No final, ele retornou para um novo número, desta vez inusitado: colocou biombos no palco para causar suspense, e de trás deles surgiu a banda Charlie Brown Jr., que fez um show surpresa.

“Parabéns ao Senai-SP pelo evento, do qual saem todos vencedores pelo conhecimento que adquirem. Nos envaidece tocar para essa galera tão representativa”, afirmou Alexandre Chorão, vocalista da banda.

Confira a lista dos aluno vencedores da Olimpíada do Conhecimento 2011.

Olimpíada do Conhecimento em números:

  • 1 ano de planejamento e preparação
  • 3.000 toneladas de máquinas e equipamentos
  • 19 áreas tecnológicas
  • 22.000 refeições servidas
  • R$ 43 milhões em máquinas e equipamentos
  • 50.000 visitantes
  • 52 modalidades disputadas
  • 83 escolas Senai envolvidas
  • 80.000 copos de água consumidos
  • 250 caminhões utilizados
  • 800 alunos competidores

Leia mais:

Saiba mais sobre o maior evento de educação profissional da América Latina
Acesse a página do Senai-SP no Facebook

Paulo Skaf participa de encontro com pais e alunos do Sesi/Senai-SP em Mogi Guaçu

Flávia Dias, Agência Indusnet Fiesp

Imagem relacionada a matéria - Id: 1544925558

Paulo Skaf, presidente da Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP, durante reunião com pais alunos e educadores em Mogi Guaçu

Em visita a Mogi Guaçu, nesta sexta-feira (16), o presidente da Fiesp, Sesi-SP e Senai-SP, Paulo Skaf, participou de uma reunião com pais, alunos e educadores, promovida pelas escolas das entidades no município.

O encontrou contou com a presença mais de 200 pessoas. Skaf disse que todas as sugestões e criticas feitas pelos pais e estudantes são importantes para as melhorias no projeto educacional das instituições da industria: “Eu aprendo muito com todos vocês. Muitas coisas foram corrigidas e melhoradas graças ao apoio dos alunos, professores e pais”.

Segundo ele, os investimentos promovidos pela indústria paulista na área de educação contribuem com a formação integral do ser humano, além de preparar os jovens para o mercado de trabalho.

Também presente à reunião, o superintendente do Sesi-SP e diretor regional do Senai-SP, Walter Vicioni, reforçou que as famílias desempenham papel decisivo no desempenho dos estudantes. E pediu aos pais que incentivem seus filhos na escola. “O que todos nós queremos é que esses jovens tenham sucesso e vençam na vida”, completou.

Rosemeire Andrade Ataíde de Lima, mãe do Jhonatas Roberto, aluno da 8ª série do ensino fundamental, saiu do encontro satisfeita: “Achei muito proveitoso esse bate-papo com Paulo Skaf porque estamos vendo soluções para os nossos problemas com prazos estabelecidos”.

O filho de Rosemeire é especial. Por conta das aulas de natação, desenvolveu sua coordenação motora e melhorou a comunicação com outras pessoas. “O professor de educação física faz um trabalho muito bonito, que favoreceu o desenvolvimento físico do meu filho e, consequentemente, aumentou sua autoestima. Jhonatas era um menino muito tímido. Depois da natação, passou a conversar mais com as pessoas.”

Leia mais:

Saiba mais sobre as inaugurações do Sesi/Senai-SP

Alunos do Sesi-SP homenageiam jogadores da equipe de voleibol

Flávia Dias e Viviane Sousa, Agência Indusnet Fiesp

Durante o treino no ginásio do Sesi Vila Leopoldina, nesta terça-feira (19), os jogadores do Sesi-SP receberam a visita de duzentos alunos da instituição de ensino, com idade entre 6 e 7 anos, professores e funcionários da entidade.

O grupo homenageou a equipe da indústria pela conquista, inédita, de uma vaga na final da Superliga e desejou boa sorte para os jogadores que nesta quarta-feira (20) viajam para Belo Horizonte, Minas Gerais, palco da decisão do torneio.

Emocionado, o técnico Giovane Gávio agradeceu a homenagem e convidou os pequenos torcedores a assistir a partida e, mesmo a distância, vibrar pelo sucesso da equipe da indústria.

Neste domingo (24), o Sesi-SP enfrenta o Sada Cruzeiro, às 10h, no ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte. Partida terá transmissão, ao vivo, pelos canais Rede Globo, Sportv e Esporte Interativo.

Já os internautas podem conferir os principais lances da partida no Twitter do Sesi Esporte.

 Leia mais:

Acompanhe todas as notícias do Sesi-SP na Superliga Masculina de Voleibol