A 40 dias da Olimpíada do Conhecimento, alunos do Senai-SP têm treinos intensivo

Talita Camargo, Agência Indusnet Fiesp 

Contagem regressiva para a maior competição de educação profissional das Américas, a Olimpíada do Conhecimento.

O torneio chega à oitava edição a partir de 31 de agosto, data da solenidade da abertura, com atividades até 7 de setembro, quando estão programadas as cerimônias de premiação e encerramento, na cidade de Belo Horizonte (MG).

Dos 800 jovens inscritos para a Olimpíada, conforme estimativa dos organizadores, 53 compõem a equipe do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial de São Paulo (Senai-SP).

Inscritos em 48 modalidades, os alunos do Senai-SP estão em treinamento intensivo nessa reta final de preparação. São 12 horas diárias de exercícios nas respectivas unidades, sempre acompanhados por seus técnicos. As atividades incluem dinâmicas motivacionais e de concentração.

Segundo eles, a expectativa é alta, o clima é de ansiedade, mas o sentimento é um só: confiança.

Competidores do Senai-SP: treinamento e confiança. Da esquerda para a direita: Matheus Prudente Santos, Beatriz Luna Lourenço, Kevin Dantas Chip, Rafael Luis Pereira e Iracema de Arruda Vilalva. Foto: Everton Amaro/Fiesp

É o caso da jovem Beatriz Luna Lourenço, de 17 anos. Aluna da Escola Senai ‘João Martins Coube’, em Bauru, a competidora na modalidade Impressão Offset, admite que a rotina de treinamento é cansativa, mas o objetivo de vencer é ainda maior.

“Estamos treinando bastante, manhã e tarde sem parar para atingir nossos objetivos”, explica Beatriz. “As expectativas são as maiores possíveis, mas eu estou tranquila em relação à competição porque o treino que está sendo realizado nos passa muita confiança.˜

Com Kevin Dantas Chip, 18, não é diferente. “Estou ansioso, mas o preparo que fazemos diariamente é importante porque a gente se prepara tanto para aquilo, que na hora ‘H’, não sentimos tanto a pressão”, explica o aluno da Escola Senai ‘Suiço-Brasileira’, de Santo Amaro, na capital paulista, que irá competir na modalidade Webdesign.

“Chego às 08h da manhã e treino até às 20h, porque há uma série de detalhes importantes para serem acertados, como a questão do tempo de prova, por exemplo, que exige uma série de repetições”, diz Chip.

O maior desafio, segundo ele, é ser rápido e certeiro ao mesmo tempo. “Isso é algo que você só consegue adquirir com o treino. Por isso somos estimulados a sempre treinar mais, incluindo aos sábados e feriados”.

No entanto, Chip não enxerga isso como um sacrifício. “Todos temos um objetivo comum, que é ganhar a medalha de ouro. Então, focamos nisso”, explica.

Colega da mesma escola, Matheus Prudente Santos, 17, compete na modalidade TI, Administração e Sistemas de Rede e também está com a expectativa alta. “Tenho me dedicado aos treinamentos todos os dias, nos últimos dois anos. Fico ansioso mesmo, mas supero isso com o próprio treinamento, que me dá certeza de que vou chegar na minha meta e conseguir a medalha de ouro”, afirma.

Longe de casa

Iracema de Arruda Vilalva, 19, da Escola Senai “José Polizotto”, de Marília, competidora na modalidade Panificação, já havia participado do torneio em 2011, mas não teve sucesso justamente pela falta de treino.

“Eu participei só para conhecer, porque comecei a treinar apenas um mês antes e isso não é suficiente perante à grandiosidade do evento”, afirma a aluna que passou os últimos dois anos se aperfeiçoando na categoria em que escolheu para defender sua escola.

A rotina de treinamento de Iracema é ainda mais puxada, já que ela mora em Marília e, nesta reta final, está se aperfeiçoando na capital paulista, a aproximadamente 370 quilômetros de casa.

Mas, para ela, o que importa é o sucesso no resultado. “Nossa rotina de treinamento é intensa e o objetivo é trabalhar em cima dos erros para minimizar a porcentagem deles. Treinamos com todas as possibilidades e alternativas que podem ter para saber trabalhar com as adversidades de todas as situações na hora da prova”, explica.

“Fazer parte da Olimpíada do Conhecimento é uma responsabilidade muito grande, pois estamos representando a nossa escola e o nosso Estado. Mas em função do treinamento, chegamos lá sabendo que podemos dar o nosso melhor”, conta.

Rafael Luis Pereira, 19, da Escola ˜João Martins Coube˜, de Bauru, espera conseguir o melhor resultado possível na modalidade Confeitaria. “Durante meu treinamento, eu foco nas minhas maiores dificuldades, para transformar isso em desafios e vencer esse obstáculo”, afirma o aluno, que tem nos critérios de avaliação os parâmetros para se aperfeiçoar.

Para Pereira, o sentimento é de gratidão. “Apesar de todo sacrifício, no final, eu sei que estou fazendo o que eu amo. Para mim, isso é gratificante.”

A competição

A cada edição bienal, a Olimpíada do Conhecimento ganha dimensões ainda maiores, conforme cresce o interesse dos jovens e o empenho das escolas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Atualmente, o número participantes representa seis vezes o número da primeira edição, realizada em 2001, em Brasília, com 111 competidores; e o número de ocupações profissionais no torneio aumentou de 26, em 2011, para 58, em 2014.

A Olimpíada do Conhecimento é uma forma de avaliar a qualidade da educação oferecida pelo Senai. O desempenho na competição forma um conjunto de indicadores que apontam tendências tecnológicas e mudanças nos perfis profissionais que orientam o Senai na atualização dos currículos nas escolas.

Além disso, os estudantes ganham a chance de representar o Brasil no WorldSkills, competição mundial de competência profissional, que também acontece a cada dois anos e terá sua próxima edição em agosto de 2015, na cidade de São Paulo.

Conheça as invenções campeãs do Inova Senai 2011

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

A sétima edição do Inova Senai, realizada de 7 a 9 de novembro no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na capital paulista, terminou nesta sexta-feira (10) com a premiação de 25 trabalhos de alunos e docentes de 54 escolas da rede Senai no estado. Os projetos premiados passaram pelo crivo de 77 avaliadores de empresas, universidades, escolas técnicas e institutos de pesquisa.

A Escola Senai Mário Amato, de São Bernardo do Campo, ganhou quatro premiações, incluindo a primeira colocação na categoria Equipamentos, uma medalha de prata na categoria Materiais e Produtos e dois bronzes, respectivamente, nas categorias Processos e Materiais e Produtos.

A Escola Prof. Dr. Euryclides de Jesus Zerbini, de Campinas, levou as três medalhas da categoria Alimentos, e a Escola Senai Theobaldo de Nigris, da Capital, levou para casa o ouro com o trabalho Equipamento Didático produzido por docente e prata na categoria responsabilidade social, destinada a alunos.

A Escola Senai Márcio Bagueira Leal, do município de Franca, se destacou em duas das três categorias de docentes, conquistando dois bronzes nas categorias Produto Inovador e Processo Inovador.

Outra unidade que também conquistou premiações foi a Escola Senai Gaspar Ricardo Junior, do município de Sorocaba, com duas medalhas de bronze nas categorias Equipamento e Inova-Design.

O trabalho que conquistou a simpatia popular entre os mais de 14 mil votos depositados nas urnas eletrônicas do evento foi o Roupeiro para Cadeirante, da Escola Senai Almirante Tamandaré, de São Bernardo do Campo, que ainda conquistou a primeira colocação na categoria Responsabilidade Social.

Confira a lista completa dos vencedores.

Olimpíada do Conhecimento vira atração para alunos da rede pública de ensino

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Bruno Jorge e Thaiane Delcidio, estudantes do Senai Anchieta, conduziram a visita de alunos do ensino médio (de camiseta azul, ao fundo) na Olimpíada do Conhecimento

A Olimpíada do Conhecimento começou nesta segunda-feira (7), e os participantes já estavam empenhados nos preparativos da competição há bastante tempo. No domingo eles fizeram a pré-ambientação no centro de exposições do Anhembi, onde o evento segue até sexta-feira (11).

Mesmo com toda a movimentação de estudantes e visitantes, os competidores mantiveram o foco e a concentração nas provas práticas. E em todos os espaços reservados para as modalidades, existe uma pequena arquibancada para realização de palestras sobre aprendizagem industrial.

Jovens assistiram às palestras ao lado das áreas de competição na Olimpíada do Conhecimento

As escolas Senai de São Paulo organizaram e conduziram visitas de estudantes da rede pública de ensino à Olimpíada do Conhecimento. Os grupos seguem roteiros de apresentações realizadas por professores e técnicos, com fotos e vídeos.

Thaiane Delcidio, 19 anos e Bruno Jorge, 20, cursam Engenharia Mecatrônica na Escola e Faculdade de Tecnologia Senai Anchieta. À tarde, monitoraram um grupo de jovens estudantes do ensino médio. “Viemos em quatro ônibus, com cerca de 150 visitantes. Hoje foi dia de ajudarmos a mostrar as atividades e os cursos do Senai para quem não conhecia”, contou a voluntária.

Entre eles estava Karina Regina dos Santos, de 16 anos, aluna do 1º ano do ensino médio que percorreu o evento com os monitores e gostou do ambiente.

“Os guias são bem legais, eles nos incentivam e apresentam as várias opções de cursos e as profissões. Só precisamos aproveitar as oportunidades”, afirmou Karina, que pretende ingressar no Senai mas ainda não optou pelo curso. “Estou pensando ainda”, completou a jovem.

Linha do tempo

Ambiente da década de 60 mostra o torno no qual o ex-presidente Lula tinha aulas no Senai

Na entrada do pavilhão, um estande curioso e ao mesmo tempo histórico atrai olhares. Recriado em três partes, o espaço temático exibe na mesma área o maquinário utilizado no Senai desde a fundação da entidade.

A primeira recorda a década de 60, e abriga também o torno no qual operava o ex-aluno do Senai e ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Logo adiante estão expostas as máquinas da década de 80, em ambiente fiel à época, e um exemplar utilizado atualmente, moderno e com desenho arrojado que oferece total segurança ao profissional.

Leia mais:

Saiba mais sobre o maior evento de educação profissional da América Latina

Acesse a página do Senai-SP no Facebook

Acompanhe a Olimpíada do Conhecimento pelo Twitter do Senai-SP

Estudantes do Senai-SP participam da fase estadual da competição no Anhembi, de 7 a 11/11

Rosangela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

O Senai-SP promove, de 7 a 11 de novembro, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, a fase estadual da Olimpíada do Conhecimento – São Paulo Skills (www.sp.senai.br/olimpiada), competição voltada a estudantes de cursos técnicos e de formação profissional das Escolas Senai do estado de São Paulo.

O evento é gratuito e aberto à visitação pública, nos seguintes horários: dia 7/11, das 14h às 17h; dias 8 e 9/11, das 9h às 17h; e dia 10, das 9h às 11h. No dia 11, será realizada a premiação, a partir das 15h.

Setecentos e sessenta e três alunos de 83 unidades da instituição participam do evento que ocupará 60 mil metros quadrados do Pavilhão de Exposições do Anhembi. Os estudantes serão testados em 50 ocupações profissionais, que representam 19 áreas tecnológicas, e os visitantes podem acompanhar, em tempo real, o desenvolvimento de cada tarefa.

Paralelamente à competição acontecerá o Inova Senai, no qual serão apresentados projetos e invenções de aplicação industrial, desenvolvidos por estudantes e docentes paulistas da instituição.

Provas de excelência

Idealizada para promover e incentivar o ensino profissional no país, a Olimpíada do Conhecimento é uma versão do antigo Torneio Nacional de Formação Profissional, criado em 1982. Durante sua realização são programadas provas teóricas e práticas. Todas as fases são acompanhadas por especialistas, que avaliam o desempenho dos candidatos em cada etapa da elaboração do trabalho.

Sai vitorioso o concorrente que obtém melhor pontuação durante o desenvolvimento das tarefas apresentadas. O cenário das atividades reproduz o ambiente real de trabalho, com ferramentas, equipamentos e situações correlatas à área tecnológica avaliada. A premiação contemplará os três melhores trabalhos de cada uma das ocupações avaliadas e será realizada no dia 11 de novembro, a partir das 15h, no Palácio de Convenções do Anhembi – Grande Auditório.

Durante a Olimpíada do Conhecimento, o Senai-SP também fará uma mostra da capacitação oferecida em suas Escolas Móveis. Quatro das 70 unidades volantes da instituição estarão abertas à visitação pública.

Etapa Nacional

Os melhores colocados na seletiva paulista garantem o passaporte para a etapa nacional, que reúne alunos de unidades do Senai de todo o país. Na última edição realizada no Rio de Janeiro, no ano passado, São Paulo foi o grande vitorioso, conquistando 33 medalhas, sendo 18 de ouro, sete de prata e oito de bronze.

A conquista deste pódio abre portas para a participação na olimpíada internacional, o WorldSkills Competitions 2013 (http://www.worldskills.com/), que se realizará na Alemanha.

Promovido há aproximadamente 50 anos, esse torneio ocorre a cada dois anos com o objetivo de fomentar o intercâmbio entre estudantes ou jovens profissionais de várias regiões do mundo, que buscam o aprimoramento profissional por meio da troca de experiências e do contato com novas competências.

Antes de chegar a essa etapa, os alunos passam por uma maratona de treinamentos, que visa reforçar a execução de exercícios teóricos com alto grau de dificuldade e domínio das tarefas práticas. Complementa a preparação o acompanhamento nutricional, físico e psicológico de cada participante.

Confira aqui as modalidades competitivas da Olimpíada do Conhecimento 2011

Serviço
Olimpíada do Conhecimento
Local: Pavilhão de Exposições do Anhembi – Av. Olavo Fontoura, 1209, Capital
Visitação: de 7 a 10 de novembro de 2011
Data/horário: dia 7/11, das 14h às 17h; dias 8 e 9/11, das 9h às 17h; e dia 10, das 9h às 11h
Entrada franca

Premiação
Local: Palácio de Convenções do Anhembi – Grande Auditório, Capital
Data/horário: 11 de novembro de 2011, a partir das 15h

Senai-SP conquista ouro no maior torneio de formação profissional do mundo

Rosângela Gallardo, Agência Indusnet Fiesp

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Senai-SP (ao centro), comemora com alunos do Senai-SP as vitórias em Londres

 

 

O Senai de São Paulo conquistou quatro medalhas no WorldSkills 2011, ajudando o Brasil a ficar na segunda colocação no maior torneio de formação profissional do mundo, encerrado neste domingo (9), na capital inglesa.

Guilherme Augusto Franco de Souza, estudante do Senai do bairro paulistano da Mooca, ganhou a medalha de ouro na modalidade Desenho Mecânico em CAD. Já os demais vencedores do Senai de São Paulo levaram medalhas de prata em suas respectivas categorias, são eles: Guilherme de Souza Vieira, em Design Gráfico; Paolo Haji de Carvalho Bueno, em Tecnologia da Informação; Rodrigo da Silva Panifer, em Polimecânica.

O aproveitamento do Senai-SP foi considerado surpreendente: quatro dos sete representantes da instituição subiram ao pódio.

O presidente da Fiesp e do Senai-SP, Paulo Skaf, participou da premiação em Londres e destacou o esforço de cada um do time vencedor. “Essa conquista, que coloca o Brasil entre os melhores do mundo, é resultado de um trabalho de equipe e do investimento do Senai-SP para transformar nossas escolas em verdadeiros centros de excelência em tecnologia”, disse.

Brasil foi o segundo melhor

Guilherme Augusto Franco de Souza (à dir.), ouro em Desenho Mecânico em CAD, comemora vitória

No geral, a delegação brasileira faturou seis medalhas de ouro, três de prata, duas de bronze e dez certificados de excelência, batendo grandes potencias educacionais como Japão, Suíça, Alemanha e Singapura. A pontuação brasileira só foi superada pela Coréia do Sul, primeira colocada na competição.

Neste ano, o Brasil foi representado no WorldSkills por 28 estudantes, que competiram em 25 ocupações, sendo 23 do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e cinco do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).

Realizadas de 5 a 8 de outubro no Centro de Convenções e Exposições Excel, em Londres, a 41º edição do WorldSkills reuniu 944 competidores de cursos profissionalizantes de 51 países. O evento recebeu mais 150 mil visitantes. A próxima edição do evento será em Liepzig, na Alemanha, em 2013.

Confira os ganhadores paulistas e suas respectivas escolas:

Ouro

  • Guilherme Augusto Franco de Souza – Desenho Mecânico em CAD
    Escola Senai Morvan Figueiredo – Mooca – Capital

 

Prata

  • Rodrigo da Silva Panifer – Polimecânica
    Escola Senai João Martins Coube – Bauru
  • Paolo Haji de Carvalho Bueno – Tecnologia da Informação
    Escola Senai Suíço-Brasileira Paulo E. Tolle – Santo Amaro – Capital
  • Guilherme de Souza Vieira – Design Gráfico
    Escola Senai Fundação Zerrener – Cambuci – Capital

 

Leia mais:

Acompanhe a cobertura completa da Olimpíada do Conhecimento 2011 do Senai-SP

Senai Roberto Simonsen prepara alunos para Olimpíada 2011

Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

João Roberto Campaner, diretor da unidade: ganhos no processo educacional

Quem vê de fora o prédio da Escola Senai Roberto Simonsen, no bairro do Brás em São Paulo, não imagina as modernas instalações, máquinas e salas de aula lá existentes.

Esta unidade, na qual os alunos têm um histórico de sucesso em Olimpíadas do Conhecimento, vem preparando 32 participantes de 24 modalidades para a etapa estadual da competição, que acontece em novembro próximo.

Das cinco modalidades da etapa nacional em que a escola participou em 2010, o resultado foi excelente: cinco medalhas de ouro, nas modalidades Mecânica Geral – Ajustagem, Mecânica de Precisão,Manufatura Integrada, Robótica Industrial e Sistema de Transporte de Informação (STI). E o que impulsiona tantas conquistas é a seriedade dos alunos e o apoio irrestrito dos experientes professores.

Segundo João Roberto Campaner, diretor do Senai Roberto Simonsen, a Olimpíada do Conhecimento traz vários ganhos ao processo educacional. Ele percebe que o jovem do Senai, quando participa da competição, passa a desenvolver comprometimento e responsabilidades.

“Os outros alunos têm aquele menino como modelo de seriedade, de empenho. Então fazemos com que ele seja referência”, afirmou.

Marcel Porto, coordenador de atividades técnicas, posa ao lado da galeria de troféus conquistados pela unidade

O coordenador de Atividades Técnicas, Marcel Porto, explicou que durante o treinamento há também reuniões com os pais dos alunos e acompanhamento psicológico: “Há três meses promovemos encontros dos competidores com psicólogos, a fim de desenvolver um trabalho comportamental e emocional”.

Preparação 

Em meio às salas de aula, alguns alunos treinam com afinco para a competição em ambientes separados. Pelos semblantes, é visível o alto grau de concentração. Os alunos Eraldo Silva e Wellington Souza, estreantes na competição em Sistema de Transporte de Informação (STI), há um ano se dedicam com o objetivo de defender a medalha de ouro da modalidade, conquistada em 2010 pelo colega Othon Alonso.

“Também quero a medalha de ouro, mas, independentemente do resultado na Olimpíada do Conhecimento, a minha expectativa é terminar o nível técnico e cursar engenharia para depois dar aulas na rede Senai”, relatou Eraldo.

raldo Silva e Wellington Souza querem repetir medalha de ouro em STI conquistada em 2010

 

Caio Agostinho, 18 anos, não pensa diferente. Concluiu a aprendizagem industrial de eletricista de manutenção e, atualmente, frequenta o curso técnico de Mecatrônica. Estreante na Olimpíada do Conhecimento pela modalidade Eletricidade Industrial, treina desde junho de 2010 para o evento e tem a mesma expectativa que seus colegas em relação ao futuro. “Primeiramente, quero adquirir conhecimento prático na indústria para, depois, dar aulas no ramo da eletricidade e automação no Senai”, planeja.

Caio Agostinho (esq.) treina na modalidade Eletricidade Industrial, enquanto Fábio Nascimento (de branco) orienta os alunos Max Mazakina e Eduardo Bonilho na modalidade Robótica Industrial

Na modalidade Robótica Industrial, o professor Fábio Nascimento treina os alunos Max Mazakina, Eduardo Bonilho e Vinícius Vermieiro. De acordo com ele, a função dos competidores é melhorar cada vez mais a sinergia entre software e estrutura física.

“É fundamental uma mecânica e um software precisos, pois na competição eles têm apenas uma hora para fazer a programação do robô. Então é necessário que este processo seja realizado o mais rápido possível, daí a necessidade de desenvolver um programa mais simples e eficiente para reduzir o tempo da atividade”, esclareceu Nascimento.

Leia mais:

Visite a página da Olimpíada do Conhecimento 2011

Conheça o site da Escola Senai Roberto Simonsen

Alunos do Senai-SP estão preparados para o World Skills International em Londres

Daniela Morisson e Edgar Marcel, Agência Indusnet Fiesp

Os alunos do Senai-SP já estão prontos para representar o Brasil no WorldSkills International, a maior competição do mundo em ensino profissionalizante, que acontecerá em outubro no Reino Unido. Atualmente, 50 países membros integram o evento, que conta com a participação brasileira desde 1983, já com estudantes da entidade da indústria.

O objetivo, segundo Roberto Spada, diretor de Relações Externas do Senai-SP, é proporcionar o intercâmbio entre as nações na busca de tecnologias e melhores procedimentos. “Entendemos que nossa missão é representar o potencial da indústria do nosso País”, ressalta.

No desempenho das tarefas, os alunos têm os mesmos critérios de avaliação e equipamentos que vão encontrar no WorldSkills. “O maior ganho neste processo no qual treino há três anos é o aprendizado profissional e pessoal”, garante Rodrigo Panifer, aluno do Senai-SP que participará do evento. Ele acredita que o intercâmbio ensina os alunos a serem mais responsáveis e os incentiva a melhorar a cada dia.

O conhecimento adquirido na competição é levado para a vida profissional, na opinião de Guilherme Vieira, outro competidor. “Se eu comparar minha formação anterior com a atual, vou observar que meu desempenho técnico está muito mais desenvolvido”, afirma.

Após participar da edição do WorldSkills em 2005, na Finlândia, William Sherman teve portas abertas no mercado de trabalho. Atualmente, ele trabalha como expert em Polimecânica no Senai-SP.

“Hoje estou do outro lado, orientando o Rodrigo Panifer para a competição deste ano, que acontecerá em Londres. Dessa maneira, tento retribuir a oportunidade que tive”, relatou Sherman.

Experiência

Primeiro cosmonauta brasileiro e embaixador do WorldSkills International, Marcos Pontes conta que a competição traz o que existe de melhor em termos de educação profissionalizante em todo o mundo.

“Os excelentes resultados alcançados pelo Brasil representam nossa formação profissional de ponta. A troca de experiências dos nossos participantes com outras instituições e alunos é importante para nossa indústria, no campo da inovação e tecnologia”, analisa Pontes.

Universitários do Senai-SP estão na final do Desafio Santander de Sustentabilidade

Agência Indusnet Fiesp

Cinco alunos do curso de Tecnologia em Produção de Vestuário, da Faculdade Senai de São Paulo, anexa à Escola Senai Engenheiro Adriano José Marchini, da Capital, disputam a etapa final do Desafio Santander de Sustentabilidade. O concurso cultural promovido pela instituição financeira tem por objetivo apoiar ideias sustentáveis voltadas a estabelecimentos de ensino superior de todo o País.

Em seu projeto, os universitários do Senai-SP propõem a gestão de compras sustentáveis na faculdade, incluindo rigoroso controle desde a entrada e estocagem dos materiais até a análise do ciclo de vida dos produtos e processos, finalizando com parceiras com fornecedores e clientes para a continuidade do programa. O trabalho também prevê a criação de ações de empreendedorismo social e o consumo responsável nas operações didático-pedagógicas.

Classificação

A equipe do Senai-SP é formada pelos alunos Irã Farias, Vera Galvan e Vagner Ferreira, além dos colaboradores Soila Rodrigues Ferreira Silva e Carlos Alexandre Silva Franca. Para chegar entre os cinco trabalhados selecionados, este grupo superou mais de 1,2 mil projetos inscritos e passou por três etapas classificatórias. A semifinal foi encerrada no mês passado, com 15 finalistas.

Os universitários também participaram de encontros virtuais com especialistas para transformar o projeto Tramas Sustentáveis em ideia viável na prática. Os videochats foram realizados entre os dias 17 e 19 de novembro e forneceram subsídios indispensáveis para que os alunos criassem um projeto detalhado com metas, indicadores e estudo de viabilidade.

Segundo Dilara Rúbia Pereira, orientadora do projeto e docente da Faculdade Senai-SP, os universitários apresentaram dedicação máximo ao projeto, abrindo mão do convívio familiar e das folgas no final de semana para cumprir todas as etapas exigidas pelo desafio: “São estudantes que superaram as dificuldades de tempo, pois trabalham durante o dia, são casados e têm filhos. O empenho e a garra da equipe foram tocantes”.

Premiação

A escolha do trabalho vencedor será realizada no dia 15 de dezembro, na sede do Santander Brasil, na Capital, quando os cinco trabalhos finalistas serão avaliados por uma banca técnica composta por especialistas nas áreas de sustentabilidade, gestão, empreendedorismo, análise de risco e gestão de projetos.

A equipe vencedora e o respectivo docente orientador ganharão bolsas de estudos no próximo ano para cursos de empreendedorismo na Babson College, em Boston (Estados unidos), entidade considerada referência no tema.